Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5177 | 15 de Outubro de 2021

COOPERJOVEM I: Emoção marca realização do Encontro dos Educadores do Programa

Na noite que antecedeu o Dia dos Professores, o Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoo/PR), juntamente com cooperativas parcerias do Programa Cooperjovem, homenageou aqueles cuja missão é transformar vidas. “A você professor, a você professora, todo o nosso aplauso, todo o nosso respeito e todo o nosso coração, repleto de gratidão por tudo que fazem por nossos filhos e alunos!”, estas palavras resumem o que foi o Encontro de Educadores do Cooperjovem, nesta quinta-feira (14/10): um momento de emoção e de reflexão sobre os impactos deste novo momento

Audiência - Em sintonia com o momento, o Encontro do Cooperjovem foi virtual. Um estúdio foi montado no auditório do Sistema Ocepar, em Curitiba. Pela TV Paraná Cooperativo no Youtube, mais de 600 pessoas acompanharam ao vivo o evento, interagindo por meio do chat com comentários, recados e muitas reações às homenagens e mensagens trazidas pelos convidados. E as visualizações continuam, já que o Encontro permanece no Youtube. Até a manhã desta sexta-feira, a audiência já ultrapassava de três mil visualizações.

Programação - Cumprindo todos os protocolos de segurança, o especialista em marketing e inovação, e fundador da Escola de Criatividade, Jean Siegel, comandou a programação que este ano recebeu como convidados o psicólogo Alexandre Coimbra, e o educador Marcos Meier. O Grupo Sou Arte, de Campo Mourão, bastante conhecido no meio cooperativista do estado, mais uma vez esbanjou talento e emocionou com sua performance, centrada em mostrar os desafios que os professores enfrentaram nessa pandemia e o quanto o papel do educador é importante para a construção do ser humano. Sorteios de brindes oferecidos pelas cooperativas e a presença de uma plateia virtual composta pelos coordenadores do Programa, também marcaram a noite.

Gestão da emoção - Como tema “Luz, Câmera, Emoção”, conceito esse que mostra o quanto a educação precisa valorizar a gestão da emoção, as inteligências emocionais e a diversidade de talentos que estão no ambiente escolar, tanto dos alunos quantos dos educadores. “A gente sabe como tem sido difícil esses quase dois anos com a pandemia e que precisamos restabelecer alguns vínculos emocionais. Então, o convite que fazemos é para refletirmos sobre como podemos acolher nossas emoções neste momento em que estamos voltando gradualmente às nossas atividades”, disse Jean Siegel ao abrir o evento.

O Cooperjovem - O Programa Cooperjovem é uma ação nacional coordenada pelo Sistema OCB. Desde que foi criado, há 21 anos, trabalha a educação cooperativista de forma multidisciplinar com alunos da 1ª a 4ª série do Ensino Fundamental. Alinhado à da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), utiliza a aprendizagem por projetos para desenvolver competências, como cooperação, protagonismo, empreendedorismo e empatia. As cooperativas fazem a ponte com as secretarias de educação e as escolas. O Sescoop fornece o material didático e capacitação para os professores trabalharem os assuntos em sala de aula. No Paraná, mais de 20 cooperativas abraçaram o Cooperjovem e, com isso, contribuíram para que chegasse a 66 municípios. São 348 escolas, 34 mil alunos e 2.200 educadores.

Novo formato – Ao falar sobre o programa, que este ganhou um novo formato, a gerente de Desenvolvimento Humano em Cooperativas do Sistema OCB, Gêane Ferreira, disse que a mudança na metodologia e nos materiais didáticos atende a necessidade de adaptação dos educadores ao mundo de hoje, mais tecnológico, virtual e ágil. As mudanças promovidas este ano ainda trazem como novidade o Cooperjogo, utilizado para trabalhar as etapas do Cooperjovem de forma lúdica e gameficada. “São novos tempos para todos, inclusive para a educação, e temos que nos adaptar, oferecendo ferramentas que possam auxiliar o trabalho em sala de aula”, comentou. Gêane lembrou ainda que o Cooperjovem está alinhado com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e utiliza uma metodologia diferenciada de aprendizagem, baseada em projetos, em que o aluno é o protagonista de todo o trabalho. “O mundo precisa  praticar a cooperação, então, o Cooperjovem se apresenta como uma ferramenta para ajudar a construir uma sociedade mais justa e igualitária para todos”, afirmou Gêane.

Agradecimento - “Agradeço a todos os educadores do Paraná e do Brasil que se dedicam ao ensino e a prática do cooperativismo, e as cooperativas que articulam e coordenam esse trabalho. O cooperativismo do amanhã vai ser o que plantarmos hoje. Por isso estamos aqui para agradecer e homenagear a todos”, destacou o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, reafirmando o quanto a liderança cooperativista reconhece a importância da educação para a difundir a prática da cooperação.

Educação e Cooperação - Buscando inspiração nas palavras sábias do professor gaúcho Walter Francis, hoje aposentado, Ricken destacou o fato de que educação e cooperação caminham juntas. “Este professor, hoje aposentado e a quem admiro muito, faz um comparativo entre essas duas práticas e conclui que elas se relacionam e que, sob certos aspectos, se complementam. Ele diz que na educação pode se identificar práticas cooperativas e na cooperação pode-se identificar práticas de educação. A organização da cooperação exige que seus atores tenham uma comunicação dos seus interesses e necessidades, e um respeito em relação a tudo aquilo que está sendo feito em cooperação. Há, portanto, uma estreita relação entre esses dois fenômenos. E na prática da cooperativa, para além dos seus propósitos, se produz conhecimento, aprendizado e educação. E na prática da educação, como um processo complexo de relações humanas, se produz cooperação.  Então, essa forma de pensar é muito significativa para o que estamos vivendo nesse momento”, afirmou.

Clique aqui para ouvir matéria de rádio sobre o Encontro de Educadores do Cooperjovem

Clique aqui e confira tudo o que aconteceu no Encontro dos Educadores do Cooperjovem

{vsig}2021/noticias/10/15/cooperjovem_I/{/vsig}

 

COOPERJOVEM II: O psicólogo Alexandre Amaral e o educador Marcos Meier falam sobre medo, afeto e acolhimento

“Estamos todos voltando para o mundo presencial com as nossas dores, nossas cicatrizes. E os nossos estudantes também. Estamos abraçando com os olhos, com o sorriso por debaixo da máscara, celebrando a vida que sobreviveu ao caos”. Estas palavras, que dizem muito sobre o momento que estamos vivendo, são do psicólogo Alexandre Coimbra Amaral, convidado do Encontro de Educadores do Cooperjovem, evento promovido na noite desta quinta-feira (14/10), pelo Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná (Sescoop/PR), juntamente com as cooperativas parceiras.

Destaques - Com o tema "Luz, Câmera, Emoção!", Encontro do Cooperjovem deste ano foi apresentado pelo especialista em marketing e inovação, Jean Siegel, fundador da Escola de Criatividade. Além de Alexandre Amaral, o evento contou com a presença do educador Marcos Meier e do Grupo Sou Arte, de Campo Mourão. O artista Bruno gráfico Bruno Lanza esbanjou seu talento e, ao final do evento, brindou a todos com um resumo criativo do evento. 

Emoções - Alexandre Coimbra Amaral é psicólogo, palestrante, escritor, terapeuta e autor do livro “Cartas de um terapeuta para seus momentos de crise”, que em menos de seis meses se transformou em best seller, tendo vendido mais de 13 mil exemplares em todo o país.  É psicólogo do programa “Encontro com Fátima Bernardes” da Rede Globo, além de colunista da Revista Crescer (Editora Globo) e do Portal Luneta.No Encontro de Educadores do Cooperjovem, com sua voz acolhedora, falou sobre como os educadores podem gerir as emoções e ter um olhar diferenciado dentro da sala de aula. “Também sou professor e é um orgulho estar aqui entre colegas”, disse.

