Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5200 | 19 de Novembro de 2021

PSR: Reunião com participação da OCB e Ocepar discute recursos suplementares para o seguro rural

Os Sistemas OCB e Ocepar participaram, nessa quinta-feira (18/11), de reunião organizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para discutir as possibilidades de crédito suplementar ao Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) ainda em 2021. Além de membros do Mapa, acompanharam o encontro representantes de entidades setoriais do agro e parlamentares da bancada ruralista.

Negociação - Após a aprovação no Congresso Nacional do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 35/2021, que suplementou R$ 77 milhões adicionais ao PSR na última quinta-feira (11/11), o Mapa ainda negocia junto ao Ministério da Economia a suplementação de mais R$ 298,8 milhões, montante que deverá ser analisado pela Junta de Execução Orçamentária (JEO) do governo federal. Para a nova suplementação é necessária a apresentação e aprovação de novo PLN pelo Congresso Nacional.

Sanção - O PLN 35/2021, que adiciona R$ 77 milhões para o PSR, ainda precisa ser sancionado pela presidência da República, o prazo vai até o dia 6 de dezembro. A OCB e a Ocepar continuarão monitorando os encaminhamentos para que o objetivo possa ser concretizado. (Com informações da OCB)

{vsig}2021/noticias/11/19/psr/{/vsig}

 

FUNDEPEC: Nova diretoria da entidade toma posse em Curitiba

O Fundo de Desenvolvimento da Agropecuária do Paraná (Fundepec) agora é presidido pelo presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ágide Meneguete, tendo como vice-presidente o superintendente do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), Robson Mafioletti. A posse da nova diretoria, composta por representantes das entidades que fazem parte do Fundepec, ocorreu na manhã dessa quinta-feira (18/11), na sede da Faep, em Curitiba, com a presença do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, do superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná, Cleverson Freitas, do presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Otamir Martins, e do secretário executivo do Fundepec, Ronei Volpi. A reunião ocorreu das 9h às 12h, com aproximadamente 25 participantes.

Apresentações - Na oportunidade, o Mapa apresentou o status da febre aftosa no país e a Adapar mostrou as ações de sanidade animal que estão sendo desenvolvidas no Estado. Já Geraldo Signorini, da Alegra, discorreu a respeito dos mercados nacional e internacional para a proteína animal.

Alinhamento - No dia 27 de maio, o Paraná conquistou a certificação de área livre de febre aftosa sem vacinação e de zona livre de peste suína clássica independente. O novo status sanitário foi confirmado pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) na 88ª Sessão Geral da Assembleia Mundial dos Delegados da OIE, em Paris, na França. O reconhecimento internacional é resultado de um esforço entre os setores público e privado e abre caminho para a conquista de novos mercados. Na avaliação do superintendente da Ocepar, a unidade existente no Paraná permite que o Estado continue avançando nessa área.  “Nós estamos bem alinhados com as demais entidades em relação ao status sanitário e devemos avançar cada vez mais nos mercados nacional e internacional, com proteínas e leite de qualidade”, disse Mafioletti.

O Fundepec - O Fundepec foi criado em 14 de novembro de 1995, reunindo instituições representativas de produtores rurais e da indústria, para promover o desenvolvimento e o aperfeiçoamento da pecuária, posteriormente estendido para a produção vegetal e viabilizar ações de defesa sanitária no Paraná. Além da Faep e da Ocepar, são associadas à entidade o Sindicato da Indústria da Carne e Produtos Derivados do Estado do Paraná (Sindicarne), a Associação Paranaense de Criadores de Búfalos (Abupar), a Associação Paranaense de Avicultura (Apavi), a Associação Paranaense de Suinocultores (APS), o  Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Paraná (Sindileite), a Associação Paranaense de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (APCBRH), a  Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep), a Federação Paranaense das Associações de Criadores (Fepac) e o Sindicato dos Produtores de Gado de Corte e Gado de Leite do Paraná (SPGCGL-PR). O Fundepec dispõe de um fundo de R$ 82 milhões para serem utilizados em ações de precaução para situações de emergências sanitárias.

{vsig}2021/noticias/11/19/fundepec/{/vsig}

 

GETEC: Confira o boletim semanal da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar

getec coordenacao parlamentar 19 11 2021A Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar, vinculada à Gerência de Desenvolvimento Técnico (Getec) e sob a responsabilidade da advogada Daniely Andressa da Silva, publicou, nesta sexta-feira (19/11), o Informe Semanal referente ao período de 15 a 19 de novembro. O setor foi criado neste ano com o propósito de fazer o acompanhamento das matérias de interesse do cooperativismo em discussão tanto no Congresso Nacional como na Assembleia Legislativa do Paraná, das leis publicadas no âmbito do executivo (federal, estadual e municipal), além de outros temas vinculados às áreas de atuação das cooperativas do Paraná.

Desoneração da folha - O boletim inicia destacando que a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (17/11), o PL 2.541/2021, que prorroga a desoneração da folha de pagamento até 31 de dezembro de 2023, estendendo o prazo para a substituição da contribuição previdenciária pela contribuição sobre a receita bruta. Os impactos em caso de não prorrogação somam cerca de R$ 1 bilhão apenas na indústria de abate e processamento de proteína animal. Com a votação em caráter conclusivo pela Câmara, o texto segue para apreciação pelo Senado Federal, onde deverá ter sua tramitação acelerada, segundo sinalizou o senador Rodrigo Pacheco. Este tema consta na lista de prioridades da OCB e da Ocepar, que seguem acompanhando sua tramitação.

Seguro rural - Já nessa quinta-feira (18/11), a OCB e a Ocepar participaram de reunião promovida pelo Ministério da Agricultura (Mapa) para debater alternativas de crédito suplementar ao Programa de Subvenção ao Prêmio Seguro Rural (PSR) para 2021. O PLN 35/2021, que prevê a suplementação de R$ 77 milhões para o PSR, aguarda a sanção pelo presidente da República. Em complementação, o Mapa também negocia com ao Ministério da Economia o acréscimo de R$ 298,8 milhões de reais, cuja liberação depende da análise pela Junta de Execução Orçamentária (JEO) do governo federal e da aprovação de um novo PLN pelo Congresso Nacional.

Mais - O Informe trata ainda da prorrogação da MP 1.071/2021, que reduz a zero as alíquotas de Pis e Cofins sobre a importação de milho até 31 de dezembro de 2021; da aprovação pela Câmara dos Deputados do projeto de conversão em lei da MP 1.058/2021, que recriou o Ministério do Trabalho e Previdência (MTP), além da audiência pública ocorrida nessa quinta-feira (18/11), também na Câmara, para debater o licenciamento ambiental de empreendimentos de irrigação. Na oportunidade, foi discutido o PL 5.085/2020, que propõe alterações na Política Nacional de Irrigação, convertendo em lei as diretrizes disciplinadas atualmente por resoluções do Conama.

Alep - No âmbito da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), o destaque fica por conta da posse do deputado estadual Nelson Justus, que assumiu a presidência da Comissão de Constituição e Justiça da Alep, órgão responsável por analisar a legalidade e a constitucionalidade de todas as propostas legislativas. O boletim da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar encerra informando que, na noite dessa quinta-feira (18/11), o Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná (Ciee/PR) inaugurou o Espaço de Capacitação e Cidadania – sede F. Fernando Fontana, quando o senador Oriovisto Guimarães recebeu o “Troféu Personalidade Ciee/PR – 2021” pelo incentivo à educação e serviços prestados à comunidade.

Áudio - Ouça aqui o áudio produzido pelo jornalista Alexandre Salvador para a rádio Paraná Cooperativo.

Clique aqui e confira na íntegra o Informe Semanal da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar

 

REVISTA PR COOPERATIVO: Edição de novembro destaca projetos de educação do sistema cooperativista do Paraná

destaque pr cooperativo 19 11 2021A edição de novembro da Revista Paraná Cooperativo destaca as ações de educação promovidas pelo sistema cooperativista do Paraná. A expectativa do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) é encerrar o ano de 2021 com 8.804 eventos realiza­dos em diversos campos do conhe­cimento. São ações centralizadas, ou seja, organizadas e executadas pelo Sistema Ocepar, por meio do Sescoop/PR, e descentralizadas, em que a cooperativa solicita re­cursos, executa e presta contas ao Sescoop/PR. “A expectativa é fechar o ano com 125.991 horas/aula e 183.833 participações, tanto do público interno das cooperativas quanto externo, cooperados e fa­miliares, e, pensando no coopera­tivismo do amanhã, estudantes”, esclareceu o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche.

Projetos - Os projetos viabilizados com o apoio do Sistema S das coope­rativas têm como linha de atu­ação a formação profissional, aprendizagem e disseminação do cooperativismo (promoção social), sendo que nessa última categoria destacam-se programas como o Cooperjovem, voltado a crianças e adolescentes, o Jovemcoop, para filhos de cooperados, e o Cooper Líder Feminino, para cooperadas, esposas e filhas de cooperados. Na área de profissionalização, há desde formações específicas, a exemplo do Curso de Formação de Conselheiros, a cursos técnicos, graduação, pós-graduação, mes­trado e doutorado. Além disso, há projetos formatados especialmente para ajudar as cooperativas em te­mas da atualidade, como inovação, compliance, gestão estratégica e a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Estratégia - “A educação e a cooperação precisam caminhar juntas. Temos que ensinar a cooperar, e cooperar para ensinar”, afirmou o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. Segundo ele, cientes dessa necessidade, o Sistema Ocepar e as cooperativas paranaenses trabalham em duas frentes. “Na educação cooperativa, em que a finalidade é disse­minar os conceitos da cooperação para a comunida­de; e na educação cooperativista, em que o foco são formações que se relacionem com as atividades das cooperativas, visando a profissionalização do setor e o seu desenvolvimento”, explicou, na Palavra do Presidente.

Entrevista - “O cooperativismo amplia as possibilidades de conectar pessoas para promover justiça financeira e prosperidade aos cooperadose comunidades”, disse Solange Pinzon de Carvalho Martins, presidente do Conselho de Administração do Sicoob Unicoob Meridional. No comando da cooperativa, sediada em Toledo, Oeste do Paraná, desde 2015, a líder concedeu entrevista à revista e falou sobre o crescimento do protagonismo feminino, as iniciativas educacionais do Sicoob, a difusão do coope­rativismo às crianças, o cenário econômico e as pers­pectivas para o ano de 2022, além das lições deixadas pela pandemia.

Notícias - Nesta edição, o leitor vai ter informações sobre o Fórum de Mercado, evento que reuniu 120 lideranças e profissionais de cooperativas, discutindo tendências para os setores da carne, milho e soja. No ramo transporte, os dirigentes de cooperativas se reuniram em fórum para debater, entre outros temas, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Também durante o mês de outubro, foi iniciada a segunda temporada do Compliance Experience, reunindo 100 participantes, profissionais de 40 cooperativas paranaenses. A publicação traz ainda informações sobre a atuação dos parlamentares da Frencoop (Frente Parlamentar do Cooperativismo) e notícias sobre o cooperativismo dos ramos crédito e saúde. 

Clique aqui para conferir na íntegra a edição de novembro da revista Paraná Cooperativo

 

COVID-19: Publicados novos destaques na área destinada ao coronavírus no Portal PR Cooperativo

covid 19 11 2021A Área Covid-19 do Portal Paraná Cooperativo é atualizada toda sexta-feira com as notícias que foram destaques durante a semana no Informe Paraná Cooperativo e na Rádio Paraná Cooperativo. Lá, é possível acessar também os comunicados do Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. Há ainda uma seção de perguntas e respostas, com esclarecimentos relativos à pandemia. Clique aqui e confira.

 

PANORAMA COOP: Boletim traz análises da semana sobre os principais fatos de interesse do setor

panorama coop 19 11 2021Desde março de 2020, o Sistema OCB publica, semanalmente, análises sobre vários temas e seus impactos para as cooperativas. São informações que tratam de política, economia, reforma tributária, pleitos do cooperativismo em tramitação no Congresso Nacional, normativos e medidas tributárias publicadas pelo governo. Neste ano, essas análises passaram a ser divulgadas por meio do Panorama Coop, uma newsletter atualizada todas as quintas-feiras. Veja abaixo os destaques desta semana.

Análise política - Com o término da COP26, chegou a hora de divulgarmos os acordos desenvolvidos entre os países e mostrar os reflexos das novas metas acordadas para a redução da emissão de gases causadores do efeito estufa para o setor cooperativista brasileiro. Além disto, na análise desta semana vamos trazer informações sobre a participação do Sistema OCB, que em palestra realizada com participação do Ministro do Meio Ambiente, abordou como as nossas coops são referência na produção sustentável.

Acesse a Análise Política

Clique aqui e acesse todas as análises anteriores

Inclusão da definição do ato cooperativo na PEC 110 avança - A gerente geral da OCB, Fabíola da Silva Nader Motta, se reuniu na quarta-feira (17/11) com a assessoria técnica do senador Roberto Rocha (MA), relator da PEC 110/2019, que trata sobre a Reforma Tributária, para debater a importância da definição do ato cooperativo no novo modelo de tributação trazido pela proposta.

Leia mais!

OCB comemora aprovação de desoneração da folha na Câmara - A prorrogação da desoneração da folha de pagamento (PL2541/2021) para os setores que mais empregam no Brasil foi aprovada na quarta-feira (17/11) pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados. Em consenso com o Poder Executivo, a prorrogação será mantida até o dia 31 de dezembro de 2023 e permite às empresas beneficiadas substituir a contribuição previdenciária, de 20% sobre os salários dos empregados, por uma alíquota sobre a receita bruta, que varia de 1% a 4,5%. Como a proposta tem tramitação conclusiva e teve acordo entre os líderes partidários, deve seguir para apreciação do Senado sem necessidade de aprovação pelo plenário.

Leia Mais!

Projeto de incentivo à reciclagem é aprovado pelo Senado e segue para sanção - O Senado Federal aprovou, na quarta-feira (17/11), o Projeto de Lei (PL) 6545/2019, que estabelece incentivos à indústria da reciclagem; e cria o Fundo de Apoio para Ações Voltadas à Reciclagem (Favorecicle) e Fundos de Investimentos para Projetos de Reciclagem (ProRecicle).A Organização das Cooperativas Brasileiras apoia o projeto, que foi relatado pelo senador Luis Carlos Heinze (RS), integrante da diretoria da Frencoop, que apresentou parecer pela aprovação dada a necessidade da ampliação de incentivos para a reciclagem, fortalecendo as organizações de catadores.

Leia mais!

Clique aqui e confira o Panorama Coop em versão digital

 

FRIMESA: A mais consumida entre as cooperativas do Paraná

A Frimesa foi citada por 71% dos 1.022 respondentes como marca de cooperativa mais consumida na pesquisa de consumidores sobre produtos e serviços das cooperativas do Paraná, realizada pelo Grupo Datacenso, a pedido da Organização das Cooperativas do Estado do Paraná - Ocepar. Os dados foram colhidos entre agosto e setembro deste ano, em todas as regiões do estado.

Motivos - Entre os motivos que levaram a compra de produtos de cooperativas, está a qualidade e melhor percepção de custo-benefício. Quanto à percepção de imagem entre os consumidores, a Frimesa está entre as melhores cooperativas, junto a Copacol e a Witmarsum.

Compradores e diretores de supermercados - A pesquisa também entrevistou compradores e diretores de supermercados na sua fase qualitativa. Na avaliação dos participantes, a Frimesa é a principal fornecedora entre as cooperativas, com maior volume de compras, e benefícios em qualidade dos produtos. É a primeira marca que vem à mente quando se trata de cooperativa com grau de satisfação e desempenho em 97%, o primeiro lugar no pódio se manteve desde a última edição da pesquisa em 2019.

Colaboradores - Outra pergunta que compôs a pesquisa envolveu os colaboradores das cooperativas “qual marca costuma comprar/ consumir” e a satisfação com a marca. A Frimesa também apareceu em primeiro lugar. Ainda nesse quesito, o grau de satisfação quanto à qualidade dos produtos de cooperativa fica em 94%, enquanto a confiança e credibilidade na marca fica em 92%.

Reconhecimentos - Para o diretor-presidente da Frimesa, Valter Vanzella, esses resultados estão acompanhados por produtos e serviços bons, com vasto portfólio, marketing estratégico, além da indústria que produz com qualidade e eficiência. O comercial e logística também precisam estar alinhados. “Esses reconhecimentos são os atestados de que estamos entre as maiores marcas do Brasil. Também reforça a importância das cooperativas no Paraná”, avalia.

Expansão - Em 2022, a Frimesa completa 45 anos de história com expansão das unidades industriais em Assis Chateaubriand (PR), maior frigorifico da América Latina.

Reconhecimento em marketing - As ações de marketing da Frimesa foram premiadas pela ADBV-PR (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil). O prêmio “Personalidades Troféu Francisco Cunha Pereira Filho” reconhece e homenageia os profissionais de destaque do Paraná. A Frimesa foi representada por sua gerente de marketing, Elis D’Alessandro, sendo que a escolha dos nomes ocorreu por eleição online realizada com um seleto mailing composto por gerentes, superintendentes, vice-presidentes, CCO, CMO ou diretores de vendas e marketing com atuação no Paraná, além da diretoria e associados da ADVB/PR. A votação final foi aberta ao público, pelo site da associação. O evento de entrega da premiação realizado em Curitiba, no dia 10 de novembro, contou com a presença do vice-governador Darci Piana. (Imprensa Frimesa)

{vsig}2021/noticias/11/19/frimesa/{/vsig}

COCAMAR I: Cooperativa e Embrapa avaliam qualidade do solo na região

cocamar 19 11 2021Pelo terceiro ano, Cocamar e Embrapa Soja desenvolvem um trabalho que tem como objetivo conhecer a qualidade do solo em propriedades rurais de produtores cooperados, e possibilitar uma visão geral da realidade nas regiões noroeste e norte do Paraná.

Retomada - A parceria que começou no ciclo de verão 2018/19 e prosseguiu na temporada 2019/20, foi interrompida na safra 2020/21 por causa da pandemia e está sendo retomada agora, no período 2021/22.

Parâmetros - Foram 17 áreas no primeiro ano e 24 no segundo e as avaliações compreendem infiltração de água no solo em diferentes sistemas de manejo diagnóstico rápido das estruturas de solo, fertilidades química e biológica (enzimas), qualidade e quantidade de cobertura proporcionada pela palhada, análise para quantificação de espécies de nematóides e determinação de índices de vegetação no talhão.

Orientar - Conforme explica o gerente técnico da cooperativa, Rafael Furlanetto, as avaliações são necessárias para que, a partir de um diagnóstico, se possa orientar os produtores quanto aos fatores que vêm limitando a produtividade das lavouras.

Produtividade - “Os produtores precisam saber que existem alternativas para aumentar a produtividade”, comenta o técnico da Embrapa, Esmael Lopes dos Santos, que integra a equipe. “Temos que ser mais produtivos por área e somente trabalhando a melhoria nos ambientes produtivos é que podemos conseguir estabilidade produtiva nos sistemas agrícolas, pensando sempre na fertilidade física, química e biológica”, acrescenta.

Ampliado - Neste ano, com o envolvimento da Itaipu Binacional – interessada em fortalecer a conscientização dos produtores quanto à conservação dos solos e águas - o programa foi ampliado e, além da Cocamar, tem a participação de cooperativas de outras regiões do estado.

Regiões - Nas próximas três safras vão ser avaliadas 37 talhões nas regiões norte, central, noroeste e oeste do estado, incluindo duas microbacias nos municípios de Toledo e Iporã. (Imprensa Cocamar)

 

COCAMAR II: Dia de Campo digital sobre ILPF será exibido domingo na TV

cocamar II 19 11 2021No domingo (21/11), a Cocamar apresenta no programa de televisão RIC Rural (que começa às 9h nas emissoras da RIC TV/Record em todo o estado) a versão digital do Dia de Campo sobre Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF).

Iporã - Recentemente, acompanhada do gerente técnico Emerson Nunes, responsável pelas áreas de ILPF, diversificação e renovação sustentável da cooperativa, a equipe do programa se deslocou até a Unidade de Difusão de Tecnologias (UDT) em Iporã, para a gravação do conteúdo. O evento tem o apoio da Rede Associação ILPF.

Ganho de peso - Entre os destaques, mesmo num período de inverno bastante seco e com geadas que prejudicaram as pastagens, o rebanho alojado em pastos com braquiária semeada após a colheita da soja (ciclo 2020/21), no início do outono, ainda registrou ganho de peso.

Forragem - A braquiária, embora também tenha sofrido com o clima adverso, possibilitou volume para alimentação dos animais e palha destinada ao plantio direto da soja na safra recém-iniciada (2021/22).

Contraste - “As áreas conduzidas com sistema de integração contrastaram com as de pastos tradicionais, em que os pecuaristas enfrentaram dificuldades para alimentação do gado”, comenta Nunes.

Entrevista - O dia de campo traz também uma entrevista com o pesquisador Sérgio José Alves, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR), a respeito dos benefícios apresentados pela ILPF que, em resumo, além de reformar os pastos com a cultura da soja (assegurando uma nova fonte de renda), impulsiona a pecuária no inverno e, com o plantio de renques de florestas em espaços intercalares, possibilita conforto térmico para os animais. A ILPF, ainda, moderniza a gestão, embeleza e valoriza a propriedade.

Assista - O dia de campo digital de ILPF será exibido no domingo a partir das 9h no programa RIC Rural, da RIC TV. (Imprensa Cocamar)

 

COOPAVEL: Cooperativa atualiza universidade e investe na preparação de talentos

coopavel 19 11 2021Por mais de 20 anos, a Unicoop (Universidade Coopavel), contribuiu com o processo de formação e de melhoria contínua das habilidades profissionais de cooperados e de funcionários da cooperativa. Agora, a Coopavel investe na atualização da instituição, interessada em investir e valorizar ainda mais a formação e a preparação de atuais e de novos talentos.

Assessoria especializada - Para a formatação de um novo projeto e método de trabalho, a Coopavel contratou uma assessoria especializada, a Academic Ventures, que tem à frente o doutor em Administração e ex-reitor da UFPR (Universidade Federal do Paraná), o professor Zaki Akel Sobrinho (foto). A reorganização da Unicoop já acontece há um bom tempo e a expectativa é que, juntamente com seus parceiros, a exemplo do Sescoop, ela se torne ainda melhor.

Aprendizado - O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, é um dos entusiastas da Unicoop, justamente por entender que o aprendizado é um aliado importante e indispensável para avanços em produtividade, qualidade de vida e resultados. “A Universidade Coopavel tem sido, nesses anos todos, uma grande aliada no processo de expansão que a cooperativa experimenta. E, com essa renovação, ela seguirá cumprindo esse papel”, conforme Dilvo.

Piloto - Dentro das sugestões de melhoria já apresentadas pela equipe do Professor Zaki, três cursos acontecem neste mês de novembro observando mudanças e um novo formato desenvolvido e aprovado para a Unicoop. São eles: NR 12 para operadores, curso presencial com o instrutor Itamar Cassol; Integração Coopavel (Ensino a Distância) com a tutora Cláudia da Rocha, e Business Intelligence (híbrido com encontros on-line e presenciais) com Kleberson Hayashi Angelossi.

Futuro - “Estamos otimistas com o futuro da nossa Universidade Coopavel, que formou milhares de pessoas em seus mais de 20 anos de existência”, ressalta Dilvo Grolli. (Imprensa Coopavel)

 

COPACOL: Cheques da Campanha Outubro Rosa são entregues a instituições de saúde

Com a cooperação de consumidores de todo o Brasil, a quarta edição da Campanha Outubro Rosa Tilápia Copacol beneficiará mais uma vez milhares de pacientes em tratamento contra o câncer. A edição 2021 atingiu a marca de R$ 180 mil divididos entre cinco instituições de saúde que atuam em diferentes regiões.

Diagnósticos - A cada ano, mais de dois milhões de casos de câncer de mama são diagnosticados no mundo. A cada 100 registros da doença no Brasil, 29 são de mama. Quando diagnosticado no início, as chances de cura são grandes, conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde) e o Inca (Instituto Nacional do Câncer).

Sentido - “Se cuidar é cooperar com quem você ama”: esse foi o sentido da campanha neste ano, lembrando sobre a necessidade de realizar exames periódicos. A embalagem cor de rosa da Tilápia Copacol tomou conta dos supermercados e conquistou os consumidores pelo sabor e também pela ação que coopera com a saúde das brasileiras: avós, mães, filhas e amigas, que tornam a vida de todos muito especial. A cada embalagem de 600 gramas consumida R$ 1 teve como destino os hospitais parceiros.

Orgulho - “Chegamos a mais de R$ 700 mil doados a instituições hospitalares que atuam na cura do câncer em quatro anos. É um orgulho fazer parte deste movimento que ajuda pacientes de todo o Brasil, tanto com a prevenção quanto com o tratamento. Quando falamos nesta doença temos um desafio grande, pois o tratamento demanda muitos recursos para salvar vidas. Por isso, fazemos questão de desenvolver todos os anos esse trabalho, que vai amenizar a dor das famílias brasileiras”, diz o diretor-presidente, Valter Pitol.

Valores - Na edição 2021 da ação, a Uopeccan (União Oeste Paranaense de Estudos e Combate ao Câncer), em Cascavel, recebeu R$ 39.985; o Hospital Erasto Gaertner, Curitiba, R$ 54.800; Hospital Alfredo Abrão, Campo Grande (MS), R$ 15.760; IGESDF (Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal), R$ 45.968; e o Hospital de Amor, Barretos (SP), R$ 31.888.

Doações - As entregas dos cheques com os valores correspondentes as vendas das filiais serão realizadas neste mês. Referência no Paraná nesta luta contra o câncer, a Uopeccan atende mais de 800 pacientes diariamente: muitos de regiões distantes, que vem em busca de atendimento especializado A doação foi realizada pela Copacol nesta quinta-feira, com a presença da diretoria da Uopeccan. “Mais uma vez ficamos imensamente felizes por fazer parte desse projeto renomado nacionalmente. Somos gratos toda equipe da Copacol e clientes que contribuem em prol da luta contra o câncer de mama. Com essa iniciativa é possível investirmos na melhoria dos nossos serviços, além de oferecer atendimento de qualidade aos nossos pacientes”, afirma o presidente da Uopeccan, Leopoldo Nestor Furlan. (Imprensa Copacol)

{vsig}2021/noticias/11/19/copacol/{/vsig}

SICREDI I: Acordo é fechado com o Governo do Paraná para ensinar educação financeira a alunos de escolas estaduais

No dia 12 de novembro, o Sicredi, primeira instituição financeira cooperativa do país, assinou oficialmente um acordo com a Secretaria da Educação e do Esporte do Estado do Paraná (Seed-PR) para a distribuição gratuita de mais de 1,3 milhão de gibis da Turma da Mônica Jovem com conteúdo sobre educação financeira. Todo o material teve como base o Caderno de Educação Financeira e Gestão de Finanças Pessoais do Banco Central do Brasil.

Disponibilização - Por conta da iniciativa, as revistas em quadrinhos com dicas sobre planejamento, controle dos gastos e a importância do hábito de poupar e investir começam a ser disponibilizadas este mês aos estudantes do ensino médio da rede pública estadual de ensino, por meio das agências do Sicredi - que possui a maior rede de agências bancárias do Paraná.

Conceitos essenciais - Durante a cerimônia realizada na sede da Seed-PR, o secretário Renato Feder destacou a importância do material para propagar conceitos tão essenciais para o futuro das crianças e adolescentes. “Tenho certeza de que colheremos bons frutos a partir desse acordo, pois nossos alunos vão aprender conceitos essenciais, sobre como lidar com o dinheiro e gerir o orçamento, a partir de uma linguagem lúdica e atrativa”, analisou.

Contribuição - O diretor de Desenvolvimento da Central Sicredi PR/SP/RJ, Adilson de Sá, também comentou sobre a parceria: “Esses gibis estão chegando por meio das nossas cooperativas, que já desenvolvem diversos programas gratuitos de educação financeira no Estado. Agora, com um foco ainda maior nos jovens, pretendemos contribuir para uma sociedade mais justa e próspera”.

Parceria - As edições integram a parceria da instituição financeira cooperativa com a Mauricio de Sousa Produções, que já existe há mais de três anos. Anteriormente, o projeto resultou em seis edições de gibis especiais e desenhos animados da Turma da Mônica sobre o mesmo tema, mas tendo como foco o público infantil.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 25 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br) (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

FOTOS:Rafael Danielewicz

{vsig}2021/noticias/11/19/sicredi_I/{/vsig}

SICREDI II: Simpósio internacional debate presença de mulheres e jovens nas cooperativas

O Sicredi participou do World Bank International Symposium, evento organizado pelo Cooperative Financial Institution (CFI), por meio do Centro de Excelência (CoE), do Banco Mundial. Realizado de 2 a 11 de novembro, o encontro reuniu representantes de cooperativas de crédito de diferentes países para debater iniciativas para a modernização e o fortalecimento do empreendedorismo social. A participação da instituição financeira cooperativa foi marcada pelo incentivo ao aumento da participação de mulheres e jovens no segmento.

Painel - O Woccu (Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito, na tradução da sigla em inglês), do qual o Sicredi é integrante, foi responsável pelo painel “Envolvendo Mulheres e Jovens Rurais no Fortalecimento e Expansão das CFIs (Instituições Financeiras Cooperativas)”. Entre os participantes estiveram Manfred Alfonso Dasenbrock (Presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ), Ivete Schoffen (membro do Conselho de Administração e do Comitê Mulher da Sicredi Aliança PR/SP) e Vinicius Mattia (associado e membro do Comitê Jovem da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP).

Temas - No painel, foram trabalhados os seguintes temas: como a participação e liderança das mulheres da zona rural nas cooperativas é fundamental para promover o empoderamento econômico; a promoção, relevância e engajamento dos jovens; e os desafios e oportunidades na ampliação da participação de mulheres e jovens para o desenvolvimento das instituições financeiras cooperativas.

Sistema - “Somos um sistema composto por 108 cooperativas, todas comprometidas com os princípios e valores do cooperativismo e entendemos a abordagem da diversidade e inclusão como uma questão de cidadania e perenidade do negócio, o que faz com que estejamos atentos para novas oportunidades e para a lapidação de novas lideranças para o segmento”, afirmou Manfred Dasenbrock. “Procuramos potencializar a participação e presença das mulheres, reconhecendo sua importância e representatividade para o cooperativismo, assim como estimular a proximidade dos jovens com o nosso modelo de negócio. Esses e outros fatores contribuíram para a criação dos programas Comitê Mulher e do Comitê Jovem, que são pilares fundamentais para a caminhada do Sicredi neste tema”, explica.

Diversidade e Inclusão no Sicredi - A inclusão e a diversidade são temas importantes para o Sicredi, além disso são impulsionados pela Agenda 2030 do Pacto Global da ONU - do qual a Instituição Financeira Cooperativa é membro desde 2020, e seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O programa Comitê Mulher atende a três dos ODS, sendo: “Educação de Qualidade” (ODS 4), que visa assegurar a educação inclusiva e equitativa de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos; “Igualdade de Gênero” (ODS 5), alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas; “Trabalho Decente e Crescimento Econômico” (ODS 8), promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho decente para todos.

Cargos de influência - A associada Ivete Schoffen, que faz parte do Conselho de Administração e do Comitê Mulher local, entende que é fundamental que as mulheres ocupem cargos de influência, com poder de decisão, facilitando o desenvolvimento e a implementação de soluções para as cooperativas de crédito. Segundo ela, a proximidade com o segmento ainda na infância também foi um estímulo para se apropriar da causa e contribuir na difusão de ações.

Cooperativismo - “O cooperativismo está presente na minha vida desde cedo, por meio dele pude participar de comitês voltados aos jovens e, na sequência, fiz parte de um comitê feminino, o que ajudou ao longo da minha jornada. A presença da mulher nas cooperativas ratifica o discurso de um espaço democrático, de aprendizado e desenvolvimento pessoal e focado na formação de lideranças, visando uma sociedade mais próspera”, disse.

Modelo colaborativo - Membro do Comitê Jovem do Sicredi e reconhecido pela WYCUP (World Council Young Credit Union People) com projeto que busca incentivar a agricultura familiar e a produção de alimentos sustentáveis, Vinicius Mattia destacou o modelo colaborativo proposto pelo Sicredi. “Temos acesso a inúmeras informações, o que nos ajuda na compreensão do programa e no que ele pode propagar. Discutimos educação financeira, a estrutura do cooperativismo, realizamos ações voluntárias e que também impactam o nosso meio, e com isso vamos consolidando conhecimento e construindo relacionamento com os gestores para assumir cargos de liderança no futuro. Hoje, após o reconhecimento do meu projeto, compartilho minha experiência com jovens de todo o mundo, cito a importância de se integrarem às cooperativas e a contribuição ao movimento cooperativista garantindo perenidade do negócio”, contou.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 25 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2021/noticias/11/19/sicredi_II/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Exposição mostra história e propósito da Cáritas Londrina

sicredi uniao 19 11 2021Para mostrar um pouco da história e propósito da Cáritas de Londrina (PR), o Espaço CoopConecta Sicredi União PR/SP abriu as portas para a exposição de aniversário de 25 anos da instituição, que pode ser visitada até o final deste mês de novembro. Além da história, também estão expostas informações sobre os diversos projetos desenvolvidos, todos com foco no apoio, acolhimento, solidariedade especialmente aos pobres e oprimidos.

Projetos - Entre os projetos que podem ser conhecidos com mais profundidade na exposição, estão Serviço de Proteção, Inclusão Produtiva, Migração e Refúgio, Óleo Solidário, Nota Paraná, Espaço Social, Biblioteca Popular Santa Fé e Voluntariado. Também podem ser conferidos produtos da economia solidária, que trabalha com a inclusão produtiva. “Nosso objetivo é mostrar a Cáritas, que fez 25 anos; mostrar o que somos e o que temos a oferecer para a sociedade. Somos muito maiores do que muitos imaginam”, Fellipe Tereska Estrada, articulador de Projetos da instituição.

O que é - A Cáritas é um organismo ligado à Igreja Católica e integra a rede Cáritas Brasileira e por sua vez a Cáritas Internacional (Caritas Internationalis), uma confederação de 162 organizações humanitárias que atua em mais de duzentos países. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SERVIÇO

Exposição de Aniversário Cáritas 25 Anos

Local: Espaço CoopConecta Sicredi União PR/SP – Avenida Ayrton Senna, 555, Gleba Palhano, Londrina (PR)

Visitas: Até dia 30 de novembro, das 8h30 às 19h30 – gratuito

 

SICOOB CREDICAPITAL: Cooperativa doa mais de 150 tênis e 200 squeezes ao projeto Fábrica Cascavelense de Cidadãos

sicoob credicapital 19 11 2021O Sicoob Credicapital entregou, no dia 17 de novembro, mais de R$ 5 mil arrecadados para o FC Cascavel, em apoio à campanha organizada pelo clube. Além do valor em dinheiro, foram doados 150 pares de tênis e 200 squeezes. “Ficamos surpresos com o resultado dessa ação, superou as nossas expectativas”, comemora o diretor superintendente da cooperativa, Valdir Pacini.

Crianças - Ele conta que o Sicoob Credicapital também ficou honrado em participar da campanha, que vai ajudar crianças que participam do projeto Fábrica Cascavelense de Cidadãos (FCC). “A campanha tem tudo a ver com o nosso propósito e com os nossos princípios. Agradecemos muito aos nossos colaboradores e cooperados que fizeram as doações”, explica.

Entrega - Os itens foram entregues na Unidade Administrativa da cooperativa com a presença dos diretores do Sicoob Credicapital, dirigentes do FC Cascavel e três atletas do projeto Fábrica Cascavelense de Cidadãos (FCC). O presidente do FC Cascavel, Valdinei Silva, comenta sobre a importância da campanha.

Arrecadação - “Graças ao apoio dos nossos parceiros, como o Sicoob que também é nosso patrocinador, arrecadamos três mil pares de tênis, o que vai possibilitar fornecer calçados por mais de um ano para os nossos atletas da base e todo valor doado será 100% revertido para o projeto”, afirma.

Campanha - A campanha de arrecadação de tênis iniciou em agosto, os colaboradores e cooperados do Sicoob Credicapital, puderam doar tênis usados ou novos ou então realizar um PIX de qualquer valor para uma conta criada para a campanha. Além do Sicoob, outras empresas apoiaram o projeto que pretende atender 1.250 crianças até o final do ano. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

FÓRUM TÉCNICO: CSM Paraná 2021 será realizado em dezembro na cidade de Curitiba

forum tecnico 19 11 2021O Fórum Técnico da Comissão de Sementes e Mudas do Paraná (CSM) edição 2021 está com suas inscrições abertas. O evento acontece nos dias 7 e 8 de dezembro, na cidade de Curitiba, e reunirá profissionais e entidades ligadas ao setor produtivo de sementes de todo o país. A programação é composta por palestras, painéis e workshops em um ambiente que permite interação entre os participantes. 

Assuntos - Entre os assuntos abordados nesta edição estão a Atualizações na Legislação de Sementes; Armazém Inteligente; Avanços em Ferramentas Biotecnológicas; TSI - Vantagens e Desafios; Risco Climático, Zarc, Seguro; O Risco Climático na produção; Zoneamento Agro Climático na Produção de Sementes; Seguro Agrícola em Sementes; O Negócio de Sementes no Brasil; Importância Estratégica de um LAS; Insumos Biológicos entre outros temas.

Especialistas - Para a discussão em torno das pautas foram convidados especialistas de diferentes segmentos do setor sementeiro brasileiro os quais vão discorrer dos assuntos ao longo do evento 2021.

Como inscrever-se - São 150 vagas disponíveis. Para participar, o interessado deve fazer a inscrição acessando o link https://www.sympla.com.br/forum-tecnico-csm-pr---2021__1386097

Programação completa - Clique aqui e confira a programação completa do evento. (Assessoria de Imprensa do evento)

 

ZARC: Mapa promove webinar sobre o Programa Nacional de Zoneamento Agrícola de Risco Climático

 

zarc 19 11 2021O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, através do canal do youtube da Enagro, promove, no dia 24 de novembro, às 14h30, o primeiro webinar do Programa Nacional de Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc).

 

Informações - O objetivo é disseminar as informações sobre o Zarc, apresentando a forma como o estudo é realizado, desde a coleta de dados climatológicos, metodologia/modelagem agrícola, validação externa dos resultados. Serão apresentados também os meios de divulgação dos dados: aplicativo Zarc Plantio Certo e o painel de indicação de riscos, além dos normativos relacionados ao Zarc e aplicação nos programas e políticas públicas.

 

Participação - O evento contará com a participação de especialistas do Mapa e da Embrapa e será aberto a todos os interessados, tendo como público-alvo: profissionais do agronegócio, produtores, agrônomos, corretores de seguros, funcionários de bancos e cooperativas de crédito, técnicos, estudantes e interessados nessa ferramenta científica.

 

Zarc - O Zarc foi criado para minimizar os riscos relacionados aos fenômenos climáticos adversos, permitindo que cada município identifique a melhor época de semeadura das culturas nos diferentes tipos de solo e ciclos de cultivares.

 

Programas - Os agricultores que seguem as recomendações do Zarc estão menos sujeitos aos riscos climáticos e poderão ser beneficiados pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e pelo Programa de Subvenção ao prêmio do Seguro Rural (PSR). Os estudos de Zarc estão disponíveis para todas Unidades da Federação e já contemplam mais de 40 culturas, divididas entre espécies de ciclo anual e permanente. Muitos agentes financeiros só permitem o acesso ao crédito rural para cultivos em áreas zoneadas e para o plantio de cultivares indicadas nas portarias de zoneamento.

 

Aplicativo Plantio Certo - Produtores rurais e outros agentes do agronegócio podem acessar através de tablets e smartphones, de forma mais prática, as informações oficiais do Zarc, facilitando a orientação quanto aos programas de política agrícola do governo federal. O aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, desenvolvido pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas/SP), está disponível nas lojas de aplicativos: iOS e Android.

 

Painel - Os resultados do Zarc também podem ser consultados e baixados por meio da plataforma “Painel de Indicação de Riscos

 

Acesso - Para participar do evento, basta acessar no dia e horário agendados o canal do youtube da Enagro – https://www.youtube.com/watch?v=JYrusoC3PFo. (Mapa)

 

PROGRAMAÇÃO

14h30 - Abertura

Guilherme Bastos - Secretário de Política Agrícola

Pedro Loyola - Diretor do Departamento de Gestão de Riscos

Silvia Massruhá - Chefe Geral da Embrapa Informática Agropecuária

 

14h50 às 16h30 – Palestras

Moderador - Silvando Silva Pesquisador da Embrapa

 

Zarc - aspectos legais, institucionais e divulgação

Hugo Borges Rodrigues - Coordenador-geral de Risco Agropecuário

 

Zarc - conceitos e aplicações

Eduardo Monteiro - Pesquisador da Embrapa

 

Estudo de caso - Zarc trigo

Gilberto Cunha - Pesquisador da Embrapa

 

16h30 às 17h - Perguntas e discussão

 

CONJUNTURA AGROPECUÁRIA: Fruticultura teve pouco impacto nos índices de inflação, aponta boletim

 

conjuntura agropecuaria 19 11 2021A fruticultura, ainda que tenha enfrentado intempéries climáticas durante os últimos meses, exerceu pouco impacto nos índices de inflação, particularmente no Paraná, que tem nessa uma das principais atividades agrícolas. Em 12 meses, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do setor foi de 4,28%. No Paraná, o índice foi de 2,74% negativos entre as principais frutas produzidas e consumidas.

 

Boletim - Esse é um dos assuntos analisados no Boletim Semanal de Conjuntura Agropecuária referente ao período de 12 a 18 de novembro. O documento é preparado pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

 

Banana - A banana nanica/caturra, por exemplo, acumulou um índice nacional de 11,19% negativos em 12 meses. No Paraná, chegou a 32,21% negativos. Nacionalmente, a maçã também apresentou índice negativo, de 10,71%; no Paraná, foi de 13,65% negativos.

 

Uva - A uva teve uma pequena alta, de 3,09%, quando considerados os números nacionais, enquanto no Paraná a elevação foi de 1,11%. O mesmo ocorreu com a laranja-pera, com inflação positiva de 18,25% nacionalmente e de 26,20% no Estado.

 

Preços médios - O boletim de conjuntura agropecuária também analisa os preços médios nominais recebidos mensalmente pelos produtores paranaenses de frutas. No caso da banana nanica/caturra, houve redução de 23,9% entre novembro de 2020 e outubro de 2021. A uva fina de mesa apresentou queda de 2%, enquanto na laranja-pera e na maçã a variação foi positiva em 19,7% e 28,9%, respectivamente.

 

Ceasa - As Centrais de Abastecimento do Paraná (Ceasa) são referência em preço de comercialização dos produtos de pomares no atacado. No período analisado, os valores foram negativos para banana nanica/caturra, maçã e uva fina, na ordem de 23,8%, 35,6% e 11,3%. Na laranja-pera, os preços se mostraram 16,6% a maiores.

 

Consumidor final - A mesma lógica foi verificada nos preços para o consumidor final. Banana nanica/caturra, maçã e uva fina apresentaram índices negativos de 33,7%, 41,7% e 19,4%. A laranja, por sua vez, acresceu em 30,3% os preços nas gôndolas. Essa elevação pode ser explicada também pela forte destinação agroindustrial para elaboração de sucos.

 

Café e feijão - O boletim faz um balanço da safra de café, cuja colheita encerrou-se em setembro, com previsão de 880 mil sacas beneficiadas de 60 quilos, e projeta a próxima, com potencial de produção severamente comprometido pela estiagem e geadas. A redução de chuvas e o aumento de temperatura na primeira quinzena de novembro contribuíram para o avanço do plantio de feijão da primeira safra, que já ocupa 98% da área prevista. A análise de campo aponta 90% em boas condições, com o restante em situação mediana.

 

Mandioca e soja - O plantio e colheita da mandioca também são favorecidos pelas condições climáticas. Ambos os trabalhos estão se encaminhando para o final. Mesmo com a forte reação dos preços recebidos pelos produtores nas últimas semanas, a previsão é de redução em 10% na área para a safra 2021/22.

 

Plantio - O plantio da soja também avançou e ocupa agora 95% da área prevista de 5,62 milhões de hectares. O desenvolvimento da cultura é bastante satisfatório, com 96% em boas condições e o restante, medianas. Com isso, mantém-se a estimativa de produção de 20,8 milhões de tonelada.

 

Milho e trigo - A primeira safra de milho brasileira deve atingir 28,6 milhões de toneladas, alta de 15,7% se comparada com a anterior. O Paraná participa com 14,3% nesse total. A expectativa é que a produção estadual atinja 4,1 milhões de toneladas, 32% superior à safra 2020/21.

 

Importação - O boletim registra, ainda, que o Paraná importou, entre janeiro e outubro, 467 mil toneladas de trigo. O volume é 20% maior que o adquirido em todo 2020. É uma situação inversa à que se observa em âmbito nacional que, no mesmo período, importou 3% a menos, devido sobretudo à menor demanda dos parques moageiros baiano e cearense.

 

Pecuária, avicultura e ovos - O documento preparado pelo Deral cita a primeira carga brasileira de produtos lácteos enviada para a China. O volume proveniente do Rio Grande do Sul foi pequeno, mas pode ajudar a abrir ainda mais as portas de um dos maiores mercados consumidores de lácteos. Os laticínios brasileiros começaram a ser habilitados em 2019 para o país asiático.

 

Exportações - As exportações de carne de frango também foram registradas no boletim. Em outubro, o Brasil enviou 397,1 mil toneladas ao Exterior, superando em 24,2% o volume do mesmo período no ano passado. Para os ovos, os números foram ainda mais significativos. No mês passado, foram exportadas 819 toneladas, o que representa 150% a mais que outubro de 2020, quando foram embarcadas 328 toneladas. (Agência de Notícias do Paraná)

 

FOTO: Gilson Abreu / AEN

 

MP 1.072/2021: Prorrogada medida provisória que zera tributos sobre importação de milho

 

mp 19 11 2021Duas medidas provisórias foram prorrogadas e duas perderam a vigência, conforme atos declaratórios do presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco, publicados no Diário Oficial da União (DOU) dessa quinta-feira (18/11).

 

Tributo - A MP 1.071, de 22 de setembro, que zerou tributos sobre o milho importado para enfrentar a baixa oferta do produto no mercado brasileiro, teve sua vigência prorrogada por 60 dias. Ela zera até o fim do ano o PIS/Pasep e a Cofins na importação de milho.

 

Taxa de fiscalização - A MP 1.072, de 1º de outubro, que altera o cálculo da Taxa de Fiscalização dos mercados de títulos e valores mobiliários, também teve sua vigência prorrogada por 60 dias. A correção dos valores das taxas, segundo o Poder Executivo, visa atualizar a cobrança, adaptando-a ao crescimento do número de operadores no mercado nos últimos anos. (Agência Senado)

 

FOTO: Roque de Sá / