Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5163 | 27 de Setembro de 2021

 

INTERCOOPERAÇÃO: Cooperativas confirma interesse no compartilhamento de TI

Na tarde de sexta-feira (24/09), foi realizado encontro virtual com a participação de representantes do Sistema Ocepar, da Falconi Consultoria e de 21 cooperativas interessadas em firmar uma aliança estratégica na área de tecnologia de informação. Ao fim do evento, as cooperativas decidiram criar uma comissão, com o objetivo de estudar a possibilidade da constituição de uma central. Nas próximas semanas, um cronograma deverá ser anunciado, com a definição de uma data para formalização deste novo projeto de intercooperação. 

Compartilhamento - Durante o encontro, consultores da Falconi apresentaram as conclusões do estudo de viabilidade da central. “Este projeto é único no país. É uma iniciativa que trará frutos para todo o sistema cooperativista, gerando valor por meio do compartilhamento de serviços, com redução de custos e agregando conhecimentos de forma sistêmica”, afirmou o gerente de novos negócios da Falconi, Alexandre Lunkes Diehl.

PRC200 - As discussões em torno do projeto da central de serviços de TI foram iniciadas em novembro de 2019, como desdobramento do PRC100, o planejamento estratégico do cooperativismo do Paraná. As discussões avançaram e foram agregadas ao novo ciclo do plano de ação da Ocepar, o PRC200. Participam da iniciativa as cooperativas Agrária, Bom Jesus, Camisc, Coagru, Coamo, Cocari, Cocamar, Copacol, Copagri, Cooperante, Castrolanda, Capal, C.Vale, Frimesa, Frísia, Integrada, Lar, Coopertradição, Coprossel, Primato e Unicampo. 

Reunião histórica - O superintendente do Sescoop/PR (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo), Leonardo Boesche, considerou a reunião “histórica”, pois os estudos de viabilidade asseguraram a adesão unânime das cooperativas participantes. “Depois de dois anos de trabalho, o projeto avançou e agora, com a entrega do projeto de implantação, que se soma a outros estudos já apresentados sobre o modelo e plano de negócios, as lideranças definiram a adesão das cooperativas no processo final desta iniciativa”, relatou. 

Projeto disruptivo - Segundo Boesche, um dos pilares do PRC200 é a busca por alianças e novos mercados, com a ampliação de projetos de intercooperação. Trata-se da materialização do sexto princípio do cooperativismo – a cooperação entre cooperativas – que ganha status de ação prioritária no planejamento estratégico do setor no Paraná. “Caso a decisão seja por uma  central cooperativa de serviços de TI, com certeza será um projeto inovador e disruptivo, que visa reduzir custos e trazer soluções inteligentes e compartilhadas para a área de TI. Mas também é importante frisar que o projeto se insere no objetivo essencial do cooperativismo, abrangendo conceitos de economia compartilhada e de escala, com o foco na agregação de valor e melhoria de serviços aos cooperados”, ressaltou. 

Viabilidade - O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, explicou que a metodologia para a formação de uma central cooperativa de serviços de TI buscou responder perguntas fundamentais para assegurar a viabilidade do projeto. “Criar essa estrutura é uma necessidade? Há interesse e demanda por parte das cooperativas? O projeto é viável? Além disso foi necessário analisar os aspectos legais e definir um modelo de negócios, com critérios adequados de gestão e governança”, explicou. “Com os estudos apresentados e as discussões realizadas nos últimos dois anos, cada cooperativa teve subsídios para tomar uma decisão consciente sobre a adesão ao projeto de compartilhamento da TI”, afirmou. 

Cooperação tecnológica Durante a reunião, os representantes das cooperativas puderam acompanhar a palestra “Desafios e oportunidades: uma visão sobre cooperação tecnológica na era digital”, ministrada pelo vice-presidente da Gartner Research, Cassio Dreyfuss. Depois, coube aos consultores Bruno Henrique, André Paranhos e Diego Negreiros, sócios da empresa Falconi, a apresentação do Plano de Implantação do Projeto Compartilhamento de TI. Ao fim, foram escolhidos os representantes da comissão de implantação da central, com a participação de dirigentes e gestores de nove cooperativas: Coamo, Copacol, Cocamar, Frísia, Integrada, Cooperante, Bom Jesus, com a suplência da Coopertradição e Capal. Também participaram da reunião o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, e o coordenador de tecnologia da informação, Plácido da Silva Junior, além de coordenadores e analistas da entidade.

{vsig}2021/noticias/09/27/intercooperacao/{/vsig}

SISTEMA OCEPAR: Diretoria executiva promove reunião geral mensal com equipes de trabalho

Foi realizada, na manhã desta segunda-feira (27/09), a reunião geral mensal da diretoria executiva do Sistema Ocepar com as equipes de trabalho. O encontro ocorreu virtualmente com a participação do presidente da entidade, José Roberto Ricken, dos superintendentes Robson Mafioletti, da Ocepar, Leonardo Boesche, do Sescoop/PR, Nelson Costa, da Fecoopar, gerentes e coordenadores de área.

Abertura - Na abertura, Ricken falou sobre as diretrizes das atividades executadas pela entidade, alicerçadas no planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, o Plano Paraná Cooperativo 200 (PRC200). “Nós mantemos o planejamento estratégico do cooperativismo como base principal dos nossos trabalhos. Tudo o que fazemos no dia a dia está inserido no nosso objetivo principal, que é buscar o desenvolvimento sustentável das cooperativas do Paraná, em todos os sentidos. Nós conduzimos isso de uma forma que seja representativo e haja resultados”, enfatizou o dirigente.

Pontos fundamentais - Dentro desse contexto, o presidente do Sistema Ocepar destacou ainda os pontos fundamentais que permeiam as ações da entidade, como a formação e capacitação do público cooperativista, a promoção do desenvolvimento econômico e social das pessoas e das cooperativas e da cultura da inovação no setor. “Nós já estamos há praticamente três anos com o nosso Programa de Inovação e agora nós queremos avançar para que as cooperativas tenham uma visão clara do que está sendo feito e ter mecanismos de análise, visando dar o direcionamento adequado nessa área”, acrescentou.

Certificação - Ricken disse que outra grande preocupação da entidade é com duas questões muito focadas atualmente no mundo: a social, aliada à ambiental. “Estamos desenvolvendo uma metodologia para absorver essa preocupação e elaborar um processo de certificação das nossas cooperativas. Vamos trabalhar nessa linha, para mostrar à sociedade que nós temos um diferencial”, frisou.

Outros itens - Além disso, ele destacou as alianças cooperativas, para fortalecer ainda mais o setor, e a necessidade de atender as necessidades de mercado, seja em produtos ou serviços. “Vamos identificar as demandas e produzir para atendê-las”, afirmou. A importância do cooperativismo se comunicar melhor com a sociedade, o aprimoramento das ações de representação e defesa dos interesses das cooperativas, o apoio às cooperativas na adoção de modelos de governança e gestão mais adequados e a necessidade de buscar tecnologias e infraestrutura para assegurar o bom desempenho do setor foram outros elementos citados por Ricken.

Pauta - “Essas são as linhas que estamos seguindo com os 20 projetos estruturantes do PRC200, ou seja, é nossa pauta de trabalho. Agora, estamos no momento de planejar 2022. Precisamos pensar em que iremos fazer no ano que vem e, para completar, concluir a nossa tarefa de 2021. Há várias ações que ainda serão realizadas até dezembro. Temos 90 dias para fechar o ano e fechar bem”, salientou. “Vamos em frente, com segurança. Estamos com a equipe bem afinada e muito profissional”, finalizou.

