Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5199 | 18 de Novembro de 2021

PARANA.COOP+10: Fórum vai apresentar perspectivas políticas e econômicas para as eleições 2022

Em 2022, a população brasileira volta às urnas para eleger o presidente da República, governadores, senadores e deputados federais e estaduais. E como se desenha o quadro político e econômico para mais esse pleito no país? O tema estará em debate no Fórum de Educação Política que o Sistema Ocepar promove virtualmente, no dia 25 de novembro, em conjunto com o Sistema OCB. De acordo com os organizadores, além de debater as perspectivas político-econômicas, considerando as eleições do próximo ano, o evento também marca o início das atividades do Programa de Educação Política parana.coop+10, iniciativa do Sistema Ocepar lançada em 2018, cujo objetivo é sensibilizar o público cooperativista para o exercício do voto consciente.

Programação - As atividades serão abertas às 10h, com a participação dos presidentes dos Sistemas Ocepar e OCB, respectivamente, José Roberto Ricken e Márcio Lopes de Freitas. Eles vão discorrer sobre o Programa de Educação Política do Cooperativismo e a Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop). Na sequência, o doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP), Humberto Dantas, apresenta o cenário político nacional para 2022. Já o doutor em Teoria Econômica pela USP, Juan Jensen, juntamente com o economista graduado na PUC-SP e mestre em Macroeconomia e Finanças pela FGV-SP, Bruno Lavieri, vão tratar sobre a conjuntura econômica e as perspectivas para o ano que vem. As ações projetadas dentro do Programa de Educação Política do Cooperativismo para 2022 serão o último tema em pauta, com a gerente técnica, econômica e de Relações Institucionais da OCB, Clara Pedroso Maffia, e com a coordenadora de Relações Parlamentares da Ocepar, Daniely Andressa da Silva. O evento encerra às 12h.

Público e inscrições - O Fórum de Educação Política é dirigido a diretores, executivos, agentes das cooperativas do Paraná. Clique aqui para se inscrever. O link de acesso ao evento será enviado por e-mail.

 

parana coop folder 18 11 2021

EILAC: Lançamento oficial do 12º Encontro de Pesquisadores Latino-Americanos do Cooperativismo será no dia 22 de novembro

O Brasil foi escolhido pela Rede Latino-Americana de Pesquisadores do Cooperativismo (Reilac) para organizar o 12º Encontro de Pesquisadores Latino-Americanos do Cooperativismo (Eilac), que será realizado entre os dias 27 e 29 de julho de 2022, em formato híbrido, sendo que a parte presencial ocorrerá no campus da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba. O tema do evento será “O futuro das cooperativas e o cooperativismo do futuro: identidade e resiliência em tempos de (pós) pandemia”.

Lançamento - Detalhes sobre o 12º Eilac poderão ser conferidos na próxima segunda-feira (22/11), durante o evento de lançamento do Encontro, das 14h às 15h. As inscrições são gratuitas e podem ser efetivadas pelo link https://ciente.studio/eilaclancamento. Na oportunidade, a presidente da Aliança Cooperativa Internacional para as Américas (ACI-Américas), Graciela Fernandez, irá ministrar palestra sobre os desafios do cooperativismo e as contribuições da pesquisa para o setor. Depois, haverá um debate a respeito da importância da interação entre a pesquisa, as cooperativas e eventos como Eilac, com a participação de Claudia Sanches, do Comitê de Pesquisa da Aliança Cooperativa Internacional (CCR-ICA), Mirta Vuotto, da Reilac, e da superintendente do Sistema OCB, Tânia Zanella. Ao final, os representantes do comitê local realizam o lançamento oficial do 12º Eilac.

 

eilac 18 11 2021

 

 

REVISTA AMANHÃ: Cooperativas agro paranaenses estão entre os destaques do ranking das 500 maiores do Sul

revista amanha 18 11 2021É certo dizer que o agronegócio ajudou a reduzir o tamanho dos prejuízos durante a pandemia e está se mostrando o motor para a recuperação da economia brasileira. Tanto é que empresas deste segmento e afins foram destaque no ranking das 500 Maiores do Sul, levantamento anual da revista Amanhã e consultoria PwC Brasil que avalia o ano de 2020. Do total, 88 empresas ligadas ao setor estão entre as 500 maiores marcas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Crescimento - Conforme apontam os especialistas da PwC Brasil, nota-se que houve um crescimento no número de cooperativas entre as 500 maiores empresas do Sul, o que demonstra o fortalecimento do cooperativismo na região. Segundo a Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), em 2020, as cooperativas paranaenses do ramo agropecuário atingiram faturamento de R$ 100,3 bilhões, 37,1% a mais que o movimentado no ano anterior. As cooperativas na Região Sul são extremamente importantes para o agronegócio na região, visto que são responsáveis tanto pela distribuição de insumos quanto financiamentos e comercialização de commodities.

Processadoras e tradings - Igualmente, destaca-se o segmento de processadoras e tradings. Segundo o ranking, essas apresentaram crescimento em todos os indicadores financeiros analisados, destacando-se aumento de 32,8% no VPG e 24,4% no patrimônio líquido.

Insumos agrícolas - É possível perceber também a maior presença de empresas do segmento de insumos agrícolas, como sementes, defensivos e biotecnologia. O número de empresas presentes no ranking das 500 maiores do Sul de 2020 teve um aumento de 50% em comparação ao ano anterior.

Evento - Esta e outras informações serão detalhadas no evento de premiação do ranking 500 Maiores do Sul, nesta quinta-feira (18/11), a partir das 19h, em transmissão para a imprensa e representantes de empresas no canal do Grupo Amanhã no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=sLaprz_z7RQ). (Assessoria de Imprensa da revista Amanhã)

 

PL 2.541/2021: OCB comemora aprovação de desoneração da folha na Câmara

pl 18 11 2021A prorrogação da desoneração da folha de pagamento (PL 2.541/2021) para os setores que mais empregam no Brasil foi aprovada nessa quarta-feira (17/11) pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados.

Consenso - Em consenso com o Poder Executivo, a prorrogação será mantida até o dia 31 de dezembro de 2023 e permite às empresas beneficiadas substituir a contribuição previdenciária, de 20% sobre os salários dos empregados, por uma alíquota sobre a receita bruta, que varia de 1% a 4,5%. Como a proposta tem tramitação conclusiva e teve acordo entre os líderes partidários, deve seguir para apreciação do Senado sem necessidade de aprovação pelo plenário.

Apoio - Único item de votação da reunião da CCJC dessa quarta-feira, o projeto contou com o apoio de vários partidos. Em sua manifestação, o deputado Efraim Filho (DEM-PB), autor da proposta, agradeceu ao que chamou de “construção plural”. “É uma solução importante nesse momento de retomada da economia que tem o objetivo de preservar empregos e gerar novas oportunidades. É um projeto ganha-ganha e que valoriza quem produz neste país”, afirmou.

Aceitável - O parlamentar também destacou que a prorrogação pelo prazo de dois anos é razoável e plenamente aceitável. “O que realmente importa agora é destacar o conceito da proposta que preza pela responsabilidade fiscal. Se a medida não aumenta a arrecadação também não onera o governo. A oneração, ocorreria, na verdade, caso houvesse demissões em massa como previsto caso o benefício fosse encerrado”.

Modelo - Efraim Filho disse ainda que espera que nesse prazo de dois anos seja efetivamente trabalhada um modelo de desoneração ampla e que não beneficie apenas alguns setores. “O que temos hoje é um imposto burro. Não é compreensível fazer quem mais emprega pagar mais. É um equívoco que precisa ser revisto porque acaba por desestimular a geração de novos postos de trabalho”, concluiu.

Proteína animal - A desoneração beneficia 17 setores, entre eles o de proteína animal. A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), uma das representantes da cadeia da avicultura e suinocultura, participou ativamente das discussões do projeto e chegou a apresentar nota técnica em favor da sua aprovação em conjunto com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Vitória - Para o presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, a prorrogação da desoneração representa uma vitória importante para o país como um todo. “Sem essa política, pelo menos 120 mil famílias de pequenos produtores que abastecem tanto o mercado interno quanto externo poderiam ser diretamente impactadas apenas no que diz respeito aos setores da avicultura e suinocultura”.

Emprego e renda - Atualmente, as cadeias produtivas da avicultura e suinocultura geram mais de 4 milhões de empregos diretos e indiretos e mais de R$ 120 bilhões em VBP (Valor Bruto de Produção), além de ocupar a liderança mundial nas exportações de carne de aves e o quarto lugar entre os maiores exportadores de carne suína, somando cerca de 5 milhões de toneladas em volume total. (OCB)

FOTO: Billy Boss / Câmara dos Deputados

 

REFORMA TRIBUTÁRIA: Inclusão da definição do ato cooperativo na PEC 110 avança

reforma tributaria 18 11 2021A gerente geral da OCB, Fabíola da Silva Nader Motta, se reuniu nessa quarta-feira (17/11) com a assessoria técnica do senador Roberto Rocha (MA), relator da PEC 110/2019, que trata sobre a Reforma Tributária, para debater a importância da definição do ato cooperativo no novo modelo de tributação trazido pela proposta.

