Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5181 | 21 de Outubro de 2021

ENCONTROS DE NÚCLEOS: Sistema Ocepar volta a reunir lideranças cooperativistas entre 8 e 11 de novembro; garanta a sua inscrição

Lideranças cooperativistas de todos as regiões do Estado voltam a se reunir durante a segunda etapa dos Encontros de Núcleos Cooperativos de 2021, que o Sistema Ocepar realiza de 8 a 11 de novembro, em formato on-line, das 8h30 às 12h. Os eventos são destinados a conselheiros de administração e fi­scal das cooperativas do Paraná, integrantes de comitês educativos e de grupos femininos, jovens, gestores, entre outros.

Inscrição e informações Clique aqui para se inscrever. Os links de acesso às reuniões serão enviados por e-mail. Mais informações com Neuza Oliveira e Daniele Luana (secretaria@sistemaocepar.coop.br / 41 99278-0739 | 99151-2148).

 Agenda - No dia 8, o Encontro será realizado com representantes do Centro-Sul e a Agrária será a anfitriã; no dia 9, vai reunir as cooperativas do Sudoeste, tendo a Coagro e Sicredi Fronteiras PR/SC/SP como anfitriãs; no dia 10, a Coamo e a Credicoamo serão as anfitriãs do evento com cooperativistas do Noroeste e Norte; e, no dia 11, haverá a participação de lideranças do Oeste, com a Lar e Lar Credi como anfitriãs. 

Programação - Logo após a abertura, o professor da Universidade Mackenzie, Pedro Martins, vai ministrar palestra com o tema “Estratégia de Desenvolvimento no Cenário Global”. Na sequência, Cláudio Shimoyama, do grupo Datacenso, falará sobre a “Pesquisa de Imagem e Posicionamento das Marcas das Cooperativas do Paraná”. O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, fará uma apresentação sobre os projetos do Plano Paraná Cooperativo 200 (PRC200), o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense. Depois, haverá espaço para manifestação das cooperativas. 

 

encontros nucleos folder 21 10 2021

DICC I: Saiba o que a psicologia econômica pode fazer por você; confira a entrevista com Vera Rita de Mello

dicc 20 10 2021O Dia Internacional das Cooperativas de Crédito, neste ano, é celebrado nesta quinta-feira (21/10), e o Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito (Woccu) definiu o seguinte tema para nortear as ações: Construindo saúde financeira para um futuro melhor.

Iniciativas - Por todo o país, o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo realiza diversas iniciativas em comemoração à data, assim como o Movimento SomosCoop – que com o apoio do Sistema OCB – realiza uma ação de marketing com o influenciador digital Gui Suetugo, falando sobre como as cooperativas contribuem com a qualidade de vida de quem quer ter uma relação saudável e duradoura com o próprio dinheiro. Acompanhe pelo perfil @somoscoop, no Instagram, a partir das 12h.

E-book - E, além da ação com o influenciador, lançamos também o e-book Vamos Discutir a Relação? Um e-book para quem quer ter um relacionamento longo e duradouro com o dinheiro – o material trabalha dicas e conceitos da psicologia econômica. Baixe gratuitamente aqui.

Respostas - Falando nisso, você sabia que essa é uma ciência que ajuda as pessoas a se organizarem melhor a partir do funcionamento mental? Nós fomos em busca de respostas sobre como a psicologia econômica estuda as emoções por trás das nossas decisões financeiras.

Psicóloga - E quem nos explicou um pouco mais sobre o assunto foi a psicóloga e psicanalista Vera Rita de Mello Ferreira, uma das maiores estudiosas do tema no Brasil.

Estudo - Segundo ela, a psicologia econômica é, então, o estudo da vida mental que acompanha os comportamentos econômicos e a tomada de decisão. Comportamentos econômicos são aqueles que envolvem recursos finitos. Dinheiro é um deles, mas também podemos citar o tempo, atenção, autocontrole e recursos naturais como objetos de estudo da psicologia econômica.

Termo - O termo foi cunhado em 1881 por Gabriel Tarde, um dos pioneiros da psicologia social. Anos mais tarde, a área ganhou ainda mais relevância com a conquista de quatro prêmios Nobel por estudiosos do tema. O último e mais recente premiado foi o norte-americano Richard Thaler (2017) pelo desenvolvimento da teoria da contabilidade mental, explicando como as pessoas simplificam a tomada de decisões financeiras.

Olhar - Em comum, todos esses pesquisadores propuseram um olhar menos racional sobre os eventos econômicos.

Dicas que valem ouro - Além disso, a psicóloga dá dicas de como planejar melhor a nossa vida para atingir o tão sonhado bem-estar financeiro. Confira:

Como a psicologia econômica pode ajudar na nossa relação com o dinheiro?

Vera Rita de Mello Ferreira: A psicologia econômica faz estudos científicos sobre o comportamento econômico e a tomada de decisão, o que não significa que é só sobre dinheiro. Ela trata de qualquer recurso finito, qualquer recurso escasso, como tempo, concentração, atenção, autocontrole, recursos naturais, saúde. Com relação a dinheiro, na medida em que possa levar para a população informações, com base científica, sobre como a cabeça dela funciona, como ela faz escolhas e os erros previsíveis em que a maioria das pessoas cai, a psicologia econômica ajuda as pessoas a errar menos. Ela não promete a ninguém a “receita” de como ficar milionário em 15 minutos. Isso não existe. O que a gente pode é ajudar a fazer com que as pessoas se organizem melhor a partir de um conhecimento sobre o próprio funcionamento mental e como elas podem tentar evitar muitos erros que são frequentes entre a maioria das pessoas.

Como alcançar a saúde financeira? Que dicas você pode dar para evitar escolhas e consumo por impulso? Há como planejar o consumo?

Vera Rita: A primeira coisa é você proteger o dinheiro de você mesmo. E isso pode ser feito combinando alguma modalidade de aplicação automática em algum investimento, todo mês ou na frequência que você definir, para que o dinheiro não passe pela sua mão; para que não haja a tentação de gastar com qualquer coisa. Um outro ponto é considerar a contratação de seguros que possam ajudar você a proteger o seu patrimônio e a ter paz de espírito. Se usa carro, seguro de carro. Sem dúvida, seguro saúde.

Para pais de família, seguro de vida. Não é o seguro que as instituições tentam empurrar. Muitas vezes não faz sentido nenhum. Mas ele tem que planejar de acordo com a sua realidade. Para isso, algumas vezes, é importante ter um consultor financeiro também. Alguém que ajude a dar o pontapé inicial no planejamento financeiro. Não dá para contar com a força de vontade ou um caráter férreo que vai fazer com que você consiga controlar os seus impulsos. Se a pessoa está endividada, é importante que ela não vá a lojas, shoppings etc.

Como tomar decisões acertadas no âmbito pessoal e familiar com relação ao orçamento? Há alguma dica de ouro?

Vera Rita: É importante lembrar que não adianta tentar uma proposta idealizada e pouco realista de, por exemplo, cortar em 50% o orçamento. Não pode absolutamente nada. Não pode pizza, não pode sorvete, nenhum gasto com lazer, nada. Isso acaba estressando toda a família. Então vale a pena ter, no orçamento, uma verba que precisa estar de acordo com a renda da pessoa ou da família, mas que é pra gastar livremente. As pessoas precisam de um respiro. Não dão conta de fazer uma contenção absoluta. A não ser que a pessoa já esteja em uma situação de superendividamento.

Com os juros altos no Brasil, o que você sugere para que o cidadão evite o endividamento? Uma vez endividado, como sair dessa bola de neve?

Vera Rita: Tem estudos que mostram que se o limite do cheque especial e do cartão de crédito forem reduzidos, a pessoa, até sem se dar conta, passa a gastar menos. Não é fácil isso. Às vezes a pessoa tem medo, vê como rede de segurança ter um certo limite de cheque especial. Mas em um momento de mais serenidade, talvez ela consiga. Vale começar tentando por um mês. Se for péssimo, volta. Para quem tem problema de impulso, gasta demais porque não consegue controlar, existem alguns grupos de devedores anônimos que, antes da pandemia, funcionavam em paróquias das igrejas católicas.

Além da “poupança automática”, que outras medidas ajudam a criar o hábito de poupar e investir?

Vera Rita: Poupar junto, ter objetivos de curto, médio e longo prazo e colocar recompensas, se for atinginda essas metas. Quanto mais a pessoa consegue guardar dinheiro, mais ela pega o gosto. Porque acontece o que a gente chama de aversão a perda. A pessoa olha o que ela tem e fica com pena de deixar daquele jeito ou, pior ainda, de usar. Então ela quer sempre por mais um pouco. Guardar aos pouquinhos, valores pequenos, também é uma boa dica.

O que é preciso para atingir o bem-estar financeiro?

Vera Rita: Bem-estar financeiro a gente entende em dois momentos: o agora e o futuro. E em dois eixos: segurança e liberdade. Quando a gente pensa no presente, o bem-estar financeiro é a pessoa saber que ela pode fazer determinados gastos que vão trazer satisfação, conforto, prazer. E, se ela olhar para o futuro, ela também enxerga que está tudo encaminhado para gozar de bem-estar no futuro.

Mais informações - Para mais informações sobre o Dia Internacional das Cooperativas de Crédito e também para encontrar uma coop de crédito perto de você, acesse a página especial que o Movimento SomosCoop preparou: www.somos.coop.br/dicc. (OCB)

 

DICC II: Sicredi destaca o crescimento do segmento no Dia Internacional das Cooperativas de Crédito

sicredi 21 10 2021O Dia Internacional das Cooperativas de Crédito (DICC), celebrado anualmente na terceira quinta-feira de outubro, será comemorado neste ano nesta quinta-feira (21/10). A data destaca a contribuição e as transformações positivas geradas pelo segmento na sociedade. Como a primeira instituição financeira cooperativa do Brasil, o Sicredi também aproveita a data para disseminar conhecimento sobre o modelo de negócio cooperativo, abordando seu crescimento e atuação, que hoje compreende 25 estados e o Distrito Federal com mais de 5 milhões de associados, como exemplo do segmento.

Crescimento - O crescimento das cooperativas de crédito tem sido evidenciado pelo Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (World Council of Credit Unions – Woccu, na sigla em inglês). Os registros mais recentes contemplam que o segmento conta com mais de 375 milhões de associados e 86 mil cooperativas de créditos em 118 países. A taxa de penetração do segmento – que é calculada dividindo o número total de membros de cooperativas de crédito pela população em idade economicamente ativa de 15 a 64 anos – é de 12,18% no mundo, 16,47 % na América Latina e 8,13% no Brasil. Já nos Estados Unidos e Canadá, essa taxa apresenta 58,6% e 42,2% respectivamente.

Brasil - No Brasil são 11,9 milhões de associados (sendo 10,2 milhões pessoas físicas e 1,7 milhão pessoas jurídicas) em 847 cooperativas, que somam cerca de 371,8 bilhões em ativos totais, segundo Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC) 2020. Esses dados representam um crescimento no número de associados, com aumento total de 9,4% em relação a 2019 e um salto de 42,1% se comparado há cinco anos, em 2016.

Integrante - Parte integrante do SNCC, o Sicredi conta atualmente com mais de 5 milhões de associados em 108 cooperativas de crédito. A instituição está presente em mais de 1,5 mil municípios, com mais de duas mil agências e 30 mil colaboradores. Os ativos atingiram em agosto deste ano R$ 189,1 bilhões, crescimento de 28,6% em relação ao mesmo período de 2020. A carteira de crédito alcançou R$ 117,6 bilhões, alta de 43,2%, e os depósitos totalizam R$ 128,9 bilhões, aumento de 33,1%. O patrimônio líquido é de R$ 23,4 bilhões, o que representa um aumento de 21,7%.

Expansão para gerar benefício às economias locais - Em setembro, a instituição financeira cooperativa deu mais um passo significativo com seu projeto de expansão no território nacional e marcou sua chegada ao Espírito Santo com a inauguração de duas agências na cidade de Colatina, passando a estar presente em 25 estados brasileiros e no Distrito Federal. Atualmente, em mais de 200 cidades, a única com presença física. Com 141 novas agências inauguradas até o momento, a expectativa é de abertura de aproximadamente 200 até o final deste ano.

Estudos - O crescimento do modelo cooperativo no Brasil traz benefícios econômicos importantes, é o que mostrou uma série de estudos realizados a pedido do Sicredi chamada “Os benefícios econômicos do Cooperativismo de Crédito”. O primeiro deles, realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), analisou dados econômicos de todas as cidades brasileiras com e sem cooperativas de crédito entre 1994 e 2017 e cruzou informações do Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE). O trabalho concluiu que o cooperativismo de crédito incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%, estimulando, portanto, o empreendedorismo local.

Fipe - Além do estudo realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), outros dois estudos, um conduzido pelo especialista em Microeconomia Aplicada e Desenvolvimento Econômico, Juliano Assunção, pesquisador do Departamento de Economia da PUC-Rio, e pela equipe econômica do Sicredi reforçam a capacidade que as cooperativas têm de gerar valor e impactar munícipios menores.

Indicativo - O primeiro deles indica que as cooperativas conseguem operar em cidades com PIB a partir de R$ 79 milhões, enquanto para os bancos públicos é necessário um PIB mínimo de R$ 146 milhões e, para um banco privado, R$ 220 milhões. Já o estudo do Sicredi avaliou a atuação dos bancos privados, públicos federais e regionais, e instituições financeiras cooperativas entre 2010 e 2018, que trouxeram evidências de que, comparada às demais, a rede de atendimento cooperativo está em locais de mais difícil bancarização, ou seja, em regiões que são mais complexas para a rede bancária tradicional conseguir operar.

Quantificação - Complementar ao segundo trabalho, o terceiro estudo da série, buscou quantificar e tornar comparável o esforço necessário para a atuação nas localidades. Para isso, a equipe de economistas do Sicredi desenvolveu o Índice de Presença Bancária (IPB), que reflete a probabilidade de não se ter uma agência em determinada cidade, e os Índices Municipais de Bancarização (IMB) relativo e absoluto, que conseguem, a partir do IPB, demonstrar o nível de penetração das instituições em municípios de difícil atuação, assim como mostrar a contribuição agregada da presença. Os resultados reforçaram a capacidade das cooperativas de crédito de operar em locais de mais difícil bancarização.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 25 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

FOTO: Tatiana Faez

 

DICC III: Cresol celebra o Dia Internacional das Cooperativas de Crédito

dicc III 21 10 2021A Cresol celebra nesta quinta (21/10), o Dia Internacional das Cooperativas de Crédito, comemorado sempre na terceira quinta-feira do mês de outubro desde 1948. Neste ano, o Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito (Woccu), escolheu o tema: construindo saúde financeira para um futuro melhor. O assunto comprova que as cooperativas, dentro e fora do Brasil, fazem muito mais do que simplesmente as tradicionais operações financeiras.

Mundo - Hoje, no mundo todo, são mais de 85 mil cooperativas de crédito que representam cerca de 300 milhões de cooperados. As instituições oferecem muito mais do que crédito, proporcionam inclusão e educação financeira aos cooperados e às comunidades.

Brasil - No Brasil, mais de 12 milhões de pessoas fazem parte desse movimento que vem crescendo a cada dia. Segundo dados do Panorama do Cooperativismo de Crédito, elaborado pelo Banco Central, mesmo em um ano marcado pela pandemia do novo coronavírus, a quantidade total de cooperados em dezembro de 2020, mostra que o percentual da população associada aumentou em todas as regiões, alcançando 4,9% no país.

Sistema - O Sistema Cresol, ao longo dos seus 26 anos de história, sempre atuou com foco voltado ao relacionamento com o cooperado, proporcionando um crédito humanizado que permite personalizar o atendimento e oferecer soluções específicas a cada sócio.

Presença - “Somos uma cooperativa para todos e estamos presentes nos mais diversos municípios e comunidades, levando conhecimento sobre educação financeira e fornecendo soluções financeiras facilitadas. Esse é o papel das cooperativas de crédito, trabalhar para o desenvolvimento econômico e social dos seus cooperados”, destacou Alzimiro Thomé, presidente do Sistema Cresol Baser e do Cresol Instituto.

Atendimento - O Sistema Cresol atende, hoje, cooperados de 25 estados e possui agências de relacionamento em 17 deles. Atuando de norte a sul, e com projeções de expansão para novas áreas, o Sistema tem como foco fornecer acesso ao crédito e levar desenvolvimento a quem mais precisa, proporcionando soluções financeiras com sensibilidade e eficiência para que todos realizem seus sonhos, propósitos e negócios.

Webinar especial DICC - A Confederação Brasileira de Cooperativas de Crédito (Confebras) promove nesta quinta-feira (21/10), às 15 horas, o webinar “Cidadania Financeira: Diálogos para um Mundo Melhor, com a participação de convidados e personalidades do cooperativismo financeiro. Entre os convidados está o presidente do Cresol Instituto e do Sistema Cresol Baser, Alzimiro Thomé. O evento contará com transmissão ao vivo pelo canal da Confebras no Youtube.

Lembrete - Ative o lembrete do webinar comemorativo aqui! https://www.youtube.com/watch?v=oNpPAFqNMJU. (Imprensa Cresol)

 

SICREDI UNIÃO PR/SP I: Centro de Informática é inaugurado em parceria com a prefeitura de Alvorada do Sul

sicredi uniao II 21 10 2021A pandemia atrasou um pouco o projeto, mas finalmente a Sicredi União PR/SP e o município de Alvorada do Sul (PR) inauguraram, na última terça-feira (19/10) o Centro de Informática, obra realizada em parceria entre a cooperativa e a prefeitura da cidade. A sala tem capacidade para atender sete alunos simultaneamente.

Público atendido - A secretária de Assistência Social do município, Letícia Brússolo Moura, informa que será atendido o público inscrito no Cadastro Único - crianças, jovens, adultos e idosos, visando a empregabilidade, inclusão digital e fortalecimento de vínculos.

Empregabilidade - O projeto, segundo o prefeito da cidade, Marcos Pinduca, vem o encontro de um dos pilares de sua gestão, pregada desde a campanha eleitoral: emprego e renda. “Sempre quisemos que a Sicredi União PR/SP viesse para nossa cidade justamente pela característica do cooperativismo, que investe na comunidade. Esse momento é a certeza de que agimos certo”, disse ele. A agência da cooperativa foi aberta há dois anos em Alvorada do Sul. O gerente, Junior Gustavo da Cunha destaca que contribuir com o desenvolvimento da comunidade onde atua é um dos princípios da cooperativa.

Desenvolvimento pessoal - A inauguração da sala foi acompanhada pela coordenadora de Desenvolvimento Social da Sicredi União PR/SP, Taiane Andrade Boccato. Ela reforçou que faz parte da essência da cooperativa contribuir com o desenvolvimento das pessoas e da localidade onde atua. “Temos esse compromisso com a comunidade”, destacou. A Sicredi União PR/SP fez a reforma da sala e doou parte dos equipamentos necessários para as aulas. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI UNIÃO PR/SP II: Agência de Bela Vista realiza palestra voltada à saúde da mulher

A agência da Sicredi União PR/SP de Bela Vista do Paraíso (PR), em parceria com a Matriz São João Batista, realiza uma ação voltada à saúde da mulher no próximo sábado (23/10), às 15 horas, no salão de igreja.

Alerta - O evento é alusivo à campanha Outubro Rosa e tem o objetivo de alertar as mulheres sobre a importância dos exames preventivos para detectar o câncer de mama precocemente para o sucesso do tratamento.

Apoio - O gerente da agência, Rosiel Martins, destaca o apoio do padre Paulo – pároco da igreja – na realização do evento, que é aberto a todos os interessados. Ele informa que haverá uma palestra e depoimentos de mulheres que já estão curadas do câncer de mama e de mulheres em tratamento. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Dia do Médico rende homenagem a profissionais de Umuarama e região

Como forma de celebrar o Dia do Médico, comemorado no último dia 18 de outubro, a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, a Unimed Noroeste do Paraná e a Associação Médica de Umuarama (AMU) realizaram um evento na noite dessa quarta-feira (20/10), no Umuarama Country Clube. Na oportunidade, aconteceu o lançamento e a assinatura do termo para oficializar uma forte parceria que promete beneficiar os profissionais do setor.

Presença - O evento contou com a presença do presidente da Unimed Noroeste do Paraná, Ronaldo Borges Pereira; do presidente da Associação Médica de Umuarama, Fábio Augusto de Carvalho; e do presidente da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Jaime Basso.

Reconhecimento - “O evento é um reconhecimento a essa profissão tão nobre e importante para a sociedade, ainda mais nos dias atuais. A nossa intenção é valorizar e reconhecer a classe médica e nos aproximarmos ainda mais, para podermos atendê-los em suas necessidades por meio de nossas soluções e nos colocarmos ao seu lado em todos os momentos, com a mesma segurança e credibilidade que sentimos sempre que recorremos a eles”, comenta Jaime.

Parcerias - A iniciativa reforça a importância das parcerias entre cooperativas e entidades de classe para desenvolver a comunidade local. Mais do que serviços financeiros, o objetivo é oferecer soluções responsáveis, atendendo uns dos princípios do cooperativismo que é o interesse pela comunidade e pelo crescimento dos associados.

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das 108 cooperativas do Sicredi, conta com 33 anos de história, mais de 173 mil associados e 96 espaços de atendimento. A área de atuação da cooperativa abrange 43 cidades no estado do Paraná e 8 cidades no estado de São Paulo, incluindo a capital paulista e cidades vizinhas do grande ABCD (www.sicredi.com.br/coop/vale-piquiri/).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 25 estados e no Distrito Federal, com mais de 2100 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

{vsig}2021/noticias/10/21/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS: Divulgados os ganhadores da Semana da Economia Local de Videira (SC)

Foi realizado, na última segunda-feira (18/10), o sorteio da promoção Semana da Economia Local de Videira (SC), campanha promovida pela Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP, em conjunto com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), entre os dias 04/10 e 16/10.

Presenças - O sorteio aconteceu na agência do Sicredi e contou com a participação do gerente da agência, Gilberto da Costa Neujahr; do presidente da CDL, Fernando Taffarel Favero, além de colaboradores da cooperativa e outros convidados.

Estímulo - A promoção foi criada para estimular as compras no comércio local. Conforme o regulamento, os consumidores que adquirissem produtos e serviços nas lojas cadastradas concorreriam a sete prêmios de R$ 500, transferidos em forma de poupança no Sicredi. Cada compra de pelo menos R$ 100 garantia o direito a um cupom.

Participação - Segundo informações da CDL, cerca de 80 empresas associadas à entidade participaram da campanha, que distribuiu mais de 17 mil cupons.

Sorteados - Os participantes sorteados foram:

1- Eduardo Kramer – Cliente da Refrigeração Moura Ltda

2- Bernardo Pagno – Cliente Dermo Nutri

3- Renan Borin Thibes de Campos- Cliente Central Móveis

4- Neiva Colombo Rubini - Cliente O Boticário

5- Rosa Maria Bortoloso – Cliente Tami Center Comércio e Confecções

6- Judite Maria Cesco – Cliente Roses Faschion Modas

7- Ademar Poerner – Cliente Valesan Mat. Const. Ltda

(Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

{vsig}2021/noticias/10/21/sicredi_parque/{/vsig}

C.VALE: Energia solar move negócios no campo

Em tempos de estiagem, quando a água dos reservatórios das usinas hidrelétricas se torna escassa e o custo da energia elétrica dispara, o aproveitamento da luz solar ganha força como alternativa para reduzir o peso deste insumo sobre a produção agropecuária. Atividades que demandam alto consumo de energia elétrica estão impulsionando o mercado de placas fotovoltaicas e reduzindo o custo extra da bandeira vermelha nas contas de luz. Entre os produtores de frango da C.Vale, 22% já instalaram equipamentos para captar energia solar e estão vendo o investimento se pagar em tempo bem inferior ao prazo dos financiamentos.

Investimento que compensa - Em Palotina (PR), o associado Juraci de Araújo instalou 504 placas para gerar energia aos três aviários que abrigam 76 mil frangos. A conta mensal de energia de, aproximadamente, R$ 8 mil foi praticamente zerada. “É um investimento que compensa, se paga em pouco mais de seis anos”, calcula o produtor. O benefício vai além da economia já que a tensão da energia ficou mais estável. Ele também instalou outras 400 placas para gerar energia aos aeradores que usa nos 21 mil metros de lâmina d’água onde cria tilápias. Com esse conjunto, a propriedade se tornou autossuficiente e ainda gera créditos em energia que são abatidos da conta do hotel que pertence à família do sogro de Araújo.