Eventos - Na sequência, os superintendentes destacaram os principais eventos que ocorrerão até o final de 2021, como a participação de um grupo com representantes de algumas cooperativas do Paraná e do Sistema Ocepar na Expo Dubai 2021, entre os dias 7 e 17 de outubro, os Encontros de Núcleos Cooperativos, entre os dias 8 e 11 de novembro, e o Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, no dia 3 de dezembro, que este ano será promovido em conjunto com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), grande parceiro das cooperativas do Paraná no repasse de recursos para os projetos de investimento do setor. No Encontro serão celebrados os 50 anos da Ocepar e os 60 anos do BRDE, completados neste ano.

{vsig}2021/noticias/09/27/sistema_ocepar/{/vsig}

 

JUBILEU DE OURO: Quinta reportagem da série “50 anos da Ocepar” mostra o trabalho de mais cooperativas do Oeste do PR

jubileu ouro 27 09 2021A força do cooperativismo no Oeste do Paraná voltou a ser destaque na série de reportagens sobre os 50 anos da Ocepar, veiculada nesse domingo (26/09) pelo programa RIC Rural, exibido pelas emissoras da Rede Independência de Comunicação (RIC) no Paraná, afiliada da Rede Record. Desta vez, o jornalista e apresentador do programa, Sérgio Mendes, esteve na Lar, em Medianeira, na C.Vale, em Palotina, e na Primato, em Toledo. Esta foi a quinta reportagem da série, dividida em duas partes. Na quarta reportagem, a equipe mostrou o trabalho realizado pela Copacol, em Cafelândia, e pela Coopavel, em Cascavel.

A série - Em oito episódios, o objetivo da série é mostrar o trabalho realizado pela Ocepar, que completou cinco décadas no dia 2 de abril deste ano, e a realidade do cooperativismo nas diferentes regiões do estado. As matérias especiais começaram a ser veiculadas no dia 24 de maio, com uma reportagem especial exibida por mês.

Clique aqui e confira a primeira parte da reportagem

Clique aqui e confira a segunda parte da reportagem

 

GETEC: Informe nº 46 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 27 09 2021A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (27/09), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2021, 2022 e 2023. A Getec também está divulgando o Informe Mensal, com o histórico das projeções de setembro do Banco Central.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

Clique aqui para conferir o Informe Mensal de Setembro

 

DIREITO: Seminário encerra com o painel Gestão eletrônica de documentos e assembleias digitais

O painel gestão eletrônica de documentos e assembleias digitais encerrou o Seminário Direito Cooperativo da Região Sul, na última sexta-feira (24/09). A primeira palestrante foi Cinthia de Almendra Freitas, doutora em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), instituição em que também atua como professora titular da Escola de Direito, coordenadora e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Direito (mestrado e doutorado) e coordenadora da pós-graduação em Direito Digital. Na OAB-PR, é membro consultivo da Comissão de Inovação e Gestão e integra o Grupo Permanente de Discussão sobre Privacidade e Proteção de Dados Pessoais. Amanda Souto, a segunda a falar no painel, é pós-graduada em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Trabalha desde 2012 no Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (DREI) do Ministério da Economia e, em 2018, tornou-se coordenadora geral de Normas do DREI.

Facilidades - Ao abrir o último encontro do Seminário, o superintendente da Federação e Organização das Cooperativas do Paraná (Fecoopar), Nelson Costa, citou algumas ações que agilizaram processos, por meio da informatização, propiciadas em parte pela Lei de Liberdade Econômica (Lei 13.874/2019), a Lei 14.195/2021, que facilita a abertura de empresas, com a digitalização dos documentos, e a Redesim, que integra órgãos como a Receita Federal, prefeituras e corpo de bombeiros. “As juntas comerciais dos estados, por exemplo, estão totalmente digitais, o que facilitou o registro de documentos, como as atas das assembleias das cooperativas. Esta digitalização do sistema do registro do comércio foi fundamental e está em prática. Até há pouco tempo, demorava-se dias para abrir uma empresa ou registrar um documento numa junta comercial e hoje isso acontece em horas ou no máximo um dia”, disse.

Arbitragem - O superintendente da Fecoopar também citou o movimento em torno da criação da câmara de mediação e arbitragem do cooperativismo. “Estamos estruturando o projeto, em parceria com a PUCPR. O objetivo é agilizar a solução de controvérsias entre cooperativas e cooperados e entre cooperativas e fornecedores, clientes, reduzindo os custos judiciais e os prazos. Hoje qualquer ação no judiciário pode demorar anos, enquanto numa câmara de arbitragem a solução pode ocorrer em meses”, afirmou. De acordo com Nelson Costa, a criação da câmara de mediação e arbitragem é um projeto complexo, por isso há necessidade de ampliar os debates em torno do assunto. “Um grande desafio envolve justamente o tema que está em discussão hoje, que é estruturação dessa câmara de forma virtual para diminuir o deslocamento de pessoas e árbitros. O objetivo é propiciar a instalação de uma câmara virtual de mediação até na mais distante das regiões para que as soluções de controvérsias possam ser agilizadas”, frisou.

Seminário - Realizado no formato on-line e promovido em parceria pelos sistemas Ocepar, Ocesc e Ocergs, Seminário Direito Cooperativo da Região Sul reuniu advogados e assessores jurídicos que atuam no cooperativismo. Foram quatro encontros, sempre às sextas-feiras de setembro e com duração de duas horas cada. A programação iniciou no dia 3 de setembro, com palestras do ministro Alexandre de Souza Agra Belmonte, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), e do advogado e professor Marco Antônio Villatore, que trataram a respeito de Doença ocupacional Covid: decisões nos Tribunais. Na semana seguinte, 10 de setembro, o evento debateu o tema LGPD e Compliance: responsabilidade e direito dos titulares, com a participação de Evelyn Moreno Weck e Camilla Jimene. Já no 17 de setembro, o tema foi Medidas atípicas do processo de execução para recuperação de crédito, alienação fiduciária e decisão do STF, e trouxe as especialistas e Liliane Maria Busato Batista e Oksandro Gonçalves.

Desburocratizar - No quarto encontro, na última sexta-feira, a professora Cinthia Obladen de Almeida Freitas abordou definição do que é um documento e a importância da Gerência Eletrônica de Documentos (GED), além de outras questões relevantes como as ferramentas mais utilizadas, segurança, auditoria e perícia. “Agradeço o convite para debater este tema que é pouco conhecido, mas que gera muitos desafios”, disse. Segundo ela na GED três elementos são importantes: as pessoas, as organizações e a tecnologia. A professora também explicou que essa forma de gerenciamento de documentos veio para padronizar e informatizar, tendo como objetivo acelerar e desburocratizar. “Hoje com a Lei Geral de Proteção de Dados há uma preocupação maior com o vazamento de informações, por este motivo todo processo de GED precisa ser adequado às necessidades da empresa, além disso as pessoas precisam ser treinadas e os procedimentos necessitam ser revistos e readequados”, comentou. 

Assembleias - Na sequência, a também professora Amanda Mesquita Souto abordou a questão de livros digitais e assembleias semipresenciais ou digitais, com foco na Instrução Normativa DREI nº 81/2020, IN 82/2021, e Lei 14.195 (MP 1.40/2021), que tratam desses temas. “A Instrução Normativa DREI nº 81/2020, que traz o Manual de Registro de Cooperativa, surgiu em função do estado de pandemia, mas é importante lembrar que questões relacionadas a prazos, anúncio de convocação, período, instalação e deliberação são aplicadas as normas gerais para qualquer tipo de assembleia. As novas normativas alteram apenas o formato em que a assembleia pode ocorrer e não as normas atinentes às cooperativas, bem como às normas do estatuto social”, disse.  

Youtube - O Sistema Ocepar foi o anfitrião do 5º Seminário de Direito Cooperativo da Região Sul. Se você não acompanhou os painéis ou quer rever alguma palestra, clique aqui e acesse o canal do Sistema Ocepar no YouTube, a TV Paraná Cooperativo.