Reaprendendo a conviver - Com uma voz acolhedora, muita empatia e visão dos impactos emocionais que pandemia do novo coronavírus provocou na vida de todos, Alexandre Amaral disse que o medo se tornou algo presente no dia a dia dos educadores, assim como na vida de todo mundo, e que a exaustão é um dos fenômenos dessa pandemia. E como lidar com as emoções dentro da sala de aula? “Simples conversando sobre elas”, resumiu o psicólogo. Segundo ele, o grande conteúdo que precisamos aprender no retorno da pandemia é o aprendizado sobre a convivência. “Convido vocês a se colocar como aprendizes da nova convivência e falar disso em sala de aula, falar como está sentindo e perguntar como os alunos estão se sentindo.  Quanto mais a gente fala, mais esvazia o coração da angústia. A angústia vira ansiedade se a gente não coloca para fora.

Ser humano é dar frutos - Na sequência o educador Marcos Meier trouxe a questão de que “ser humano é dar frutos, frutificar”. Marcos Meier também é psicólogo, professor de Matemática, escritor e mestre em educação. É colunista da rede Globo no jornal Bom Dia Paraná desde 2008 e comentarista em rádios desde 2003. Suas palestras têm a marca do bom humor e do conteúdo bem fundamentado nas teorias mais atuais de educação, neurociências e psicologia. Autor de mais de 10 livros, sendo que seu best seller "O castelo das sete portas" é campeão de vendas.

Aprenda a se amar - “Nós, educadores, trabalhamos com transformação de vida. Nossa missão é essa. Talvez nunca um aluno volte para você e agradeça seu trabalho. Mas saiba você foi capaz de fazer a diferença na vida dele, e aí reside o seu valor, você está dando frutos, e dar frutos é ser humano”, comentou. Mas aprender a como lidar o outro não é algo que se aprende em universidade. “Temos que aprender além do quadro negro, temos que aprender a nos relacionar. E a relação com o outro tem um segredo. Você só consegue acolher o aluno, se você amar seu aluno. E isso só acontece se você se amar primeiro”, ensinou o educador. “Nós, professores, temos que ser afetivos, temos que criar vínculo com o aluno. Mas repito: você só vai conseguir dar frutos, fazer o trabalho acontecer se primeiro investir em você. Muitas crianças sofrem demais em casa e o professor é a última chance de serem amadas. Então, ame-se para poder amá-las”, aconselhou.

Clique aqui e ouça matérias de rádio sobre as palestras de Alexandre Amaral e Marcos Meier

Clique aqui e confira tudo o que aconteceu no Encontro dos Educadores do Cooperjovem

{vsig}2021/noticias/10/15/cooperjovem_II/{/vsig}

COMPLIANCE EXPERIENCE: Marcelo Zenkner vai falar sobre como conciliar integridade com práticas de compliance, cultura organizacional e políticas ESG

O doutor em Direito Público, Marcelo Zenkner, será um dos palestrantes do Compliance Experience, evento que o Sistema Ocepar promove, por meio do Sescoop/PR, no dia 19 de outubro, pela plataforma YouTube. Ele vai discorrer sobre o tema “Como integrar um sistema de integridade com práticas de compliance, cultura organizacional e políticas ESG”, a partir das 15h10.

Sobre o palestrante - Zenkner é sócio do escritório TozziniFreire Advogados, de São Paulo, e professor da Faculdade de Direito de Vitória (FDV) nos cursos de pós-graduação. Ex-diretor de Governança e Conformidade da Petrobras, foi promotor de Justiça do Estado do Espírito Santo e secretário de Controle e Transparência do Estado do Espírito Santo. Sócio-fundador do Instituto Igido, é mestre em Direitos e Garantias Fundamentais pela Faculdade de Direito de Vitória (FDV) e doutor em Direito Público pela Universidade Nova de Lisboa (Portugal), além de membro do Conselho Consultivo de Ações Coletivas da Rede Brasil do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU).

Segunda temporada - Esta é a segunda temporada do Compliance Experience, realizado inicialmente em 2020 e que visa contribuir para a sustentabilidade das cooperativas paranaenses. A ideia desta edição é destacar as melhores práticas e os desa­fios enfrentados pelas organizações nos processos de integridade e conformidade, em relação à gestão de riscos, cultura de compliance e agenda ESG.

 

Mais - A programação contempla ainda a apresentação de palestra com Isabel Franco, que vai tratar sobre “Como as práticas de compliance e risco serão fortalecidas com a agenda ESG: vantagem competitiva ou sobrevivência”, às 16h.  

Inscrição - O evento inicia às 15h e é destinado a profissionais das cooperativas do Paraná. Clique aqui para se inscrever. O link de acesso será enviado por e-mail pelo Sescoop/PR até o dia 18 de outubro. Mais informações com Alfredo Kugeratski Souza (41 3200-1144 alfredo.souza@sistemaocepar.coop.br).

 

gestao folder 15 09 2021

COMÉRCIO INTERNACIONAL: Cooperativas do PR interessadas em se reunir com adidos agrícolas devem se inscrever até esta sexta

mercado internacional 15 10 2021As cooperativas paranaenses que têm interesse em estabelecer contato com adidos agrícolas brasileiros lotados em diferentes países para prospectar negócios no exterior têm até esta sexta-feira (15/10) para se manifestar. As inscrições devem ser feitas diretamente por meio do Sistema Ocepar. Basta encaminhar uma solicitação de participação por e-mail ou WhatsApp para a analista de Desenvolvimento Técnico, da área de Mercado Internacional, Carolina Teodoro (41 99647-5522 / carolina.teodoro@sistemaocepar.coop.br). As datas e os horários das reuniões ainda estão sendo definidos pelas organizações realizadoras.

Adidos - Foram sugeridos encontros com os seguintes adidos:

África do Sul - Jesulindo Nery

Arábia Saudita – Marcel Moreira

Argentina – Priscila Moser

Austrália – Daniela Aviani

Bélgica/União Europeia - Guilherme Costa

Canadá – Paulo Marcio Araujo

China – Jean Cury e Fábio Coelho

Coreia do Sul – Gutemberg Barone

Egito – Cesar Simas Teles

EUA – Filipe Guerra Sathler

Índia - Dalci Bagolin

Indonésia - Gustavo Bracale

Japão – Ricardo Maehara

Marrocos – Nilson Guimarães

México – Bivanilda Tápias

Rússia – Rafael Requião

Singapura – Leandro Antunes

Tailândia – Maria Eduarda Machado

Vietnã – Tiago Charão

Evento virtual - As cooperativas poderão falar com eles durante a 3ª Reunião com Adidos Agrícolas Brasileiros, que será realizada virtualmente, de 18 a 29 de outubro, numa iniciativa da Apex Brasil, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Ministério das Relações Exteriores. De acordo com os organizadores, o evento é exclusivo para as entidades setoriais e tem como objetivo alinhar informações acerca de ações de inserção internacional do agronegócio brasileiro, promovendo discussões sobre sustentabilidade, bioeconomia, temas técnicos, sanitários e fitossanitários, de negociação comercial, além de propiciar rodadas de conversas dos adidos com o setor privado.

Participação - O Sistema Ocepar participa da reunião, por intermédio do Sistema OCB, e irá promover os encontros com os adidos agrícolas com o intuito de fortalecer a imagem das cooperativas no exterior e identificar as possibilidades de ampliação das exportações do setor.

Mais informações - Para mais informações sobre o evento, acesse o site oficial: https://brazilbusinessmatch.mbmapp.com/event/3encontroadidosagricolas2021.

 

GETEC: Confira o boletim semanal da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar

getec coordenacao parlamentar 15 10 2021A Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar, vinculada à Gerência de Desenvolvimento Técnico (Getec) e sob a responsabilidade da advogada Daniely Andressa da Silva, publicou, nesta sexta-feira (15/10), o Informe Semanal referente à semana de 11 a 15 de outubro. O setor foi criado neste ano com o propósito de fazer o acompanhamento das matérias de interesse do cooperativismo em discussão, tanto no Congresso Nacional como na Assembleia Legislativa do Paraná, e das leis publicadas no âmbito do executivo (federal, estadual e municipal), além de outros temas vinculados às áreas de atuação das cooperativas do Paraná.

Reforma tributária - O boletim desta semana começa informando que a PEC 110/2019 deve ser votada pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado, após a apresentação do relatório feita pelo senador Roberto Rocha. O senador deixou de incluir no documento a Emenda nº 8, que assegura a manutenção do adequado tratamento tributário ao ato cooperativo e o justo tratamento às operações entre cooperativas e cooperados. Neste sentido, a Ocepar, em conjunto com a OCB, tem atuado para a mobilização das cooperativas e a sensibilização dos parlamentares do Paraná na defesa da inclusão da Emenda nº 8 no texto final da PEC. Mais detalhes sobre a campanha estão disponíveis em www.reformatributaria.coop.br.

ICMS sobre combustíveis - Outro destaque é a aprovação, pela Câmara dos Deputados, do projeto de lei que altera o cálculo do ICMS sobre os combustíveis. O texto propõe que o imposto seja calculado a partir de alíquota definida anualmente, considerando a unidade de medida (litro) e não mais o valor da mercadoria, além de observar o preço médio dos combustíveis nos últimos dois anos. O objetivo da proposta é simplificar a tributação sobre os combustíveis e garantir maior estabilidade aos preços praticados. O projeto segue para análise pelo Senado Federal.

Créditos de descarbonização - Ainda na Câmara, a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural promoveu audiência pública para debater a distribuição dos créditos de descabonização, objeto do PL 3.149/2020. A proposta permite que o produtor rural que fornece matéria-prima para a produção de biocombustível participe da receita gerada pela negociação dos créditos CBIO, título comercializado junto a distribuidoras de combustível fóssil para o cumprimento das metas de redução da emissão de gases do efeito estufa.

Alep - Em âmbito estadual, a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) aprovou o PL 459/2019, que cria o banco de dados de veículos licenciados no Estado do Paraná. O Detran/PR deverá disponibilizar, em seu site, histórico de informações sobre veículos, tais como: registro de furto ou roubo, adulteração veicular, bloqueios administrativos ou judiciais, dentre outros sinistros. A medida visa assegurar transparência e segurança às transações de veículos usados, evitando fraudes e adulterações.

5G - Também começou a tramitar na Alep, o projeto de lei nº 559/2021, de autoria dos deputados estaduais Luiz Claudio Romanelli e Emerson Bacil, que institui o programa de estímulo à implantação das tecnologias de conectividade móvel no Estado do Paraná. O objetivo da proposta é promover um ambiente favorável à economia digital e ao desenvolvimento econômico do Paraná, estimulando o debate sobre a tecnologia 5G e a modernização das legislações locais para a infraestrutura de telecomunicação. A formalização do projeto de lei se deu após a realização de audiência pública promovida pela Alep que contou com a participação do Sistema Ocepar.

Clique aqui e confira na íntegra o Informe Semanal da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar

 

COVID-19: Publicados novos destaques na área destinada ao coronavírus no Portal PR Cooperativo

covid 15 10 2021A Área Covid-19 do Portal Paraná Cooperativo é atualizada toda sexta-feira com as notícias que foram destaques durante a semana no Informe Paraná Cooperativo e na Rádio Paraná Cooperativo. Lá, é possível acessar também os comunicados do Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. Há ainda uma seção de perguntas e respostas, com esclarecimentos relativos à pandemia. Clique aqui e confira.

 

REFORMA TRIBUTÁRIA: Cooperativas mobilizadas pelo Ato Cooperativo

reforma tributaria I 15 10 2021A Reforma Tributária que está prestes a ser votada no Congresso Nacional amplia a possibilidade de desenvolvimento do país, pois tem como objetivo a modernização e simplificação do Sistema Tributário Nacional. Mas além disso, para o cooperativismo, a reforma representa uma grande oportunidade para definição do Ato Cooperativo.

Papel fundamental - As cooperativas têm um papel fundamental na economia nacional e suas características únicas precisam ser consideradas pela proposta. Sem a definição do Ato Cooperativo no texto da PEC 110/2019, que está prestes a ser votada no Senado Federal, as cooperativas e seus cooperados correm o risco de vir a sofrer com uma tributação injusta.

Mobilização - Para evitar que isso aconteça, é preciso que todo o movimento cooperativista se mobilize para que o senador Roberto Rocha, relator da PEC 110, inclua a Emenda n° 8 em seu parecer, garantindo assim o adequado tratamento tributário ao Ato Cooperativo.

Campanha - O Sistema OCB criou a campanha "Reforma Tributária Justa é a que define o Ato Cooperativo", buscando sensibilizar os parlamentares por meio das redes sociais. Senadores e deputados estão cada vez mais ativos nesses espaços digitais e também têm levado em consideração o "barulho" feito nas redes na hora de votarem termas relevantes. Por essa razão uma estratégia de mobilização de redes se faz necessária nesse momento.

Site - No site www.reformatributaria.coop.br, as cooperativas e Unidades Estaduais encontram as informações e materiais necessários para impulsionarem a mobilização em suas redes. É preciso intensificar os pedidos junto aos senadores de todos os estados para que a Emenda 8 seja incluída na proposta a ser votada.

Pressão - Com a retomada do debate em torno da Reforma Tributária, é preciso que as cooperativas estejam organizadas e intensifiquem a pressão pra que a legislação tributária acate as especificidades do nosso modelo de negócios e não ocorra injustiça tributária. (OCB)

 

COOPERATIVISMO: Panorama Coop traz análises da semana sobre os principais fatos de interesse do setor

cooperativismo 15 10 2021Desde março de 2020, o Sistema OCB publica, semanalmente, análises sobre vários temas e seus impactos para as cooperativas. São informações que tratam de política, economia, reforma tributária, pleitos do cooperativismo em tramitação no Congresso Nacional, normativos e medidas tributárias publicadas pelo governo. Neste ano, essas análises passaram a ser divulgadas por meio do Panorama Coop, uma newsletter atualizada todas as quintas-feiras. Veja abaixo os destaques desta semana.

Análise econômica - A primeira análise econômica de outubro mostra como a transformação digital já é realidade em um dos setores mais tradicionais do país: o financeiro. A digitalização das operações financeiras foi impulsionada pela pandemia e pela chegada do PIX - que contou com 973 milhões de transações realizadas só em agosto de 2021. Além disso, o número de fintechs brasileiras cresceu sete vezes nos últimos 5 anos, saindo dos cerca de 100 negócios em 2015 para mais de 750 em meados de 2020. E as cooperativas de crédito não ficam atrás quando o assunto é inovação! Confira nesta edição o nítido crescimento do coop de crédito brasileiro e saiba como as instituições estão tentando lidar com a demanda por um setor financeiro cada vez mais atrelado às pautas ambientais.

Acesse a Análise Econômica

Clique aqui e acesse todas as análises anteriores

Ato cooperativo - Nesta semana começamos a nossa mobilização com senadores e nas redes sociais pela inclusão da Emenda 8, sobre o adequado tratamento tributário ao Ato Cooperativo, na Reforma Tributária. Acesse www.reformatributaria.coop.br e participe desse movimento! No site estão nossas ações e materiais exclusivos para download e compartilhamento. Somos 17 milhões de cooperados prontos para defender nosso modelo de negócios! Por isso, use a #ATOCOOPERATIVONAPEC110. Contamos com o apoio das nossas unidades estaduais, cooperativas e cooperados para entrarem em contato com os parlamentares e reafirmarem a importância do cooperativismo para o país!

Clique aqui e acesse todas as análises anteriores

Reforma tributária - A Reforma Tributária que está prestes a ser votada no Congresso Nacional amplia a possibilidade de desenvolvimento do país, pois tem como objetivo a modernização e simplificação do Sistema Tributário Nacional. Mas além disso, para o cooperativismo, a reforma representa uma grande oportunidade para definição do Ato Cooperativo.

Leia mais!