Instalação - Os três conjuntos de células fotovoltaicas foram instaladas no chão por uma opção do integrado. “Fica mais fácil ‘pra’ ajustar à posição do sol e para fazer a manutenção. Os técnicos não precisam entrar na granja”, justifica Araújo. Ele conta que a escolha de placas de fabricação nacional foi motivada pela maior facilidade de substituição que as importadas. A miniusina pode ser monitorada por aplicativo de celular. Para Juraci Araújo, o sistema de geração de energia solar passou a ser um insumo do agronegócio. “Hoje é uma necessidade, um kit que você tem que incluir se vai investir na avicultura ou piscicultura”, interpreta.

Família Sangalli - Na propriedade de 17 hectares de Elza e Enor Sangalli, localidade de Esquina Progresso, Palotina, o frango é a principal fonte de receita. Os dois aviários em que o casal e o filho Leandro criam 55 mil aves, a conta de luz variava de R$ 4 mil a R$ 7 mil por mês. Mesmo com o valor elevado, Elza tinha receio de contrair dívida para instalar placas de energia solar já que tem também parcelas do segundo aviário. Depois de muito cálculos junto com o filho, decidiu tomar um empréstimo bancário com juros de 9% ao ano e prazo de dez anos para pagar. A um custo de R$ 350 mil, colocou 180 placas em frente aos aviários. Nos dois meses seguintes as contas caíram para R$ 200,00 e R$ 150,00. “No começo eu tinha medo de fazer a dívida, mas agora a gente vê que vale a pena. É um custo que se paga com a renda do aviário”, diz ela, revelando que o valor das parcelas cai a partir do segundo pagamento.

Redução das despesas - As placas solares puxaram para baixo as despesas com a produção de frango, que no sistema convencional representa 24% dos custos da atividade. Com isso, os Sangalli já começam a fazer planos de construir um terceiro aviário na propriedade. (Imprensa C.Vale)

RAIO X

JURACI DE ARAÚJO

Três aviários

76 mil frangos

125 mil tilápias

904 placas solares

Investimento: R$ 1,2 milhão

RAIO X

ELZA SANGALLI

Dois aviários

55 mil frangos

180 placas

Investimento: R$ 350 mil

Energia elétrica produzida pelos integrados avícolas da C.Vale é capaz de abastecer cidade de 16 mil habitantes

{vsig}2021/noticias/10/21/cvale/{/vsig}

COOPAVEL: Dia de campo sobre trigo será realizado no Sudoeste

coopavel 21 10 2021Produtores rurais de Pato Branco e municípios vizinhos são convidados a participar da segunda edição do Dia de Campo de Trigo que a Coopavel promove na região Sudoeste do Paraná. Ele será realizado nesta quinta-feira (21/10), a partir das 15h, na região conhecida por Reta Grande.

Trigo - O foco central das apresentações vai ser o trigo, com 18 cultivares diferentes, algumas novidades no mercado. “A ideia é mostrar novas tecnologias e a adaptação de cada uma delas na nossa região”, diz o engenheiro agrônomo Rodrigo Junior Schneider. As informações vão ser repassadas por técnicos das empresas parceiras.

Empresas - O dia de campo vai abrir espaço também para empresas de químicos, que vão mostrar produtos e soluções tecnológicas para a triticultura. Ao todo, o evento contará com a participação de três empresas de sementes, seis de defensivos e uma de corretivos. A cooperativa também participará com a Nutriagro, indústria de fertilizantes foliares, com a Fertilizantes Coopavel e com a Sementes Coopavel.

Cuidados - Para combater riscos, diversos cuidados vão ser empregados no evento, conforme Rodrigo. Os produtores vão ser divididos em pequenos grupos para conhecer as estações, combatendo assim as aglomerações. Todos deverão usar máscaras durante a visita e utilizar álcool em gel, que será distribuído nas tendas. “O dia de campo acontecerá ao ar livre, em uma área grande, e com esses cuidados todos estaremos protegidos”, afirma o agrônomo.

Jantar - Depois, os participantes vão ser recepcionados em jantar, que também observará regras sanitárias. Uma delas é recomendar aos participantes que levem pratos e talheres que utilizarão para fazer a sua refeição. As empresas parceiras no dia de campo são: Basf, OR Sementes, Embrapa, Seedcare, Biotrigo, Syngenta, FMC, UPL, Ihara, Corteva e Iapar, além da Nutriagro, Sementes Coopavel e Show Rural Coopavel. (Imprensa Coopavel)

 

COCAMAR: Adesão ao Selo Combustível Social deve ser feita até o dia 12 de novembro

cocamar I 20 10 2021Os produtores de soja enquadrados no Pronaf podem receber um valor adicional de R$ 1,40 para cada saca de 60 quilos entregues para a Cocamar. Para isso, eles devem aderir ao Selo Combustível Social, um programa interministerial do governo federal que tem como finalidade promover a inclusão do biodiesel na matriz energética brasileira e fortalecer a agricultura familiar. O benefício está sendo oportunizado pela Cocamar aos seus cooperados desde a safra 2019/2020.

Prazo - Para ter direito ao benefício, os cooperados devem dirigir-se à unidade da cooperativa onde são atendidos e formalizar sua adesão. O prazo, para isso, é até o dia 12 de novembro próximo.

Exigências - Os interessados precisam atender a algumas exigências. Além de plantar uma área de até quatro módulos fiscais, eles devem estar enquadrados no Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), possuírem DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf) ativa. Os cooperados, quando da colheita, devem depositar na cooperativa ao menos 75% do potencial de produção da sua soja, sem a obrigatoriedade de comercializar imediatamente todo o volume.

Ano passado - Na safra 2020/2021, um total de 970 cooperados participaram do programa, adquirindo o direito de receber R$ 1,20 a mais por saca, o valor do benefício na época. Os detentores do Selo Social recebem assistência técnica prestada pela cooperativa em suas lavouras, sendo que o pagamento do valor adicional, a exemplo do que está programado para este ano, vai ser feito no final de 2022, quando a cooperativa anunciar a distribuição das sobras do exercício.

BSBios - Na última safra, a soja entregue pelos cooperados beneficiários do Selo Social foi direcionada para produção de biodiesel na BSBios, uma empresa parceira da cooperativa localizada em Marialva (PR).

Usina própria - A partir desta safra 2021/22, a soja vai ser processada na Usina de Biodiesel que a Cocamar está construindo no seu parque industrial em Maringá (PR) e que deve ficar pronta no mês de dezembro. Prevista no Planejamento Estratégico 2020/25, a planta recebe investimentos de R$ 40 milhões e terá capacidade para produzir 300 toneladas/dia. (Imprensa Cocamar)

 

UNIMED CASCAVEL: Cooperativa assina contrato com startup para aproximar Clube de Benefícios e clientes

Uma startup nasce quando uma iniciativa surgida no campo das ideias parte para o mundo digital, por exemplo, com chance de fazer a diferença na vida real. Histórias assim são cada vez mais incentivadas nos negócios e vêm recebendo apoio de organizações de diversas áreas, incluindo a saúde, caso da Unimed Cascavel.

Contrato - No dia 13 de outubro, a Cooperativa assinou o primeiro contrato com uma startup que será incubada pelo Hub de Inovação inaugurado em março de 2020 por meio de uma parceria da Unimed Cascavel com o Sebrae e a Unioeste. “Dentro dos valores do cooperativismo, é importante a Unimed Cascavel estar presente na comunidade. É até uma questão da sustentabilidade, pois parcerias assim representam uma forma da Cooperativa devolver para a sociedade o que essa mesma sociedade nos dá”, conta Luciana Lazzari, superintendente Administrativa e de Mercado da cooperativa de saúde.

Auxílio - A startup auxiliará o Clube de Benefícios Cuidar Bem a ter mais visibilidade entre os clientes da Unimed, chegando mais perto deles. A solução fará a conexão entre a Unimed, parceiros que oferecem descontos em produtos e serviços e um APP para os clientes acessarem os descontos e outras funcionalidades como cashbacks, que farão parte do escopo deste projeto inovador. “Com o crescimento do nosso Clube de Benefícios, surge a necessidade dessa ferramenta. Poderíamos ter comprado algo pronto, mas quisemos incentivar o empreendedorismo e o desenvolvimento local”, complementa a superintendente.