Rádio - Ouça aqui matéria sobre com as palestrantes do último painel: Cinthia Obladen de Almeida Freitas e Amanda Mesquita Souto.

{vsig}2021/noticias/09/27/direito/{/vsig}

 

 

COOPERATIVISMO I: Certel é exemplo de proteção ambiental

cooperativismo I 27 09 2021A Aliança Cooperativa Internacional (ACI) divulgou na quinta-feira (23/09) um relatório que oferece um panorama inovador de como as cooperativas estão agindo para proteger o meio ambiente, bem como mitigar e se adaptar aos impactos das mudanças climáticas e da degradação ambiental.

Exemplos - E, entre os exemplos globais citados na pesquisa, temos um destaque aqui do Brasil: a Certel, uma cooperativa de energia elétrica, do interior do Rio Grande do Sul, que desenvolve diversos projetos de sustentabilidade, produção de energia renovável, projetos para a neutralização das emissões de gases de efeito estufa, projetos de proteção e recuperação de áreas com espécies nativas, gestão de resíduos sólidos e educação ambiental.

Oito estudos - O relatório cobre oito estudos de caso de todas as regiões da ACI e mostra uma variedade de ações ambientais de empresas cooperativas. Os exemplos incluem o acesso e gestão de habitats naturais e recursos por meio de abordagens cooperativas, respostas inovadoras para minimizar os impactos ambientais e programas e boas práticas dos membros da ACI. Possui cooperativas de diversos portes e áreas de atividade, especificamente nos setores de energia, silvicultura, habitação, transporte e finanças.

Como - O relatório demonstra que as cooperativas contribuem para práticas sustentáveis ​​de várias maneiras. Por exemplo, organizando a provisão de serviços ecologicamente corretos, como energia renovável, ou por meio de educação cooperativa e treinamento sobre o meio ambiente. No geral, o modelo de empresa cooperativa pode ser uma alternativa viável para negócios como de costume e está definido para se tornar um modelo de empresa de escolha no combate às mudanças climáticas e degradação ambiental.

ODS - A publicação também se concentra nas contribuições do setor para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, incluindo o ODS 13 sobre ação climática e o ODS 7 sobre energia limpa e renovável. Ele sugere que há uma necessidade clara de ação significativa e coloca uma ênfase na necessidade de mudança econômica e social sistêmica para enfrentar o desafio climático. Essa perspectiva é ampliada em um novo cenário de insegurança e urgência desde o início da pandemia Covid-19, a par das avaliações recentes do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).

Leitura obrigatória - De acordo com o coordenador Sênior de Pesquisa do Instituto de Pesquisa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Social, Ilcheong Yi, o documento é uma leitura obrigatória. "Ilustrando como o movimento cooperativo incorpora os valores de cooperação, solidariedade, autogestão e democracia em abordagens de desenvolvimento centrado no planeta, esta pesquisa contribui para o desenvolvimento de políticas e instituições holísticas para alcançar objetivos econômicos, sociais e ambientais. Eu o recomendo como uma leitura obrigatória para aqueles que procuram um meio realista de desenvolvimento sustentável em 2021”, declara.

Conheça - Cliquei aqui para ler (o documento está em inglês). (OCB, com informações da ACI)

 

COOPERATIVISMO II: ACI Europa elege a primeira mulher como presidente

cooperativismo II 27 09 2021A Assembleia-Geral da ACI Europa elegeu a dinamarquesa Susanne Westhausen como presidente para os próximos quatro anos. A eleição ocorreu na sexta-feira (24/09), em Paris. Susanne, que atua há mais de 30 anos no setor cooperativista, é presidente da Confederação de Cooperativas da Dinamarca e entra para a história da entidade como a primeira mulher a assumir o cargo na ACI Europa.

Novos membros - Durante o evento, também foram eleitos os novos membros para o Conselho de Administração. A ACI Europa é a organização regional da Aliança Cooperativa Internacional para o Continente Europeu. A entidade tem sede em Bruxelas e congrega as mais de 40 organizações representativas de cooperativas europeias que estão espalhadas por 33 países.

Parabenização - O representante do Brasil junto ao Conselho de Administração da Aliança Cooperativa Internacional, Onofre Filho, parabenizou a nova líder do cooperativismo europeu e se colocou à disposição para fortalecer a intercooperação entre as cooperativas brasileiras e europeias. (OCB)

 

AGRÁRIA/FAPA: 18ª edição do WinterShow será realizada de 5 a 7 de outubro

agraria 27 09 2021Entre os dias 5 e 7 de outubro, a Cooperativa Agrária e a Fapa (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária) realizam a 18ª edição do WinterShow, maior evento técnico de cereais de inverno do Brasil. Em 2021, as atividades voltam a ser presenciais, seguindo os protocolos de combate à Covid-19 indicados pelas autoridades de saúde.

Importância - Os cultivos de inverno são importantes por vários aspectos. No caso dos cooperados da Agrária, eles contribuem para sustentabilidade das áreas, servindo como cobertura para proteção do solo e ajudando na diluição dos custos fixos das propriedades. “Com as políticas comerciais adotadas pela Cooperativa, principalmente a cevada e o trigo têm oferecido uma remuneração bastante interessante aos produtores”, explica Márcio Mourão, coordenador administrativo da Assistência Técnica e da Fapa. Além disso, as duas culturas são industrializadas pela cooperativa através da Agrária Malte e da Agrária Farinhas.

Palestras simultâneas - Durante o WinterShow 2021, as tradicionais palestras com os pesquisadores da Fapa, que apresentam ao público as novidades para os cultivos da época mais fria do ano, acontecerão de maneira simultânea, nas tardes dos dias 05 e 06. No período da manhã, estão agendadas as palestras com convidados. Destaque para a abertura, com o jornalista Alexandre Garcia, que falará sobre o tema Brasil: um país de mudanças. No dia 07, às 14 horas, o palco do evento recebe Luciano Salamacha com a palestra Inovação: pensamento transversal. “Para esse evento sempre buscamos conteúdos bastante ecléticos, com palestras técnicas, sobre economia, tecnologia e também autoconhecimento”, esclarece Mourão.

Desafio dos tratores- A 18ª edição do WinterShow será encerrada com uma atração para toda comunidade: o divertido Bremswagen, também conhecido como desafio de tratores.

Cuidados com a Covid-19 - De acordo com Márcio Mourão, a organização do WinterShow 2021 ficou surpresa com a grande procura dos expositores por estandes. “Sabemos como o contato com o público é relevante para que essas empresas, que já são parceiras do evento, concretizem negócios”, afirmou.

Máscaras - Para garantir o cumprimento dos protocolos sanitários frente à pandemia da Covid-19, o uso de máscaras é obrigatório. O acessório será disponibilizado pela organização, assim como o álcool 70%. Para assegurar o distanciamento, as palestras, refeições e os estandes internos utilizarão parte da estrutura do Centro de Eventos Agrária, que será inaugurado oficialmente no próximo mês de janeiro. “É um espaço maior, com mais ventilação e que oferece mais segurança tanto para o público como para as pessoas que irão trabalhar”, comenta Mourão. A visitação dos estandes também irá respeitar uma lotação máxima, para evitar aglomerações.

Patrocínio - O WinterShow 2021 conta com o patrocínio ouro da Oro Agri e do Sicredi. A FMC é patrocinadora prata. São patrocinadores bronze Master Agro, Sindicato Rural de Guarapuava, Sicoob e Ubyfol. (Imprensa Agrária)

  

SERVIÇO

WinterShow 2021

Data: de 05 a 07 de outubro

Local: Fapa (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária) - Rodovia PR-540, Km 09 - Entre Rios - Colônia Vitória, Guarapuava – PR

Horário: das 08h às 17h

Evento gratuito

PROGRAMAÇÃO

Terça-feira – 05/10/21

9h50 – Abertura do evento

10h00 – Palestra: Um País em Mudanças - Alexandre Garcia

11h15 – Palestra: Entendendo a Tecnologia de Aplicação Aérea, Como Melhor Utilizá-la - Fernando Kassis Carvalho - AgroEfetiva

12h00 - Almoço

14h00 - Palestras simultâneas Fapa

15h00 - Visita aos expositores

16h00 - Palestras simultâneas Fapa

Quarta-feira – 06/10/21

10h00 – Palestra: Cenário Macroeconômico e Futuros de Commodities Agrícolas de Inverno - Pedro Renault, Guilherme Bellotti - Itaú e Itaú BBA e Carlos Cogo - Inteligência em Agronegócio

12h00 – Almoço

14h00 – Palestras Simultâneas - Fapa

15h00 – Visita aos expositores

16h00 – Palestras Simultâneas – Fapa

Quinta-feira – 07/10/21

10h00 – Palestra: Disrupções no Agronegócio - Bruno Dupin - Startup Connection USA

11h00 – Palestras: Oportunidades do Mercado de Créditos de Carbono - Paulo Augusto Zanardi Jr - GSS Sustentabilidade e Bioinovação

12h00 – Almoço

14h00 - Inovação: Pensamento Transversal - Luciano Salamacha - Bosstech Corporation

17h00 - Bremswagen - Desafio de tratores.

Palestras com os pesquisadores da Fapa

ESTAÇÃO 1

Profundidade de semeadura e os componentes de rendimento em trigo. - Juliano Luiz de Almeida – Fapa

Aveias brancas para produção de grãos. - Marcelo Teixeira Pacheco - UFRGS e Juliano Luiz de Almeida - Fapa

Projeto agricultura de alta eficiência - Máxima precisão para uma agricultura mais sustentável. –

Rodrigo Ferreira –Fapa

ESTAÇÃO 2

Interferência de pragas e doenças no potencial produtivo de cereais de inverno. - Dauri José Tessmann – UEM, Heraldo R. Feksa – Fapa e Alfred Stoetzer - Fapa

ESTAÇÃO 3

Manejo de cultivares de cevada visando qualidade cervejeira. - Noemir Antoniazzi e Eduardo Stefani Pagliosa - Fapa

ESTAÇÃO 4

Premissas para eficiência do controle biológico. - Cristiane Goncalves Gardiano - Fapa

Comportamento do cultivo de cebola na safra 2021 na região de Guarapuava. - Flavia Cristina Panizzon Diniz - Fapa

ESTAÇÃO 5

Manejo de azevém resistente a herbicidas no sistema de cultivo. - Vitor Spader - Fapa

Adubação das culturas: é possível otimizar? - Sandra Mara Vieira Fontoura - Fapa

 

UNIPRIME PIONEIRA: Feirão da Sustentabilidade facilita o crédito para energia solar

uniprime pioneira 27 09 2021A captação de luz solar por meio de placas para a geração de eletricidade não é mais uma tecnologia restrita aos grandes empreendimentos. Hoje, com a expansão das soluções para geração de energias limpas, a energia fotovoltaica se tornou uma opção viável para todos os públicos, desde pequenas residências até grandes edifícios.

Feirão da Sustentabilidade - Atenta a esse mercado, a Uniprime Pioneira promove o Feirão da Sustentabilidade. Até o dia 8 de outubro, empresas cooperadas que comercializam essa tecnologia estarão visitando as agências para esclarecer dúvidas, apresentar soluções e fazer parcerias com os cooperados.

Linha de crédito diferenciada - Por sua vez, a Uniprime oferece uma linha de crédito diferenciada com opções de tempo e formas de financiamento: em 48 ou 60 meses, com taxas fixas ou variáveis. “Com o negócio encaminhado, o cooperado escolhe o que se encaixa em seu orçamento e nós garantimos o melhor prazo e a melhor taxa do mercado, tudo para facilitar que ele tenha acesso ao conforto, a praticidade e a economia da energia solar”, destaca o gerente comercial Lucio Scheuer. “Trata-se de um produto do presente e não mais do futuro e nós, como uma instituição cooperativa, temos o compromisso de fomentar a sustentabilidade ambiental pois é um dos valores do cooperativismo”, complementa.

Programação - Confira a programação do Feirão da Sustentabilidade nos próximos dias:

- Agência de Goioerê: 27 e 28/09

- Agência de Ubiratã: 29 e 30/09

- Agência de Palotina: 04 e 05/10

- Agência de Medianeira: 06, 07 e 08/10.

Informações - Nas agências em que o Feirão já passou, os gerentes de negócios possuem todas as informações e contatos para orientar os cooperados. (Imprensa Uniprime Pioneira)

FOTO: Atimedia / Pixabay

 

SICREDI VANGUARDA: Associado investe em drone para pulverização

Investir em tecnologia e inovação! A Sicredi Vanguarda acredita que investimentos nessa área fazem a diferença e serão tendências para o futuro, principalmente no que diz respeito à agricultura, como a utilização de drones agrícolas.

Drone agrícola - Em Cascavel (PR), o engenheiro agrônomo Andrei Mori, associado da Sicredi desde 2013, financiou com a cooperativa um drone agrícola para pulverização. “Eu sempre tenho que estar além do meu tempo, pensando em novas tecnologias, oportunidades de negócio. Estamos em constantes mudanças no agronegócio, e a tecnologia é um forte aliado no campo. A Sicredi é uma cooperativa que está à frente do seu tempo e que preza pelo bem-estar e acredita no seu associado e em suas ideais, como quando levei a proposta para a aquisição do drone”, explica Andrei.

Concretização de metas - Para o Sicredi, ajudar a concretizar as metas e projetos é o que move o relacionamento entre cooperativa e associados. “O Andrei nos procurou com a proposta de investimento para comprar um drone, nós achamos a ideia muito interessante e inovadora por ser uma forma de expansão aqui na região de Cascavel. Ficamos felizes em participar e contribuir com essa fase do associado”, Tamires Cristina Bif, gerente de negócios agro da agência Sicredi São Cristóvão, em Cascavel.

Apoio - Investir em tecnologia traz apoio para o produtor rural. “O drone de uso agrícola, é uma ferramenta de apoio ao produtor, que não substituirá as outras formas de pulverização, mas será uma maneira mais tecnológica e segura para auxiliar os produtores rurais, principalmente aqueles que não tem autopropelido e ou pulverizadores de arrasto”, comenta o agrônomo.

Essência - Acreditar no associado e em seu empreendimento faz parte da essência do cooperativismo e do Sicredi. “Investir em tecnologia e inovação, pensando na modernização do campo é um caminho que está em expansão, sendo tendência para o futuro e o Sicredi quer fazer parte dessa história”, comenta a gerente Debora Cristina de Moura Amboni, da agência Sicredi São Cristóvão de Cascavel.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2021/noticias/09/27/sicredi_vanguarda/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: União Solidária premia primeiros ganhadores e entidades

sicredi uniao 27 09 2021Os três primeiros prêmios da campanha União Solidária foram entregues na quinta-feira (23/09): são três iPhone XR contemplados para moradores de São Carlos do Ivaí/PR, Guaravera/PR e Mococa/SP. As três entidades responsáveis pelas vendas dos cupons premiados ganharam R$ 3 mil cada.

Ganhadora - Em São Carlos do Ivaí, a ganhadora foi a operadora de balança Eveline Conti dos Santos, que como precisava de um celular novo, já ia habilitar o aparelho que ganhou. Eveline comprou apenas um cupom para ajudar a Apae, onde a irmã dela trabalha, e ficou ainda mais satisfeita porque além de premiada, foi graças ao cupom dela que a entidade ganhou R$ 3 mil. “Ajudar a Apae é maravilhoso e estou mais feliz ainda”, afirmou.

Reforma - A diretora da Apae, Regina Ruiz Frassão, conta que a entidade precisa de recursos para reformar as salas de atendimento dos quase 90 alunos. Por isso, inscreveu um projeto no valor de R$ 12 mil para custear parte das obras. Como o cupom custa R$ 10 e a entidade fica integralmente com o valor da venda, a Apae tem 1,2 mil cupons para comercializar. Para isso, os 37 colaboradores e os voluntários estão imbuídos da missão de vender tudo. Os R$ 3 mil extras serão usados para as obras. “É uma campanha excelente. Já participamos no ano passado e antes mesmo do lançamento neste ano estava ansiosa e esperando, porque precisamos dos recursos”.

Única entidade inscrita - Em São Carlos do Ivaí, a Apare é, por enquanto, a única entidade inscrita na campanha, que é realizada pelo Instituto CoopConecta, da Sicredi União PR/SP, e a Cocamar. Para a gerente das unidades de Paranavaí e Nova Esperança da Cocamar, Márcia Rissardi Dias, a campanha contribui de forma valiosa para as entidades. A opinião é partilhada pela gerente da Sicredi União PRSP em São Carlos do Ivaí, Marcilene de Souza Oliveira. “Com iniciativas como a União Solidária as cooperativas trabalham em prol da comunidade”.

Quarto ano - Este é o quarto ano da campanha, que continuará até fevereiro de 2022. Até agora 400 entidades, por meio de 440 projetos, participam. Depois que elas têm os projetos aprovados, recebem cupons para comercialização e ficarão integralmente com o valor da venda.

Ajuda - A população pode ajudar comprando cupom ao custo de R$ 10 e assim ajudarão projetos voltados para idosos, deficientes, crianças, entre outros públicos, além de concorrem a prêmios mensais.

Eletrônico ou físico - Os cupons podem ser adquiridos eletronicamente ou de forma física, mas neste caso é preciso cadastrá-lo em www.campanhauniaosolidaria.com.br. Até o final da campanha serão sorteados três patinetes elétricos, três notebooks, três smart TVs, três bicicletas elétricas, três carros Fiat Argo e seis motos Honda CG Start.

Cadastro - Ainda dá tempo das entidades participarem da iniciativa, cadastrando o projeto no site da campanha, que acontece em 113 cidades de atuação da Sicredi União PR/SP e/ou Instituto Cocamar. O Lions Distrito LD 6 apoia a ação.

Impacto - Desde que foi criada, a União Solidária impacta milhares de vidas. Em 2018 foram 550 mil em 31 cidades, envolvendo 150 entidades; em 2019 foram 690 mil vidas impactadas, atendidas por 437 entidades de 113 cidades; e no ano passado, 692 mil pessoas atendidas por 466 entidades também em 113 cidades. As arrecadações foram de R$ 1,3 milhão no primeiro ano; R$ 3,5 milhões em 2019; e R$ 4,1 milhões no ano passado. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

CRESOL UNIÃO DOS VALES: Conselho de Administração promove reunião aberta em Marialva

O Conselho de Administração da Cresol União dos Vales esteve em Marialva (PR), nos dias 15 e 16 de setembro, para visita técnica na empresa ElloPrint Embalagens, Rótulos e Etiquetas. Também conheceram a produção de sucos integrais da Produtos D'Anna e se reuniram ainda com autoridades locais e estaduais, empresários, agricultores, imprensa e demais convidados.

Apresentação - A visita foi promovida com o objetivo de apresentar a governança cooperativa, o modelo de negócio da Cresol, o projeto de expansão para o município, o Planejamento Estratégico para os próximos cinco anos e o Plano de Relacionamento da cooperativa. A apresentação foi realizada pelo José Paulo da Silva, presidente da cooperativa, Everton José do Nascimento, diretor superintendente e pelo João Victor Coutinho, analista de comunicação da Cresol União dos Vales. Os convidados puderam conhecer a história do Sistema da Cresol e da Cresol União dos Vales, que já atua na região Centro Norte do Paraná há 19 anos.

Modelos de agências - A Cresol apresentou os modelos de agências já inauguradas pela cooperativa e o modelo a ser construído. A projeção é inaugurar a agência em Marialva ainda no primeiro semestre de 2022.

Sobre a Cresol - O Sistema Cresol Baser possui mais de 225 mil famílias cooperadas e conta com agências de relacionamento em onze estados brasileiros: Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Rondônia, São Paulo, Rio de Janeiro e Amazonas, e segue com expansão para novas áreas. Fazendo parte da Cresol Confederação, que abrange 17 estados e mais de 630 mil cooperados, a Cresol trabalha com foco no atendimento personalizado, fornecendo soluções financeiras para gerar desenvolvimento dos cooperados, de seus empreendimentos e de toda comunidade. (Imprensa Cresol União dos Vales)

{vsig}2021/noticias/09/27/cresol_uniao_vales/{/vsig}

UNIMED CURITIBA: Conteúdos gratuitos de cuidados com o corpo são disponibilizados para o público

Em comemoração ao dia do cliente (marcado no último dia 15 de setembro), a Unimed Curitiba promoverá quatro semanas de conteúdos especiais on-line para o público em geral e não apenas clientes da operadora de planos de saúde. Nessa primeira semana, foi disponibilizada uma aula on-line para estimular a mudança de hábito para ajudar as pessoas a movimentarem-se e cuidarem de seu corpo.

Exercícios - Os exercícios foram preparados pela Jucimara Lopes, profissional de educação física e colaboradora da Unimed Curitiba em programas de promoção à saúde, e contam com um pouco mais de 27 minutos. O convite é para separar uma garrafinha de água, arrastar os móveis e chamar toda a família para se movimentar. Confira no Facebook (https://www.facebook.com/UnimedCuritiba/videos/4392889480819152/) e no YouTube (https://youtu.be/DT25uCODC7c).

Playlist e e-book - E, para complementar a experiência, também estão disponíveis uma playlist no Spotify (https://spoti.fi/3tGfhta) e um e-book com dicas exclusivas (https://bit.ly/3CHOxMa). Para ter acesso aos conteúdos on-line, basta acompanhar as redes sociais da Unimed Curitiba. Está tudo aberto ao público e não apenas aos clientes da operadora. (Imprensa Unimed Curitiba)

 

unimed curitiba 27 09 2021

UNIMED PONTA GROSSA I: HGU realiza ações para comemorar Dia Mundial de Segurança do Paciente

unimed ponta grossa I 27 09 2021Na última semana, o Hospital geral Unimed (HGU), da Unimed Ponta Grossa, promoveu ações internas para lembrar o Dia Mundial de Segurança do Paciente, comemorado em 17 de setembro.

Premissa - A segurança do paciente é uma das principais premissas assistenciais da instituição e, com o objetivo de reforçar conhecimento, diretrizes e protocolos junto aos colaboradores, foram promovidas dinâmicas e atividades voltadas especialmente à sepse.

Infecção generalizada - Antigamente conhecida como septicemia ou infecção generalizada, a sepse é uma infecção generalizada do próprio organismo contra uma infecção que pode estar localizada em qualquer órgão e pode levar à falência dele, com risco de morte quando não descoberta e tratada rapidamente.

Mural itinerante - Intitulada de “Pense, pode ser sepse!”, a movimentação promovida pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) consistia em um mural itinerante em que as equipes respondiam a um quiz e recebiam informações técnicas e orientações.

Oportunidade - “A ação é uma oportunidade para conscientizar, orientar e treinar o corpo clínico e a equipe assistencial da importância de realizar a detecção precoce e ter um desfecho clínico favorável”, explica Raissa Iurkiv, enfermeira da CCIH.

Identificação precoce - A identificação precoce da sepse permite um tratamento mais adequado, pois o uso de antimicrobianos específicos na primeira hora, logo após o diagnóstico, são medidas de manejo da infecção que possibilitam a sobrevivência do paciente.

Capacitação - Para a técnica de enfermagem Ana Maria Esteves, a promoção desse tipo de atividade contribui para a constante capacitação das equipes e compartilhamento das informações de forma leve. “Foi um jogo super divertido de perguntas e respostas, que contagiou a equipe de forma dinâmica e criativa e nos fez pensar rapidamente e indicar os sinais precoces de sepse. Pudemos participar sem que comprometesse o atendimento ao paciente. Eu adorei”.

Melhoria dos processos - De acordo com Idiamara Rech Castilho, coordenadora da área de Provimento em Saúde, as constantes ações educativas contribuem para melhoria dos processos. “A equipe de profissionais do HGU está sempre alerta e acompanha de perto todos os pacientes, mas existem alguns perfis que demandam mais atenção. Por isso, estamos sempre movendo ações educativas e orientando os profissionais com o nosso jeito de cuidar, focando nas melhorias nos processos e oferecendo um serviço seguro para os nossos pacientes”. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

 

UNIMED PONTA GROSSA II: Times de Inovação conhecem primeiro ônibus elétrico do Brasil

Recentemente, os Times de Inovação da Unimed Ponta Grossa tiveram uma experiência diferente. A convite da Princesa dos Campos, 15 colaboradores da cooperativa médica visitaram a empresa para conhecer sobre o projeto de inovação referente ao primeiro ônibus elétrico intermunicipal do Brasil.

Programação - O encontro contemplou a apresentação do projeto, o esclarecimento de dúvidas e, ao final, um passeio no veículo.

Conexão - De acordo com Eduardo Bacila de Sousa, diretor-presidente da Unimed Ponta Grossa, a visita contribuiu para conectar os times de inovação das duas empresas, compartilhando projetos e ideias.

História - “Assim como a Unimed Ponta Grossa, a Princesa dos Campos tem uma relevante história na prestação de serviço em Ponta Grossa e região dos Campos Gerais. Destaco os principais pontos positivos desta experiência: a parte técnica, conhecer o desenho e estruturação de um projeto tão relevante; poder conhecer efetivamente o ônibus; e estimular as equipes de inovação da Unimed Ponta Grossa para fomentar a cultura inovadora”.

Multidisciplinaridade - O colaborador da cooperativa, Alessandro Azevedo, que também faz parte de um dos times de inovação, comenta que a multidisciplinaridade do projeto e o foco no cliente foram os aspectos mais inspiradores.

Experiência motivadora - “Foi uma experiência bem motivadora, gerou bastante valor sobre a importância de um ambiente focado na cultura de inovação. Pudemos ver que houve envolvimento de diversas equipes, bastante pesquisa e desenvolvimento pensando em novos padrões para o resultado final. A empresa aborda o valor da experiência dos usuários e, com um projeto pioneiro, buscou aprimorar produtos e serviços focados em um modelo sustentável e inovador.”

Inspiradora - Para Franciele Borges, também membro dos times de inovação, a visita foi inspiradora. “Poder ver de pertinho e vivenciar essa inovação foi incrível! Nos deixou com gostinho de quero mais, de saber que é possível se reinventar e inovar”.

Cultura da inovação - A iniciativa veio ao encontro das ações para fomentar a cultura de inovação que a Unimed Ponta Grossa vem realizando desde setembro de 2020, especialmente o Encontro Inova Unimed PG, que visa, justamente, trazer convidados para apresentar ideias e projetos.

Operação - A Princesa dos Campos vai operar com o ônibus elétrico durante três meses em caráter de testes no trecho entre Curitiba a Ponta Grossa. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

{vsig}2021/noticias/09/27/unimed_ponta_grossa_II/{/vsig}

MAPA: Ministério regulamenta o uso de drones em atividades agropecuárias

mapa 27 09 2021O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou na sexta-feira (24/09), no Diário Oficial da União, a Portaria nº 298, que estabelece regras para operação de aeronaves remotamente pilotadas (ARP), mais conhecidas como drones, destinadas à aplicação de agrotóxicos e afins, adjuvantes, fertilizantes, inoculantes, corretivos e sementes.

Simplificação de procedimentos - Com drones ocupando cada vez mais espaço na agricultura e na pecuária, a regulamentação visa simplificar os procedimentos e adequar as exigências legais as especificidades desta tecnologia, já que, em diversos aspectos, se diferencia das aeronaves tripuladas.

Profissional qualificado - Além do registro no Mapa, que será feito de forma automatizada via Sipeagro, os operadores necessitarão possuir profissional qualificado com curso específico, designado como aplicador aeroagrícola remoto, e, em determinados casos, necessitarão também de responsável técnico, engenheiro agrônomo ou engenheiro florestal, para coordenar as atividades. Já com relação as aeronaves, estas deverão estar devidamente regularizadas junto a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Segurança jurídica - “Esperamos que a normativa traga a segurança jurídica necessária para os operadores, ao mesmo tempo que garanta a harmonização e a segurança das operações e uso responsável da tecnologia. A norma também servirá como um ‘norte’ para a coordenação e a fiscalização das atividades, tanto por parte do Mapa, como por parte dos órgãos estaduais, responsáveis pela fiscalização do uso de agrotóxicos”, destaca a chefe da Divisão de Aviação Agrícola, Uéllen Lisoski.

Operacional - A segurança operacional deve envolver todo o processo de aplicação, desde o preparo da calda, o monitoramento das condições ambientais durante a aplicação e o registro e arquivamento dos dados de cada operação, de forma que possam ser auditados, sempre que necessário.

Regras - As regras visam a segurança da equipe de trabalho e de terceiros, e englobam ainda distâncias mínimas de zonas sensíveis, a serem respeitadas durante as aplicações, de modo a se evitar problemas ambientais e visando a saúde da população. (Mapa)

FOTO: iStock

 

FOCUS: Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 8,45%

focus 27 09 2021A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, subiu, novamente, de 8,35% para 8,45% neste ano. É a 25ª elevação consecutiva na projeção. A estimativa está no Boletim Focus desta segunda-feira (27/09), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Próximos anos - Para 2022, a estimativa de inflação é de 4,12%. Para 2023 e 2024, as previsões são de 3,25% e 3%, respectivamente.

Acima da meta - A previsão para 2021 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior de 5,25%.

Alta - Em agosto, puxada pelos combustíveis, a inflação subiu 0,87%, a maior inflação para o mês desde o ano 2000, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, o indicador acumula altas de 5,67% no ano e de 9,68% nos últimos 12 meses, o maior acumulado desde fevereiro de 2016, quando o índice alcançou 10,36%.

IPCA-15 - Para o mês de setembro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, registrou índice de 1,14% no mês, a maior taxa do IPCA-15 para um mês de setembro desde 1994 (1,42%).

Taxa de juros - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, que foi elevada na semana passada de 5,25% ao ano para 6,25% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Ao anunciar a decisão, o Copom já sinalizou que pretende elevar a Selic em mais um ponto percentual na próxima reunião, marcada para o fim de outubro.

Mercado financeiro - Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic encerre 2021 em 8,25% ao ano, mesma projeção da semana passada. Para o fim de 2022, a estimativa é que a taxa básica suba para 8,50% ao ano. E para 2023 e 2024, a previsão é 6,75% e 6,50% ao ano, respectivamente.