Diretor da Frencoop defende segurança jurídica para irrigação - Engenheiro agrônomo e professor universitário, o deputado federal Zé Vitor (MG) é natural de Araguari, no Triângulo Mineiro – tradicional região produtora de cereais, hortaliças, cana-de-açúcar, leite e café – e tem dedicado o seu primeiro mandato parlamentar ao desenvolvimento sustentável.

Confira!

Agro Fraterno: coops cuidando dos brasileiros - Quando o assunto é cuidar das pessoas, nada melhor do que as cooperativas, constituídas por gente de todos os cantos e que colocam a mão na massa todos os dias. E uma das provas disso é o resultado parcial do movimento Agro Fraterno, no que diz respeito à contribuição das coops. Até a tarde desta quarta-feira (06/10), elas doaram, de forma direta, praticamente 382 mil cestas básicas, num valor estimado de R$ 28,9 milhões, beneficiando cerca de 1,6 milhão de pessoas.

Leia mais!

Clique aqui e confira o Panorama Coop em versão digital

 

SICREDI UNIÃO PR/SP I: Cooperativa participa do Agrobit Brasil Evolution

A Sicredi União PR/SP é parceira do Agrobit Brasil Evolution, um dos grandes eventos com foco em inovação para o agronegócio realizado no país. Esta é a quarta edição – sendo duas presenciais, com o nome Agrobit Brasil, e agora será a segunda virtual, denominada Agrobit Brasil Evolution – e desde a primeira delas a cooperativa apoia e incentiva a realização do evento, que tem como objetivo principal discutir o potencial transformador das inovações e tecnologias em Agricultura. Este ano, o Agrobit será nos dias 9 e 10 de novembro, no formato Virtual Experience, das 8h30 às 18 horas.

Bureau Verde - Dentro da programação, o gerente de Desenvolvimento do Agronegócio da cooperativa, Vitor Pasquini, participa como palestrante no dia 10 de novembro, às 15 horas. O tema será Bureau Verde e o Futuro do Crédito Rural.

Sustentabilidade - O Bureau Verde foi anunciado, recentemente, pelo Banco Central. A regulamentação, que foi objeto da consulta pública nº 82/2021, estabelece critérios de sustentabilidade aplicáveis na concessão do crédito e, também, a classificação de empreendimentos dentro destes parâmetros, sendo: empreendimentos que não poderão ser financiados com crédito rural (ex.: Imóveis onde houve desmatamento ilegal; autuação por trabalho análogo à escravidão etc.); empreendimentos que poderão ser financiados com crédito rural, mas que configuram risco socioambiental (ex.: Imóveis com embargos de sobreposição, etc.);e empreendimentos financiados com crédito rural que poderão ser classificação de operação sustentável (ex.: Agricultura de Baixo Carbono; outorga de Água; utilização de energia renovável, etc).

Realização - A realização do Agrobit é da Sociedade Rural do Paraná, Sebrae, FB Group - Eventos e Agro Valley Londrina. E tem várias instituições importantes de todo o Brasil como apoiadora, entre elas a Sicredi União PR/SP.

Imersão - A intensa programação contém conteúdo exclusivo de palestras de alto nível, distribuídas em três arenas simultâneas - AgroFuturo, AgroBIT Carreira e SmartFarm Mapa Conecta", explica a coordenadora geral do AgroBIT Brasil Evolution, Daiana Bisognin Lopes. Estão em discussão as agroinovações aplicadas ao dia a dia do produtor rural com imersão na jornada que inicia no manejo do solo passando pelas culturas, aplicação de defensivos, controle biológico, irrigação, genética, colheita, armazenamento, logística, rastreabilidade, marketplace, exportações e outros temas importantes como Bureau Verde, ESG, Sucessão familiar, foodtech, cooperativismo entre outros, explica Daiana.

Desafios - Para a Sicredi União PR/SP, o apoio ao Agrobit vem ao encontro de um de seus desafios, que é levar tecnologia acessível a seus associados. “Eventos como esse ajudam a levar informação e inovação para o campo“, comenta o presidente da cooperativa, Wellington Ferreira, lembrando que a Sicredi União PR/SP integra a Cocriagro -, hub de inovação âncora do parque tecnológico SRP Valley, em Londrina, e também a AgTech Garage, em Piracicaba. O Agrobit Evolution será virtual. Mais informações estão disponíveis no endereço eletrônico https://www.agrobitbrasil.com.br/, onde também os interessados devem ser inscrever. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SICREDI UNIÃO PR/SP II: Agências oferecem atendimento em Libras

sicredi uniao II 15 10 2021Com o objetivo de facilitar o acesso à informação e promover inclusão, a Sicredi União PR/SP está implantando atendimento em Libras (Língua Brasileira de Sinais). O projeto “Conexões” está funcionando nas agências de Maringá (PR) e, gradativamente, alcançará todas as cidades da área de atuação da cooperativa, que conta com 111 agências em mais de 80 municípios do Paraná e São Paulo.

Profissional fluente - Os associados surdos têm à disposição um profissional fluente em Libras que atua como intérprete, tanto no atendimento na agência quanto a distância, como explica o Assistente de Relacionamento da Sicredi União PR/SP, Bruno Adriano de Oliveira Lins, que é professor e tradutor intérprete de Libras.

Inclusão financeira - “A proposta da Sicredi União PR/SP é promover inclusão financeira. A falta de informações e acessibilidade que esse público enfrenta é grande, e geralmente os surdos ficam dependentes de um familiar ou amigo para ajudá-los. Agora eles podem ter independência nas escolhas e decisões. As agências de Maringá estão adesivadas, indicando o local para atendimento em Libras, e quando o associado ou alguém que busca informações chega à agência, é conectado por uma videochamada. Fazemos o atendimento direto na língua e toda a intermediação junto à agência”, detalha.

WhatsApp - Os associados surdos também podem ser atendidos em Libras via WhatsApp. “É possível acessar o WhatsApp da cooperativa, escolher a opção Libras e realizar o atendimento via videochamada”, destaca Lins.

Igualdade - O assistente de Serviços Compartilhados da Sicredi União PR/SP, Luiz Henrique Zani Gongora, que é surdo, trabalha na cooperativa há 14 anos. Para ele, a iniciativa promove igualdade e valorização das pessoas surdas. “Comecei a trabalhar na Sicredi por influência da minha mãe, que no início me ajudou a entender sobre a área financeira. Sempre perguntava se conseguiria me dar bem trabalhando nesse setor. Há alguns anos, a Sicredi começou a implantar Libras nas palestras e eventos, e isso foi abrindo barreiras. Hoje saber que o associado surdo pode criar a própria conta, ter acessibilidade e entender tudo isso é maravilhoso. O acesso em Libras é importante, porque com a tradução é possível me ver como igual, entender meu pensamento e o que estou falando”, reforça Gongora.

Modalidade - Libras é uma língua de modalidade gestual-visual reconhecida como meio legal de comunicação e expressão dos surdos desde 2002, pela Lei nº 10.436. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a comunidade surda tem população de aproximadamente 10 milhões de pessoas.

Objetivo - O objetivo é que, futuramente, a Sicredi União PR/SP implante também atendimento em outros idiomas para atender os imigrantes que vivem nas cidades da área de abrangência da cooperativa. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

COPACOL: Supermercados entregam pão rosa aos clientes

Quando o mês de outubro chega, o que vem junto com ele é a campanha mundial visando alertar sobre a importância da prevenção contra o câncer de mama. São várias as ações realizadas pelas mais diversas áreas, e acompanhando esse movimento há anos, é que o Copacol Supermercados também “veste essa camisa”.

Pão - Neste ano, além das lojas estarem “vestidas” de rosa, com cartazes de oferta e sacolinhas em que os clientes levam as suas compras na cor símbolo da ação, há a novidade também do pão rosa.

Campanha - “Diariamente recebemos clientes em nossa padaria para comprar o tradicional e popular pão francês, que já faz parte da rotina de muitas pessoas. Diante disso, fizemos o pão rosa para reforçar a campanha e lembrar que assim como esse alimento faz parte do nosso dia a dia, o autocuidado também precisa ser diário. Queremos fazer a nossa parte e cooperar com os nossos clientes lembrando que a prevenção é o melhor caminho na luta contra o câncer de mama”, explica a analista de marketing da Cooperativa, Aline Moretto.

