Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5165 | 29 de Setembro de 2021

GESTÃO: Sistema Ocepar discute fundamentos do ESG no 6º Fórum de Excelência

O Sistema Ocepar promoveu, por meio o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), o 6º Fórum de Excelência, na tarde desta terça-feira (28/09), pela plataforma Microsoft Teams, com a participação de profissionais de diversas cooperativas paranaenses. O evento, com o tema “ESG: protagonismo e estratégia”, discutiu os fundamentos do ESG - Environmental, Social and Governance (ambiental, social e governança, na tradução em português), que estão mobilizando as organizações a adotarem novas práticas e padrões de sustentabilidade visando tornar seus negócios mais competitivos e seguros.

Palestrantes - “Vocês já praticam a sustentabilidade há muito tempo. Os princípios do cooperativismo estão imbuídos no que nós convencionamos chamar, a partir da década de 1980, de sustentabilidade. Por isso, eu acho que existem muitas oportunidades para as cooperativas”, afirmou o diretor executivo da Rede Brasil do Pacto Global, Carlo Linkevieius Pereira, que ministrou palestra com o tema “Um olhar global dos impactos do ESG no ambiente empresarial” no evento. Já a diretora do Global Reporting Initiative (GRI) no Brasil, Glaucia Terreo, falou sobre ESG e as normas GRI. “A GRI, assim como outros instrumentos de gestão para a sustentabilidade, vêm falando o seguinte: é importante trabalhar as questões tangíveis, contabilizadas, relatos financeiros, mas também é importante acompanhar e saber como ocorre o processo de criação dessa riqueza, desse recurso financeiro”, disse.

Banco Central - O Fórum teve ainda a participação do coordenador de Projetos do Departamento de Crédito Rural do Banco Central do Brasil, Silvio Carlos, que discorreu a respeito da “Agenda BC# Sustentabilidade: a importância das práticas de ESG”. “As nossas iniciativas fazem parte do pilar da sustentabilidade da Agenda BC#, lançada há um ano mais ou menos, no dia 8 de setembro de 2020. Em primeiro lugar, por que o Banco Central está envolvido com essa questão? Recentemente, a lei complementar que aprovou a autonomia do BC também colocou como objetivo fundamental assegurar a estabilidade de preços. Uma vez atingido esse objetivo, o banco pode se dedicar a perseguir os outros três objetivos subsidiários: zelar pela estabilidade e eficiência do sistema financeiro nacional, suavizar as flutuações da atividade econômica e fomentar o pleno emprego”, afirmou. Também participou do Fórum o chefe do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e do Proagro (Derpo) do BC, Cláudio Filgueiras.

Compêndio de Boas Práticas - No evento, o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, fez a apresentação do Compêndio de Boas Práticas de Governança Cooperativa, produzido pelo Sistema Ocepar. “Esse é o primeiro compêndio. Nós esperamos que possamos trazer outras edições exatamente para divulgarmos as boas práticas das cooperativas paranaenses”, ressaltou.

Links - Clique nos links abaixo para conferir os áudios produzidos pelo jornalista Alexandre Salvador para a rádio PR Cooperativo.

Glaucia Terreo, diretora da GRI no Brasil

Carlo Linkevieius Pereira, diretor executivo da Rede Brasil do Pacto Global

Leonardo Boesche, superintendente do Sescoop/PR

 {vsig}2021/noticias/09/29/gestao/{/vsig}

 

CONCURSO: Prêmio Orgulho da Terra reconhecerá as melhores práticas do agro

concurso 29 09 2021As melhores práticas econômicas, ambientais e sociais do agronegócio paranaense ganham reconhecimento e visibilidade inéditas a partir de agora com o Prêmio Orgulho da Terra, homenagem anual que o Grupo RIC está lançando em cooperação com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar-Emater (IDR-Paraná) e o Sistema Ocepar. Doze categorias serão homenageadas com o Troféu Orgulho da Terra nas edições especiais do programa RIC Rural de 28 de novembro e 5 de dezembro na RIC Record TV. O prêmio também reconhecerá a Personalidade do Ano do agronegócio. O setor é uma das bases de sustentação da economia do Paraná, responsável por 33,9% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado, segundo o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes).

Unir forças - “É a primeira vez que se reúnem três forças importantes da sociedade paranaense para reconhecer e homenagear um setor que é fonte de muito orgulho não só nos limites do estado, mas em todo o Brasil. Estão juntos nesse esforço um grupo de comunicação como a RIC, que fala com todos os paranaenses, o IDR-Paraná, órgão que traça as políticas públicas de apoio e desenvolvimento econômico, e o segmento privado representado pelo Sistema Ocepar, que lidera e representa há 50 anos o sistema cooperativista. A riqueza que vem do agronegócio é feita de suor, de talento e inteligência, de tecnologia e investimento. E o Prêmio Orgulho da Terra será a grande vitrine dessa produção, para servir de modelo e inspiração”, diz Leonardo Petrelli, CEO do Grupo RIC.

IDR/PR - Para o presidente do IDR-Paraná, Natalino Avance de Souza, cabe à instituição de pesquisa e assistência técnica proporcionar uma agricultura mais competitiva e equilibrada, com menos desigualdade social. O prêmio Orgulho da Terra é uma oportunidade para avaliar e definir critérios que permitam ao estado se posicionar quanto à agricultura que pratica, além de valorizar a produção agropecuária com qualidade e responsabilidade. “Tenho certeza de que já temos a melhor agricultura do país, mas podemos melhorar, e é um prazer fazer parte deste movimento, com o Grupo RIC e demais parceiros, para valorizar ainda mais o agricultor paranaense”, afirma Natalino.

Sistema Ocepar - Além de demonstrar as boas práticas realizadas pelos produtores, com o apoio de suas respectivas cooperativas, o prêmio promoverá um ambiente de constante melhoria no setor, destaca José Roberto Ricken, presidente do Sistema Ocepar. "O cooperativismo tem por princípio não promover a simples competição. Pelo contrário, incentivamos o trabalho em parceria. Como diz o ditado: ‘sozinhos podemos ir mais rápido, mas juntos vamos mais longe’. O prêmio é uma oportunidade para que os produtores se espelhem nas técnicas adotadas pelos vencedores e possam replicar os aprendizados. A excelente visibilidade em mídia estadual e nacional reforçará o compromisso que nossos mais de 4,5 mil produtores de aves e suínos têm com a sanidade, rastreabilidade, bem-estar animal produzindo produtos de qualidade e com garantia de origem. Nossas cooperativas e seus cooperados estão sempre buscando as melhores práticas com foco na sustentabilidade.”

Propriedades sustentáveis - O Prêmio Orgulho da Terra vai homenagear os produtores rurais por meio das melhores práticas desenvolvidas por eles em suas propriedades, considerando-se os pilares do crescimento social, econômico e ambiental. O objetivo é avaliar todas as iniciativas dos produtores, desde as condutas que contribuem para uma sociedade forte e diversificada, quanto as atitudes que destacam o compromisso com a sustentabilidade e o crescimento econômico. O Prêmio Orgulho da Terra tem forte olhar para os produtores engajados e com competência técnica para o desenvolvimento de propriedades sustentáveis.

Cases - Os 12 produtores destacados na escolha final receberão um certificado oficial “Orgulho da Terra” com menção a sua categoria de referência, além de um troféu da edição do ano de 2021. Para ampla disseminação das técnicas e estratégias de gestão das propriedades, além do papel social que exercem na sociedade, os cases serão compartilhados em reportagens do programa RIC Rural, que vai ao ar pela RIC Record TV nas manhãs de domingo, e também na plataformas digitai do programa e no  portal RIC Mais, além de matérias na Record News.

Reconhecimento - O Prêmio Orgulho da Terra vai destacar os melhores exemplos do agronegócio paranaense em 12 categorias. As indicações foram divididas em dois grupos, que ficam sob a responsabilidade do Sistema Ocepar e do IDR-Paraná. O Sistema Ocepar fará a indicação das categorias Suínos e Aves. Cada cooperativa da categoria indicará pelo menos um produtor, o que poderá resultar em até 16 indicações. Já o IDR-Paraná fará 30 indicações para 10 categorias, sendo três nomes para cada uma delas. Essas indicações representam uma amostra do trabalho desenvolvido pelos produtores paranaenses acompanhados pelo instituto e que se destacam pela estratégia técnica, operacional e pelos resultados obtidos. O IDR-Paraná indicará Soja e Milho (Grãos); Bovinocultura de leite; Feijão; Bovinocultura de Corte; Piscicultura; Turismo Rural; Agroecologia - Agricultura orgânica; Sericicultura - criação de bicho-da-seda; Inclusão Social e Agroindústria.

Comitê- A partir dessas indicações, que serão feitas com base em um detalhado checklist preenchido pelos técnicos das instituições, caberá a um Comitê de Notáveis a seleção de uma propriedade por categoria, que será reconhecida com o Prêmio Orgulho da Terra. Cada produtor pode concorrer em apenas uma categoria. A postagem das fichas dos indicados (cujos nomes serão mantidos ocultos até a escolha final) será feita de forma online pelo site www.orgulhodaterra.com.br/corpotecnico no período de 27 de setembro a 1 de outubro.

Personalidade - A premiação também contemplará uma personalidade a ser homenageada, de acordo com a indicação única e exclusiva do Comitê de Notáveis. No momento da votação, o representante poderá indicar até 3 nomes que representem a força dos pilares que norteiam o prêmio. A personalidade mais citada, entre todos os representantes, será homenageada no programa do RIC Rural do dia 5 de dezembro.

Notáveis - O Comitê de Notáveis é formado por técnicos indicados por órgãos representativos do agronegócio no Paraná, cuja chancela dá o devido respaldo para análise dos critérios do prêmio. Fazem parte do comitê a Secretaria de Estado da Agricultura (Seab), a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), a Federação da Agricultura do Estado Paraná (Faep) e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep).

 

AGRO: OCB defende manutenção de regras do crédito rural

agro 29 09 2021A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) defendeu a manutenção da atual arquitetura do crédito rural no país, assim como das exigibilidades a serem cumpridas para o financiamento do setor. A defesa foi feita durante reunião técnica da Comissão Externa – Manual de Crédito Rural (MCR), da Câmara dos Deputados, nessa terça-feira (28/09).

Fundamental - "É muito importante que instrumentos de financiamento privado sejam desenvolvidos e adequados às necessidades do setor cooperativista, mas é ainda mais fundamental que a estrutura do crédito rural oficial seja mantida e fortalecida de acordo com o desenvolvimento do agro nacional, garantindo o adequado acesso aos diferentes perfis dos beneficiários da política pública", afirmou João Prieto, coordenador do ramo Agro na OCB.

Entidades - Coordenada pelo deputado Jerônimo Goergen (RS), a reunião contou com a participação de entidades representativas do setor produtivo que debateram os desafios do crédito rural e do financiamento privado, em especial no que se refere à Cédula de Produto Rural (CPR), títulos do agronegócio, Fiagro (Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais), Patrimônio Rural em Afetação e demais instrumentos de crédito e garantias das operações de financiamento rural.

Revisão - O trabalho da comissão externa consiste em revisar o manual e elaborar uma proposta legislativa sobre o tema. O MCR, por sua vez, reúne todas as normas aprovadas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e editadas pelo Banco Central do Brasil que se referem aos financiamentos destinados aos produtores rurais.

Participantes - Além da OCB também participaram do encontro a presidente da Comissão de Agricultura, deputada Aline Sleutjes (PR), e representantes da Associação das Empresas Cerealistas do Brasil (Acebra), da Associação Brasileira dos Produtores de Maçã (ABPM), da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja) e da Confederação Nacional da Agricultura (CNA). (OCB)

FOTO: Banco de imagens CNH

 

CRÉDITO: Câmara vota urgência para PL que moderniza LC 130

credito 29 09 2021Os deputados Arnaldo Jardim (SP) e Evair de Melo (ES) comemoram a aprovação em Plenário, nessa terça-feira (28/09), do Requerimento 1866/2021 que pede urgência na apreciação do Projeto de Lei Complementar 27/2020. A proposta moderniza as normas de atuação das cooperativas de crédito no país previstas na Lei Complementar nº 130/2009.

Oportunidade - “Trata-se de uma oportunidade importante para a retomada da economia no Brasil. As cooperativas querem, e têm total capacidade, para contribuir com o desenvolvimento econômico do país. É uma janela que se abre tanto para atender aos avanços tecnológicos dos últimos anos como quanto às novas demandas dos consumidores dos serviços”, afirmou Evair de Melo, presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop).

Articulação - Melo foi um dos responsáveis pela articulação que incluiu a votação do requerimento na pauta. Segundo ele, o projeto visa garantir uma regulamentação mais eficiente, democrática e inclusiva. “Estamos construindo um cooperativismo financeiro de alto impacto para o Brasil. A modernização da lei permitirá que as cooperativas aumentem o acesso ao crédito e inclusão financeira a micro e pequenos negócios e produtores rurais, bem como desenvolvimento regional e local em todo o país”, comenta o deputado.

Modernização - Autor do projeto e representante das cooperativas de crédito na Frencoop, o deputado Arnaldo Jardim (SP), explicou que a proposta tem foco na modernização e é, portanto, fundamental para que o cooperativismo de crédito continue sendo um importante vetor econômico de desenvolvimento do país. "Além disso, a atuação cada vez mais forte do segmento, significa também educação financeira, inclusão e democratização do crédito para milhões de brasileiros”.

Consenso - Jardim também afirmou que o texto do projeto foi apresentado em estágio de consenso já consolidado, o que contribui para a sua apreciação direta no Plenário. “A proposta foi construída em conjunto com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e o Banco Central. Contou ainda, com o apoio da Frencoop e da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA). Dessa forma, todos os sistemas envolvidos participaram da construção do texto”.

OCB - Márcio Lopes de Freitas, presidente da OCB, também comemorou a aprovação da urgência. “A atualização da legislação é importante para o setor continuar avançando com mais empregos, renda e desenvolvimento local. Ela garante um ambiente de negócios mais ágil e completo aos cooperados”, declarou.

Agilidade - O PLP 27/2020 atualiza a Lei Complementar 130 (LC 130/2009), marco do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC) no Brasil. A LC 130 completou 10 anos em 2020 e com as evoluções tecnológicas e de interação registradas desde então, a norma precisa de adaptações para atualizar pontos importantes e garantir maior segurança jurídica ao sistema. A modernização proposta altera a legislação sob três perspectivas: atividades e negócios; organização sistêmica; e gestão e governança do modelo.

Novos produtos - Entre outros pontos, a medida prevê que as cooperativas de crédito possam disponibilizar novos produtos já existentes no mercado, com mais agilidade e modernidade, bem como atender integralmente a demanda por crédito.

Consequências naturais - “O aprimoramento da organização sistêmica e o aumento da eficiência serão consequências naturais das novas exigências legais para definição da área de atuação de cada cooperativa. Assim também, a melhoria da gestão e governança modelo estará em linha com as melhores práticas adotadas no Brasil e em diversos outros países”, explica Arnaldo Jardim.

Empreendedorismo - Distribuídas por todo país, as cooperativas de crédito, instituições financeiras sem fins lucrativos, reguladas e fiscalizadas pelo Banco Central, reúnem cerca de 12 milhões de cooperados e estão presentes, devidamente estruturadas, em aproximadamente 2.200 municípios, com 6,5 mil pontos de atendimento, de acordo com dados do Anuário do Cooperativismo Brasileiro de 2021.

Inclusão financeira - O segmento auxilia na inclusão financeira e contribui para o aumento da competividade no Sistema Financeiro Nacional, em operações como crédito rural, empréstimos sem consignação para pessoas físicas e empréstimos de capital de giro para micro e pequenas empresas.

Estudo - Estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o Sistema Sicredi, divulgado em fevereiro de 2020, aponta que o cooperativismo incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%.

Acesso - Além disso, contribui efetivamente para o acesso aos serviços prestados em municípios menores, mais distantes e rurais, inclusive dos programas para liberação de recursos do governo, como o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Em 594 municípios, por exemplo, a única alternativa são as cooperativas, uma vez que não há presença de outras instituições financeiras. (OCB)

FOTO: Michel Jesus / Câmara dos Deputados

 

SICREDI: Instituição financeira cooperativa dá continuidade à expansão nacional com chegada ao Espírito Santo

sicredi 29 09 2021O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de cinco milhões de associados, segue com seu projeto de expansão no território nacional e marca sua chegada ao Espírito Santo com a inauguração de duas agências na cidade de Colatina, noroeste do estado, com população de mais de 120 mil habitantes. Com início das operações no dia 27 de setembro, a instituição passa a estar presente em 25 estados brasileiros e no Distrito Federal, oferecendo mais de 300 produtos e serviços financeiros para seus associados no campo e na cidade.

Estratégia - A iniciativa está em linha com a estratégia do Sicredi de estar próximo das comunidades, prestando atendimento consultivo, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico local. A expectativa é de que, até o final do ano, o Sicredi esteja presente em seis municípios do Espírito Santo: Colatina, Linhares, Cachoeiro de Itapemirim, Pinheiros, Marataízes e na capital Vitória, totalizando nove pontos de atendimento no Estado.

Conquista - “Para nós, a chegada ao Espírito Santo é uma conquista muito significativa, pois se trata de um estado muito relevante na economia nacional no qual queremos fortalecer todos os benefícios do cooperativismo de crédito. Com isso, também ficamos mais próximos do nosso objetivo de estar em todos os estados do Brasil”, destaca o presidente do Conselho de Administração do Sicredi e da Central Sicredi Sul/Sudeste, Fernando Dall’Agnese.

Segundo ponto de atendimento - A agência Colatina Centro, na Avenida Angelo Giuberti, e o segundo ponto de atendimento na Avenida Silvio Avidos, oferecem conforto e comodidade aos associados. A disposição dos ambientes e do mobiliário proporciona a melhor experiência a quem precisa de atendimento presencial.

Aproximação - “Estamos muito felizes com a chegada do Sicredi a Colatina. Como instituição financeira cooperativa buscamos estar próximos dos associados e da comunidade, fomentando o desenvolvimento local, a geração de renda e a melhoria da qualidade de vida”, comenta o presidente da cooperativa Sicredi Essência RS/ES, José Antonio Severo Menezes, que atende a região de Colatina.

Expansão para contribuir com economias locais - Pioneiro no segmento de cooperativismo de crédito no Brasil, o Sicredi tem investido na expansão da rede de atendimento. Em 2020, foram 150 inaugurações em todo o Brasil e para este ano estão previstas mais de 200, com um investimento aproximado de R$ 200 milhões. Atualmente, está presente em mais de 200 municípios do Brasil onde é a única instituição financeira atuante, com mais de 30 mil colaboradores. Além de Colatina, o Sicredi está presente em mais de 1,5 mil cidades brasileiras, com mais de 2 mil agências.

Estudo - Um estudo realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), no início de 2020, analisou dados econômicos de todas as cidades brasileiras com e sem cooperativas de crédito entre 1994 e 2017 e cruzou informações do Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE). O trabalho concluiu que o cooperativismo de crédito incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%, estimulando, portanto, o empreendedorismo local. Em todo o Brasil, o segmento já conta com mais de 11 milhões de adeptos, segundo o Banco Central.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 25 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI UNIÃO PR/SP I: Com iniciativas voltadas aos colaboradores, cooperativa recebe selo GPTW

sicredi uniao I 29 09 2021Comprometida com o desenvolvimento dos mais de 1,3 mil colaboradores e o bom ambiente de trabalho, a Sicredi União PR/SP acaba de ser eleita a segunda melhor empresa para trabalhar entre instituições financeiras, na categoria “cooperativas de crédito de grande porte”’, em todo o Brasil. Quem atesta é a GPTW (Great Place to Work), que reconhece, no mundo todo, boas práticas no ambiente profissional.

Confirmação - O resultado confirma que as ações têm sido assertivas e contribuído para um crescimento sólido. Lá, os colaboradores, que também são associados, participam das decisões que impactam a gestão e estão engajados com os resultados e crescimento da cooperativa.

Escola de Talentos - Um dos projetos é a Escola de Talentos, que foi desenvolvido em parceria com a Fundação Dom Cabral e prepara colaboradores que antecedem cargos de liderança, como caixa, tesoureiros, auxiliares e assistentes. Em 2020 foram oferecidas formações para 987 funcionários sobre inteligência emocional, cultura organizacional, relacionamento interpessoal, além de sistema cooperativista e projetos do Sicredi.

Academia de Liderança - Outra iniciativa é a Academia de Liderança. Mais de 100 colaboradores que ocupam cargos de liderança, entre gerentes e assessores, participaram de aulas para desenvolver aptidões e conhecimentos para que possam assumir, no futuro, um cargo de gestão.

Livros - Além desses e outros treinamentos, que juntos somaram mais de 77 mil horas em 2020, a equipe tem acesso a acervo com centenas de livros. Já o projeto Eu coopero com a inclusão contrata alunos das Apaes para que, com registro em carteira, possam desenvolver brindes para a cooperativa. A inclusão inclui a contratação de dezenas de colaboradores com deficiência que trabalham nas agências e na Superintendência Regional. Juntos a outros funcionários, eles têm até um coral, que faz apresentações sempre que convidado.

Nana Nenê - Para os futuros papais e mamães, há o Nana Nenê, que oferece informações sobre gestação, parto e amamentação e ampara os colaboradores no retorno das atividades, com direito a voucher de poupança para o bebê.

Perfil - Há ainda um perfil interno em rede social para promover a interação, programas que incentivam o voluntariado, ações sociais e iniciativas sustentáveis. “É a primeira vez que participamos do ranking da GPTW e ficamos satisfeitos com os resultados. Temos uma forte política de valorização do colaborador, que além de cesta de benefícios, tem acesso a programas que incentivam a ascensão na carreira e a responsabilidade socioambiental. Trabalhamos realmente para colocar em prática nosso propósito de construir juntos uma sociedade mais próspera, e isso começa com a valorização da equipe e o bom ambiente de trabalho, e se estende aos fornecedores, associados e a comunidade”, afirma o presidente da Sicredi União PR/SP, Wellington Ferreira. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI UNIÃO PR/SP II: Florestópolis realiza a Feira de Negócios de quinta a sábado desta semana

Dentro de seu propósito de incentivar e promover comércio entre seus associados, a Sicredi União PR/SP realiza a Feira de Negócios na Praça da Prefeitura de Florestópolis (PR), nos dias 30 de setembro, 1 e 2 de outubro. O evento conta com a parceria da prefeitura e acontecerá nos três dias, das 10 às 18 horas.

Objetivo - A gerente da agência da Sicredi União PR/SP em Porecatu – agência organizadora da Feira – Celeide França, conta que o objetivo da ação é expor produtos e negócios de parceiros e que eles possam gerar negócios entre si e também oferecer seus produtos aos habitantes da região.

Propósito - A gerente destaca que a realização da feira está alinhada com o propósito da cooperativa, que é construir juntos uma sociedade mais próspera. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS: Torneio da Qualidade do Leite premia produtores em Mariópolis (PR)

Foi realizada, no último dia 24 de setembro, a revelação dos ganhadores e entrega dos prêmios do Torneio da Qualidade do Leite, competição promovida em Mariópolis (PR) pela Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR – Emater), e o Município de Mariópolis, por meio do Departamento de Agricultura.

Produtividade - O torneio premiou os agricultores com o melhor desempenho de produtividade, conforme os critérios estabelecidos no regulamento. Os participantes que obtiveram os melhores resultados mensais foram premiados com troféus, e os cinco primeiros colocados no ranking geral receberam prêmios em dinheiro, sendo: 1° lugar - R$ 2.000,00; 2° lugar - R$ 1.000,00; 3° lugar: R$ 500,00; 4º e 5º lugar – R$ 300,00. A avaliação foi feita entre os meses de fevereiro e julho.

Vencedores - Os vencedores foram:

1° lugar - Márcio Campara Pagnonceli

2° lugar - Adelar Ferreira Terres

3° lugar - José Carlos Bortolotto

4° lugar - Itamar Ballan

5° lugar - Bruno Leandro Ballan

Melhoria - “Nosso principal objetivo é estimular os produtores de leite de nosso município a buscar melhoria na qualidade do produto entregue, buscando melhores práticas de manejo e acompanhamento, e ainda serem premiados por isso”, comentou Edina Gobetti Payano, gerente da agência do Sicredi em Mariópolis.

Alimento saudável e seguro - De acordo com Marco Aurélio Steffani, engenheiro agrônomo do IDR-Paraná, unidade de Mariópolis, estimular processos de excelência na produção do leite é um modo de garantir que a população tenho acesso a um alimento mais saudável e seguro.

Economia - “Mariópolis tem uma economia essencialmente ligada ao setor agropecuário, onde a bovinocultura de leite tem grande relevância”, diz Darlan Schmitt, médico veterinário do município de Mariópolis, a respeito da importância da realização do torneio. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

FOTOS: Reprodução / Município de Mariópolis

{vsig}2021/noticias/09/29/sicredi_parque_araucarias/{/vsig}

UNIUM: Mercado brasileiro de lácteos recebe primeira proteína concentrada de leite (MPC) em pó

unium II 29 09 2021 Vice-líder na produção de leite no Brasil, de acordo com recente levantamento do IBGE, o Paraná segue inovando no agronegócio. Mesmo durante a pandemia, o estado apresentou crescimento de 6,1% na produção de lácteos e, agora, traz para o mercado uma novidade: o MPC (Milk Protein Concentrate, proteína concentrada de leite, em inglês) no formato “em pó” produzido pela primeira vez no Brasil.

Unium - A iniciativa pioneira é da Unium, marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, que comercializa o produto de alto valor agregado em sacos de 25kg, destinado a indústrias de bebidas funcionais e nutricionais; suplementos alimentares; produtos dietéticos; produtos ricos em proteína; fórmulas infantis; barras de proteína, iogurtes, queijos e até mesmo para segmentos da panificação.

Posicionamento estratégico - O gerente comercial da Unium, Egidio Maffei, afirma que o MPC faz parte do projeto de posicionamento estratégico da companhia para trazer novas soluções e inovações para o mercado brasileiro e, também, aumento no volume de negócios para os associados das três cooperativas da região dos Campos Gerais. “O MPC em pó traz mais facilidade para a comercialização dessa importante proteína, que serve de matéria-prima para diversas indústrias alimentícias. Assim como nos demais produtos da Unium, mantemos os rígidos controles de qualidade, tanto no processo industrial, quanto no de distribuição dos produtos”, ressalta o gerente comercial.

Produção - O MPC é feito a partir da filtragem do leite para extrair sua proteína e utilizá-la em outros produtos. Na primeira fase do processo, retira-se a gordura do leite (etapa de desnate) e a lactose é enviada para secagem, se transformando em “permeado de leite em pó”. “O resultado final é um produto rico em proteína (70%), que é comercializado para outras indústrias, que, por sua vez, fabricam produtos enriquecidos com o MPC”, finaliza Egidio.

Sobre a Unium - Marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, a Unium representa os projetos em que as cooperativas paranaenses atuam em parceria. Conta com três marcas de lácteos: Naturalle – com produtos livres de aditivos -, Colônia Holandesa e Colaso. No setor de grãos, a Unium tem a marca Herança Holandesa – farinha de trigo produzida em uma unidade totalmente adequada à ISO 22000, com elevados padrões de exigência. Além disso, faz parte dos negócios a Alegra, indústria de alimentos derivados da carne suína. Mais informações: http://unium.coop.br/. (Imprensa Unium)

 

COCAMAR I: “Ficar no campo, hoje em dia, exige estudar”, diz sucessor

A antiga premissa de que a um filho de produtor rural que não quisesse estudar só restava, mesmo, continuar na roça, já não vale mais. Hoje em dia, para ter sucesso na atividade rural é necessário, no mínimo, cursar uma boa faculdade.

Desafios - A comparação dos desafios a que está sujeito um produtor atualmente foi lembrada na segunda-feira (27/09) no primeiro dia de viagem do Rally Cocamar de Produtividade, Safra 2021/22. O jovem Danilo Bordini, 32 anos, de Cambé, município da região de Londrina, conduz 266 hectares em terras próprias e arrendadas em companhia do pai, onde produzem soja e milho.

Mentalidade empresarial - Mesmo com formação em medicina-veterinária, há cinco anos Danilo reprogramou sua vida ao decidir trabalhar com o pai Rene, de 67. A estratégia utilizada por ambos, a partir de então, foi conduzir os negócios de forma empresarial. “Não há espaço para amadores”, afirma o filho.

Sem pensar duas vezes - “O campo atrai os jovens, hoje em dia, pelas oportunidades de ganhos que oferece e também por lidar com tecnologias de ponta”, diz Danilo. Segundo ele, um jovem bem preparado não pensa duas vezes em trocar a cidade pelo meio rural e ajudar a cuidar do negócio familiar. No passado, isto seria impensável.

Antecipar insumos - Trabalhando com as melhores técnicas, pai e filho procuram comprar os insumos com bastante antecipação, a fim de garantir preços mais em conta e aliviar os custos. E, nem tendo iniciado ainda a semeadura da safra 2021/22, os dois já estão pensando na aquisição dos insumos para a temporada seguinte, 2022/23.

Orientação técnica - De acordo com Danilo, é preciso fazer uma boa seleção de variedades de soja, como também a escolha dos pacotes tecnológicos adequados – um trabalho em que contam com a orientação dos técnicos da Cocamar.

Expectativa - Se o tempo for favorável, a projeção para esta safra é de uma produtividade ao redor de 70 sacas por hectare – 170 na medida em alqueire, ficando praticamente dentro do que eles vêm alcançando nos últimos anos.

Tudo em paz - A respeito do relacionamento com o pai – conflitos entre gerações são um dos fatores que dificultam a sucessão familiar -, ele brinca: “Às vezes a gente briga, discute, mas como bons descendentes de italianos, no final do dia está tudo em paz”. Segundo Danilo, o pai foi sempre receptivo a novas tecnologias e aceita com tranquilidade as sugestões feitas por ele.

Sobre o Rally - A 7ª edição do Rally Cocamar de Produtividade conta com o patrocínio das seguintes empresas: Fairfax do Brasil – Seguros Corporativos, Fertilizantes Viridian, Basf, Sicredi União PR/SP e Zacarias Chevrolet (ouro), Cocamar Máquinas Concessionária John Deere, Texaco Lubrificantes, Estratégia Ambiental e Irrigação Cocamar (prata). Apoiam a iniciativa: Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), Aprosoja/PR e Unicampo. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2021/noticias/09/29/cocamar_I/{/vsig}

 

COCAMAR II: Proteção do solo é destaque em visita do Rally

cocamar II 29 09 2021O que dizer de um produtor que não tem problema com a buva, uma planta daninha que se espalha rapidamente, nem com nenhuma outra, e está se preparando para semear a safra 2021/22 utilizando um sistema de plantio direto da melhor qualidade?

Início - Esse foi o tema da primeira visita do Rally Cocamar de Produtividade, Safra 2021/22, na manhã de segunda-feira (27/09), ao município de Rolândia, norte do estado, onde visitou o cooperado Antonio Zabini, que, devido à localização geográfica da propriedade, é atendido pela unidade da cooperativa de Cambé.

Protegido - O motivo é simples: o solo está protegido por uma espessa cobertura de palha deixada pelo trigo e Zabini não se cansa de falar sobre os benefícios dessa cultura, da qual é um tradicional produtor. Para ter ideia do que ele está dizendo, basta olhar as áreas que foram cultivadas com trigo: não há sinais de erva daninha.

Economia e preservação - “Eu economizo com o diesel e com a aplicação de herbicida, não precisa”, diz o produtor. E tem mais: pode chover forte que a palhada não deixa formar enxurrada. Com isso, não há erosão, a umidade é absorvida pelo solo e fica ali, favorecendo o desenvolvimento da soja. Diferente em caso de solo desprotegido: a umidade vai embora rapidamente com a incidência de sol e do vento, entre vários outros problemas.

Momento crucial - Marcos Zorzenon Altea, engenheiro agrônomo da Cocamar, que presta atendimento a Zabini, explica: a semeadura é o momento crucial em que não se pode falhar, pois não haverá como corrigir. Para isso, necessário que o produtor trabalhe com planejamento. “O controle da erva daninha é fundamental, é preciso chegar na área onde a semente vai ser instalada, com zero de erva daninha”, expõe. Havendo competição, a soja vai perder produtividade.

Mato no milho - “A palhada deixada pelo trigo permite ao produtor ficar em situação bem mais tranquila em relação ao milho, por exemplo”, acrescenta Zorzenon. Ele explica que a palhada dessa última cultura, por ser mais rala, permite o surgimento de ervas. Neste ano, como o milho sofreu com a seca e as geadas, o mato acabou aparecendo mais cedo e as dificuldades para o seu controle são maiores.

Na visita - Além do engenheiro agrônomo, acompanharam a visita do Rally ao produtor Antonio Zabini, o gerente da unidade de Cambé, Claudemir Menegon, o engenheiro agrônomo da Sicredi União PR/SP, Leandro Quaglio, e a equipe da RIC TV.

Patrocínios - Em sua sétima edição, o Rally Cocamar de Produtividade conta com o patrocínio principal das seguintes empresas: Basf, Fairfax do Brasil – Seguros Corporativos, Fertilizantes Viridian, Sicredi União PR/SP e concessionária Zacarias Chevrolet; patrocínio institucional: Cocamar Máquinas Concessionária John Deere, Texaco Lubrificantes, Estratégia Ambiental e Irrigação Cocamar. Apoio: Unicampo, Aprosoja/PR e Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb). (Imprensa Cocamar

 

AGRÁRIA: Imersão é realizada para novos cooperados

agraria 29 09 2021No último dia 23, a Agrária recebeu um grupo de cooperados na Akademie IREKS& Agrária, para uma imersão sobre o funcionamento da cooperativa. O evento reuniu produtores rurais associados nos últimos dois anos. “O nosso estatuto prevê instruções sobre os princípios do cooperativismo. Em conversa com a nossa agente da área, decidimos realizar uma integração, parecida com a que é feita para os novos colaboradores. Dessa forma, conseguimos abordar tanto os conteúdos de cooperativismo quanto informações importantes sobre o dia a dia da Agrária”, explicou Viviane Schüssler, Gerente Agrícola e Social da cooperativa.

Atividades - O evento começou com uma palestra on-line com a pedagoga e coach comportamental Rejane Novello. Na sequência, foram promovidas conversas com os gerentes da cooperativa, que falaram sobre as atividades de suas áreas e esclareceram dúvidas dos participantes. “Embora eu já conhecesse bem a estrutura, foi um momento muito interessante. Pudemos perceber o que é o cooperativismo na prática e porque ele dá certo”, afirmou o cooperado Marcelo Mores Edling.

Particularidades - A cooperada Ivone Zuber Virmond começou a atuar na propriedade familiar há pouco mais de dois anos, incentivada pelo pai, o também cooperado Antonio Zuber. Ela comenta que, apesar de já possuir uma vivência no campo, a agricultura é uma atividade com várias particularidades. “Meu pai teve a iniciativa de começar o processo de sucessão, para que possamos fazer tudo de maneira planejada. Eu não tinha um conhecimento profundo, principalmente sobre a parte burocrática. Como a Agrária é muito grande, essa imersão é necessária, para que a gente saiba a quem procurar quando precisamos resolver alguma situação”, disse.

Estatuto - Para encerrar a imersão, os cooperados assistiram a uma apresentação sobre o estatuto da cooperativa. “Procuramos mostrar ao cooperado toda essa estrutura da qual ele é sócio e como sua atuação, seja como fornecedor ou como cliente, interferem nas atividades da Agrária”, finalizou Viviane Schüssler. (Imprensa Agrária)

 

COPAGRIL: Empregados participam de palestra do Setembro Amarelo

Empregados da Copagril participaram nessa terça-feira (28/09) de palestras com a psicóloga do Sempre Vida, Anieli Rorig Teixeira, que abordou o tema de prevenção ao suicídio, ação organizada pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) em relação ao movimento Setembro Amarelo. Os encontros para a equipe Copagril foram realizados em dois horários, manhã e tarde, no Salão Social da Associação Atlética e Cultural Copagril (AACC), em Marechal Cândido Rondon (PR).

Campanha - O Setembro Amarelo é uma campanha idealizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM) para conscientizar sobre a prevenção do suicídio, com objetivo de alertar a população a respeito da realidade da prática no Brasil e no mundo. “Falar sobre o Setembro Amarelo é, na verdade, abordar sobre à saúde mental, que influencia o comportamento e ações das pessoas, mas ainda é um tabu em alguns cenários. A campanha visa reverter essa realidade para que os aspectos psicológicos recebam sua devida importância e atenção”, comenta a psicóloga sobre o movimento.

Taxa - No Brasil a taxa de suicídio é de um a cada 45 minutos. “O tema precisa ser desmistificado, é uma triste realidade em nosso cenário, que vem apresentando uma crescente no número de casos e necessita de atenção, mobilização e principalmente prevenção. Conscientizar sobre a prevenção ao suicídio é propor um diálogo aberto sobre o tema para despertar na sociedade uma atenção maior e buscar reduzir o número de casos. Saber reconhecer os sinais de alerta, procurar auxílio profissional e adotar hábitos saudáveis pode salvar vidas”, alerta Anieli.

Ações - A Copagril, por meio da Cipa, do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (Sesmt) e outras áreas, realiza ações para promover o bem-estar e cuidado com as equipes de trabalho, a exemplo desta mobilização do Setembro Amarelo – mês de conscientização e prevenção ao suicídio, que contou com a palestra e ações nas Unidades, complementando o roteiro de DSS - Diálogo Semanal de Segurança. “Direcionar o olhar para a saúde mental do trabalhador traz ganhos para a empresa, pois o diálogo aberto combate o preconceito e discriminação, encorajando quem precisa a buscar ajuda, diminui afastamento por doenças, e o funcionário bem orientado, pode buscar ajuda profissional com mais segurança, ou ainda, ser o agente replicador para ajudar alguém, seja em seu contexto de trabalho, meio familiar ou de amigos, e assim estará contribuindo com a prevenção”, completa a palestrante. (Imprensa Copagril)

{vsig}2021/noticias/09/29/copagril/{/vsig}

UNIMED CURITIBA: Uma alimentação equilibrada reflete o cuidado com a alma?

unimed curitiba 29 09 2021Nesta quarta-feira (29/09), foi realizada uma edição especial do Diálogo Saudável – um sucesso de público da Unimed Curitiba – em comemoração ao “Mês do Cliente”. A partir das 11h, a cooperativa recebeu em formato de live a médica cooperada Fernanda Justus Malucelli, especialista em endocrinologia e metabologia, e a nutricionista Fernanda Melnic, colaboradora que atua nos programas de promoção à saúde com foco no combate à obesidade.

Questões - Depois de tanto tempo vivendo em pandemia, muitas questões envolvendo a saúde física, emocional e mental das pessoas vieram à tona e têm se tornado prioridade. Uma delas é a importância de manter uma alimentação adequada para garantir qualidade de vida. A cooperativa convida o público a refletir sobre como tem se alimentado e o que tem feito por si mesmo neste período de pandemia. Como a alimentação é fundamental para o equilíbrio do corpo e o cuidado com a alma?

Dúvidas - Para responder essa e outras dúvidas (que puderam ser encaminhadas durante a transmissão ao vivo) as convidadas dialogaram com a jornalista Mira Graçano. Foi abordada ainda a importância de olhar para o prato como um momento de autocuidado, destacando a atenção na mesa como mais uma ferramenta para levar uma vida mais leve.

Receita - Além do bate-papo com as especialistas, o público acompanhou o preparo de uma receita simples, saudável e recheada de saúde e terá acesso a um e-book sobre comer intuitivo e mindful eating para favorecer a atenção plena na hora das refeições e uma playlist de músicas no Spotify. A conversa foi transmitida pela fanpage da Unimed Curitiba no Facebook, cumprindo seu propósito de abrir um canal de diálogo, aproximar as pessoas dos médicos e tratar de assuntos que são relevantes para o dia a dia de uma forma didática e divertida.

Facebook - Assista em www.facebook/UnimedCuritiba.

Ações - As ações do “Mês do Cliente”, com conteúdos on-line, vão até o dia 12 de outubro.

Sobre a Unimed Curitiba - A Unimed Curitiba é a maior operadora de plano de saúde do Paraná e está entre as maiores do Sistema Unimed. Fundada em 1971, completou 50 anos em agosto de 2021 com mais de 4.600 médicos cooperados de diferentes especialidades, que atendem 551 mil clientes junto a 1.600 colaboradores. Compondo a maior rede credenciada do estado com 54 hospitais, 245 clínicas e 91 laboratórios, sendo 20 deles próprios (Unimed Laboratório) e três bancos de sangue. A cooperativa conta com diversos canais de atendimento remoto e 19 unidades de atendimento presenciais distribuídas em Curitiba e municípios da Região Metropolitana.

Reconhecimento - A marca Unimed é Top of Mind 26 vezes ininterruptas, pelo Prêmio World Branding Awards que anualmente reconhece as principais marcas do mundo, e é também a única marca brasileira eleita na categoria Planos de Saúde pelo National Award. Já a Unimed Curitiba, é reconhecida pela Great Place to Work (GPTW) como uma das melhores empresas para se trabalhar no Paraná, considerado o 9º maior plano de saúde na edição 2020 do Prêmio Valor 1000, está na 59ª colocação entre as 500 maiores do Sul e a 23ª posição entre as 100 maiores do Paraná segundo o levantamento de 2020 do projeto do Grupo Amanhã, o mais importante ranking regional do Brasil. Saiba mais em unimedcuritiba.com.br ou acesse as redes da cooperativa no Facebook, Instagram e LinkedIn. (Imprensa Unimed Curitiba)

 

UNIMED LONDRINA: Projeto Saúde Bucal realiza terceira e última visita do ano

A Unimed Londrina realizou a terceira e última visita do projeto Saúde Bucal nesta quarta-feira (29/09), às 9h.

Presencial - A iniciativa retomou o formato presencial, após mais de um ano realizar a entrega dos kits sem a presença da equipe da cooperativa, dos profissionais de Odontologia e dos estudantes da escola atendida pelo projeto.

Beneficiada - A Escola Municipal Edmundo Odebrecht, que fica no distrito da Warta (R. Paulo Boszczowski, S/N), foi a beneficiada desta 6ª edição. Ao todo, 241 estudantes participaram da iniciativa que entregou um kit para higienização bucal, contendo escova e pasta de dente, fio dental e um folder com instruções sobre como fazer a limpeza da boca corretamente.

Orientações - Além da entrega do kit, a visita contou com a participação de seis estudantes do curso de Odontologia da Unopar, que, sob orientação de professores, instruíram as crianças a manterem os cuidados com a higiene bucal. Para evitar aglomeração, cada estudante universitário realizou a atividade de sala em sala.

Visita - O projeto Saúde Bucal promove por ano uma visita a cada três meses na escola beneficiada. Este período é para substituir a escova de dente entregue aos estudantes na visita anterior.

Parceria - A ação da Unimed Londrina conta com a parceria da Dental Clean, Clínica Odontológica da Unopar e Secretaria Municipal de Educação. A dentista Hellen Martinez também contribuiu voluntariamente com o projeto como supervisora técnica do folder impresso. (Imprensa Unimed Londrina)

UNIMED PONTA GROSSA: Doações são entregues para Casa Transitória

Na última segunda (27/09), a Unimed Ponta Grossa, por meio da campanha Doe Amor e Alimentos, realizou a entrega das doações para a Casa Transitória Fabiana de Jesus.

Arrecadação - Com o valor arrecadado entre junho e agosto de 2021, a partir da contribuição financeira voluntária vinda dos médicos cooperados, que é destinada a projetos de responsabilidade social e ambiental, a cooperativa adquiriu produtos para o preparo da tradicional sopa feita pela instituição, que dá suporte à comunidade há 60 anos, em Ponta Grossa (PR).

Produtos - Foram doados:

40Kg de arroz

20Kg de cenoura

20Kg de batata doce

20Kg de batata salsa

20Kg de mandioca

20Kg de brócolis

10Kg de couve

20Kg de abobrinha

20Kg de cebola

2Kg de cheiro verde

10Kg de beterraba

30 Kg de sassami

Óleo de cozinha e extrato de tomate

Sobre a campanha - A campanha Doe Amor e Alimentos teve início em abril de 2020 e foi uma mobilização interna entre colaboradores e médicos cooperados, em prol das comunidades carentes que estão sendo afetadas pela crise gerada pela Covid-19. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

{vsig}2021/noticias/09/29/unimed_ponta_grossa/{/vsig}

ITR: Prazo para declarar imposto sobre propriedade rural acaba quinta-feira

itr 29 09 2021Termina nesta quinta-feira (30/09) o prazo de entrega da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) de 2021. Pessoas e empresas que são proprietárias, titulares do domínio útil ou possuidoras de qualquer título do imóvel rural estão obrigadas a apresentar o documento.

Envio - Até o último dia 15 de setembro, mais de 3,5 milhões de contribuintes enviaram a declaração à Receita Federal e a expectativa é de que 5,9 milhões sejam entregues até o fim do prazo. Quem não apresentar a DITR no prazo está sujeito à multa de 1% ao mês ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido.

Programa - A declaração deve ser elaborada por meio do Programa Gerador da Declaração do ITR, disponibilizado na página da Receita Federal, e transmitida pela Internet. Se, após a apresentação, o contribuinte perceber erros ou falta de informações, poderá enviar uma declaração retificadora.

Pagamento - O valor do imposto pode ser pago em até quatro parcelas iguais, mensais e sucessivas, sendo que nenhuma delas pode ser inferior a R$ 50. O imposto de valor inferior a R$ 100 deve ser pago em quota única. Os valores devem ser pagos até o último dia do prazo para a apresentação da DITR. 

Regras - Todas as regras para a entrega da DITR de 2021 foram definidas por Instrução Normativa nº 2.040/2021, da Receita Federal. De acordo com a norma, também está obrigada a entregar a declaração a pessoa física ou jurídica que, entre 1º de janeiro de 2021 e a data da apresentação da declaração, perdeu a posse do imóvel rural ou o direito de propriedade pela transferência ou incorporação do imóvel rural pelo novo proprietário.

Núcleos - Para ajudar na declaração, a Receita Federal disponibiliza os núcleos de Apoio Contábil e Fiscal (NAF), uma parceria com instituições de ensino superior que oferece serviços contábeis e fiscais à população. Durante a pandemia, também há núcleos operando de forma remota. Os locais de atendimento e os respectivos contatos estão disponíveis na página da Receita Federal. (Agência Brasil)

 

PECUÁRIA: Rebanho bovino cresce 1,5% e atinge 218,2 milhões de cabeças em 2020

pecuaria 29 09 2021O rebanho bovino cresceu pelo segundo ano consecutivo em 2020, após dois anos seguidos em queda, segundo a Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), divulgada nesta quarta-feira (29/09) pelo IBGE. A produção de leite de vaca também cresceu, chegando à marca recorde de 35,4 bilhões de litros, aumento de 1,5% em relação ao ano anterior. O valor de produção do leite atingiu R$ 56,2 bilhões.

Marca - No caso dos bovinos, a alta de 1,5% garantiu a marca de 218,2 milhões de cabeças de gado, segundo maior rebanho da série histórica iniciada em 1974. A alta do preço do boi gordo, do bezerro e o crescimento nas exportações de carne contribuíram para o aumento do rebanho no ano, já que o produto esteve mais valorizado.

Preço - “Havíamos passado por um período de abate de fêmeas gerando uma redução no número de animais e bezerros e isso fez com que o preço da arroba subisse. Hoje estamos num cenário de retenção de fêmeas, que, em vez de irem para o abate, são utilizadas para gerar novos animais, recompondo o rebanho”, explica Mariana Oliveira, supervisora da PPM.

Liderança - Mato Grosso segue líder, com 32,7 milhões de cabeças e alta de 2,3% ante 2019. Entre as grandes regiões, o maior crescimento em número absoluto de rebanho bovino ocorreu no Norte: 5,5%, ou mais 2,7 milhões de cabeças, somando 52,4 milhões. O Centro Oeste respondeu por 34,6% do total (75,4 milhões).

São Félix do Xingu - A cidade de São Félix do Xingu (PA) continuou líder no ranking de bovinos do país, com 2,4 milhões de cabeças de gado e alta de 5,4%, no ano.

Valor da produção pecuária cresce 27,1% para R$ 75,45 bilhões - O valor de produção dos principais produtos pecuários cresceu 27,1% em 2020, chegando a R$ 75,45 bilhões. A produção de leite concentrou 74,9% deste valor, seguida pela produção de ovos de galinha (23,6%), mel (0,8%), ovos de codorna (0,5%), lã (0,1%) e casulos de bicho da seda (0,1%). O maior valor de produção foi na região Sudeste, com 36,3% do total, seguida pela região Sul, com 31,9% (R$ 24,04 bilhões). Minas Gerais foi líder em valor de produção: R$ 17,8 bilhões, sendo 89,8% desse total (R$ 15,99 bilhões) proveniente da produção de leite.

Produção de leite chega a 35,4 bilhões de litros, recorde de volume e de preço - A produção de leite de vaca também cresceu em 2020, chegando a 35,4 bilhões de litros, um aumento de 1,5% em relação ao ano anterior. O valor de produção atingiu R$ 56,2 bilhões. Essa alta vem do ganho de produtividade, já que o efetivo de 16,2 milhões de vacas ordenhadas foi 0,8% menor em relação ao ano anterior. Minas Gerais continua líder na produção de leite: 9,7 bilhões de litros, ou 27,3% do total, nacional, com alta de 2,6% no ano.

Municípios - Dos dez principais municípios nesse segmento, sete são mineiros, mas o primeiro lugar coube a Castro, no Paraná, responsável por 363,9 milhões de litros de leite, com alta anual de 30,0% e valor de produção chegando a R$ 651,4 milhões. Em segundo lugar veio Carambeí (PR), com alta de 24,9% em sua produção, totalizando 224,8 milhões de litros de leite, e R$ 402,4 milhões em valor de produção. Patos de Minas (MG) caiu para a terceira posição, com 195,0 milhões de litros (-0,4%) e com valor de produção de R$ 352,9 milhões (alta de 39,7%).

Rebanho de suínos cresce 1,4% para 41,1 milhões de cabeças - O rebanho de suínos cresceu 1,4% em 2020, somando 41,1 milhões de cabeças. Segundo Mariana, isso faz do Brasil o país com o quarto maior efetivo de suínos, o quarto maior produtor mundial de carne suína e o quarto maior exportador. O número de matrizes teve a terceira alta consecutiva (1,4%) e chegou a 4,8 milhões de cabeças.

Santa Catarina - Santa Catarina manteve a liderança entre os estados, com 7,8 milhões de cabeças e alta de 2,8% no ano. Entre os municípios, Toledo (PR) foi o maior produtor, com 1,2 milhão de suínos, ou 2,9% do total nacional. A seguir, vieram Rio Verde (GO), com 660,0 mil cabeças, e Uberlândia (MG), com 632,2 mil.

Produção de ovos bate recorde de 4,8 bilhões de dúzias - A produção de ovos de galinha cresceu 3,5% e alcançou a marca de 4,8 bilhões de dúzias, sendo que 83,1% foram provenientes de granjas de médio e grande porte, de acordo com informações da POG, pesquisa do IBGE que levanta tais dados. Com rendimento de R$ 17,8 bilhões, a produção foi mais um recorde da série histórica que, desde 1999, aumenta a cada ano. “Em 2020, e em particular na pandemia, o ovo foi uma fonte de proteína alternativa mais acessível”, diz Mariana.

São Paulo- São Paulo seguiu como o maior produtor, responsável por 25,6% do total, seguido pelo Paraná (9,4% do total nacional) e Minas Gerais (8,5%). Os cinco principais municípios produtores não mudaram: Santa Maria de Jetibá (ES), Bastos (SP), Primavera do Leste (MT), São Bento do Una (PE) e Itanhandu (MG).

Galinhas - A pesquisa também mostra que o número de galinhas criadas para produção de ovos cresceu 2%, somando 252,6 milhões. São Paulo teve o maior efetivo, com 21,4% do total nacional, seguido por Paraná (9,9%), Minas Gerais (8,3%), Rio Grande do Sul (7,9%) e Espírito Santo (7,2%). Os três municípios líderes são Santa Maria de Jetibá (ES), Bastos (SP) e São Bento do Una (PE).

Galináceos - Já o total de galináceos, que inclui galos, galinhas, frangos, frangas, pintinhos e pintainhas, ficou em 1,5 bilhão de aves, 1,5% maior que no ano anterior, com acréscimo de 21,7 milhões de animais.

Produção de mel cresce 12,5% para 51,5 mil toneladas - A produção nacional de mel atingiu 51,5 mil toneladas, um aumento de 12,5% em relação a 2019. O valor de produção também aumentou, para R$ 621,5 milhões. “Houve aumento de 52,2% nas exportações, favorecidas pela alta do dólar ao longo do ano de 2020, resultando na redução da oferta de mel em solo nacional. Isso levou ao aumento do preço, o que contribuiu para o acréscimo de 26,2% do valor de produção”, diz Mariana.

Maiores produtores - Os maiores produtores são Paraná, responsável por 15,2% da produção nacional, e Rio Grande do Sul com 14,5%. No Nordeste, os destaques foram Piauí, Bahia e Ceará, que responderam por 11,0%, 9,7% e 7,6% do total nacional.

Arapoti - Em 2020, a maior produção de mel foi em Arapoti (Paraná), que ultrapassou Ortigueira (PR) e Botucatu (SP), agora segundo e terceiro lugares no ranking, seguidos por Itatinga (SP) e Campo Alegre de Lourdes (BA).

Criação de peixes atinge 551,9 mil toneladas, puxada pelo Paraná - A criação de peixes em cativeiro (piscicultura) também avançou 4,3%, totalizando 551,9 mil toneladas em 2019. Os três principais estados produtores não mudaram: Paraná, com 25,4% do total nacional; São Paulo (10,0%) e Rondônia (8,7%). Nova Aurora (PR), segue como principal município produtor, responsável por 3,6% da produção nacional e 14,1% da produção do estado.

Tilápia - Com alta de 6,1%, a Tilápia continuou sendo a principal espécie, respondendo por 62,3% do total de peixes produzidos ou 343,6 mil toneladas. A região Sul responde por 48,2% do total da espécie produzido no país em 2020. O Tambaqui é a segunda espécie mais produzida, com 100,6 mil toneladas, provenientes, principalmente, da região Norte (73,0% do total).

RN e CE concentram 68% da produção de camarão que sobe pelo 3º ano seguido - A produção de camarão criado em cativeiro cresceu 14,1%, totalizando 63,2 mil toneladas. O valor de produção da carcinicultura foi de R$ 1,3 milhão, alta de 9,3% em relação a 2019. O Nordeste é líder absoluto responsável por 99,6% da produção do país. Na região, destacam-se o Rio Grande do Norte (34,8%) e o Ceará (33,2%). Aracati (CE), após dois anos como segundo maior produtor, retornou para o primeiro lugar, com 3,9 mil toneladas, alta de 31,1%. Pendências (RN), após dois anos como maior município produtor, retornou para segundo lugar, com 3,7 mil toneladas. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Licia Rubinstein / Agência IBGE Notícias

 

1grafico ppm-efetivos

2grafico ppm-produtos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

INFRAESTRUTURA: Estado vai revitalizar mais 49,72 quilômetros de estradas rurais de 12 municípios do Paraná

infraestrutura 29 09 2021Estradas rurais de 12 municípios do Paraná serão completamente revitalizadas pelo Governo do Estado. Os convênios para liberação de recursos às prefeituras foram assinados nessa terça-feira (28/09) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em evento no Palácio Iguaçu. Serão 49,72 quilômetros de novos pavimentos, entre pedras poliédricas e bloco sextavado de concreto – estrutura que será usada em cidades da Região Noroeste em razão do tipo de solo.

Investimento - O investimento é de R$ 21,59 milhões, com recursos do programa Estradas da Integração, coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab). Com essas novas liberações, o Estado garante a pavimentação de 474,37 quilômetros, em 118 convênios apenas neste ano. Os recursos somam R$ 144,7 milhões.

Maior programa - “É o maior programa de recuperação de estradas rurais do País. Pretendemos chegar a pelo menos 600 quilômetros até o fim deste ano. Obras que vão garantir o desenvolvimento do interior de muitas cidades paranaenses”, destacou Ratinho Junior.

Benefícios - “Ao revitalizar uma estrada rural, melhoramos a qualidade de vida das pessoas, garantimos um melhor escoamento da safra, segurança para o transporte dos estudantes e também a movimentação comercial e turística. É um salto na infraestrutura”, acrescentou.

Mapa das necessidades - Secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara lembrou que a Seab tem um grande mapa das necessidades dos municípios, ajustando de forma técnica o repasse dos recursos. Segundo ele, o Paraná possui mais de 200 mil quilômetros de estradas rurais, dos quais 100 mil formam importantes entroncamentos de ligação entre cidades e vilas, distritos e comunidades.

Mais recursos - “Estamos trabalhando sempre em busca de mais recursos para poder ampliar o programa. Quando o governador fala em 600 quilômetros até o fim do ano, ele está usando um número conservador. Acredito que devemos passar de 800 quilômetros revitalizados e, conforme o caixa, chegar até a mil quilômetros”, destacou o secretário.

Municípios - Os 12 municípios contemplados com a assinatura de convênios nesta terça-feira são: Ariranha do Ivaí, Godoy Moreira e Lunardelli (Vale do Ivaí); Foz do Jordão e Porto Barreiro (Centro-Sul); Leópolis e São Jerônimo da Serra (Norte); Loanda, Nova Londrina, Santa Mônica e Terra Boa (Noroeste); e Wenceslau Braz (Norte Pioneiro).

Nova ligação - Leópolis, na Região Norte, terá uma nova ligação para o Distrito Jandinópolis, com a substituição do cascalho por pedras poliédricas em um trecho de 4,5 quilômetros. O investimento do Estado é de R$ 1,34 milhão. “É a garantia que o produtor precisava para poder escoar a safra”, disse o prefeito do município, Alessandro Ribeiro.

Pavimento - A Estrada da Balsa, em Godoy Moreira, no Vale Ivaí, também receberá novo pavimento. São 5,41 quilômetros e um investimento de R$ 1,63 milhão. “É um presente para Godoy Moreira. Vai melhorar a vida dos moradores da região e valorizar os terrenos e imóveis de uma área importante da cidade”, disse o prefeito Primis de Oliveira.

Substituição - Loanda, Nova Londrina, Santa Mônica e Terra Boa, todas localizadas no Noroeste, receberão um outro tipo de obra. Por causa do terreno mais arenoso em razão do Arenito Caiuá, as pedras poliédricas darão lugar ao bloco sextavado de concreto. Somado, os recursos liberados para os municípios chegam a R$ 12,87 milhões, com a recuperação de 20,78 quilômetros. “Vai colaborar e muito com o desenvolvimento do nosso município”, afirmou o prefeito de Nova Londrina, Otávio Henrique Grendene Bono, mais conhecido como Vico.

Financiamentos - Parte dos recursos para investimento nas estradas rurais vem do financiamento de R$ 1,6 bilhão com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, sacramentado no ano passado pelo Governo do Estado. Do montante, cerca de R$ 126 milhões serão destinados a obras de reestruturação nas vias do campo. Outra fatia é oriunda das taxas do Detran.

Presenças - Compareceram ao evento o vice-governador Darci Piana; o chefe da Casa Civil, Guto Silva; os secretários estaduais Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo) e Sandro Alex (Infraestrutura e Logística); o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano; e os deputados estaduais Hussein Bakri (líder do Governo), Alexandre Curi, Artagão Júnior, Do Carmo, Dr. Batista, Luiz Cláudio Romanelli, Cobra Repórter, Tião Medeiros, Gugu Bueno, Degelado Fernando Martins e Wilmar Reichembach, além de outros representantes dos municípios.

Detalhamento - Confira o detalhamento das estradas que serão beneficiadas pelo programa:

1. Ariranha do Ivaí

Continuação Estrada Nova Aliança

Total de 2,11 km

Investimento de R$ 593.211,96

2. Foz do Jordão

Estrada Rural da Comunidade das Águas de São Francisco até a Comunidade de Porto Fanor

Total de 2,50 km

Investimento de R$ 736.035,37

3. Godoy Moreira

Estrada da Balsa

Total de 5,41 km

Investimento de R$ 1.632.584,25

4. Leópolis

Estrada Rural Arapuá, do município de Leópolis ao Distrito Jandinopolis

Total de 4,50 km

Investimento de R$ 1.346.388,22

5. Loanda

Estradas das Chácaras, Estrada Rural do Matadouro, Estrada da Chácara da Prefeitura, Estrada das Hortas, Estrada Vai quem quer e Estarda do Ibama

Total de 7,76 km

Investimento de R$ 4.465.799,26

6. Lunardelli

Estrada Rural de acesso à Comunidade do Guaretá

Total de 3,88 km

Investimento de R$ 1.081.494,97

7. Nova Londrina

Estrada 102

Total de 3,80 km

Investimento de R$ 2.957.504,24

8. Porto Barreiro

Linha Volff até Região do Guarani do Cristo Rei e Distrito de Porto Santana até Região da Linha São Rochi

Total de 4,0 km

Investimento de R$ 1.150.751,02

9. São Jerônimo da Serra

Faz Meneguel/Faz Santo Expedito e Faz Santo Expedito/Terra Nova

Total de 3,5 km

Investimento de R$ 1.003.158,97

10. Santa Mônica

Estrada Rural Peroba

Total de 4,50 km

Investimento de R$ 2.724.757,40

11. Terra Boa

Estrada São Lourenço/Ruas, Estrada São Lourenço/Cruzos, Vila Nova Jerusalém/T1, Vila Nova Jerusalém/T2, Vila Nova Jerusalém/T3, Vila Nova Jerusalém/Cruzos, Vila Recanto Verde/T1, Vila Recanto Verde/T2, Vila Recanto Verde/T3 e Vila Recanto Verde/Cruzos

Total de 4,72 km

Investimento de R$ 2.724.928,37

12. Wenceslau Braz

Estrada Ribeirão Novo

Total de 3,05 km

Investimento de R$ 903.372,21

TOTAL

Alcance: 12 municípios

Tamanho: 49,72 km

Investimento: R$ 21.595.228,84

(Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jonathan Campos / AEN

 

ECONOMIA I: Banco Central aprova medidas adicionais de segurança para Pix

economia I 29 09 2021A partir de 16 de novembro, as instituições financeiras poderão bloquear o recebimento de transferências via Pix a pessoas físicas por até 72 horas, caso haja suspeita que a conta beneficiada seja usada para fraudes. A medida consta de resolução publicada nessa terça-feira (28/09) pelo Banco Central (BC), com medidas adicionais de segurança para o sistema instantâneo de pagamentos.

Análise mais cuidadosa - Segundo o BC, o bloqueio preventivo permitirá que a instituição financeira faça uma análise mais cuidadosa de fraude em contas de pessoas físicas, aumentando a chance de recuperação dos recursos por vítimas de algum crime ou extorsão. O bloqueio será imediatamente comunicado ao usuário recebedor.

Notificação de infração - A resolução também torna obrigatória a notificação de infração, por meio da qual as instituições registram eventuais irregularidades e compartilham as informações com as demais instituições sempre que houver consulta a uma chave Pix. Atualmente, essa notificação é facultativa. O BC também ampliou o uso do mecanismo para transações em que pagador e recebedor tenham contas no mesmo banco e para operações rejeitadas por suspeita fundada de fraude.

Fraudes - O uso de informações vinculadas às chaves Pix será ampliado para prevenir fraudes. As instituições poderão consultar as notificações de fraudes vinculadas a usuários finais mesmo em procedimentos não vinculados diretamente ao sistema de pagamentos instantâneos, como abertura de contas.

Responsabilização - A resolução obrigou que os mecanismos de segurança adotados pelas instituições sejam no mínimo iguais aos procedimentos do BC. Casos de excessivas consultas de chaves Pix que não resultem em liquidação ou de consultas a chaves inválidas deverão ser identificados e devidamente tratados.

Falhas - O BC também determinou que as instituições que oferecem o Pix serão responsabilizadas caso fique comprovado que a fraude decorreu de falhas nos mecanismos de segurança e de gerenciamento de riscos. As instituições estarão obrigadas a usar as informações vinculadas às chaves Pix como um dos fatores para autorizar ou rejeitar transações.

Aprimoramento - Em nota, o BC informou que as medidas criam incentivos para que os participantes do Pix aprimorem cada vez mais seus mecanismos de segurança e de análise de fraudes. Todas as medidas entrarão em vigor em 16 de novembro, exceto os limites de R$ 1 mil para transações noturnas entre pessoas físicas, aprovado na semana passada, que entra em vigor em 4 de outubro. (Agência Brasil)

 

ECONOMIA II: Governo Central tem déficit primário de R$ 9,9 bilhões em agosto

economia 29 09 2021O aumento da arrecadação e a diminuição de gastos relacionados à pandemia de covid-19 fizeram o déficit do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) cair em agosto na comparação com 2020. No mês passado, o resultado ficou negativo em R$ 9,88 bilhões.

Mais baixo - Esse déficit é o mais baixo para meses de agosto desde 2015, quando o resultado ficou negativo em R$ 5,706 bilhões. A quantia representa queda de 90,6% em relação ao déficit do mesmo mês do ano passado, quando os desembolsos para o combate à pandemia estavam no auge. Em agosto de 2020, o déficit tinha ficado em R$ 96,07 bilhões, resultado negativo recorde para o mês.

Melhor que o previsto - O resultado veio melhor que o previsto. Segundo a pesquisa Prisma Fiscal, divulgada todos os meses pelo Ministério da Economia, as instituições financeiras projetavam saldo negativo primário de R$ 24,9 bilhões para agosto.

Resultado negativo - O déficit primário representa o resultado negativo nas contas do governo sem considerar os juros da dívida pública. Com o desempenho de agosto, o Governo Central acumula saldo devedor primário de R$ 83,312 bilhões nos oito primeiros meses de 2021. Esse foi o terceiro maior déficit para o período, só perdendo para o ano passado e para agosto de 2017, quando o superávit acumulado de janeiro a agosto havia atingido R$ 601,302 bilhões e R$ 86,774 bilhões, respectivamente.

Meta - Para este ano, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) estabelece meta de déficit de R$ 247,1 bilhões para o Governo Central, mas projeto de lei aprovado no fim de abril permite o abatimento da meta de até R$ 40 bilhões de gastos.

Pandemia - Os gastos que podem ser deduzidos da meta estão relacionados com o enfrentamento à pandemia de covid-19. Dos R$ 40 bilhões autorizados pelo Congresso, R$ 20 bilhões destinam-se à saúde, R$ 10 bilhões ao programa de redução de jornada e suspensão de contrato e R$ 10 bilhões ao Pronampe, programa que fornece crédito emergencial a micro e pequenas empresas.

Receitas e despesas - Um dos principais fatores que contribuíram para a redução do déficit primário em agosto foi a alta na arrecadação do governo. A receita líquida do Governo Central subiu 28,4% em agosto acima da inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), na comparação com o mesmo mês do ano passado. No mês, elas somaram R$ 989,013 bilhões.

Queda na arrecadação - Boa parte dessa alta deve-se à queda de arrecadação provocada pela restrição das atividades sociais no início da pandemia e pelo adiamento de diversos pagamentos, como contribuições à Previdência Social e recolhimentos ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que vigorou no ano passado como medida de ajuda às empresas.

Melhora - No entanto, a arrecadação recorde de agosto, influenciada pela recuperação da economia, melhorou as receitas administradas (tributos) em R$ 15,1 bilhões. Também contribuíram para o caixa do governo o pagamento de R$ 7,2 bilhões em dividendos de estatais ao Tesouro Nacional em agosto e de R$ 5,2 bilhões em royalties de petróleo, gás e demais minérios.

Despesas totais - As despesas totais caíram 41,2% na mesma comparação, também descontando a inflação pelo IPCA. Em agosto, elas somaram R$ 127,735 bilhões. No acumulado de 2021, as despesas totais somaram R$ 1,072 trilhão, com recuo de 24,4% pelos mesmos critérios em relação aos oito primeiros meses de 2020.

Teto de gastos - Em relação ao teto de gastos, o governo gastou, neste ano, 65,3% do limite de R$ 1,486 trilhão, numa conta que exclui cerca de R$ 30 bilhões em despesas fora do teto.

Relação - A queda das despesas totais está relacionada principalmente à redução dos gastos com o enfrentamento à pandemia. Em agosto, o volume de créditos extraordinários caiu R$ 56,2 bilhões em relação ao mesmo mês de 2020. Também não se repetiram os pagamentos de R$ 16,7 bilhões da ajuda da União a estados e municípios e de R$ 14,4 bilhões do Programa Emergencial de Suporte a Empregos (Pese), que fornecia crédito para empresas afetadas pela pandemia não demitirem trabalhadores.

Investimentos - Em relação aos investimentos (obras públicas e compra de equipamentos), o governo federal investiu R$ 3,58 bilhões em agosto, queda de 63,7% em relação ao mesmo mês de 2020, descontada a inflação pelo IPCA. Em 2021, os investimentos somam R$ 28,075 bilhões, queda de 50,6% na comparação com o período de janeiro a agosto do ano passado, também descontado o IPCA. O atraso na aprovação do Orçamento de 2021, sancionado apenas no fim de abril, explica parcialmente o recuo nos investimentos no acumulado do ano. (Agência Brasil)

FOTO: Mktgraccia / Pixabay

 

COMBUSTÍVEL: Petrobras aumenta preço do diesel a partir desta quinta-feira

combustivel 29 09 2021A Petrobras anunciou que vai aumentar o preço do diesel A para as distribuidoras. A partir de desta quarta-feira (29/09), o preço médio de venda nas refinarias passa de R$ 2,81 para R$ 3,06 por litro, um reajuste médio de R$ 0,25 por litro.

Consumidor final - Nos postos de abastecimento, para o consumidor final, o preço deve subir R$ 0,22, considerando a mistura obrigatória de 12% de biodiesel e 88% de diesel. Segundo a empresa, o reajuste reflete “parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e da taxa de câmbio”.

Nota - “Após 85 dias com preços estáveis, nos quais a empresa evitou o repasse imediato para os preços internos devido à volatilidade externa causada por eventos conjunturais, a Petrobras realizará ajuste no preço do diesel A para as distribuidoras”, informa nota da estatal. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

 

CÂMBIO: Dólar sobe para R$ 5,42 em dia de pânico global

cambio 29 09 2021Num dia de pânico no mercado global, o dólar ultrapassou a barreira de R$ 5,40 e fechou no maior nível em quase cinco meses. A bolsa caiu para o menor nível em uma semana, praticamente anulando os ganhos registrados desde o início da semana passada.

Cotação - O dólar comercial encerrou essa terça-feira (28/09) vendido a R$ 5,424, com alta de R$ 0,046 (+0,85%). A cotação está no maior valor desde 4 de maio, quando tinha fechado em R$ 5,431.

Valorização - Com o desempenho dessa quarta, a moeda norte-americana acumula valorização de 4,88% em setembro. Em 2021, a divisa subiu 4,54%.

Ações - O dia também foi tenso no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 110.124 pontos, com queda de 3,05%. Essa foi a maior queda diária desde 8 de setembro, quando o indicador tinha recuado 3,78%. O Ibovespa está no menor nível desde o último dia 20.

Fatores - Diversos fatores ajudaram a criar instabilidade global no mercado financeiro. Os juros dos títulos do Tesouro norte-americano, considerados os investimentos mais seguros do mundo, subiram fortemente nesta terça, em meio a temores de que a inflação avance nos Estados Unidos.

Preocupação - Em depoimento ao Senado norte-americano, o presidente do Federal Reserve (Fed, Banco Central dos Estados Unidos), Jerome Powell, disse que a inflação na maior economia do planeta está preocupando por causa de restrições na cadeia de abastecimento. Segundo ele, o órgão pode aumentar os juros básicos norte-americanos caso a alta dos preços se torne sustentada. Os três índices principais da bolsa dos Estados Unidos caíram mais de 2%.

China - As preocupações com a China também dominaram o mercado internacional. Além dos calotes da incorporadora imobiliária Evergrande, notícias de que a segunda maior economia do planeta está ameaçada por falta de energia provocaram tensões e fizeram o preço de diversas commodities (bens primários com cotação internacional) cair.

Brasil - No Brasil, as preocupações em torno da reforma do Imposto de Renda e da proposta para parcelar os precatórios (dívidas do governo reconhecidas definitivamente pela Justiça) também influenciaram o mercado. Na segunda-feira (27/09) à noite, o Senado aprovou projeto que permite o reconhecimento da reforma do Imposto de Renda, ainda não aprovada na Casa, como fonte de recursos para financiar a criação do Auxílio Brasil, programa que pretende substituir o Bolsa Família. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO: Reforma eleitoral é promulgada; novas regras serão aplicadas nas eleições de 2022

legislativo 29 09 2021As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal promulgaram nessa terça-feira (28/09) a reforma eleitoral estabelecida pela Emenda Constitucional 111. As regras serão aplicadas a partir das eleições de 2022, já que entraram em vigor com um ano de antecedência.

Inovações - O presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco, afirmou que a proposta traz inovações em três aspectos políticos eleitorais: promoção da diversidade nos cargos públicos, estímulo à participação popular, e fidelidade partidária. “Uma reforma político-eleitoral enxuta, mas com preceitos que contribuem para o equilíbrio da atividade política brasileira”, disse.

Contagem em dobro - A principal mudança é a contagem em dobro de votos dados a mulheres e pessoas negras para a Câmara dos Deputados nas eleições de 2022 a 2030, para fins de distribuição, entre os partidos políticos, dos recursos do Fundo Eleitoral.

Espaço - Relatora da proposta no Senado, a senadora Eliziane Gama afirmou que a medida vai avançar na ampliação dos espaços de poder para mulheres e pessoas negras. “Um resultado muito importante desta proposta é evitar as chamadas “candidaturas laranja” de mulheres com a segurança de voto em dobro para fins de fundo eleitoral”, disse.

Mandato - Ficou determinado ainda que não perderão o mandato deputados (federais, estaduais ou distritais) e vereadores que se desfiliarem, com o aval da legenda, do partido pelo qual foram eleitos.

Exceção - Trata-se de mais uma exceção ao princípio da fidelidade partidária, que também prevê a manutenção do mandato nos casos de incorporação, fusão do partido ou criação de novo partido; mudança substancial ou o desvio reiterado do programa partidário; grave discriminação pessoal; e durante a janela partidária.

Posse - Além disso, a partir das eleições de 2026, a posse do presidente da República será em 5 de janeiro, e a posse dos governadores será no dia 6. Atualmente, ambas são no dia 1º de janeiro. (Agência Câmara de Notícias)

Confira o texto na íntegra

FOTO: Michel Jesus / Câmara dos Deputado

 

SAÚDE I: Brasil registra 793 óbitos e 15,3 mil infecções em 24h

O Brasil registrou 15.395 casos de covid-19 e 793 mortes causadas pela doença em 24 horas, segundo o boletim da situação epidemiológica divulgado nessa terça-feira (28/09) pelo Ministério da Saúde.

Total - Com os novos diagnósticos de covid-19 confirmados, o total de pessoas contaminadas desde o início da pandemia chegou a 21.381.790.

Acompanhamento - Ainda há 403.101 casos em acompanhamento. O nome é dado a casos ativos de pessoas que tiveram o diagnóstico confirmado e estão sendo atendidas por equipes de saúde ou se recuperando em casa.

Investigação - Há 3.220 falecimentos por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em investigação. Isso porque em muitos casos a análise sobre a causa continua mesmo após o óbito.

Mortes - Com as novas mortes, a soma de pessoas que perderam a vida para a doença alcançou 595.446 pessoas.

Recuperadas - Segundo o boletim, 20.383.243 pessoas se recuperaram da doença.

Dados - Os dados em geral são menores aos sábados, domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais de Saúde. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Estados - No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (149.380), Rio de Janeiro (65.856), Minas Gerais (54.425), Paraná (38.984) e Rio Grande do Sul (34.795). Os que menos registraram mortes foram Acre (1.837), Amapá (1.977), Roraima (1.993), Tocantins (3.780) e Sergipe (6.008).

Vacinação - Dados mais recentes do Ministério da Saúde mostram que 233,2 milhões de doses da vacina contra a covid-19 foram aplicadas em todo o Brasil, sendo 145,2 milhões como primeira dose e 87,9 milhões como segunda dose (ou dose única).

Aplicação - Em 24 horas, foram aplicadas 614.362 milhões de doses. Segundo a pasta, foram distribuídas 284,6 milhões de doses da vacina contra a covid-19 para todo o país. (Agência Brasil)

 

saude tabela 29 09 2021

SAÚDE II: Boletim confirma mais 1.837 novos casos e 56 óbitos pela Covid-19

saude II 29 09 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nessa terça-feira (28/09) mais 1.837 casos confirmados e 56 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números se referem a meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 1.501.854 diagnósticos confirmados e 38.767 mortos pela Covid-19.

Meses - Os casos divulgados nessa terça-feira são de maio (41), junho (86), julho (44), agosto (123) e setembro (1.542) de 2021 e outubro (1) de 2020. Os óbitos divulgados são de setembro (44), agosto (4), julho (5) e junho (3) de 2021.

Internados - O informe relata que há 609 pacientes com diagnóstico confirmado internados. São 466 em leitos SUS (292 em UTI e 174 em enfermaria) e 143 em leitos da rede particular (87 em UTI e 56 em enfermaria). Há outros 1.375 pacientes também internados, 727 em leitos UTI e 648 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão na rede pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 56 pacientes. São 23 mulheres e 33 homens, com idades que variam de 30 a 94 anos. Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (9), Londrina (8), Fazenda Rio Grande (3), Cascavel (3), Siqueira Campos (2), Contenda (2) e Carlópolis (2). Também é registrada a morte de uma pessoa em cada um dos seguintes municípios: Umuarama, Toledo, São João do Triunfo, São José dos Pinhais, Santa Terezinha de Itaipu, Rolândia, Rio Bonito do Iguaçu, Ponta Grossa, Pinhais, Perobal, Paranavaí, Palmital, Palmeira, Medianeira, Maringá, Marechal Cândido Rondon, Leópolis, Irati, Ibaiti, Guaíra, Foz do Iguaçu, Colorado, Campo Largo, Cambé, Araucária, Apucarana e Altônia.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 6.081 casos de residentes de fora do Estado, sendo que 217 pessoas foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o boletim completo

Confira os relatórios de exclusão de casos e correções dos municípios.

 

SAÚDE III: Paraná recebe mais vacinas e inicia distribuição de 195,3 mil doses, inclusive para adolescentes

saude III destaque 29 09 2021O Paraná recebeu mais 251.640 vacinas contra a Covid-19 nessa terça-feira (28/09), sendo 195.390 doses da Pfizer/BioNTech e 56.250 da AstraZeneca/Fiocruz. Para dar velocidade à campanha de imunização, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) já iniciou a distribuição das doses da Pfizer para as 22 Regionais de Saúde, incluindo o lote recém-chegado ao Estado.

Divisão - As doses enviadas estão divididas entre 45.630 para reforço (DR) da população acima de 70 anos que tenha tomado a segunda dose entre 21 e 31 de março; 11.700 para primeira dose (D1) em adolescentes gestantes e puérperas e adolescentes em medidas socioeducativas (privados de liberdade); e 138.060 doses para segunda aplicação (D2) referente à 35ª pauta (do começo de agosto).

AstraZeneca - Já as 56.250 vacinas da AstraZeneca são destinadas exclusivamente para D2 da 31ª pauta e serão enviadas em tempo oportuno, permanecendo armazenadas no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar).

Logística - Os imunizantes estão sendo enviados por via terrestre para as Regionais de Paranaguá, Metropolitana, Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão e Telêmaco Borba. Recebem por avião as regionais de Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Londrina, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Toledo e Ivaiporã.

Vacinação - O Paraná já aplicou 13.095.758 vacinas contra a Covid-19, sendo 8.046.185 D1, 323.075 doses únicas (DU), 4.695.694 D2, 23.536 doses de reforço (DR) e 8.180 doses adicionais (DA) em imunossuprimidos. Entre D1 e DU, o Estado já atingiu 95,97% da população adulta com ao menos uma dose. 57,55% deste público está completamente imunizado com duas doses ou dose única. (Agência de Notícias do Paraná)

 

saude III tabela 29 09 2021

 

SAÚDE IV: Informe epidemiológico da dengue confirma 193 casos no Paraná

saude IV 29 09 2021O boletim semanal da dengue publicado nessa terça-feira (28/09) pela Secretaria de Estado da Saúde registra 193 casos confirmados. São 61 casos a mais que o informe anterior, que apresentava 132 confirmações.

Informe - Os dados são do 5º Informe Epidemiológico da dengue, do novo período sazonal da doença, que iniciou no dia 1º de agosto e deve seguir até julho de 2022.

Avanço - “Todas as semanas publicamos o nosso boletim para que a população possa acompanhar o avanço da dengue e os casos no Estado. Não temos nenhum óbito, e isso é uma boa notícia, mas devemos manter a atenção e todos os cuidados necessários para que os números não aumentem”, disse o secretário estadual da Saúde do Paraná, Beto Preto.

Investigação - Há ainda 1.432 casos em investigação e 199 municípios registraram notificações de dengue, que passaram de 3.356 para 4.087, um aumento de 21,78% em relação à semana anterior.

Sem óbito - O Estado não registrou nenhum óbito neste período.

Municípios - Os novos casos confirmados foram registrados em Foz do Iguaçu (34), Londrina (4), Cascavel (4), Apucarana (3), Maringá (3), Paranavaí (3), Cambé (2), Rolândia (1), Pitangueiras (1), Colorado (1), Santa Mônica (1), Umuarama (1), Tapira (1), Ibema (1), Cafelândia (1). (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo AQUI.

FOTO: Pixabay

 


Versão para impressão


RODAPE