Importância - Durante a reunião, a OCB falou sobre a importância do ato cooperativo, que não é um benefício fiscal, e explanou ao gabinete o histórico de insegurança jurídica vivenciado pelas cooperativas pela falta de um texto que defina o ato cooperativo.

Novo sistema - A assessoria do senador Roberto Rocha explicou o novo sistema proposto pela PEC 110/19, no modelo IVA Dual que tem por princípio a neutralidade e, no qual, acredita-se que não haverá uma tributação mais gravosa para as cooperativas. A assessoria também concordou com a necessidade de uma correta tributação para as sociedades cooperativas, por meio da definição do ato cooperativo.

Receita Federal e Consefaz - Representantes da Receita Federal e do Comitê Nacional de Secretarias de Fazenda (Consefaz) também participaram da reunião. A Receita Federal apresentou ressalvas ao texto atual da emenda 8. Com isso, a OCB deverá trabalhar um texto que defina o ato cooperativo e que tenha consenso com a Receita Federal e o Consefaz. (OCB)

 

PNAE: Novo limite para os agricultores familiares

pnae 18 11 2021O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) publicou a Resolução Nº 21/2021, que dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos estudantes no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A principal alteração está no limite individual de venda do agricultor familiar e do empreendedor familiar rural que passou de R$ 20 mil para R$ 40 mil.

Participação ativa - O Sistema OCB tem participado ativamente nos últimos anos da formulação das políticas públicas voltadas à agricultura familiar, e o aumento do limite de comercialização no âmbito do PNAE era um dos pleitos para um escoamento mais efetivo da produção vinculada às cooperativas fornecedoras.

Adaptações - Com a instalação da pandemia, foram necessárias adaptações nos normativos do PNAE para que os impactos para os alunos, beneficiários da política pública, e para os agricultores familiares, fornecedores dos gêneros alimentícios, fossem minimizados, a exemplo da continuidade do fornecimento dos alimentos às famílias dos estudantes por meio de kits.

Aulas presenciais - Com a retomada das aulas presenciais em todo o país, o FNDE percebeu a necessidade de adequar as condições do programa mais uma vez, ampliando o limite de fornecimento dos agricultores familiares, parceiros de suma importância na missão de garantir a segurança alimentar e nutricional dos estudantes.

Positivas - Para as cooperativas da agricultura familiar que atuam ou que pretendem comercializar seus produtos no âmbito do PNAE as mudanças são positivas. Com o programa passando a operar com novos limites individuais de venda do agricultor familiar, o montante passível de ser comercializado por meio das cooperativas detentoras da DAP Jurídica segue sem alterações, onde o montante máximo a ser contratado deve ser o resultado do número de agricultores familiares, munidos de DAP Física, inscritos na DAP Jurídica multiplicado pelo limite individual de comercialização.

Serviço especial - A OCB dispõe de um serviço especial voltados às cooperativas registradas, de acompanhamento dos editais lançados pelo governo nos níveis municipal, estadual e nacional. Acesse: https://conexao.coop.br/mercado-nacional/compras-publicas/ (OCB)

FOTO: Hedeson Alves / AEN

 

SICOOB: Educador financeiro orienta como aproveitar com consciência o novembro de descontos

sicoob 18 11 2021Este mês, tanto as pequenas quanto as grandes redes varejistas anunciam a participação no maior período de promoções e descontos do país. Frenesi entre os consumidores, mesmo durante a pandemia, novembro de 2020 movimentou mais de R$ 5 bilhões nas lojas on-line e físicas, cerca de 30% a mais do que em 2019, segundo a Neotrust/Compre&Confie.

Orientações - Mas é possível aproveitar os descontos e, mesmo assim, fazer compras com consciência? Para auxiliar os consumidores nesta missão, o educador financeiro Eduardo Souza Trigueiro, do Sicoob, separou algumas orientações.

Descontos - A data, que este ano acontece oficialmente em 26 de novembro, ocorre nas proximidades das festas de fim de ano, em que também é esperado um crescimento nas vendas, principalmente em meio a tantas ofertas irresistíveis. No entanto, nem sempre esses descontos valem a pena.

Mais caros - "Percebemos em períodos anteriores que, muitas vezes, aqueles produtos anunciados como se estivessem em uma oferta tentadora, estão muito mais caros do que o normal. É a metade do dobro. Imagino que esse ano não será diferente, por isso a pesquisa dos preços ao longo do ano é fundamental", diz Eduardo.

Pesquisa - Se o consumidor já estava esperando um momento propício para efetuar a compra de determinado produto, vale a pena fazer a pesquisa do valor, evitando, assim, sustos futuros. Além da comparação, o educador financeiro listou outras formas de aproveitar as ofertas de novembro:

Evite compras por impulso - Geralmente, as pessoas não se planejam para este período, compram pelo impulso de ter um preço menor do que anunciado antes. Portanto, sabendo da proximidade da data, veja se terá como arcar com a fatura do cartão de crédito.

Cuidado com os parcelamentos - Evite parcelamentos longos. "No último ano, fomos pegos de surpresa com a pandemia da Covid-19 e isso nos mostrou como a nossa situação pode mudar rapidamente, de um dia para o outro", destaca. Para ajudar, se pergunte: até quanto posso garantir do meu orçamento para pagar essas parcelas?

Antecipe os presentes de fim de ano - Se você já sabe qual presente vai dar ao familiar e/ou no amigo secreto, os descontos de novembro são uma excelente oportunidade para antecipar os mimos.

Faça um planejamento financeiro - Não precisa gastar mais do que ganhar e nem ser escravo de anotações para ter um planejamento financeiro. "Faça pequenas anotações colocando o limite da sua renda mensal, tirando os descontos na carteira e contas fixas".

Acesse as Clínicas Financeiras - Se ainda assim você não conseguiu se organizar, acesse o site das Clínicas Financeiras Virtuais e agende um papo com orientador financeiro do Sicoob. É simples, intuitivo e gratuito. "Por lá, nós damos dicas e ajudamos a fazer o planejamento financeiro. Não precisa ser cooperado ou ter qualquer ligação com o Sicoob. É um serviço voltado totalmente à população", destaca Eduardo.

Sobre o Sicoob - Instituição financeira cooperativa, o Sicoob tem mais de 5,3 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, marketplace, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em mais de 300 municípios. É formado por 360 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3.563 pontos de atendimento em 1.952 cidades brasileiras. Acesse o site para mais informações. (Imprensa Sicoob)

FOTO: Elisa Riva / Pixabay

 

SICOOB SUL: Cooperativa inaugura escritório de negócios em Curitiba

sicoob sul 18 11 2021Curitiba acaba de ganhar mais um ponto de atendimento do Sicoob Sul. O novo escritório de negócios da cooperativa, inaugurado no último dia 8, fica na Av. Vereador Toaldo Túlio, 4156, e tem um novo conceito de atendimento.

Espaço mais moderno - Com um espaço mais moderno, o local não tem caixas eletrônicos, mas conta com mesas e ambientes mais aconchegantes para que os cooperados utilizem para um bate-papo ou para uma reunião mais informal, por exemplo.

Próximos passos - Segundo a gerente de Relacionamento, Amanda Lima Farias, a equipe está entusiasmada com o novo escritório de negócios e já pensa nos próximos passos. “Nossos esforços serão para estreitar o relacionamento com nossos cooperados, proporcionando um atendimento diferenciado", relata. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICREDI VANGUARDA: Manifesto é lançado no aniversário de 38 anos

sicredi vanguarda 18 11 2021Segundo o dicionário, a palavra vanguarda significa estar à frente, remete a inovação, de ideias, de tendências, de opiniões e pontos de vista. Já a palavra manifestar é tornar algo público, se expressar. Quando nos manifestamos, deixamos nossa essência transparecer. Um manifesto é aquilo que somos de mais profundo, nosso propósito, nossa missão, nosso DNA!

Humanização - O Sicredi sempre esteve na vanguarda quando falamos em humanização, unindo pessoas e processos num mesmo propósito, “construir juntos uma sociedade mais próspera”. Nessa quarta-feira (17/11), ao completar 38 anos, a Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ manifestou aquilo que a cooperativa tem de mais precioso, a sua essência!

À frente- Estar um passo à frente em desenvolvimento para o nosso associado, não está só nos planos da cooperativa, está em seu nome: Sicredi Vanguarda!

Vídeo - Link do vídeo: https://wetransfer.com/downloads/f7b7c93b17625f9158446a329eabaaea20211117000002/029727

Redes Sociais - Acesse as redes sociais da Sicredi Vanguarda:

Facebook: https://fb.watch/9kPXdKaV6r/

YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=KdcThsoMUKI

Instagram: https://www.instagram.com/tv/CWX8a-CA1Qk/?utm_medium=copy_link

(Imprensa Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ)

 

SICREDI UNIÃO PR/SP I: Premiada como cooperativa de crédito mais lembrada entre os londrinenses

sicredi uniao I 18 11 2021A Sicredi União PR/SP recebeu o prêmio Top de Marcas Londrina, na categoria Serviços, como instituição financeira cooperativa mais lembrada entre os londrinenses e, também, levou para casa o troféu Top Valor 2021. Esta última premiação evidencia que o compromisso da Sicredi União PR/SP em ser relevante para o desenvolvimento econômico e social da comunidade onde a cooperativa de crédito está inserida e todas as iniciativas de inovação e aproximação com seu público são percebidas pela sociedade.

Valor e propósitos - No Top Valor, sete jurados especialistas em marketing, publicidade e propaganda de Londrina responderam as seguintes perguntas para eleger as campeãs: dentre as marcas mais lembradas em todos os segmentos do Top de Marcas 2021, quais são aquelas que mais geram valor à sociedade?; Quais são transparentes ao entregar a experiência prometida e se esforçam para facilitar a vida dos consumidores?; Quais são as empresas que melhor comunicam valores e propósitos e que, de fato, ajudam a transformar a sociedade onde estão inseridas?

Iniciativas inovadoras - Na opinião dos jurados, foram pontos fortes na avaliação as iniciativas inovadoras na oferta de serviços e de aproximação com o público adotados pela cooperativa. Entre essas iniciativas, os jurados citaram o Espaço CoopConecta, localizado na avenida Ayrton Senna, em Londrina (PR), e também a campanha Eu Coopero com a Economia Local, desenvolvido durante a pandemia com objetivo de incentivar e fortalecer a realização de negócios na própria comunidade.

O que faz a diferença - A Sicredi União PR/SP também recebeu o Top de Marcas na categoria Top Serviços como Instituição Financeira Cooperativa mais lembrada pelos londrinenses. Mesmo durante a pandemia, o propósito da cooperativa de estar próximo de seus associados, mantendo a tradição de num relacionamento personalizado, continuou fazendo a diferença. “Agimos e continuamos presentes na vida e negócios de nossos associados, colaboradores e associados. Conseguimos reagir rapidamente e manter nosso foco”, comenta Carla Sonoda, gerente de Desenvolvimento Regional da cooperativa.

Desenvolvimento - Ela cita que a equipe realizou muitas ações e conseguiu mostrar os diferenciais do cooperativismo de crédito e o quanto a cooperativa se importa e se preocupa com a saúde dos negócios dos associados e com o desenvolvimento das regiões onde está presente. “Costumamos dizer que serviços de instituições financeiras são muito semelhantes. O que nos diferencia é justamente estar lado a lado dos associados, independentemente do tamanho e da movimentação de cada um. A Sicredi União PR/SP é única instituição financeira em várias localidades. Aqui próximo a Londrina, por exemplo, só nós estamos em Guaravera. E isso porque temos uma visão que não está atrelada ao lucro apenas. Claro que precisamos ser sustentáveis, até mesmo para preservar os associados, mas temos como princípio também atender e ajudar no desenvolvimento das comunidades onde atuamos. Acredito que isso ficou mais claro para todos nesse período de pandemia”, menciona.

Representação - Carla Sonoda e a gerente da agência de Cambé (PR), Ivângela Palermo, representaram a cooperativa na cerimônia de entrega da premiação. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI UNIÃO PR/SP II: Agência de Bela Vista realiza evento sobre Novembro Azul

A exemplo do que foi realizado no Outubro Rosa, quando o objetivo era dar destaque às informações sobre a saúde da mulher, a agência da Sicredi União PR/SP de Bela Vista do Paraíso (PR) realiza evento sobre o Novembro Azul, com foco na saúde do homem, no próximo dia 27 de novembro. O encontro será às15 horas, na igreja Matriz São João Batista.

Palestra - O médico Marco Aurélio Rodrigues, da Urolit – Londrina (PR), fará palestra sobre o tema. O evento é aberto a todos os interessados. “Convidamos a comunidade a participar. Nosso objetivo é alertar para a importância do homem também se cuidar”, comenta o gerente da agência Rosiel Martins. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI PLANALTO DAS ÁGUAS: Intercooperação no Novembro Azul

sicredi planalto aguas 18 11 2021Nessa quarta-feira (17/11) foi comemorado o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, data que deu origem ao movimento Novembro Azul, em 2003, na Austrália. Para refletir sobre o tema, a Sicredi Planalto das Águas PR/SP, em parceria com a Unimed Guarapuava, promoveu um bate-papo online com o urologista Vinicius Rocha Selemme, direcionado aos colaboradores das duas cooperativas.

Diagnóstico precoce - “Sabemos que o diagnóstico precoce é responsável por tratar e até mesmo curar doenças graves que atingem o público masculino, mas para isso é necessário a visita periódica ao médico”, destaca o Dr. Vinicius. Nesse sentido, a conversa trouxe à tona um assunto que deve ser levado muito a sério pelos homens: a importância de reservar um tempo para cuidar da saúde.

Dicas - O bate-papo reuniu aproximadamente 60 colaboradores do Sicredi e Unimed e rendeu várias dicas sobre cuidados especiais com a saúde do homem, apresentando um panorama sobre o tipo de câncer de próstata, que é o tipo que mais acomete os homens.

Intercooperação - “Além de reservar um momento para tratar de um assunto tão relevante, trazendo aos colaboradores das cooperativas a importância da reflexão sobre os cuidados com a saúde, a parceria entre Sicredi e Unimed reforça um dos um dos sete princípios do cooperativismo, que é a intercooperação, que incentiva a parceria entre as entidades para fortalecer o movimento cooperativista, trazendo inúmeros benefícios aos associados e à sociedade”, enfatiza o presidente da Sicredi Planalto das Águas PR/SP, Fabio Peterlini. (Imprensa Sicredi Planalto das Águas PR/SP)

 

COOPAVEL: Cooperativa participa de busca ativa do Comboio da Saúde por não vacinados

Trabalhadores da área industrial da Coopavel, que por um motivo ou outro ainda não haviam tomado a primeira dose contra o coronavírus, tiveram a chance na terça-feira (16/11) de se imunizar contra a doença. A cooperativa recebeu o Comboio da Saúde, unidade de atendimento móvel da Prefeitura de Cascavel. A abertura dos trabalhos foi acompanhada pelo prefeito Leonaldo Paranhos e pelo presidente da Coopavel Cooperativa Agroindustrial, Dilvo Grolli.

Disciplina - Paranhos fez menção à disciplina da cooperativa que, de forma ágil e eficiente, protegeu seus funcionários e atendeu aos mais diversos protocolos sanitários para minimizar riscos e efeitos da pandemia. “E os resultados são excelentes, porque mesmo com 7,5 mil colaboradores o índice de mortalidade na Coopavel é próximo de zero”, afirmou o prefeito. A busca ativa por não vacinados acontece em grandes empresas de Cascavel e dá oportunidade a quem ainda não recebeu a primeira dose de iniciar a imunização.

Orientações - O trabalho de busca ativa é complementado por orientações e informações que ressaltam a importância da segunda dose e da dose de reforço a idosos e a vulneráveis. “Cascavel e o Paraná estão muito bem, com recuo no número de casos e flexibilização dos decretos de restrições. No entanto, as notícias de aumento de contaminados que vêm da Europa e da Ásia preocupam. E os acometidos pela doença por lá são em grande parte os não imunizados. Por isso, estamos adotando essa tática de ir até as pessoas e oferecer a chance para que recebam a vacina”, ressalta Leonaldo Paranhos.

Sem internados - O prefeito disse, durante sua visita ao parque industrial da Coopavel, que a meta da administração pública de Cascavel é virar o ano com nenhuma pessoa internada com coronavírus. “Estamos trabalhando muito para consolidar isso. E estamos otimistas”, afirmou Paranhos. Os trabalhadores que recebem a primeira dose nesta semana, nas empresas visitadas pela busca ativa, participarão de um calendário específico para receber a segunda, e o reforço caso necessário, conforme prazos recomendados.

Eficiente - O presidente Dilvo Grolli parabenizou a atuação de Paranhos e da administração pública no enfrentamento da pandemia. “O trabalho tem sido bastante eficiente e os números registrados no município servem de referência para o Brasil. A saúde preventiva é muito importante. E essa busca ativa aqui, por não vacinados, repercute em um universo de 60 mil pessoas que, por meio dos funcionários e dos cooperados, são ligadas à Coopavel”, afirmou Dilvo. (Imprensa Coopavel)

{vsig}2021/noticias/11/18/coopavel/{/vsig}

ACBH: Mulheres rompem preconceitos e conquistam espaço no cooperativismo

O espírito de liderança de Débora Noordegraaf fez com que ela fosse considerada pela Forbes uma das 100 Mulheres Poderosas do Agro. A suinocultora de Castro (PR) começou a se interessar pelo trabalho com o cooperativismo por conta do marido que também atua no setor. A partir disso, ela ficou motivada a conquistar seu próprio espaço e olhar com atenção para as mulheres que trabalham no campo. “Eu entrei para a Comissão Mulher Cooperativista da Castrolanda e isso fez com que eu desenvolvesse meu espírito de liderança, de trabalhar em prol da comunidade e de outras mulheres do agronegócio”, conta.

Protagonismo feminino - A comissão de Castrolanda, colônia holandesa da cidade de Castro, é um dos grupos mais antigos de mulheres cooperativistas. Há 12 anos buscam promover formação no protagonismo feminino. “O prêmio é um reconhecimento não só para mim, mas também pelas histórias de todas essas mulheres. É um novo estímulo para dar o meu melhor na minha propriedade e também na comissão”, reflete.

Exceção - Mas Débora, infelizmente, ainda é exceção no setor, que precisa garantir avanços para o crescimento feminino na área. De acordo com o Censo Agropecuário 2017, as mulheres são proprietárias de somente 19% dos estabelecimentos agrícolas. Outra pesquisa, da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), mostra que 26% dos cargos de decisão e comando nas atividades produtivas são de mulheres.

Melhora - Apesar das dificuldades, a expectativa é de melhora e de crescimento da atuação das mulheres no campo e no cooperativismo. O próprio levantamento da ABMRA aponta que 94% dos produtores rurais entrevistados consideram a mulher vital ou muito importante para o negócio rural. “Eu acredito que já está tendo mudanças. As mulheres estão sendo vistas com outro olhar, o de que são muito capacitadas. Com isso, acho que já teve uma grande melhoria”, diz Débora. E, sendo assim, ela destaca a importância de formar mulheres líderes. “Esse ano, o nosso trabalho já foi muito reconhecido. Então, a tendência é que a mulher se desenvolva cada vez mais, seja em sua propriedade ou na cooperativa”, complementa.

Outros setores - E a presença das mulheres no cooperativismo não fica só no campo. Em outros setores, como o do turismo, elas também estão buscando novos espaços e, principalmente, mais protagonismo. Douwtje Van Westering Machado, descendente dos imigrantes holandeses que chegaram a Carambeí (PR), está à frente da Cooperativa Paranaense de Turismo (Cooptur). De acordo com dados do Ministério do Turismo, dos guias de turismo registrados no Cadastur, mais da metade são mulheres, mostrando grande presença feminina no setor.

Fundamental - Douwtje adora conversar sobre a cultura holandesa e acredita que o turismo é fundamental para manter as tradições do país. “A manutenção da cultura holandesa pelo turismo é extremamente importante. É dessa forma que conseguimos passar para as pessoas quem nós somos, o que é a cidade de Carambeí e quem foi o grupo que chegou em 1911. E nas nossas tradições as mulheres têm um papel muito importante para manter a família unida na igreja, na escola e no cooperativismo”, conta.

Fomento - A conselheira da Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH), Tineke Voorsluys, considera que a cultura holandesa auxilia muito no fomento à presença feminina nas diversas áreas de trabalho. “A Holanda é um dos países que têm maior igualdade entre mulheres e homens. Por isso, acreditamos que a mulher pode estar em qualquer setor da sociedade, principalmente no campo”, destaca.

Sobre a ACBH - A Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH) é uma organização formada por holandeses e descendentes de holandeses no Brasil, oriundos de diversas colônias. Visa preservar o patrimônio histórico artístico e cultural holandês e brasileiro para a posteridade. Também quer incentivar, desenvolver e divulgar as várias formas de expressão cultural. Mais informações: https://www.acbh.com.br/. (Assessoria de Imprensa da ACBH)

{vsig}2021/noticias/11/18/acbh/{/vsig}

MAPA: Autoridades e empresários da Rússia garantem a continuidade da exportação de fertilizantes ao Brasil

mapa 18 11 2021A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) reuniu-se nessa quarta-feira (17/11) com autoridades e empresários da Rússia, em Moscou, para falar sobre o fornecimento de fertilizantes para o Brasil. Todos garantiram que não vão deixar de cumprir os contratos de fornecimento de fertilizantes ao Brasil, com possibilidade de aumentar o volume de exportações.

Garantia - "Tivemos aqui a garantia, tanto do governo russo quanto das empresas de fertilizantes, de que nós não teremos problemas com a entrega de fertilizantes, tanto de potássio quanto dos fosfatos", anunciou a ministra.

Manutenção - O Ministro do Desenvolvimento Econômico da Rússia, Maksim Reshetnikov, assegurou a manutenção do fornecimento ao Brasil de fertilizantes de potássio e fosfato e, se possível, aumento de exportações para a próxima safra. “O ministro reforçou que o Brasil é um parceiro estratégico e que podemos ficar absolutamente tranquilos com o fornecimento de potássio e fósforo”, comemorou Tereza Cristina, após o encontro.

Reunião - A ministra brasileira se reuniu com o vice-presidente da produtora global de fertilizantes minerais complexos Acron, Vladimir Kantor, que garantiu o aumento de ao menos 10% das exportações de fertilizantes para o Brasil. Ele também informou sobre o prosseguimento das negociações para a aquisição dos ativos da Petrobras da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados (UFN-3), em Três Lagoas (MS).

Parceria - O CEO da empresa russa PhosAgro, Andrey Guryev, também garantiu o fornecimento de fertilizantes ao Brasil. “O Brasil pode contar conosco como parceiro para garantir fornecimento de fertilizantes ao Brasil", disse Guryev à ministra Tereza Cristina. A holding química russa é produtora de fertilizantes, fosfatos e fosfatos para alimentação animal, sendo um dos principais fabricantes mundiais de fertilizantes fosfatados.

Investimentos - A ministra Tereza Cristina ouviu do CEO da EuroChem, Vladimir Rashevskiy, planos de investimentos da empresa no Brasil para aumento da produção nacional de fertilizantes. A EuroChem é líder mundial na produção de fertilizantes nitrogenados, fosfatados e potássicos.

Negociação - O objetivo da viagem da ministra é abrir negociação com os principais fornecedores de fertilizantes, produto essencial para a produção agropecuária que enfrenta restrições na oferta mundial.  

Parcela - A Rússia representa cerca de 20% do total de fertilizantes importados pelo Brasil. Recentemente, o governo russo anunciou restrições às exportações de fertilizantes nitrogenados por meio de cotas de exportação pelo período de seis meses a partir de 1º de dezembro, com o objetivo de evitar escassez no mercado interno.

Companhia - As reuniões foram acompanhadas pelo secretário de Comércio e Relações Internacionais do Mapa, Orlando Leite Ribeiro, pelo diretor do Departamento de Promoção Comercial e Investimentos, Jean Marcel Fernandes, e pelo embaixador do Brasil na Rússia, Rodrigo Baena.  

Encontro - Nesta quinta-feira (18/11), Tereza Cristina deve se reunir com o CEO da Uralkali, produtora e exportadora russa de fertilizantes à base de potássio.

Exportações de carne - Tereza Cristina também se reuniu em Moscou com o chefe do Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia, Sergey Dankvert, que garantiu a realização de uma visita de inspeção ao Brasil, ainda no primeiro trimestre de 2022, o que possibilitará a habilitação de novas plantas frigoríficas brasileiras para exportação.

Cota - O governo Russo anunciou que abrirá uma cota de 300 mil toneladas de carne (200 mil toneladas de carne bovina e 100 mil toneladas de carne suína) com tarifa zero de importação por seis meses, mercado que pode ser utilizado pelo Brasil. A tarifa de importação hoje, até 530 mil toneladas, é de 15%. (Mapa)

 

SEMANA DE CONSCIENTIZAÇÃO Campanha mundial alerta para os cuidados no uso de antimicrobianos

semana conscientizacao 18 11 2021Com o slogan “Antimicrobianos: Manuseie com Cuidado - compartilhe o alerta, detenha a resistência!”, a Aliança Tripartite - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e Organização Mundial de Saúde (OMS) - promove, de 18 a 24 de novembro, a Semana Mundial de Conscientização sobre o Uso de Antimicrobianos (WAAW 2021 – sigla em inglês).

Problema global - A disseminação da resistência aos antimicrobianos (AMR) - quando microrganismos, como as bactérias, por exemplo, se tornam resistentes aos medicamentos de tratamento - é um problema mundial com reflexos na saúde humana e animal.

Sensibilização - A campanha, realizada todos os anos no mês de novembro, visa sensibilizar, no contexto da Saúde Única, a conscientização global sobre a resistência aos antimicrobianos e incentivar as melhores práticas entre o público em geral, estudantes, trabalhadores da saúde e formuladores de políticas para evitar o surgimento e a disseminação da AMR.

Medicamentos - “Os antimicrobianos são medicamentos utilizados no tratamento de infecções, principalmente as de origem bacteriana, e são essenciais para a preservação da saúde humana e animal, bem como do bem-estar animal. Para preservar a eficácia desses valiosos medicamentos é fundamental que seja garantindo o seu uso responsável e prudente”, orienta o diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes.

Programação - O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) participa da campanha desde 2015. Entre as ações realizadas durante a semana de 2021, no dia 22/11, o Mapa realizará, em parceria com a Aliança e o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (Panaftosa), o evento virtual: "A Força-Tarefa do Codex Alimentarius para Resistência aos Antimicrobianos terminou. E agora?", com transmissão pelo Youtube.

Mais - Nos dias 23 e 24/11, será realizado outro evento virtual em conjunto com o Ministério da Saúde, Anvisa e Organização Panamericana de Saúde (OPAS/OMS), a partir das 15h.

Programação completa - A programação completa da Semana Mundial de Conscientização sobre o Uso de Antimicrobianos e links para acesso aos eventos estão disponíveis no site do Ministério da Agricultura.

Plano de Ação - As atividades para estimular o uso racional de antimicrobianos em animais estão previstas no Plano de Ação Nacional para Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos no âmbito da Agropecuária (PAN-BR AGRO), publicado em 2018 pelo Ministério da Agricultura. O uso inadequado ou excessivo de medicamentos aumenta o risco de resistência aos antimicrobianos e, em todo o mundo, pessoas, plantas e animais estão morrendo de infecções que não podem ser tratadas, mesmo com os mais poderosos antimicrobianos.

Resistência aos antimicrobianos - A resistência aos antimicrobianos (AMR) é um dos maiores desafios para a saúde pública, com importante impacto na saúde humana e animal. Estima-se que se nada for feito para reverter essa situação, a AMR em 2050 será responsável por 10 milhões de mortes anuais em humanos, tornando-se mais letal até mesmo do que o câncer.

Prejuízos econômicos - Além de mortes de humanos e animais, há também prejuízos econômicos causados pela AMR, pela redução na produtividade e pelo aumento de custo de internações e tratamentos, entre outros. Segundo dados da FAO, US$ 1,2 trilhão de gastos adicionais com saúde por ano é esperado até 2050 devido ao aumento da resistência aos antimicrobianos. E, dentre as principais causas para o aumento da AMR, pode-se destacar o mau uso de medicamentos antimicrobianos veterinários e humanos.

Desafios prioritários - “A conscientização dos médicos veterinários, técnicos, produtores, e sociedade em geral sobre a obrigatoriedade de prescrição para antimicrobianos de uso veterinário, sobre a importância do uso racional de antimicrobianos em animais, e sobre a necessidade de uma efetiva implementação de boas práticas e bem-estar na produção animal, são desafios prioritários no trabalho de enfrentamento à resistência aos antimicrobianos no Brasil e no mundo”, destaca o chefe da Divisão de Programas Especiais da coordenação-geral de Produtos de Uso Veterinário, Diego Brito.

Obrigatória - No Brasil é obrigatória a prescrição veterinária para a comercialização dos produtos antimicrobianos de uso veterinário, estabelecido pela Instrução Normativa Mapa nº 26/2009, e para os produtos destinados à alimentação animal contendo esses medicamentos, de acordo com a Instrução Normativa SDA/Mapa nº 65/2006.

Programa de Vigilância da Resistência aos Antimicrobianos - Em março de 2021, o Mapa implementou o Programa de Vigilância e Monitoramento da Resistência aos Antimicrobianos no Âmbito da Agropecuária com objetivo de avaliar riscos, tendências e padrões na ocorrência e disseminação da AMR por meio de alimentos de origem animal produzidos no Brasil, bem como prover dados essenciais para análises de risco relevantes à saúde animal e humana.

Tomadas de decisões - As informações geradas a partir do programa irão embasar as tomadas de decisões, o estabelecimento de políticas públicas e a alocação apropriada de recursos nas ações de prevenção e contenção da AMR na cadeia de produção de alimentos. (Mapa)

 

ECONOMIA: Governo reduz previsão de crescimento da economia para 5,1% este ano

economia 18 11 2021A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia reduziu a projeção para o crescimento da economia este ano e elevou a estimativa para a inflação, de 7,9% para 9,7%, por influência da alta nos preços dos combustíveis e energia elétrica. Os dados estão no Boletim MacroFiscal divulgado nessa quarta-feira (17/11).

PIB - A estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país) caiu de 5,3% para 5,1% em 2021, em relação ao último boletim, divulgado em setembro. Entre os fatores que motivaram a revisão para baixo está a piora nas condições financeiras do país, com alta da inflação, elevação mais intensa dos juros e depreciação do câmbio.

Selic - Nos últimos meses, o Banco Central vem promovendo a elevação da taxa básica de juros, a Selic, para conter o avanço da inflação. Hoje, a Selic está fixada em 7,75% ao ano e deve subir mais uma vez na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em dezembro.

Cenário internacional - Além disso, há piora no cenário internacional. De acordo com a SPE, assim como no Brasil, na China e em alguns países europeus há problemas na oferta de energia, com forte elevação dos preços na Europa e racionamento na China. A quebra de cadeias produtivas também está prejudicando a indústria e reduzindo sua produção devido à falta de insumos.

Efeitos negativos - “Os efeitos negativos na oferta e a maior demanda global são notórios e podem ser vistos na pressão no nível de preços. Cita-se o elevado nível do preço das commoditites, com destaque para os valores da energia, alimentos e metais industriais. A inflação de itens que não são apenas de alimento e energia tem assolado diversos países”, diz o boletim.

Desaceleração - No Brasil, a atividade econômica desacelerou ao longo do terceiro trimestre de 2021, decorrente do desempenho da indústria e do comércio, e houve estabilização dos indicadores de produção agropecuária. “Por outro lado, notou-se continuidade da expansão dos serviços. Nesse mesmo sentido, indicadores antecedentes e coincidentes mensais mostram que se mantêm a trajetória de recuperação da economia no quarto trimestre de 2021”, diz a SPE.

Fatores positivos - Durante coletiva virtual para apresentação do boletim (assista à íntegra aqui), o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, destacou alguns fatores positivos que impulsionam o crescimento em 2021, como a forte retomada no mercado de trabalho, diante da vacinação em massa e retomada da mobilidade, e o aumento dos investimentos privados. Segundo ele, o governo também segue com a agenda de consolidação fiscal e de reformas pró-mercado para o aumento da produtividade.

Consolidação fiscal - “A consolidação fiscal é expressa na redução consistente do valor da dívida pública em relação ao PIB, seja pela manutenção do teto de gastos, pilar central na nossa política macroeconômica, seja na redução dos três grandes pilares de gastos que este governo promoveu, a redução de gastos com previdência, funcionalismo e com juros”, disse.

Produtividade - “Temos forte agenda de aumento da produtividade, seja pela redução da má alocação de recursos, melhoria dos marcos legais para segurança jurídica, agenda de privatização e concessões, abertura comercial, desburocratização e melhor ambiente de negócios”, completou.

Retomada do emprego - As projeções da SPE para o crescimento da economia em 2021 e da inflação em 2021 e 2022 estão muito próximas das projeções de analistas financeiros. A diferença está na projeção do PIB para 2022, que o governo prevê acima da previsão do mercado.

Expansão menor - Assim como para este ano, a SPE diminuiu a projeção para a expansão do PIB em 2022, de 2,5% para 2,1%. De 2023 em diante, a projeção de crescimento do PIB é de 2,5%. Já a expectativa do mercado para o PIB do ano que vem é de crescimento de 0,93%, de acordo com a pesquisa Focus do Banco Central.

Investimento privado - Segundo o boletim, o valor superior projetado pela secretaria se deve ao alto volume de investimento privado para o ano que vem, principalmente em infraestrutura, e aos dados positivos do mercado de trabalho, que vem se recuperando da queda na pandemia. Apesar da taxa de desemprego ainda estar em patamar elevado, 13,2% da população economicamente ativa, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), “nota-se continuidade da recuperação do emprego, com alta da população ocupada, tanto informal quanto formal”.

Setor informal - “Nessa crise, o grosso do desemprego aconteceu no setor informal. Com a vacinação em massa e a volta ao trabalho seguro, nós temos um grande crescimento do emprego informal [voltando aos níveis pré-pandemia], e ele está sendo responsável por uma queda rápida da taxa de desemprego [desocupação]”, explicou o secretário Sachsida. “A força da retomada no mercado de trabalho nos parece suficiente para garantir um crescimento [do PIB] superior a 2% no ano que vem”, disse.

Estimativa - A estimativa, segundo ele, é de 5 milhões a mais de trabalhadores no mercado nos próximos 12 meses.

Inflação - A projeção de inflação da SPE para 2021, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), subiu de 7,9% para 9,7%. O valor encontra-se acima da meta definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 3,75% para o ano, bem como acima do limite superior do intervalo de tolerância, de 1,5 ponto percentual, ou seja, 5,25%.

Outubro - Em outubro, puxada pelo aumento de preços de combustíveis e alimentos, a inflação acelerou 1,25%, a maior para o mês desde 2002, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, o indicador acumula altas de 8,24% no ano e de 10,67% nos últimos 12 meses.