Importância - A cliente e colaboradora da Copacol, Janete Scherbach da Silva, já levou o pãozinho para casa. “Achei muito legal essa ação da cooperativa reforçando a importância do cuidado que devemos ter com a nossa saúde. Faço anualmente os meus exames e acredito que a prevenção é a melhor solução”, comenta.

Quartas-feiras - O pão rosa é produzido e entregue sempre às quartas-feiras. (Imprensa Copacol)

{vsig}2021/noticias/10/15/copacol/{/vsig}

COOPAVEL: “Quem se ama, se cuida”; palestra motiva à saúde e qualidade de vida

coopavel 15 10 2021“As pessoas precisam refletir e fazer uma mudança. Estamos muito focados no problema e na doença, mas para que tenhamos mais alegrias e qualidade de vida é fundamental focar na saúde”. Essa foi uma das mensagens da psicóloga Néri Mariussi durante a palestra “Quem se ama, se cuida”, uma das atividades organizadas pelo setor de Saúde do Trabalho da Coopavel neste mês dentro da programação oficial do Outubro Rosa.

Participação - A palestra realizada nesta semana contou com a participação de funcionárias da cooperativa que atuam nos frigoríficos de aves e suínos, nas indústrias de rações e de óleos, no moinho de trigo e também nas áreas de serviços e administração. “Ao motivar as mulheres para a vida, estamos fortalecendo a autoestima e o autocuidado, atitude indispensável para a detecção precoce de casos de câncer”, segundo Néri.

Menos risco - A psicóloga afirmou que quando a mulher está bem consigo mesma e com sua autoestima elevada ela se cuida e reduz riscos de incidências de doenças e de outros problemas. “Mas, caso surja qualquer situação diferente, então ela terá grandes chances de tratamento com cura, porque a detecção ocorrerá rapidamente”.

Iniciativa - Néri Mariussi parabenizou a Coopavel pela iniciativa: “Atitudes como essa são importantes porque valorizam os colaboradores e fazem com que eles, ao se cuidar, tenham mais qualidade de vida e consequentemente melhorem a sua produtividade e resultados. Todos ganham com parcerias tão saudáveis”, de acordo com a psicóloga, que disse se sentir honrada com o convite de pela primeira vez atuar com o setor de Medicina do Trabalho da cooperativa.

Prevenção - As ações do Outubro Rosa são tradicionais na história da Coopavel. “As orientações ocorrem o ano todo, mas em outubro são intensificadas e os resultados têm sido muito bons”, observa a enfermeira do Trabalho Giane Quinhones Dalla Costa. A prevenção ao câncer se mostra ainda mais urgente e determinante diante dos números mundiais da doença, conforme ela.

Diagnóstico - Apenas em 2020 e 2021, 2,3 milhões de mulheres descobriram que estavam com câncer de mama no mundo. Somente em 2019, 110.344 mulheres morreram vítimas da doença no País. As principais causas foram o de mama (16,4% do total de óbitos), traqueia, brônquios e pulmões (11,4%), cólon e reto (9,4%), colo do útero (6%), pâncreas (5,3%) e estômago (5%), segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer).

Fatores comportamentais - Grande parte dos casos de câncer tem ligação com fatores comportamentais, como excesso de peso, consumo de bebidas alcoólicas e inatividade física, conforme Giane. Atualmente, 7,6 milhões de pessoas morrem em decorrência de algum tipo de câncer a cada ano no planeta. Dessas, 4 milhões têm entre 30 e 69 anos, informa o Inca. (Imprensa Coopavel)

 

UNIMED CASCAVEL: Cascavel promove simpósio sobre cuidados paliativos com palestrantes e convidados de todo o Brasil

unimed cascavel 15 10 2021Cuidar é um verbo sem limites para a Unimed Cascavel. A cooperativa considera que todo paciente precisa de atenção física, emocional, social e espiritual até o último instante da vida. Este modo de encarar o cuidado é o que define a Rede de Cuidados Especiais, criada de forma pioneira no sul do Brasil em novembro de 2019.

Simpósio - Debater os cuidados paliativos de forma humanizada e sem tabus também não teve limites nem divisas no 2ª Simpósio Multidisciplinar em Cuidados Paliativos, promovido pela singular entre os dias 29 de setembro e 1º de outubro de 2021. O evento totalmente on-line reuniu profissionais de diversas áreas da saúde do norte ao sul do Brasil.

Trocas - “Foram três dias de grandes de trocas de experiências, com aulas sensacionais de profissionais renomados. Os temas atuais trouxeram grande reflexão sobre o cuidado e o amor ofertados por equipes multidisciplinares, em que cada profissional cuida um pouquinho para que, no fim das contas, o paciente tenha a experiência do cuidado total: físico, emocional, social e espiritual. Esse carinho nos impulsiona a já pensar na programação do próximo simpósio”, adianta Celenir Teló, coordenadora da Rede de Cuidados Especiais.

Conexão - As palestras conectaram os participantes ao Jeito de Cuidar Unimed Cascavel, norteado pela empatia e pelo respeito dedicado à cada história de vida, com todas as suas particularidades. Nas três noites, o simpósio aprofundou temas que fazem parte da rotina de atendimento aos pacientes com doenças crônicas, progressivas e ameaçadoras à vida.

Palestras - Os convidados a compartilhar conhecimento foram escolhidos com base na experiência de atuação na área de Cuidados Paliativos, bem como visando formar um amplo leque de temas, incluindo a atenção quanto às dores e sofrimentos dos pacientes e familiares, às particularidades espirituais de cada caso e os benefícios dos tratamentos estéticos para o bem-estar físico e emocional dos atendidos.

• Juliano Maximiano David - Médico paliativista da Rede de Cuidados Continuados da Unimed Cascavel, Juliano faz parte do quadro médico da Cooperativa desde 2015. Ele apresentou em detalhes a estrutura e o modo de funcionamento da RCC.

• Douglas Crispim - Médico geriatra com formação pela Santa Casa de São Paulo, Douglas Crispim é doutor pela USP em Cuidados Paliativos. Crispim é médico assistente do Núcleo de Cuidados Paliativos do Hospital das Clínicas da USP e atual presidente da Academia Nacional de Cuidados Paliativos, além de diretor-técnico da Associação Sênior de Apoio à Saúde e fundador do Instituto Brasileiro de Comunicação em Saúde.

• Leonardo Giovani de Jesus - Anestesiologia, membro da Sociedade Brasileira do Estudo da Dor, fundador da Sociedade Brasileira de Regeneração Tecidual e da Associação Brasileira de Pesquisa em Medicina Regenerativa e membro da Sociedade Brasileira de Médicos Intervencionistas em Dor.

• Juana Lomes - Nutricionista clínica e paliativista, Juana tem experiência em hospital de alta complexidade, na assistência a pacientes oncológicos e em cuidados paliativos. É consultora na área de Nutrição em Cuidados Paliativos, acompanha pacientes em domicilio e presta orientações continuadas a profissionais da saúde na área de Cuidados Paliativos.

• Flávia Firmino - Enfermeira oncologista do Instituto Nacional de Câncer (Inca) e doutora pela USP. Atua, ensina e pesquisa na área de Cuidados Paliativos Oncológicos, incluindo área clínica e histórica.

• Alexandre Silva - Doutor em Enfermagem pela Universidade Federal de Minas Gerais e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa. Alexandre é membro e pesquisador do grupo de estudo e pesquisa em Cuidados Paliativos da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz.

• Marina Mota - Psicóloga pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), com aperfeiçoamento avançado em Cuidados Paliativos, Comunicação Difícil em Saúde e Coordenação da Psicologia Hospitalar. Marina coordena a área de Psicologia da Rede de Cuidados Continuados da Unimed Cascavel.