Aumento - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Desse modo, taxas mais altas podem dificultar a recuperação da economia. Além disso, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Redução - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

PIB e câmbio - As instituições financeiras consultadas pelo BC mantiveram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano em 5,04%. Para 2022, a expectativa para Produto Interno Bruto (PIB) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - é de crescimento de 1,57%. Em 2023 e 2024, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 2,20% e 2,50%, respectivamente.

Cotação - A expectativa para a cotação do dólar também se manteve em R$ 5,20 para o final deste ano. Para o fim de 2022, a previsão é que a moeda americana fique em R$ 5,24. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

IPEA: Ocupação avança e desemprego recua de 15,1% em março para 13,7% em junho

ipea 27 09 2021Após registrar taxa de 15,1% em março deste ano, a desocupação recuou para 13,7% em junho, de acordo com a análise de desempenho recente do mercado de trabalho, feita a partir da desagregação dos trimestres móveis da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo, divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) nesta segunda-feira (27/09), mostra também que taxa de desocupação dessazonalizada em junho (13,8%) é a menor apurada desde maio de 2020.

Mão de obra informal - O avanço recente das contratações está ocorrendo principalmente em setores que empregam relativamente mais mão de obra informal, como setores de construção; agricultura; e serviços domésticos, que registraram crescimento anual da população ocupada de 19,6%, 11,8% e 9%, respectivamente. Desta forma, no segundo trimestre de 2021, na comparação interanual, observa-se uma expansão de 16% dos empregados no setor privado sem carteira e de 14,7% dos trabalhadores por conta própria.

Disseminada - De acordo com os dados obtidos na PNAD Contínua, o aumento do emprego no segundo trimestre ocorreu de forma disseminada para todos os segmentos da população quando comparado com o mesmo período do ano anterior. O destaque foi para a expansão da ocupação entre as mulheres, jovens e trabalhadores com ensino médio completo, com crescimento de 2,2%, 11,8% e 7,0%, respectivamente.

Patamares desfavoráveis - Apesar dos resultados positivos, alguns indicadores importantes mostram que outras dimensões do mercado de trabalho brasileiro ainda seguem em patamares bem desfavoráveis. Além da já mencionada alta na informalidade, observa-se a manutenção da subocupacão em patamar elevado e o aumento do tempo de permanência no desemprego. De acordo com os microdados de transição extraídos da PNAD Contínua, o percentual de trabalhadores desocupados que estavam nesta situação por dois trimestres consecutivos saltou de 47,3% no primeiro trimestre de 2020 para 73,2% no segundo trimestre de 2021. Por outro lado, a parcela de desempregados que obtiveram uma colocação no trimestre subsequente recuou de 26,1% para 17,8% no mesmo período. (Assessoria de Imprensa do Ipea)

Acesse a íntegra da nota

 

ECONOMIA: Contas externas têm saldo positivo de US$ 1,684 bilhão em agosto

economia 27 09 2021As contas externas tiveram saldo positivo de US$ 1,684 bilhão em agosto, informou na sexta-feira (24/09) o Banco Central (BC). No mesmo mês de 2020, o superávit foi de US$ 950 milhões nas transações correntes, que são as compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda com outros países.

Melhor resultado para o mês - O resultado é o melhor para o mês de agosto desde 2006, quando as contas externas tiveram superávit de US$ 2,1 bilhões.

Diferença - De acordo com o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, a diferença no resultado das transações correntes, na comparação interanual, se deve ao aumento do superávit comercial. “A balança comercial têm crescido fortemente, tanto nas exportações quanto nas importações”, disse. Ele explicou que isso é reflexo do crescimento da atividade econômica em todo o mundo.

12 meses - Em 12 meses, encerrados em agosto, o déficit em transações correntes é de US$ 19,505 bilhões, 1,23% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país), ante o saldo negativo de US$ 20,239 bilhões (1,30% do PIB) em julho de 2021 e déficit de US$ 35,651 bilhões (2,26% do PIB) no período equivalente terminado em agosto de 2020.

Arrefecimento - A redução, segundo Rocha, também é resultado do arrefecimento dos efeitos da pandemia de covid-19 e sua consequente crise econômica.

Déficit - Já nos oito primeiros meses do ano, o déficit é de US$ 6,539 bilhões, contra saldo negativo de US$ 12,957 bilhões de janeiro a agosto de 2020.

Balança comercial e serviços - As exportações de bens totalizaram US$ 27,380 bilhões em agosto, aumento de 56% em relação a igual mês de 2020. As importações somaram US$ 21,732 bilhões, incremento de 72,4% na comparação com agosto do ano passado. Com esses resultados, a balança comercial fechou com superávit de US$ 5,648 bilhões no mês passado, ante saldo positivo de US$ 4,946 bilhões em agosto de 2020.

Retração - O déficit na conta de serviços (viagens internacionais, transporte, aluguel de equipamentos, seguros, entre outros) manteve a trajetória de retração, com saldo negativo de US$ 1,577 bilhão em agosto, ante US$ 1,452 bilhão em igual mês de 2020.

Aumento - Segundo Rocha, boa parte das rubricas da conta tiveram aumento, indicando maior demanda por serviços importados oferecidos, de acordo com a recuperação econômica. A exceção é em aluguel de equipamentos.

Interanual - Na comparação interanual, houve redução de 32,2% nas despesas líquidas de aluguel de equipamentos, de US$ 902 milhões em agosto de 2020 para US$ 611 milhões em agosto de 2021. De acordo com o BC, isso se deve pela nacionalização (importação) de equipamentos no âmbito do Repetro, ou seja, de bens que passam a ser propriedade de residentes no Brasil, sem a necessidade de pagamento de aluguel a não residentes.

Regime - O Repetro é o regime aduaneiro especial, que suspende a cobrança de tributos federais, de exportação e de importação de bens que se destinam às atividades de pesquisa e de lavra das jazidas de petróleo e gás natural, principalmente as plataformas de exploração.

Despesas líquidas - Em linha com a expansão do volume de comércio e aumento das despesas com viagens, as despesas líquidas de transporte aumentaram na comparação interanual, de US$ 119 milhões em agosto de 2020 para US$ 410 milhões no mês passado.

Viagens internacionais - No caso das viagens internacionais, as receitas de estrangeiros em viagem ao Brasil chegaram a US$ 252 milhões, enquanto as despesas de brasileiros no exterior ficaram em US$ 447 milhões. Com isso, a conta de viagens fechou o mês com déficit de US$ 195 milhões, ante déficit de US$ 123 milhões em agosto de 2020.

Afetada - De acordo com Rocha, esta é uma conta muito afetada pelas restrições impostas pela pandemia e pelas taxas de câmbio, mas vem se recuperando, mantendo média de US$ 200 milhões no último trimestre. No trimestre anterior, de março a maio, a média foi de US$ 125 milhões.

Valores - Ainda assim, os valores estão muito abaixo do período pré-pandemia. Em 2019, por exemplo, a média das despesas de brasileiros no exterior foi de US$ 1 bilhão. “Temos ainda uma diferença de magnitude muito grande, mas mostrando que essa reação da conta já começou, tem sido gradual e deve continuar até recuperar os valores médios nas condições de normalidade”, disse.

Rendas - Em agosto de 2021, o déficit em renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários) chegou a US$ 2,601 bilhões, contra US$ 2,833 bilhões no mesmo mês de 2020. Normalmente, essa conta é deficitária, já que há mais investimentos de estrangeiros no Brasil, que remetem os lucros para fora do país, do que de brasileiros no exterior.

Lucros e dividendos - No caso dos lucros e dividendos associadas aos investimentos direto e em carteira, houve déficit de US$ 1,817 bilhão, também em patamar semelhante ao observado em agosto de 2020, que foi de US$ 1,859 bilhão.