2022 - Para 2022, a projeção da SPE para o IPCA passou de 3,75% para 4,7%. A partir de 2023, a estimativa converge para a meta: 3,25% em 2023 e 3% de 2024 em diante. Para 2022 e 2023, as metas do CMN são 3,5% e 3,25%, respectivamente, com o mesmo intervalo de tolerância, de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

INPC - De acordo com o boletim, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) deverá encerrar este ano com variação de 10%. Já a inflação projetada para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que inclui também o setor atacadista e o custo da construção civil, além do consumidor final, é de 18,7%. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

CÂMBIO: Dólar sobe para R$ 5,52 e bolsa fecha no menor nível em um ano

cambio 12 11 2021As incertezas em relação à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios e a aversão ao risco no exterior fizeram o mercado ter um dia tenso. O dólar subiu pela terceira sessão seguida, continuando acima de R$ 5,50. A bolsa de valores caiu para o menor nível em pouco mais de um ano.

Cotação - O dólar comercial encerrou essa quarta-feira (17/11) vendido a R$ 5,524, com alta de R$ 0,024 (+0,45%). A cotação ficou em queda durante boa parte da manhã, chegando a R$ 5,47 na mínima do dia, por volta das 10h. No entanto, inverteu o movimento a partir do fim da manhã e acomodou-se na faixa entre R$ 5,52 e R$ 5,53 nas horas finais de negociação.

Queda - Apesar da alta desta quarta, a moeda norte-americana acumula queda de 2,16% no mês. Em 2021, a valorização chega a 6,46%.

Ações - O dia também foi turbulento no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 102.948 pontos, com queda de 1,39%. O indicador está no nível mais baixo desde 12 de novembro do ano passado, quando o mercado global ainda estava sob a tensão do resultado das eleições presidenciais norte-americanas.

Mercado externo - No mercado externo, o dia foi marcado pela alta generalizada do dólar, que subiu perante as moedas de países emergentes, com valorização relevante perante o peso chileno e a lira turca. A divulgação de que a atividade econômica e a inflação em diversos países desenvolvidos estão subindo mais alto que o esperado reforça a expectativa de aumento de juros em economias avançadas, o que estimula a fuga de recursos de países emergentes, como o Brasil.

Plano interno - No plano interno, as incertezas sobre a tramitação da PEC dos Precatórios no Senado aumentaram o pessimismo no mercado financeiro. Apesar de a proposta liberar R$ 91,6 bilhões fora do teto de gastos em 2022, os analistas econômicos acreditam que essa solução gera menos impacto sobre as contas públicas do que um eventual decreto de calamidade pública que libere créditos extraordinários (despesas imprevistas fora do teto de gastos) no Orçamento do próximo ano. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

INFRAESTRUTURA I: Após Expo Dubai, Estado apresenta detalhes da Nova Ferroeste a fundo de desenvolvimento árabe

infraestrutura I 18 11 2021A presença da comitiva do Paraná na Expo Dubai, em outubro deste ano, tem os primeiros desdobramentos para o projeto da Nova Ferroeste. Na manhã dessa quarta-feira (17/11), representantes do Grupo de Trabalho do Plano Estadual Ferroviário apresentaram detalhes da nova estrada de ferro para o Fundo de Desenvolvimento de Abu Dhabi (ADFD), dos Emirados Árabes Unidos. A reunião foi online.

Interesse - “Esse movimento que o Paraná fez ao participar da Expo Dubai foi muito importante para nós. O primeiro contato que tivemos lá nos Emirados Árabes Unidos com esse fundo foi superficial, mas eles logo demonstraram interesse em conhecer mais sobre o projeto”, disse o coordenador do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes.

Trecho - Projeto do Governo do Paraná, a Nova Ferroeste será uma estrada férrea entre Maracaju (MS) e o Porto de Paranaguá. O projeto prevê a ampliação e modernização do trecho já existente, entre Cascavel e Guarapuava, além de novos ramais até o Mato Grosso do Sul e Foz do Iguaçu.

Leilão - O projeto deve ir a leilão na Bolsa de Valores do Brasil (B3) no segundo trimestre de 2022. A empresa vencedora vai executar a obra e explorar a ferrovia por 70 anos. O investimento previsto é de R$ 29,4 bilhões.

ADFD - O Fundo de Desenvolvimento de Abu Dhabi (ADFD), vinculado ao governo daquele país, financia projetos que estimulam países em desenvolvimento a alcançar um crescimento socioeconômico sustentável. A atuação pode ser na forma de empréstimos, gestão e ações diretas.

Conversa - A conversa com representantes do Governo do Paraná durou cerca de uma hora, período em que o diretor financeiro da ADFD, Ahmed Alturbak, percebeu a dimensão do empreendimento Nova Ferroeste.

Pontos fortes - Alturbak destacou a posição geográfica do Paraná e a existência do Porto de Paranaguá como pontos fortes do projeto. “A infraestrutura portuária e a proximidade com grandes estados produtores e outros países chama a nossa atenção para esse empreendimento”, disse Alturbak.

Associação - Durante a conversa, representantes do fundo também demonstraram interesse em se associar à empresa que vai executar a obra. “Essa posição nos surpreendeu positivamente, porque eles poderiam financiar a obra e constituir sociedade com quem for explorar”, explicou Fagundes.

Detalhes - No encontro foram apresentados os dados gerais da Nova Ferroeste, como os polos geradores de carga, a previsão de crescimento da indústria e do agronegócio brasileiro. Parte da reunião foi destinada às etapas de execução de investimento para a construção dos 1.304 quilômetros da ferrovia.

Ambicioso e transformador - “Este é um projeto ambicioso e transformador”, avaliou o diretor do ADFD.

Nível de segurança - Luiz Henrique Fagundes ressaltou que os investimentos em infraestrutura são muito atrativos porque têm um nível de segurança alto e longa duração.

Visita - Ao final do encontro, Ahmed Alturbak solicitou o agendamento de uma data para vir ao Brasil visitar o Paraná. No primeiro trimestre de 2022 uma comitiva dos Emirados Árabes Unidos embarca para a América do Sul, onde deve conhecer regiões da Colômbia e Argentina. “O Brasil é um parceiro estratégico no qual temos um grande interesse”, disse Alturbak.

Outro encontro - Na quinta-feira da semana que vem (25/11) uma reunião presencial será realizada na sede do Fundo Mumbadala, no Rio de Janeiro. Assim como o Fundo de Desenvolvimento de Abu Dhabi, o primeiro contato com instituição aconteceu durante a Expo Dubai.

Nova Ferroeste - O projeto proposto pelo governo estadual prevê uma estrada de ferro com 1.304 quilômetros de extensão – segundo maior corredor de grãos e contêineres do País. No primeiro ano de operação plena devem passar pelos trilhos da estrada de ferro cerca de 38 milhões de toneladas de produtos, a maioria com destino ao Porto de Paranaguá.

Finalização - Nas próximas semanas será finalizado o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) e o Governo do Paraná deve solicitar a Licença Ambiental Prévia junto ao Ibama. No início de 2022 acontecem as audiências públicas. O projeto deve ir a leilão no segundo trimestre do ano que vem. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Nova Ferroeste

 

INFRAESTRUTURA II: Após um ano de obra, Trevo Cataratas chega a 40% de execução em Cascavel

infraestrutura 18 11 2021A modernização de um dos principais entroncamentos rodoviários do Paraná, o Trevo Cataratas, localizado em Cascavel, no Oeste do Estado, já ultrapassou os 40% de execução. O marco se dá um ano após o início da obra, que começou no fim de outubro de 2020. O investimento é de R$ 82 milhões, e a previsão de entrega é novembro de 2022.

Quatro vias - Considerado um dos principais gargalos rodoviários do país, o trevo conecta quatro vias: a BR-369, que leva a Maringá; a BR-277, que liga Guarapuava e Foz do Iguaçu; a PRC-467, em direção a Toledo; e a Avenida Brasil, principal via de acesso a Cascavel. Com isso, o fluxo do trevo é estimado em 45 mil veículos por dia.

Readequação - A readequação do complexo rodoviário permitirá que estas rodovias que convergem não sofram interferências entre si, tornando o trecho fluido e sem a necessidade de semáforos, o que tornava o trânsito mais complexo.

Fluxo - Para facilitar o fluxo, o projeto executivo redesenhou o entroncamento com novas alças, ramos e vias que totalizam nove quilômetros de extensão. A obra também contempla dois quilômetros de bueiros para soluções de drenagem e uma caixa de retenção de produtos perigosos para proteger o escoamento de águas, em caso de acidente.

Logística - “Estamos tirando do papel uma obra esperada há mais de 30 anos, que vai facilitar a logística em um dos principais gargalos de todo o Paraná. Com essa obra, vamos dar mais agilidade ao escoamento da produção agrícola da região e diminuir o trânsito dos motoristas que atravessam a região em direção a outros municípios do Estado. É mais segurança e comodidade para todos os usuários”, afirma o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex.