• Mauro Bonatto - Formado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), com mestrado em Doenças do Intestino Delgado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

• Reverendo Guinter Alencastro - Formado em Teologia, o reverendo Guinter também atua como capelão e é pós-graduado em Humanização e Cuidados Paliativos. Atualmente, cursa pós-graduação em Capelania.

• Vanessa Monteiro - Bacharel em Estética e Cosmética pela Universidade Anhembi Morumbi (SP), Vanessa é especialista em Cuidados Paliativos pelo Instituto de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (SP). Tem formação Internacional em Drenagem Linfática - LEDUC (Bruxelas-Bélgica) e é autora do livro "Estética Paliativa e Humanizada", bem como criadora do método de Estética Paliativa e fundadora do Instituto Vitallis.

Gratidão - “Gratidão pela oportunidade de assistir a grandes palestras. Com certeza farão a diferença nos meus atendimentos como farmacêutica acupunturista na Rede Feminina de Combate ao Câncer em Santa Catarina”, elogiou a participante Rúbia Andrade.

Excelência - “De acordo com a atualização da Organização Mundial de Saúde, o cuidado paliativo é uma abordagem que melhora a qualidade de vida dos pacientes e de seus familiares que enfrentam doenças que ameaçam a vida, prevenindo e aliviando o sofrimento por meio do diagnóstico precoce, da avaliação correta e do manejo da dor ou de outros problemas físicos, psicossociais e espirituais. Esses cuidados somente são possíveis graças a uma equipe multidisciplinar e interdisciplinar trabalhando em harmonia, buscando o conforto dos pacientes e dos familiares deles. O 2º simpósio da Unimed buscou oferecer os melhores conhecimentos para os participantes, com palestrantes altamente qualificados e com grande experiência no assunto. As palestras foram de grande valia, abordando temas atuais nos cuidados paliativos e oferecendo o melhor conhecimento técnico. Tenho certeza de que tudo isso fará a diferença no modo como cada profissional atua diariamente no cuidado de seus pacientes”, elogiou Juliano Maximiano David, médico paliativista da RCC e palestrante do simpósio.

Cuidado sem medida - “A gente, que busca sempre tratar o paciente em uma busca pela cura, nem sempre tem essa noção tão clara e aprimorada do que pode ser feito no cuidado enquanto a vida está se finalizando. Achei muito interessantes todos os assuntos, afinal, quem não gosta de uma massagem? Quem não gosta de um carinho? Quem não gosta de alguém para escutar? Oferecer esses cuidados e ainda conseguir minimizar o sofrimento é muito importante. Fiquei muito feliz pelo fato da Unimed Cascavel poder ter transmitido esse conhecimento para tanta gente. É um amor que vai muito além de um contrato para a prestação de serviço na área da saúde”, avaliou a média Karin Erdmann, conselheira de Medicina Preventiva e Atenção Integral à Saúde da Unimed Cascavel.

Orgulho - “Foram muitas alegrias envolvidas neste simpósio, mas eu destaco quatro delas: a primeira foi a possibilidade de realizá-lo, ainda que de forma on-line, pois ainda estamos diante desta pandemia que tem custado tanto a nos devolver a rotina. A segunda foi poder reforçar um projeto em que a Unimed Cascavel é referência no sul do Brasil, pois a RCC da Unimed Cascavel é a pioneira nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. A terceira foi a qualidade dos nossos convidados, que certamente garantiram o alto nível de compreensão do tema. E a quarta foi a alegria por constatar os mais de 300 inscritos no simpósio. Tudo isso nos leva à grata conclusão de que a importância dos cuidados continuados foi assimilada e representa um importante diferencial do nosso Jeito de Cuidar”, concluiu o médico Luiz Sérgio Fettback, diretor-presidente da Unimed Cascavel. (Imprensa Unimed Cascavel)

 

UNIMED CURITIBA: Qual a importância do brincar no desenvolvimento das crianças?

Nesta sexta-feira (15/10), acontece mais uma edição especial do Diálogo Saudável – um sucesso de público da Unimed Curitiba. A partir das 11h, a cooperativa faz uma transmissão ao vivo com Antonio Carlos de Farias, médico cooperado especialista em neuropediatria e mestre e doutor em neurociências, e o tema será “Cuidado com os Outros - a importância do brincar para o desenvolvimento das crianças”. A jornalista Mira Graçano conduzirá o bate-papo diretamente do ambiente lúdico da sede da Acoolher, a unidade exclusiva da Unimed Curitiba terapias pediátricas especiais.

Crescimento aprendizagem - Você sabia que as brincadeiras ajudam as crianças a crescer e tornam a aprendizagem mais significativa? E que quanto mais lúdicas, prazerosas e afetuosas forem as experiências vivenciadas por elas, melhor será seu progresso? Essas e outras questões devem ser abordadas pelo especialista convidado que responderá dúvidas encaminhadas durante a live. Para participar é só interagir pelo chat da transmissão e as primeiras 65 pessoas que comentarem com a palavra QUERO no chat vão ganhar o livro “Brincar para aprender – A neurociência e a psicopedagogia no processo de aprendizagem”, do qual o Antonio Carlos de Farias é um dos autores.

Transmissão - A conversa será transmitida pela fanpage da Unimed Curitiba no Facebook, cumprindo seu propósito de abrir um canal de diálogo, aproximar as pessoas dos médicos e tratar de assuntos que são relevantes para o dia a dia de uma forma didática e divertida. Além do bate-papo com as especialistas, o público terá acesso ao e-book Brincando em Casa com dicas de atividades para pais e filhos (https://bit.ly/3ukOfYO) e uma playlist especial de músicas no Spotify para ouvir sempre que quiser cuidar dos outros (https://spoti.fi/3tGfhta).

Facebook - Assista em www.facebook/UnimedCuritiba. Essa ação online gratuita finaliza a campanha “Mês do Cliente” que, durante quatro semanas, disponibilizou conteúdos gratuitos para o público em geral em comemoração ao dia do cliente.

SERVIÇO

Diálogo Saudável ao vivo com Antonio Carlos de Farias

Tema: Cuidado com os Outros - a importância do brincar para o desenvolvimento das crianças

Data: 15/10/2021 (sexta-feira)

Horário: às 11h

Sobre a Unimed Curitiba - A Unimed Curitiba é a maior operadora de plano de saúde do Paraná e está entre as maiores do Sistema Unimed. Fundada em 1971, completou 50 anos em agosto de 2021 com mais de 4.600 médicos cooperados de diferentes especialidades, que atendem 551 mil clientes junto a 1.600 colaboradores. Compondo a maior rede credenciada do estado com 54 hospitais, 245 clínicas e 91 laboratórios, sendo 20 deles próprios (Unimed Laboratório) e três bancos de sangue. A cooperativa conta com diversos canais de atendimento remoto e 19 unidades de atendimento presenciais distribuídas em Curitiba e municípios da Região Metropolitana.

Top of Mind - A marca Unimed é Top of Mind 26 vezes ininterruptas, pelo Prêmio World Branding Awards que anualmente reconhece as principais marcas do mundo, e é também a única marca brasileira eleita na categoria Planos de Saúde pelo National Award. Já a Unimed Curitiba, é reconhecida pela Great Place to Work (GPTW) como uma das melhores empresas para se trabalhar no Paraná, considerado o 9º maior plano de saúde na edição 2020 do Prêmio Valor 1000, está na 59ª colocação entre as 500 maiores do Sul e a 23ª posição entre as 100 maiores do Paraná segundo o levantamento de 2020 do projeto do Grupo Amanhã, o mais importante ranking regional do Brasil. Saiba mais em unimedcuritiba.com.br ou acesse as redes da cooperativa no Facebook, Instagram e LinkedIn. (Imprensa Unimed Curitiba)

 

unimed curitiba 16 10 2021

VBP: Valor Bruto da Produção Agropecuária de 2021 está estimado em R$ 1,10 trilhão

vbp 15 10 2021O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2021, estimado com base nas informações de setembro, atingiu R$ 1,103 trilhão. O número representa um crescimento de 10% em relação ao valor de 2020, que foi de R$ 1,0 trilhão.

Valor - O valor das lavouras cresceu 12%, e a pecuária, 6,1%. Decompondo-se o VBP, verifica-se que as lavouras respondem por 67,7%, e a pecuária por 32,3%. As maiores contribuições para obter esse resultado vieram de soja, milho, cana-de- açúcar, carne bovina e carne de frango. Juntos, sua contribuição foi de 72,4%.

Recordes - Os recordes de valor, obtidos em uma série de 32 anos, foram observados em algodão (R$ 29,8 bilhões), milho (R$ 121,6 bilhões), soja (R$ 360,3 bilhões) e trigo (R$ 12,8 bilhões). Na pecuária, os recordes foram obtidos em carne bovina e carne de frango.

Contribuições negativas - Contribuições negativas ao VBP foram observadas em amendoim, banana, batata inglesa, cacau, café, feijão, laranja, tomate, mandioca e uva. Esse comportamento teve impacto expressivo no resultado final do VBP.

Clima - Os resultados do VBP deste ano carregam os efeitos de impactos climáticos ocorridos em 2020 e 2021.Falta de chuvas, secas e geadas afetaram produtos relevantes como milho de segunda safra, café, feijão e outros. Entretanto, as boas condições do mercado internacional, e os preços internos favoráveis, têm sido os principais fatores de crescimento do agronegócio em 2021. Quanto aos preços, podem-se destacar fortes elevações neste ano em algodão em caroço (27,4%), café arábica (22,2 %), cana -de-açúcar (10,0 %), milho (27,1%), soja (16,4%) e trigo (5,0%).

Resultados regionais - Os resultados regionais mostram a liderança do Centro-Oeste no faturamento neste ano, R$ 362, 87 bilhões, Sul R$ 309,2 bilhões, Sudeste R$ 250,9 bilhões, Nordeste R$ 98,3 bilhões e Norte 70,0 bilhões.

O que é VBP - O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. Calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil.

Índice - O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas. A periodicidade é mensal com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês. (Mapa)

>> Resumo VBP

>> VBP completo

>> VBP regional

>> Quadro geral

 

FOTO: iStock

 

vbpoutubro

7cd51e27-fae4-4dac-88a6-6fe1a984ca2f

 

 

BC: Atividade econômica cai 0,15% em agosto, diz Banco Central

A atividade econômica brasileira teve variação negativa em agosto deste ano, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (15/10) pelo Banco Central (BC). O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou queda de 0,15% em agosto de 2021 em relação ao mês anterior, de acordo com os dados dessazonalizados (ajustados para o período), chegando a 139,23 pontos.

Agosto - Na comparação com agosto de 2020, houve crescimento de 4,74% (sem ajuste para o período, já que a comparação é entre meses iguais). No ano, foi registrada alta de 6,41%. Em 12 meses encerrados em agosto, o indicador também ficou positivo, em 3,99%.

Evolução - O índice é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic, definida atualmente em 6,25% ao ano. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: a indústria, o comércio e os serviços e a agropecuária, além do volume de impostos.

PIB - Entretanto, o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No segundo trimestre deste ano, o PIB apresentou variação negativa de 0,1%. No primeiro semestre, o PIB registrou alta de 6,4% e em 12 meses, acumulou alta de 1,8%.

Queda - Em 2020, o PIB do Brasil caiu 4,1%, totalizando R$ 7,4 trilhões. Foi a maior queda anual da série do IBGE, iniciada em 1996 e que interrompeu o crescimento de três anos seguidos, de 2017 a 2019, quando o PIB acumulou alta de 4,6%. (Agência Brasil)

IPEA: Inflação de setembro é maior para as famílias de menor renda

ipea 15 10 2021O Indicador de Inflação por Faixa de Renda apontou aceleração da taxa de inflação para todas as faixas de renda no mês de setembro. O estudo foi divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), nesta sexta-feira (15/10), e revelou que a inflação foi mais acentuada para as famílias de renda muito baixa (1,30%), comparativamente à apurada no grupo de renda mais elevada (1,09%).

Habitação - O grupo de habitação foi o que mais contribuiu para a alta inflacionária das famílias dos três segmentos de renda mais baixa em setembro. Para essas famílias de renda muito baixa, os reajustes de 6,5% das tarifas de energia elétrica, de 3,9% do gás de botijão e de 1,1% dos artigos de limpeza, foram os principais responsáveis pela alta do grupo habitação. Esse aumento responde por mais da metade da inflação para o segmento.

Menor renda- O segundo segmento que mais influenciou a inflação das famílias de menor renda foi o de alimentos em domicílio, puxados especialmente pelo aumento das frutas (5,4%), das aves e ovos (4,0%) e dos leites e derivados (1,6%). Já para as três faixas de renda mais alta, assim como ocorreu em agosto, o maior impacto partiu do grupo de transportes. A alta inflacionária desse segmento foi influenciada pelos reajustes de 2,3% da gasolina, de 28,2% das passagens aéreas e de 9,2% dos transportes por aplicativo.

Diferencial - Apesar de a inflação em setembro de 2021 ter ficado acima da registrada no mesmo mês de 2020, para todas as classes de renda pesquisadas, o diferencial entre as taxas foi, novamente, maior para as famílias de renda mais alta. As deflações observadas nos planos de saúde (-2,3%) e em serviços pessoais e de recreação, como cabeleireiro (-0,37%) e hospedagem (-0,47%), impactados pelas medidas de restrição social, bem como os aumentos menos intensos em itens de maior peso da cesta de consumo, como gasolina (1,9%) e passagens aéreas (6,4%), explicam o desempenho melhor da inflação, no ano passado, nessa faixa que concentra os maiores rendimentos.

Alimentos - Já para as famílias de menor renda, apesar da alta bem mais intensa dos alimentos no domicílio em setembro de 2020, especialmente do arroz (18%), feijão (4,3%), carnes (4,5%) e óleo de soja (27,5%), o desempenho mais benevolente da energia elétrica (0,07%), do gás de botijão (1,6%), dos aluguéis (0,11%) e dos artigos de higiene (0,20%), no ano passado, explicam essa taxa de inflação mais amena.

Dados acumulados - Os dados acumulados nos últimos 12 meses revelam que, embora a pressão inflacionária tenha acelerado para todas as faixas de renda, a inflação acumulada nas famílias de renda mais baixa (11%) é 2,1 pontos percentuais maior que a registrada na classe de renda mais alta (8,9%). Para as famílias de renda muito baixa, os dados revelam que, além dos aumentos nos preços dos alimentos no domicílio, como carnes (24,9%), aves e ovos (26,3%) e leite e derivados (9,0%), os reajustes de 28,8% da energia e de 34,7% do gás de botijão explicam grande parte da alta inflacionária nos últimos 12 meses. Já para as famílias com maiores rendimentos, a inflação acumulada no período é impactada, sobretudo, pelas variações de 42,0% dos combustíveis, de 56,8% das passagens aéreas, de 14,1% dos transportes por aplicativo e de 11,5% dos aparelhos eletroeletrônicos. (Assessoria de Imprensa do Ipea)

Acesse a íntegra do indicador

 

CÂMBIO: Dólar sobe para R$ 5,51, apesar de intervenção do BC

 

cambio 15 10 2021Num dia de oscilações, o dólar subiu e a bolsa caiu, descolando-se dos mercados internacionais. A intervenção do Banco Central (BC) no câmbio não conseguiu fazer a moeda norte-americana cair. A bolsa não acompanhou a alta dos índices norte-americanos e fechou em baixa.

 

Cotação - O dólar comercial encerrou essa quinta-feira (14/10) vendido a R$ 5,516, com pequena alta de 0,13%. A cotação chegou a cair durante a manhã, após o BC leiloar US$ 1 bilhão em contratos de swap cambial, que equivale à venda de dólares no mercado futuro. No entanto, a queda perdeu força e a moeda operou em leve alta durante quase toda a tarde.

 

Alta acumulada- A divisa acumula alta de 1,28% em outubro. No ano, a valorização chega a 6,31%.

 

Ações - No mercado de ações, o dia foi parecido. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 113.185 pontos, com recuo de 0,24%. Até o início da tarde, o indicador alternou altas e baixas, mas passou a cair após as 12h. A bolsa brasileira não seguiu os índices de Nova York, que fecharam em alta superior a 1,5%, impulsionados pela divulgação do balanço de empresas norte-americanas.

 

Fatores - Dois fatores contribuíram para a instabilidade no mercado financeiro brasileiro. O primeiro são as negociações para uma eventual prorrogação do auxílio emergencial, em meio ao atraso na tramitação da reforma do Imposto de Renda e na proposta de emenda à Constituição (PEC) que parcela os precatórios.

 

ICMS - O segundo fator foi a aprovação na quarta-feira (13/10) à noite do projeto de lei que muda a cobrança do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre os combustíveis. Para os analistas de mercado, a medida deverá provocar prejuízos para os estados, dificultando o reequilíbrio das contas públicas nos governos locais. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO: Senado vai ouvir governadores sobre projeto que prevê valor fixo do ICMS sobre combustíveis

 

legislativo 15 10 2021 O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse nessa quinta-feira (14/10) que pretende ouvir os governadores antes de submeter à votação o projeto que estabelece um valor fixo para a cobrança de ICMS sobre combustíveis.

 

Aprovação - Na quarta (13/10), a Câmara aprovou o substitutivo do relator, deputado Dr. Jaziel (PL-CE), ao Projeto de Lei Complementar 11/2020, do deputado Emanuel Pinheiro Neto (PTB-MT). O texto obriga estados e Distrito Federal a especificar a alíquota para cada produto por unidade de medida adotada, que pode ser litro, quilo ou volume, e não mais sobre o valor da mercadoria. Na prática, a proposta torna o ICMS invariável frente a variações do preço do combustível ou de mudanças do câmbio.

 

Avaliação - “A Câmara dos Deputados cumpriu uma etapa própria de avaliação, agora cabe ao Senado fazer uma avaliação do projeto. Não é possível antever o que vai ser a decisão do Senado Federal em relação a esse projeto, mas, por certo, tratando-se de ICMS, que é um imposto estadual, é muito importante ouvirmos os governadores dos estados para poder fazer a avaliação do projeto. Então, nós teremos esse tempo de avaliação no Senado Federal”, disse Rodrigo Pacheco, em entrevista à imprensa.

 

Debate - O presidente do Senado destacou, ainda, que o projeto será debatido em comissões e audiências públicas.

 

Amadurecimento - “Obviamente tratando-se de um projeto que pode dar solução a um problema grave que temos no Brasil, que é o preço dos combustíveis, vamos ter boa vontade para agilizar o máximo possível, se o projeto tiver mesmo essa conotação e eficácia para resolver o preço dos combustíveis. Mas, obviamente, que há o amadurecimento próprio do projeto de lei, considerando inclusive aquilo que os governadores estão apontando, que é uma queda na arrecadação, o que interfere ali no dia a dia e na previsibilidade do orçamento dos estados. Então vamos considerar essas informações e permitir o diálogo, inclusive com os governadores dos estados e do Distrito Federal,  para que possamos ter a melhor conclusão possível. Mas temos, claro, muito boa vontade com um projeto que vem da Câmara aprovado e cujo objetivo é dar solução a um problema grave, que é o preço dos combustíveis”, concluiu Rodrigo Pacheco. (Agência Senado, com informações da Agência Câmara de Notícias)

 

FOTO: Leopoldo Silva / Agência Senado

 

SAÚDE I: Casos sobem para 21,6 milhões e mortes, para 602 mil

O total de casos de pessoas que contraíram covid-19 atingiu 21.612.237. Nas últimas 24 horas, foram registrados 14.288 novos casos da doença. Na quarta-feira (13/10), o sistema marcava 21.597.949 casos acumulados.

Acompanhamento - Ainda conforme as autoridades de saúde, há 251.541 casos em acompanhamento, de pessoas que tiveram o quadro de covid-19 confirmado.

Mortes - O total de pessoas que não resistiram à covid-19 subiu para 602.099. Entre quarta e quinta-feira (13 e 14/10), as autoridades de saúde registraram 176 novas mortes por covid-19. Na quarta-feira (14/10), o painel de informações trazia 601.574 óbitos.

Investigação - Ainda há 3.131 óbitos em investigação. Essa situação ocorre pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação da causa ainda demanda exames e procedimentos.

Atualização - As informações estão na atualização do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta quinta-feira (14/10). O balanço sistematiza as informações sobre casos e mortes levantadas pelas secretarias municipais e estaduais de saúde.

Recuperadas - Até o momento, 20.758.597 pessoas já se recuperaram da covid-19. O número corresponde a 96% das pessoas que foram infectadas pelo novo coronavírus desde o princípio da pandemia.

Estados - Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (150.938), Rio de Janeiro (67.342), Minas Gerais (55.064), Paraná (39.654) e Rio Grande do Sul (35.118).

Menos - Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.841), Amapá (1.986), Roraima (2.006), Tocantins (3.825) e Sergipe (6.020).

Vacinação - No total, até o início da noite dessa quinta-feira (14/10) o sistema do Ministério da Saúde marcava a aplicação de 250,8 milhões de doses de vacina contra a covid-19 no Brasil, sendo 150,1 milhões da 1ª dose e 100,6 milhões da 2ª dose ou dose única.

PNI - Quando considerados apenas os dados consolidados no sistema do Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde, foram aplicadas 244,2 milhões, sendo 144,9 milhões da 1ª dose e 96 milhões da 2ª dose.

Distribuição - No total, foram distribuídas 310,4 milhões de doses a estados e municípios, sendo 301 milhões entregues. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 15 10 2021

SAÚDE II: Secretaria confirma mais 1.156 casos e 52 óbitos em decorrência da Covid-19

saude II 15 10 2021A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nessa quinta-feira (14/10) mais 1.156 casos e 52 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os casos são referentes também a meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 1.526.326 casos e 39.438 óbitos pela doença.

Meses - Os casos confirmados nesta data são de outubro (707), setembro (272), agosto (85), julho (26), junho (44), maio (13), março (4), fevereiro (4) de 2021, e novembro (1) de 2020. Os óbitos são de outubro (28), setembro (1), agosto (1), julho (1), junho (1), março (14) e fevereiro (4) de 2021; e junho (1) e dezembro (1) de 2020.

Internados - De acordo com o boletim, 484 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 364 em leitos SUS (237 em UTIs e 127 em clínicos/enfermarias) e 120 em leitos da rede particular (61 em UTIs e 59 em clínicos/enfermarias).

Exames - Há outros 1.160 pacientes internados, 655 em leitos de UTI e 505 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das rede públicas e particular e são considerados casos suspeitos.

Mortes - A Sesa informa a morte de mais 52 pacientes. São 25 mulheres e 27 homens, com idades que variam de 17 a 104 anos. Os óbitos ocorreram entre 10 de junho de 2020 e 14 de outubro de 2021.

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Londrina (8), Curitiba (5), Cascavel (5), Foz do Iguaçu (2) e Colorado (2), além de um óbito em cada um dos seguintes municípios: Ventania, Terra Boa, São Jorge d'Oeste, Sarandi, Santa Izabel do Oeste, Quedas do Iguaçu, Porto Vitória, Ponta Grossa, Paranaguá, Moreira Sales, Marmeleiro, Marechal Cândido Rondon, Lidianópolis, Leópolis, Lapa, Ivaí, Irati, Imbituva, Ibiporã, Guapirama, Francisco Beltrão, Fazenda Rio Grande, Dois Vizinhos, Cianorte, Cerro Azul, Carambeí, Campo Magro, Campo Largo, Arapoti e Apucarana.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 6.124 casos de não residentes no Estado – 216 pessoas morreram. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

Veja os relatórios de Exclusões e de Correções de municípios.

 


Versão para impressão


RODAPE