Incubada - A iniciativa ficará incubada por seis meses no Hub, cuja estrutura está ativa no Núcleo de Pesquisas Avançadas em Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas (Nupeace), na Unioeste. Depois, o produto poderá ser usado pela Unimed Cascavel. “É muito importante a gente ter o apoio de parceiros como a Unimed Cascavel, o Sebrae e todos os professores que estão envolvidos no desenvolvimento do Unihub. A gente só tem a agradecer pelas oficinas e por todo o aprendizado que a gente veio armazenando ao longo desse período. Revisamos o projeto, fizemos orçamentos e avaliamos as possibilidades de parcerias que a gente pode colocar aqui. Primeiramente a gente vai estruturar a solução, porque teremos que passar pelo processo de validação, e, em seguida, entrar no mercado. A previsão de entrega é para o início do ano que vem”, explica Juliano Brustolin, idealizador do projeto e aluno do curso de Ciências Econômicas do campus da Unioeste.

A Universidade - “A gente fica muito feliz ao ver o trabalho desenvolvido desde o ano passado para chegarmos a este momento. Agora vemos este contrato firmado com os nossos alunos, que já têm o CNPJ junto à Unimed, por meio da parceria com o Sebrae e com o incentivo de todos os nossos professores envolvidos. Acredito que de nada adianta haver inovação se essa inovação ficar somente dentro da universidade. O que é produzido deve se refletir em benefícios para a sociedade, e o melhor modelo de projeto é assim: quando existe a possibilidade do produto estar sendo desenvolvido e testado ao mesmo tempo”, acrescenta Alexandre Bebber, reitor da Unioeste.

O Sebrae - “Nós entendemos que o que está acontecendo aqui é um digníssimo resultado que pode ser gerado em função desta parceria. Acreditamos que o empreendedorismo é capaz de transformar a sociedade. Iniciativas de sucesso como esta podem ser geradas quando a universidade abre as portas e utiliza todo o conhecimento que tem para fazer este movimento ao lado da Unimed Cascavel, grande cooperativa, e do Sebrae, ente apoiador que traz metodologia, processo, produto e orientações para os possíveis empreendedores. Claro que, além da união dessas três forças, a gente conta com os próprios alunos”, finaliza Augusto Stein, gerente regional do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. (Imprensa Unimed Cascavel)

{vsig}2021/noticias/10/21/unimed_cascavel/{/vsig}

UNIMED PONTA GROSSA: Hospital Geral Unimed nomeia novo Comitê de Ética de Enfermagem

Na última semana, a Unimed Ponta Grossa promoveu a nomeação e posse dos novos membros do Comitê de Ética de enfermagem do Hospital Geral Unimed (HGU). A comissão foi eleita por meio de votação e tem vigência pelos próximos três anos.

Função - O comitê tem função educativa e atua de modo preventivo por meio da conscientização dos profissionais de enfermagem para garantir uma assistência mais segura. Entre as atividades desempenhadas do grupo, está a identificação de atividades éticas e ações específicas, receber denúncias, apurar os fatos e indícios de infração ética.

Órgão representativo - Na cerimônia, estava presente a presidente do Coren/PR, Rita Sandra Franz. O Comitê de Ética de Enfermagem é um órgão representativo, normatizado pelos Conselhos Regionais de Enfermagem. Os membros se reúnem mensalmente, apresentam atas e fiscalizam o exercício ético da profissão. Para a gerente assistencial, Luciane Zanetti, a iniciativa fortalece ainda mais as boas práticas baseada nos princípios legais.

Membros - Conheça os membros da Comissão de Ética de Enfermagem 2021/ 2023

Membros Efetivos

1. Maritza dos Santos Ramos

2. Elza dos Santos

3. Taiana Vargas dos Santos

4. Donizelia Ventura Pillati

5. Tatiane Aparecida

Membros Suplentes

1. Juliana Aparecida Rebelo

2. Carlise Tacca

3. Francine Stadler

4. Louziana Stolle

5. Geisy P. de Freitas

(Imprensa Unimed Ponta Grossa)

{vsig}2021/noticias/10/21/unimed_ponta_grossa/{/vsig}

EXPO DUBAI: Com semana do Paraná, Pavilhão do Brasil atrai 50 mil visitantes

expo dubai 21 10 2021Quase 50 mil visitantes de diferentes nacionalidades puderam conhecer, na última semana, o encantamento que o Paraná proporciona – mas a 12,5 mil quilômetros de distância. O Estado foi o protagonista do Pavilhão do Brasil na Expo Dubai 2020, nos Emirados Árabes Unidos (EAU), entre os dias 10 e 16 de outubro.

Visitantes - No total, 48.068 visitantes passaram pelo pavilhão ao longo dos sete dias da Semana do Paraná. O maior pico foi registrado na sexta-feira (15/10), concentrando 14.223 pessoas. Os dados são da Apex Brasil, organizadora do evento.

Sustentabilidade - A sustentabilidade paranaense foi o foco da apresentação do Estado na feira, que tem como objetivo mostrar o desenvolvimento tecnológico dos países e discutir as perspectivas do futuro da sociedade. O evento, inaugurado em 1º de outubro, concentra 191 países em 181 dias de feira e espera receber um total de 25 milhões de visitantes no período – o equivalente ao público de uma Copa do Mundo por mês.

Destaques - Para apresentar sua sustentabilidade, a exposição do Paraná apresentou destaques do Estado em 18 capítulos, passando por seu potencial do agronegócio, geração de energia e roteiros turísticos. A mostra teve o conceito “Wow! All Around”, frase em inglês equivalente a “surpresa por toda parte”, sugerindo as diversas formas de encantamento que o Paraná pode proporcionar a quem o visita.

Turismo - Para Eduardo Bekin, presidente da Invest Paraná, o turismo paranaense foi um dos três grandes destaques da missão técnico-comercial em Dubai, ao lado dos setores de bem-estar e da tecnologia. A Invest Paraná ajudou a organizar o Paraná Business Experience, evento paralelo à Expo Dubai que procurou atrair novos investimentos, negócios e parcerias ao Estado.

Belezas naturais - De acordo com Bekin, as belezas naturais do Paraná – capitaneadas pelas Cataratas do Iguaçu, segundo maior destino de estrangeiros no Brasil – impressionaram os visitantes.

Retomada - “Neste momento de retomada econômica pós-pandemia, é mais do que importante que o Paraná se promova. Quando se fala de Brasil lá fora, todos se lembram de São Paulo e Rio de Janeiro, e poucos sabem o que é Paraná. Mas nos apresentamos muito bem tanto na Expo Dubai como em todas as reuniões que tivemos. É muito importante levar para fora o selo da nossa sustentabilidade”, afirmou.

Atração - O embaixador brasileiro nos EAU, Fernando Igreja, destacou que o protagonismo do Paraná em participar da feira certamente vai atrair novos visitantes que desconheciam a região. “Estar presente na Expo Dubai 2020 foi uma grande iniciativa do Governo do Estado. Este é um local para que os países mostrem o que têm de melhor, e o fato do Paraná ser o primeiro Estado a se apresentar na exposição foi muito importante, demonstrou o interesse em se internacionalizar, e usando a Expo, que é uma grande plataforma para isso”, disse.

Negócios - Segundo a Apex Brasil, a Expo Dubai é uma oportunidade de fortalecer relações com os países do Conselho de Cooperação do Golfo, composto por EAU, Omã, Arábia Saudita, Qatar, Bahrein e Kuwait. Segundo a agência, são vários os exemplos de empresas brasileiras que fizeram um esforço de internacionalização e hoje estão consolidadas no mercado local.

Expectativa - A expectativa do órgão é que a Expo Dubai gere cerca de US$ 500 milhões de negócios em exportações para o Brasil, e em torno de US$ 10 bilhões em investimentos, com potencial para gerar mais de 20 mil novos empregos.

Parceiro comercial - A Apex aponta que o Brasil é considerado um dos maiores parceiros comerciais de países do Golfo Pérsico, atingindo um superávit de US$ 512,2 milhões no comércio com os Emirados Árabes Unidos entre janeiro e junho de 2021. O bloco econômico é o quinto maior parceiro comercial do Brasil.

Voo direto - Uma das possibilidades levantadas durante a semana foi de receber um voo direto entre Paraná e EAU. As potencialidades turísticas do Estado foram apresentadas em uma reunião do governador Carlos Massa Ratinho Junior com executivos da Emirates Airlines, maior companhia aérea dos EAU, na última quarta-feira (13/10).

Apresentação - “Apresentamos aos executivos da Emirates o porquê de fortalecer uma parceria com o Paraná e futuramente fazer um voo direito. Temos Foz do Iguaçu, Curitiba e a maior reserva de Mata Atlântica do País. O Paraná precisa colocar sua marca lá fora, e acreditamos que essa marca é construída pela industrialização do agronegócio com sustentabilidade”, afirmou Bekin.