Etapas - A execução da obra está dividida em três etapas. As duas primeiras, já concluídas, consistiram na realização dos desvios, criando um circuito de cerca de quatro quilômetros em torno do canteiro central. Atualmente, o fluxo de veículos flui por este percurso.

Terceira fase - A terceira fase é de execução da obra em si, e foi iniciada em agosto de 2021. Ela engloba obras de arte previstas, incluindo dois viadutos de 900 metros que criam interseções em desnível e elevam a BR-277 no sentido Foz do Iguaçu. A área central da obra receberá, ao todo, cinco quilômetros de novas vias.

Estágio atual - Atualmente, os trabalhos estão no estágio de execução de muros de contenção, obras de arte especiais, drenagem, movimentações de terra do canteiro central e contenção de solo. O projeto conta com 5,4 mil metros quadrados de contenção, utilizando 850 toneladas de aço e 7 mil metros cúbicos de concreto.

Acessibilidade - A acessibilidade e a inclusão de outros modais de transporte também estão previstos no projeto. São 1,3 quilômetro de ciclovias e mais 1,7 quilômetro de calçadas com rampas de acesso e piso tátil. Além disso, oito faixas de pedestres e uma passarela estarão posicionadas no complexo para garantir uma travessia segura aos passantes.

Normas - Para atender a todas as normas de sinalização e segurança viária, o projeto conta com 2,6 mil metros de barreira de concreto, 1,2 mil metros de defensas metálicas e 230 postes de iluminação.

Recursos - O investimento para o Trevo Cataratas integra um pacote de recursos de R$ 400 milhões, oriundos de um acordo de leniência firmado pela Ecorodovias com o Ministério Público Federal (MPF). O acordo prevê R$ 130 milhões para a execução de obras na BR-277 entre Cascavel e Guarapuava, com a criação de cerca de 13 terceiras faixas que somam 14,1 quilômetros em Guaraniaçu, Laranjeiras do Sul e Guarapuava, o novo viaduto da entrada de Cascavel, e R$ 20 milhões em intervenções da Ecovia, no trecho entre a Região Metropolitana de Curitiba e o Litoral. Outros R$ 220 milhões foram abatidos com a redução de tarifas e R$ 30 milhões que serão pagos em multas. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Gilson Abreu / AEN

 

LEGISLATIVO I: Câmara aprova projeto que altera tributação de caminhoneiros autônomos

legislativo caminhoneiros 18 11 2021A Câmara dos Deputados aprovou nessa quarta-feira (17/11) o Projeto de Lei Complementar (PLP) 147/19, do Senado Federal, que muda a tributação de caminhoneiros autônomos inscritos como microempreendedor individual (MEI) no Simples Nacional. Devido às mudanças, a matéria retornará ao Senado para nova votação.

Substitutivo - O projeto foi aprovado na forma do substitutivo da relatora, deputada Caroline de Toni (PSL-SC). Segundo o texto, o limite de enquadramento para esses caminhoneiros como MEI passa de R$ 81 mil anuais para R$ 251,6 mil anuais. Já a alíquota a pagar para a Previdência Social será de 12% sobre o salário mínimo.

Atual - Pela lei atual, o MEI pode pagar valores menores de tributos, com valores fixos de R$ 45,65 a título de contribuição social para o INSS; de R$ 1,00 a título de ICMS se for contribuinte desse imposto; e de R$ 5,00 a título de ISS se for contribuinte desse imposto.

Alíquotas mais baixas - “Por meio do MEI caminhoneiro, cerca de 600 mil motoristas terão muitos benefícios, pagando alíquotas mais baixas ao INSS e tendo acesso a crédito e à regularização da atividade”, afirmou a relatora.

Comitê gestor - A proposta também aumenta o número de integrantes do Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN), incluindo um representante do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e um das confederações nacionais de representação do segmento de micro e pequenas empresas.

Quórum - O quórum para as deliberações do comitê passa a ser de ¾, igual presença exigida para a realização das reuniões.

Exceção - A exceção será para as decisões que determinem a exclusão de ocupações autorizadas a atuar na qualidade de microempreendedor individual, quando a deliberação deverá ser unânime.

Membros - Dos quatro membros indicados pelo governo, três deverão ser da Receita Federal e um da Subsecretaria de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato.

Confederações - Já a vaga das confederações nacionais será ocupada em regime de rodízio anual entre as confederações existentes.

Novas categorias - O texto aprovado não contém a inclusão proposta pelo Senado de 15 novas categorias de atividades no Simples Nacional como MEI, tais como personal trainer, astrólogo e cantor ou músico.

Pontos rejeitados - O Plenário rejeitou todos os destaques apresentados pelos partidos na tentativa de mudar trechos do texto. Confira:

- emenda do deputado Bohn Gass (PT-RS) pretendia incluir no comitê gestor um representante dos trabalhadores indicado pelas centrais sindicais e confederações nacionais;

- emenda do deputado Diego Andrade (PSD-MG) pretendia permitir às empresas transportadoras descontarem da base de cálculo da Cofins devida os valores pagos a caminhoneiros autônomos inscritos no MEI;

- emenda do deputado Otto Alencar Filho (PSD-BA) pretendia incluir advogados, contadores, engenheiros civis e profissionais de arquitetura e urbanismo no MEI. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Marina Ramos / Câmara dos Deputados

 

LEGISLATIVO II: Comissão aprova Projeto de Lupion que beneficia turismo rural

legislativo 18 11 2021De iniciativa do deputado federal Pedro Lupion (DEM-PR) que beneficia o turismo rural, o PL 5167/2019 foi aprovado nessa quarta-feira (17/11) em sessão da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados. A matéria segue para a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR).

CPF do produtor - A proposta permite uso de notas fiscais eletrônicas ou talão rural com uso do CPF do produtor, e não de um CNPJ de empresa, para serviços e produtos do agroturismo – conjunto de atividades praticadas dentro de propriedades rurais e que colocam os visitantes em contato com a atmosfera e os hábitos locais.

Simplificação - Sem a necessidade de que o empreendedor do campo constitua um CNPJ, a ideia do deputado paranaense é simplificar a tributação, já que permite que o produtor agropecuário migre para o regime do Simples Nacional caso consiga desenvolver seu negócio, e não sofra prejuízos se a iniciativa não tiver o resultado esperado.

Investimentos - Pedro Lupion lembra que o produtor rural já precisa realizar consideráveis investimentos em instalações, treinamento e atrações para os clientes no turismo rural, o que não é barato.

Queixa - “Uma das principais queixas é a necessidade da constituição de uma empresa com inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica para emissão de notas fiscais. Isso burocratiza o agroturismo e encarece ainda mais uma atividade que deveria facilitar a geração de oportunidade, agregar valor à propriedade rural e diversificar a renda de quem mora no campo”.

Proposta - Ao facultar ao produtor a comercialização, nos mesmos limites destinados à produção agropecuária, de produtos e serviços vinculados ao turismo rural com o PL 5167/19, Lupion acredita em uma expansão ainda maior de toda a cadeia turística.

Expansão - “Os empreendimentos de agroturismo têm experimentado significativa expansão, ao criarem novas alternativas de trabalho e renda no meio rural. Otimiza-se o aproveitamento econômico da propriedade, ao mesmo tempo em que se proporciona uma nova modalidade de lazer, bastante saudável, aos habitantes dos centros urbanos”, afirmou o deputado. (Assessoria de Imprensa do deputado federal Pedro Lupion)

 

SAÚDE I: Brasil acumula 611,8 mil óbitos e 21,97 milhões de casos de Covid-19

As autoridades de saúde brasileiras registraram, até o momento, 611.851 mortes desde o início da pandemia de covid-19. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 373 novos óbitos. Até terça-feira (16/11), a soma de mortes estava em 611.478.

Investigação - Ainda há 2.876 óbitos em investigação, ou seja, aguardando resultado de exames e procedimentos para confirmar se a causa da morte foi covid-19.

Infectados - O total de infectados no país chegou a 21.977.861. Nas últimas 24 horas, as secretarias de saúde registraram 11.977 novos diagnósticos positivos de covid-19. Na terça-feira (16/11), o painel de dados do Ministério da Saúde registrava 21.965.684 casos acumulados.

Acompanhamento - Ainda há 170.910 casos em acompanhamento, de pessoas que tiveram o quadro de covid-19 confirmado.

Recuperadas - Até esta quarta-feira (17/11), 21.194.900 pessoas já se recuperaram da covid-19.

Balanço diário- Os dados estão no balanço do Ministério da Saúde divulgado nesta quarta-feira (17/11). A atualização é elaborada a partir das informações enviadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre casos e mortes relacionados à covid-19. Não foram incluídos os novos dados do Ceará.

Menores - Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras e nos dias seguintes a feriados em razão da redução de equipes para alimentar o sistema dos dados. Às terças-feiras e dois dias depois dos feriados, em geral, há mais registros diários pelo acúmulo de dados atualizados.