Receitas e despesas - Segundo Rocha, apesar de o resultado líquido ter permanecido estável, o volume de receitas e despesas estão crescendo em relação aos patamares muito baixos do ano passado, causados pela pandemia, o que também aponta para a normalização da atividade econômica e recuperação da lucratividade tanto das empresas estrangeiras no país quanto das subsidiárias brasileiras no exterior.

Renda secundária - A conta de renda secundária (gerada em uma economia e distribuída para outra, como doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) teve resultado positivo de US$ 213 milhões, contra US$ 289 milhões em agosto de 2020.

Investimentos - Os ingressos líquidos em investimentos diretos no país (IDP) somaram US$ 4,451 bilhões no mês passado, ante US$ 2,592 bilhões em agosto de 2020. Quase a totalidade dos ingressos ocorreu em participação no capital, US$ 3,821 bilhões, enquanto as operações intercompanhia (como os empréstimos da matriz no exterior para a filial no Brasil) somaram apenas US$ 630 milhões.

Total - Nos 12 meses encerrados em agosto de 2021, o IDP totalizou US$ 49,356 bilhões, correspondendo a 3,12% do PIB, em comparação a US$ 47,498 bilhões (3,04% do PIB) no mês anterior e US$ 56,844 bilhões (3,61% do PIB) em agosto de 2020.

Saldo negativo - Quando o país registra saldo negativo em transações correntes, precisa cobrir o déficit com investimentos ou empréstimos no exterior. A melhor forma de financiamento do saldo negativo é o IDP, porque os recursos são aplicados no setor produtivo e costumam ser investimentos de longo prazo.

Estimativa - Para o mês de setembro de 2021, a estimativa do Banco Central para o IDP é de ingressos líquidos de US$ 5 bilhões.

Estoque - O estoque de reservas internacionais atingiu US$ 370,395 bilhões em agosto de 2021, aumento de US$ 14,7 milhões em comparação ao mês anterior. A receita de juros das reservas atingiu US$ 465 milhões em agosto. Por outro lado, houve variações negativas de US$ 544 milhões e de US$ 355 milhões em preços e paridades, respectivamente.

Alocação - Mas, de acordo com o BC, o resultado do mês decorreu, principalmente, da alocação de Direitos Especiais de Saque (DES) promovida pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) a todos os países-membros, que acrescentou US$ 15 bilhões às reservas internacionais do Brasil.

Liquidez - De acordo com Rocha, a alocação feita pelo FMI visa dar liquidez aos países no contexto da situação econômica atual e já foi feita em outras ocasiões, como na crise de 2008/2009. No caso do Brasil, o valor foi incorporado às reservas internacionais, portanto gerando lucros. Por outro lado, ele também foi registrado como dívida externa, o que implica em juros. Então, segundo Rocha, em termos líquidos, a conta é zerada. (Agência Brasil)

FOTO: Tânia Rêgo / Agência Brasil

 

SAÚDE I: Brasil tem 8,6 mil casos e 243 mortes em 24 horas

O Brasil registrou 8.668 casos de covid-19 e 243 mortes causadas pela doença em 24 horas, segundo o boletim da situação epidemiológica divulgado nesse domingo (26/09) pelo Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia, foram registrados 21.351.972 casos e 594.443 óbitos. O boletim não apresentou os dados do Ceará, que apresenta números referentes a sexta-feira (24/09).

Recuperadas - Segundo o boletim, 20.340.373 pessoas se recuperaram da doença e há 417.156 casos em acompanhamento.

Dados - Os dados em geral são menores aos sábados, domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais de Saúde. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Estados - Entre os estados, São Paulo é que tem o maior número de casos e de óbitos, com 4,3 milhões e 149,1 mil, respectivamente. No número de casos, o estado da Região Sudeste é seguido por Minas Gerais (2,1 milhões) e Paraná (1,5 milhão). As unidades da Federação que registram menor número de casos são Acre (87,9 mil), Amapá (122,8 mil) e Roraima (126,1 mil).

Mortes - No número de mortes, São Paulo é seguido por Rio de Janeiro (65,6 mil), e Minas Gerais (54,3 mil). Os estados com menor número mortes são Acre (1.836), Amapá (1.977) e Roraima (1.992).

Vacinação - Segundo o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, foram aplicadas 231,8 milhões de doses de vacina contra covid-19 no Brasil, sendo 144,8 milhões de primeiras doses e 87 milhões de segundas doses e doses únicas.

Imunossuprimidos e reforço - Também foram aplicadas 29,8 mil doses adicionais em imunossuprimidos e 506,9 mil doses de reforço. No total, foram aplicadas nas últimas 24 horas, segundo o boletim, 1,5 milhão de doses.

Distribuição - Até agora foram distribuídas para as unidades da Federação 284,6 milhões de doses, sendo que 274,7 milhões foram entregues aos estados e ao Distrito Federal há mais de sete dias e 9,9 milhões foram enviadas e estão em processo de distribuição. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 27 09 2021

SAÚDE II: Estado divulga mais 2.035 casos e 50 óbitos em decorrência da Covid-19

saude II 27 09 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesse domingo (26/09) mais 2.035 casos confirmados e 50 mortes — referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas — em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.498.254 casos confirmados e 38.670 mortos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de setembro (1.657), agosto (160), julho (51), junho (115), maio (47), abril (2) e março (3) de 2021.

Internados - 668 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 513 pacientes em leitos SUS (309 em UTIs e 204 em leitos clínicos/enfermarias) e 155 em leitos da rede particular (96 em UTIs e 59 em leitos clínicos/enfermarias).

Exames - Há outros 1.365 pacientes internados, 747 em leitos de UTI e 618 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais 50 pacientes. São 24 mulheres e 26 homens, com idades que variam de 22 a 97 anos. Os óbitos ocorreram entre 3 de abril e 25 de setembro de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em: Foz do Iguaçu (5), Curitiba (5), Londrina (4), Cascavel (4), Ponta Grossa (3), Almirante Tamandaré (3) e Colombo (2).

Uma morte - A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Ubiratã, Telêmaco Borba, São Jorge d'Oeste, Santa Lúcia, Pérola, Primeiro de Maio, Pontal do Paraná, Piraquara, Paranavaí, Palotina, Ortigueira, Maringá, Jussara, Jesuítas, Jaguapitã, Ibiporã, Colorado, Cambé, Cafezal do Sul, Cafeara, Bela Vista do Paraíso, Araucária, Altônia e Alto Piquiri.

Fora do Paraná- O monitoramento da Sesa registra 6.086 casos e 217 óbitos de residentes de fora do Estado. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o Informe completo.

Confira o Relatório de Ajustes da Secretaria da Saúde.

 

SAÚDE III: Ministério da Saúde recebe mais 2 milhões de doses da Pfizer

saude III 27 09 2021O Ministério da Saúde informou, nesse domingo (26/09), que recebeu mais 2 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a covid-19. O carregamento foi entregue no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Segundo a pasta, das mais de 287 milhões de doses distribuídas aos estados, 75,9 milhões são da Pfizer.

Vacinômetro - De acordo com o vacinômetro do ministério, 229 milhões de doses foram aplicadas em todo o país, sendo que 143,9 milhões foram destinadas para aplicação da primeira dose e 85,2 milhões são de segunda dose ou única.

Fiocruz - Na sexta-feira (24/09), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por meio do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), entregou mais de 2 milhões de doses da vacina contra a covid-19 ao Ministério da Saúde, somando o total de 4,5 milhões de doses entregues na semana.

Total - Com o novo lote, a fundação alcança aproximadamente 101 milhões de vacinas disponibilizadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). O número foi alcançado em apenas oito meses.

Recursos - Os recursos investidos na aquisição de doses de vacinas já somam R$ 188 bilhões, segundo o ministério. (Agência Brasil)

FOTO: Geovana Albuquerque / Agência Brasília DF

 


Versão para impressão


RODAPE