Rota - Atualmente, a empresa mantém com o Brasil a rota São Paulo-Dubai cinco vezes por semana. Segundo Bekin, Foz do Iguaçu seria uma das candidatas para uma nova linha, por ser um destino turístico nacional. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Governo do Paraná

 

ZARC: Zoneamento agrícola de risco climático da Cevada é publicado

zarc 21 10 2021Foram publicadas no Diário Oficial da União dessa quarta-feira (20/10) as portarias, de 481 a 488, de Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para o cultivo da cevada de sequeiro e irrigada. O cultivo de sequeiro é indicado para São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Já o cultivo da cevada em sistema irrigado é indicado para o Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais e São Paulo.

Objetivo - O zoneamento tem o objetivo de reduzir os riscos relacionados aos problemas climáticos e permite ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos.

Modelo - O modelo agrometeorológico considera elementos que influenciam diretamente no desenvolvimento da produção agrícola como temperatura, chuvas, umidade relativa do ar, água disponível nos solos, demanda hídrica das culturas e elementos geográficos (altitude, latitude e longitude).

Produção - A produção de cevada (Hordeum vulgare L.) com finalidade cervejeira é influenciada pelo clima, pelas características genéticas da cultivar e pelas práticas de manejo de cultivos adotadas.

Sequeiro - Nos estudos de Zarc para produção de cevada no sistema em sequeiro, foram avaliados os riscos para a incidência de geada no decêndio do espigamento e a análise do risco de deficiência hídrica conforme o tipo de solo, considerando as fases críticas de estabelecimento da cultura no campo (fase I) e durante o enchimento dos grãos (fase III). Os ambientes considerados com aptidão para o cultivo de cevada para uso cervejeiro em sistemas irrigados foram definidos pelos contornos da estação de crescimento da cultura caracterizada por ausência ou pouca chuva, não desconsiderando o risco de geadas.

Programas - Os agricultores que seguem as recomendações do Zarc estão menos sujeitos aos riscos climáticos e ainda poderão ser beneficiados pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e pelo Programa de Subvenção ao prêmio do Seguro Rural (PSR). Muitos agentes financeiros só liberam o crédito rural para cultivos em áreas zoneadas.

Acesso aos indicativos de Zarc - Produtores rurais e outros agentes do agronegócio podem acessar por meio de tablets e smartphones, de forma mais prática, as informações oficiais do Zarc, facilitando a orientação quanto aos programas de política agrícola do Governo Federal. O aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, desenvolvido pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas/SP), está disponível nas lojas de aplicativos: iOS e Android.

Plataforma - Os resultados do Zarc também podem ser consultados e baixados por meio da plataforma “Painel de Indicação de Riscos”. (Mapa)

FOTO: Luiz Eichelberger / Embrapa Trigo

 

INFRAESTRUTURA: Portos conclui audiência pública do Projeto Cais Leste, que centraliza a descarga ferroviária

infraestrutura 21 10 2021A Portos do Paraná apresentou nessa quarta-feira (20/10), em audiência pública, o projeto Cais Leste, que centraliza a descarga ferroviária em uma moega exclusiva, conhecida como “Moegão”. Em plataforma online, com 60 participantes, a administração dos portos de Paranaguá e Antonina detalhou como será a reestruturação rodoferroviária dos acessos dos Terminais da Região Leste do Porto de Paranaguá, otimizando a capacidade de recepção de cargas em ambos os modais.

Aumento - “Com esse projeto, mais que aumentar a participação do modal ferroviário, pretendemos mudar a visão e a estratégia da operação”, afirmou o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Acesso próprio - Atualmente, no Porto de Paranaguá, como na maioria dos portos brasileiros, cada terminal tem seu acesso ferroviário próprio. São 11 terminais de exportação de granéis sólidos que operam no Corredor Leste, mas nem todos têm desvio ferroviário.

Manobras - “Para cada operação no terminal, a composição dos vagões é quebrada com manobras. Nesse tipo de operação individualizada, além de ineficiência há um conflito muito grande com o fluxo da cidade”, disse Garcia. “O projeto visa diminuir essa ineficiência operacional, dando condições para recebermos mais cargas pela ferrovia, com maior agilidade, qualidade e menor impacto à relação porto/cidade”.

Moega exclusiva - Com a construção da moega exclusiva para o modal ferroviário, a ideia é atender, em um único ponto, por conexões aéreas (ou seja, correias transportadoras), todos os 11 terminais que operam à Leste no Corredor de Exportação.

Obra estruturante - “É uma obra de infraestrutura que olha a longo prazo, visando atender toda a demanda de carga projetada para os próximos 20 ou 30 anos, numa renovação da malha ou com a Nova Ferroeste. O Porto de Paranaguá está se capacitando para grandes projetos futuros”, afirmou o diretor-presidente.

Vagões - O projeto prevê aumentar dos quase 550 vagões – que atualmente são descarregados, por dia, no Corredor Leste – para quase 900. Serão quase 300 em cada uma das três linhas por dia.

Linhas independentes - André Cassanti Neto, diretor de engenharia e manutenção da Portos do Paraná, disse que as três linhas serão independentes. A expectativa do projeto é descarregar no complexo, pelo modal ferroviário, cerca de 24 milhões de toneladas de granéis por ano.

Caminhões a menos - “Serão cerca de 700 caminhões a menos por dia. Além disso, o projeto traz como benefícios gerais a redução dos custos logísticos e da poluição, considerando que o transporte ferroviário emite cerca de 70% menos CO2”, afirmou.

Interferências reduzidas - Ainda segundo o diretor, as interferências rodoferroviárias serão reduzidas das atuais 16 para apenas cinco. “As operações serão mais ágeis e o tempo de manobra será menor”, completou.

Etapas - Com a audiência pública e as contribuições recebidas, a equipe interna responsável pela análise do projeto se reunirá para os ajustes finais. Na sequência, o projeto segue para a aprovação dos órgãos competentes e, aprovado, será lançado o edital para a licitação da obra. A previsão é que a construção inicie no primeiro semestre de 2022.

Site - Os projetos, apresentação, ata e gravação da audiência pública dessa quarta-feira estão disponibilizados no site da Portos do Paraná. A equipe técnica tem prazo legal de até 5 dias úteis para publicar a ata da audiência e o extrato dos questionamentos e comentários enviados.

Embarque - O Moegão vai ao encontro de outro projeto do Estado, que é a modernização e ampliação do Corredor Leste (Corex) e do píer em T. Em fase de desenvolvimento, o projeto prevê um novo complexo com quatro berços; ponte de acesso; oito torres pescantes; e capacidade para embarque de 4 mil toneladas, por hora, em cada uma das oito linhas. Assim, a expectativa é triplicar a capacidade de embarque atual no Corredor Leste. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Rodrigo Felix Leal / Seil

 

ECONOMIA: Auxílio Brasil terá reajuste de 20% em relação ao Bolsa Família

economia 21 10 2021O ministro da Cidadania, João Roma, afirmou nessa quarta-feira (20/10), em pronunciamento no Palácio do Planalto, que o programa Auxílio Brasil, sucessor do Bolsa Família, começará a ser pago a partir de novembro e terá um reajuste geral de 20% no valor dos benefícios, com relação ao programa que o antecedeu.

Tíquete médio - "O programa permanente, que é o Auxílio Brasil, que sucede o Bolsa Família, esse programa tem um tíquete médio, portanto, o valor do benefício varia de acordo com a composição de cada família. Então, existem famílias que estão recebendo menos de R$ 100, e tem outras que estão recebendo até mais de R$ 500. Esse programa terá um reajuste de 20 [%]", explicou.

Incidência - O ministro acrescentou que os 20% de aumento não serão sobre o valor unitário do benefício, mas sobre a execução de todo o Auxílio Brasil, que começa a ser pago no mês de novembro.

Início dos pagamentos - O início dos pagamentos do Auxílio Brasil coincide com o fim do auxílio emergencial, programa lançado no ano passado para apoiar famílias vulneráveis durante a pandemia e que terá a última parcela creditada este mês de outubro. Ao todo, o programa atendeu mais de 68 milhões de famílias com um orçamento de R$ 379 bilhões.

Valor mínimo - A pedido do presidente Jair Bolsonaro, informou o ministro, todas as famílias classificadas em situação de pobreza e de pobreza extrema, vinculadas ao Cadastro Único dos Programas Sociais (CadÚnico) e ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS), deverão receber um valor mínimo de R$ 400 dentro do novo programa. Para atender essa demanda, João Roma informou que o governo vai estruturar uma espécie de programa transitório de transferência de renda, que deve durar até dezembro do ano que vem.

Transitório - "Estamos estruturando um benefício transitório, que funcionaria até dezembro do próximo ano, e esse benefício transitório teria por finalidade equalizar o pagamento desses benefícios para que nenhuma família beneficiária receba menos de R$ 400".

Saída - O ministro fez questão de dizer que o governo, em diálogo com parlamentares no Congresso Nacional, busca uma saída para financiar o novo programa dentro do orçamento previsto para o ano que vem. "Não estamos aventando que o pagamento desses benefícios se dê através de créditos extraordinários. Estamos buscando, dentro do governo, todas as possibilidades para que o atendimento desses brasileiros necessitados siga também de mãos dadas com a responsabilidade fiscal".

Novos beneficiários - Outro anúncio do governo é que, com o Auxílio Brasil, a fila de pessoas que aguardam inclusão no programa social do governo federal será zerada. Atualmente, mais de 2 milhões de famílias esperam receber o benefício.

Beneficiados - "Hoje, o programa permanente contempla 14,7 milhões de famílias, e pretendemos chegar a quase 17 milhões de famílias", prometeu João Roma.

Aumento - Mais cedo, durante um evento em Russas (CE), o presidente Jair Bolsonaro declarou que o governo vai aumentar o valor do Auxílio Brasil para um patamar mínimo de R$ 400 por família. "Ontem (terça-feira) nós decidimos, como está chegando ao fim o auxílio emergencial, dar uma majoração para o antigo programa Bolsa Família, agora chamado Auxílio Brasil, a 400 reais", disse o presidente. (Agência Brasil)

FOTO: Valter Campanato / Agência Brasil

Leia mais sobre o assunto:

 Auxílio Brasil: ministro diz que governo usará R$ 30 bi fora do teto

 

CÂMBIO: Dólar cai para R$ 5,56 com ambiente externo positivo

Embalado por um ambiente externo positivo, o dólar caiu após duas altas seguidas e voltou a ficar abaixo de R$ 5,60. A bolsa chegou a subir pouco mais de 1%, mas desacelerou e fechou praticamente estável após declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que cerca de R$ 30 bilhões do Auxílio Brasil podem ser financiados fora do teto de gastos.

Cotação - O dólar comercial encerrou essa quarta-feira (20/10) vendido a R$ 5,561, com recuo de R$ 0,03 (-0,59%). A cotação operou em queda durante toda a sessão, influenciada pela melhoria no ambiente internacional. Por volta das 15h30, chegou a cair para R$ 5,52, mas diminuiu o ritmo de queda perto do fechamento do mercado por causa do discurso de Guedes.

Leilões - O Banco Central (BC) retomou os leilões de swap cambial (venda de dólares no mercado futuro) e vendeu US$ 1,2 bilhão em contratos nesta quarta. O dólar acumula alta de 2,11% em outubro. Em 2021, a valorização chega a 7,16%.

Ações - No mercado de ações, o dia foi marcado por oscilações. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 110.786 pontos, com alta de 0,10%. No meio da tarde, o indicador chegou a subir 1,04%, motivado pela entrevista do ministro da Cidadania, João Roma, de que o governo busca uma solução para que o benefício de R$ 400 esteja dentro do teto de gastos. A alta, no entanto, diminuiu após a declaração do Ministério da Economia, Paulo Guedes, sobre a possibilidade de pouco mais de R$ 30 bilhões ficarem fora do teto.

Tensão - Nos últimos dias, o mercado financeiro tem atravessado momentos de tensão em meio às negociações para a criação do Auxílio Brasil. Os analistas econômicos consideram que o financiamento parcial do programa com recursos fora do teto de gastos dificultará a retomada do controle das contas públicas. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

LEGISLAÇÃO I: Senado inclui proteção de dados pessoais como direito fundamental na Constituição

legislativo I 21 10 2021O Plenário do Senado aprovou, nessa quarta-feira (20/10), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 17/2019, que torna a proteção de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, um direito fundamental. A PEC também remete privativamente à União a função de legislar sobre o tema. Por acordo entre as lideranças, foram votados os dois turnos na mesma sessão. Aprovado de forma unânime, a PEC recebeu 64 votos no primeiro turno e 76 no segundo (o mínimo exigido é de 49). O texto segue agora para promulgação, em sessão do Congresso Nacional ainda a ser marcada.

Tramitação - De autoria do senador Eduardo Gomes (MDB-TO) e relatada pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), a PEC foi aprovada no Senado, em julho de 2019. Em seguida, foi enviada à Câmara dos Deputados, que aprovou o texto, com mudanças, no último dia 31 de agosto. Por causa dessas alterações, aprovadas na forma de um substitutivo (texto alternativo) do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), a matéria voltou para nova análise dos senadores.

Alterações - Simone Tebet explicou que a redação da Câmara fez apenas duas alterações no texto anteriormente aprovado no Senado. A primeira, apenas para ajuste de forma, estabeleceu a proteção dos dados pessoais como direito individual em comando específico, ao invés de tratar essa proteção no mesmo mandamento que garante ao indivíduo a inviolabilidade de suas comunicações.

Mérito - A relatora também informou que a segunda modificação foi de mérito, atribuindo à União as competências de organizar e fiscalizar a proteção e o tratamento de dados pessoais, de acordo com a lei. Segundo Simone, permaneceram inalteradas a previsão da competência privativa da União para legislar sobre a matéria e a cláusula de vigência da proposta – que prevê que a medida entra em vigor na data de sua publicação.

Competências - De acordo com a relatora, a previsão da PEC que atribui à União as competências de organizar e fiscalizar o tratamento dos dados pessoais dos indivíduos oferece agora “abrigo constitucional” ao funcionamento da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), prevista na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD – Lei 13.709, de 2018).

LGPD - “Essa PEC não deixa qualquer margem de dúvida para qualquer evolução normativa condicionada aos termos da LGPD. É uma PEC pioneira, que retrata a importância do tema”, afirmou a relatora.

Elogio - O senador Izalci Lucas (PSDB-DF) elogiou a iniciativa do autor e a qualidade do relatório. Para o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), a proposta é oportuna e de grande relevância, por dar mais proteção aos dados pessoais do cidadão brasileiro. Já o senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), que dirigia a sessão, destacou a importância da PEC e a competência da relatora. (Agência Senado)

FOTO: Waldemir Barreto / Agência Senado

 

LEGISLAÇÃO II: Por falta de 11 votos, proposta que muda Conselho do Ministério Público é rejeitada na Câmara

legislativo II 21 10 2021O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou a ampliação de Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) de 14 para 17 vagas, em votação nessa quarta-feira (20/10). O substitutivo do deputado Paulo Magalhães (PSD-BA) à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 5/21 obteve 297 votos favoráveis contra 182 e 4 abstenções, mas faltaram 11 votos para obter o mínimo de apoio necessário, de 308 deputados.

Texto original - Com o resultado, o Plenário deve agora analisar o texto original da PEC apresentado pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que mantém a composição do CNMP em 14 membros mas acaba com a vaga nata do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios. No lugar, a Câmara dos Deputados e o Senado vão eleger mais um conselheiro, que deverá ser membro do Ministério Público. Já o corregedor nacional do Ministério Público poderá provir de fora do Ministério Público.

Análise política - Ao final da votação, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), prometeu fazer uma análise política sobre o que mudou em três votações da proposta, que já havia sido aprovada em duas comissões. “O Plenário vota, temos que obedecer o resultado. Nós temos um texto principal e temos possibilidades regimentais”, ressaltou.

Defesa - Lira evitou falar em vitória ou derrota, mas voltou a defender as mudanças propostas. “Acho que todo poder merece ter seu código de ética, todo poder merece ter imparcialidade nos julgamentos e todos os excessos devem ser dirimidos”, afirmou.

Propaganda - Paulo Teixeira atribuiu a rejeição ao que chamou de “máquina de propaganda” contra a proposta. “Talvez deputados não tenham se sentido encorajados a votar. Foram 11 votos a menos e eu acredito que novas rodadas poderão amadurecer um novo texto capaz de aperfeiçoar o controle do Ministério Público”, disse.

Clima - Para ele, houve um “clima nacional” contra a proposta sem levar em consideração as mudanças feitas pelo relator, deputado Paulo Magalhães. “O Ministério Público fez uma propaganda daquele texto que já não existia mais e isso cria um clima nacional contra a PEC”, disse.

Corregedor - A escolha do corregedor foi um dos pontos mais polêmicos na votação do substitutivo. Paulo Magalhães defendeu que o corregedor fosse eleito pela Câmara e pelo Senado, a partir de uma lista de cinco procuradores-gerais ou ex-procuradores-gerais de Justiça, dos Ministérios Públicos dos Estados.

Elemento democrático - Para ele, a mudança agregaria um elemento democrático à atuação do conselho. "A participação do Congresso Nacional na composição dos órgãos de Estado é tradicional em nosso constitucionalismo. A independência funcional não é irrestrita, já que o membro do Ministério Público deve respeito à Constituição e suas leis", argumentou Paulo Magalhães. "Todo agente público está sujeito a controle, de modo que todo poder seja exercido em nome do povo e no respeito do interesse coletivo", acrescentou.

Questionamento - O deputado Hildo Rocha (MDB-MA) questionou a escolha do corregedor nacional do Ministério Público pelos parlamentares. "Na Constituição não havia esta ideia de o Poder Legislativo controlar o Ministério Público. Muito pelo contrário, a ideia era tornar o Ministério Público autônomo para combater irregularidades."

Favorável - Já o deputado Henrique Fontana (PT-RS) elogiou o novo rito de escolha do corregedor. "Os 513 deputados são um colégio eleitoral mais qualificado para escolher um corregedor independente, do que se fosse escolhido por apenas 14 pessoas. Não podemos ter um CNMP especializado em proteger a corporação, nem tampouco um corregedor que a ataque", ponderou.

Vingança e abuso - O deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS) declarou ser contrário à proposta por acreditar que vai prejudicar as funções de promotores e procuradores. "A motivação desta PEC é a vingança daqueles que foram perseguidos pelos crimes que cometeram", acusou.

Punição - O autor da PEC, deputado Paulo Teixeira, rebateu que há promotores que extrapolam, abusam e cometem delitos. "Nosso respeito ao Ministério Público será maior na medida em que conseguirem punir seus membros faltosos", afirmou. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Michel Jesus / Câmara dos Deputados

 

SAÚDE I: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas

A soma de pessoas infectadas pelo novo coronavírus subiu para 21.680.488. Em 24 horas, autoridades de saúde confirmaram 15.609 diagnósticos positivos de covid-19.

Acompanhamento - Ainda há 215.205 casos em acompanhamento, de pessoas que tiveram o quadro de covid-19 confirmado.

Mortes - Já o total de pessoas que perderam a vida para a doença está em 604.288. Entre terça e quarta-feira (19 e 20/10), secretarias estaduais e municipais de saúde confirmaram 373 mortes.

Balanço diário - Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde no balanço diário dessa quarta-feira (20/10). A atualização sistematiza as informações sobre casos e mortes levantadas pelas secretarias municipais e estaduais de saúde.

Recuperadas - Até essa quarta-feira, 20.861.055 pessoas haviam se recuperado da covid-19.

Estados - São Paulo é o estado que mais registrou casos de covid-19, com 4.393.050 diagnósticos, seguido de Minas Gerais (2.172.199) e Paraná (1.539.756). São Paulo também é o estado com mais mortes, com 151.297 pessoas mortas pela doença, seguido de Rio de Janeiro (67.697) e Minas Gerais (55.281).

Vacinação - No total, até o início da noite dessa quarta-feira (20/10) o sistema do Ministério da Saúde marcava a aplicação de 262,7 milhões de doses no Brasil, sendo 151,7 milhões como primeira dose e 110,9 milhões da 2ª dose e dose única.

Aplicação - Foram aplicadas 4,3 milhões de doses de reforço. No total, foram distribuídas 320 milhões de doses a estados e municípios, tendo sido entregues 313,8. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2021-10-20 at 20.39.02

SAÚDE II: Sesa divulga mais 1.547 casos de Covid-19 e 61 óbitos

saude II 21 10 2021A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nessa quarta-feira (20/10) mais 1.547 casos e 61 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes também a meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 1.533.615 casos e 39.786 óbitos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de outubro (912), setembro (267), agosto (220), julho (45), junho (52), maio (38), abril (2), fevereiro (1) e janeiro (1) de 2021, e de dezembro (5), novembro (1), setembro (1), julho (1) e maio (1) de 2020. Os óbitos são de outubro (38), setembro (6), junho (1), março (2) e janeiro (5) de 2021, e de dezembro (3), outubro (1), setembro (2), agosto (1), julho (1) e junho (1) de 2020.

Internados - De acordo com o informe desta quarta, 435 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 346 em leitos SUS (195 em UTI e 151 em clínicos/enfermaria) e 89 em leitos da rede particular (44 em UTI e 45 em clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 1.091 pacientes internados, 637 em leitos UTI e 454 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais 61 pacientes. São 33 mulheres e 28 homens, com idades que variam de 18 a 98 anos. Os óbitos ocorreram entre 21 de junho de 2020 e 19 de outubro de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (17), Londrina (13), Foz do Iguaçu (4), Maringá (3), Guaraniaçu (2), Colombo (2), Cascavel (2) e Carambeí (2).

Uma morte - O boletim registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Vera Cruz do Oeste, Umuarama, Ponta Grossa, Ouro Verde do Oeste, Ortigueira, Mato Rico, Marechal Cândido Rondon, Jataizinho, Guarapuava, Fazenda Rio Grande, Cornélio Procópio, Centenário do Sul, Campo Mourão, Bela Vista do Paraíso, Arapongas e Altônia.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde contabiliza 6.141 casos de não residentes no Estado – 216 pessoas foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

 

Veja os relatórios de Exclusões e de Correções de municípios.

 

SAÚDE III: Primeiras doses de vacinas contra a Covid-19 exclusivas para adolescentes seguem para as regionais da saúde

 

saude III 21 10 2021A secretaria estadual da Saúde iniciou nessa quarta-feira (20/10) a distribuição de 343.772 vacinas contra a Covid-19 para as suas 22 regionais no Estado. O envio é feito por via terrestre. São 217.572 para primeira aplicação (D1) de adolescentes; 118.300 para segunda dose (D2) e 7.900 para primeira dose (D1) da população de 18 a 59 anos.

 

Primeiro lote - As doses da Pfizer/BioNTech destinadas para D1 são do primeiro lote enviado pelo Ministério da Saúde para adolescentes de 12 a 17 anos, sem comorbidades. Anteriormente, somente os grupos prioritários haviam sido contemplados. Já as D2, são para complemento do esquema vacinal da 40ª remessa de imunizantes.

 

Importância - O secretário da Saúde, Beto Preto, destacou a importância deste envio. “Insistimos para que os adolescentes também fizessem parte da vacinação contra a Covid-19. Continuamos na expectativa de que novas doses cheguem o quanto antes ao Paraná. Daremos também continuidade com as segundas doses, para a efetiva imunização da população”, disse.

 

Remanejamento - Das vacinas CoronaVac/Butantan, 14.400 doses (7.200 D1 e 7.200 D2) foram remanejadas da 2ª Regional de Saúde para o município de Maringá. As 700 doses restantes para primeira dose (D1) são do remanescente da população adulta que ainda não se vacinou. O quantitativo destinado à segunda dose (D2) é referente à 55ª remessa. Já as 1.850 doses da AstraZeneca/Fiocruz são para a população que iniciou a imunização com D1 na 43ª remessa.

 

Medicamentos - A Secretaria da Saúde também está descentralizando para as regionais mais 28.530 medicamentos elencados no chamado “kit de intubação” para atendimento a pacientes diagnosticados com a Covid-19 e que estejam internados em leitos exclusivos para a doença no Paraná. O investimento em insumos é de R$ 336,56 mil, sendo R$ 332,84 mil da própria secretaria e R$ 3,72 mil do Ministério da Saúde.

 

Vacinação - De acordo com os dados do Vacinômetro nacional, já são 14.681.547 vacinas aplicadas no Paraná. São 8.325.137 da D1 e 5.826.502 da D2. Além disso, o Estado também registra a aplicação de 25.261 doses adicionais (DA) e 178.518 DR.

 

Distribuição - Confira a distribuição de doses enviadas nessa quarta-feira (20/10) por Regional de Saúde:

 

saude III tabela 21 10 2021

 

(Agência de Notícias do Paraná)

 

FOTO: Ari Dias/ AEN

 


Versão para impressão


RODAPE