Estados - Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 estão São Paulo (153.214), Rio de Janeiro (68.774), Minas Gerais (55.952), Paraná (40.736) e Rio Grande do Sul (35.872).

Menos - Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.845), Amapá (1.995), Roraima (2.038), Tocantins (3.902) e Sergipe (6.037). Não houve novas mortes entre ontem e hoje no Acre e Amapá.

Vacinação - Até o início da noite desta quarta-feira (17/11), o sistema do Ministério da Saúde marcava a aplicação de 297,9 milhões de doses da vacina contra a covid-19 no Brasil, sendo 157,3 milhões da primeira dose e 128,4 milhões da segunda dose e dose única.

Aplicação - Foram aplicados 11,5 milhões de doses de reforço. No total, foram distribuídas 356,4 milhões de doses a estados e municípios, tendo sido entregues 349,9 milhões. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2021-11-17 at 17.52.10

 

 

SAÚDE II: Boletim confirma 704 novos casos de Covid-19 e 29 óbitos

saude II 18 11 2021A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nessa quarta-feira (17/11) mais 704 casos e 29 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os casos são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 1.564.252 casos e 40.511 óbitos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de novembro (410), outubro (104), setembro (65), agosto (38), julho (26), junho (31) e maio (30) de 2021. Os óbitos são de novembro (26), outubro (1), abril (1) e março (1) de 2021.

Internados - 249 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 189 em leitos SUS (110 em UTI e 79 em clínicos/enfermaria) e 60 em leitos da rede particular (34 em UTI e 26 em clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 825 pacientes internados, 507 em leitos UTI e 318 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais 29 pacientes. São 14 mulheres e 15 homens, com idades que variam de 46 a 90 anos. Os óbitos ocorreram entre 6 de março e 16 de novembro de 2021.

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Londrina (6), Curitiba (5), Umuarama (2), Pinhais (2) e Foz do Iguaçu (2). A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Sarandi, Ribeirão Claro, Paiçandu, Medianeira, Marmeleiro, Mandirituba, Jacarezinho, Guarapuava, Fazenda Rio Grande, Cornélio Procópio, Colombo e Araucária.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde contabiliza 6.229 casos de não residentes no Estado – 225 pessoas morreram. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira AQUI o informe completo.

Veja os ajustes (exclusões e correções de municípios).

 

SAÚDE III: Estado entrega novas doses de vacinas contra a Covid-19 às 22 Regionais de Saúde

saude III 18 11 2021A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) distribuiu nessa quarta-feira (17/11) mais 282.947 doses de vacinas contra a Covid-19 para suas 22 Regionais. A nova remessa contempla trabalhadores da saúde, idosos e população em geral e é referente às 65ª e 67ª pautas de distribuição do Ministério da Saúde.

Pfizer - Do total, 189.642 vacinas são da Pfizer/BioNTech, destinadas para segundas doses (D2), doses reforço (DR) e reposição. Para DR foram separadas 20.796, sendo 7.392 para idosos acima de 70 anos e 8.736 para as pessoas de 60 a 69 anos. Aos trabalhadores da saúde foram enviadas 4.668 vacinas.

População em geral - Também fazem parte deste lote de distribuição mais doses da Pfizer destinadas à população em geral: 149.616 segundas doses, referentes à 50ª remessa, 18.564 (D2) para quem iniciou o esquema vacinal na 48ª e 49ª remessas, além de 162 doses para os que começaram a vacinação com D1 na 43ª remessa.

Reposição - O quantitativo de 504 imunizantes da Pfizer é para reposição de doses perdidas pelos municípios por variação de temperatura.

Inclusas - Estão inclusas nesta entrega 15.470 CoronaVac/Butantan e 77.835 AstraZeneca/Fiocruz para D2 da população adulta. As doses vão completar a vacinação iniciada nas remessas 59ª, 60ª, 62ª e 67ª.

Entrega - Recebem por avião as regionais de Umuarama, Cianorte, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Londrina, Cornélio Procópio, Jacarezinho e Ivaiporã. A logística para as regionais de Paranaguá, Metropolitana, Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão, Telêmaco Borba, Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão e Toledo foi por meio terrestre.

Reforço - Na terça-feira (16/11), o governo federal anunciou a redução do intervalo de tempo para aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19, dos atuais seis meses para cinco meses, além de contemplar todas as pessoas acima de 18 anos, independentemente do grupo etário ou profissão, inclusive aquelas que receberam a Janssen.

Positiva - O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, disse que a decisão do Ministério da Saúde foi positiva e era esperada. “Havíamos pedido um intervalo de quatro meses, devido aos vários estudos científicos já realizados e a comprovação da eficácia da vacina. Recebemos os imunizantes por meio do Plano Nacional de Imunização (PNI), desta forma, dependemos agora do envio dessas doses direcionadas ao público em geral para que possamos distribuir aos municípios”, afirmou.

Vacinação - Segundo os dados do Vacinômetro nacional, o Paraná já aplicou 16.799.530 vacinas contra a Covid-19, sendo 8.784.893 primeiras doses (D1) e 7.296.223 segundas doses (D2) ou dose única (DU). O Estado registra ainda a aplicação de 49.646 doses adicionais (DA) e 668.768 doses de reforço (DR). (Agência de Notícias do Paraná)

 

saude III tabela 18 11 2021

FOTO: Sesa

 

ARTIGO: Homem, a sua saúde depende de você

artigo 18 11 2021*Osni Silvestri

Cuidar da saúde é fundamental para a qualidade de vida e a longevidade dos homens e mulheres. Entretanto, eles são os que menos cuidam de si. Por isso, o mês de novembro é dedicado à conscientização em prol da saúde do homem. Mais do que falar sobre o câncer de próstata, a campanha visa reforçar para a população masculina que os cuidados com a saúde são imprescindíveis.

Fatores que prejudicam a saúde do homem – De acordo com a pesquisa “Perfil da morbimortalidade masculina no Brasil”, realizada pelo Ministério da Saúde em 2018, os homens de 20 a 59 anos têm maior morbimortalidade comparados às mulheres da mesma faixa etária, principalmente por fatores externos. O estudo afirma que pessoas do sexo masculino estão mais envolvidas em situações de violência, uso de drogas e álcool, bem como estão mais expostos aos acidentes de trânsito e de trabalho. Além disso, eles não procuram os serviços de saúde – sendo um dos motivos disso o medo de descobrir alguma doença. E quando procuram ajuda médica não seguem os tratamentos recomendados. Alimentação inadequada, sedentarismo e maior suscetibilidade a infecções de IST/aids também prejudicam a saúde masculina.

Já segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os brasileiros vivem, em média, sete anos a menos do que as brasileiras. Eles também apresentam maior incidência de determinadas doenças como aquelas cardiovasculares ou diabetes, hipertensão, e ainda cânceres de pulmão, próstata e testículos. Esses dados reforçam a necessidade de desenvolver estratégias de educação em saúde voltadas para os homens e sua sensibilização a fim de que eles entendam a sua fragilidade e responsabilidade com a própria saúde. O homem deve cuidar do corpo, da mente e da alma.

Bons hábitos para viver mais e melhor – A adoção de hábitos de vida saudáveis é essencial para manter a saúde em dia. Confira as principais orientações para os homens terem mais qualidade de vida e longevidade:

1- Manter uma alimentação saudável, priorizando a comida de verdade, descascando mais e desembalando menos;

2- Controlar o peso corporal;

3- Praticar atividades físicas com frequência, sempre com orientação médica e, de preferência, supervisionada por profissionais de educação física;

4- Utilizar preservativo nas relações sexuais;

5- Realizar exames de rotina como: verificação da pressão arterial e do perímetro abdominal, teste de IMC, hemograma completo, testes de urina e de glicemia;

6- A partir dos 50 anos, o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Urologia recomendam consultas preventivas para detecção precoce do câncer de próstata com a realização do exame PSA (Antígeno Prostático Específico, em português) e do toque retal. Se alguém na família tiver histórico de câncer de próstata, esse cuidado deve ter início a partir dos 45 anos;

7- Visitar o seu médico periodicamente, mesmo quando ainda é jovem;

8- Evitar o consumo de bebidas alcoólicas, cigarro e drogas;

9- Manter a carteira de vacinação atualizada;

10- Ir ao dentista regularmente;

11- Expor seus sentimentos e comunicar-se com familiares e amigos;

12- Pedir ajuda quando se sentir sobrecarregado e buscar apoio psicológico e psiquiátrico para o restabelecimento da saúde emocional e psíquica;

13- Buscar os serviços de saúde para prevenção e promoção da saúde, ou seja, proativamente, não apenas quando estiver com alguma doença. O diagnóstico precoce aumenta as chances de o tratamento de uma enfermidade ser mais eficaz.

* Osni Silvestri é médico cooperado da Unimed Curitiba especializado em Urologia

FOTO: Freepik

 


Versão para impressão


RODAPE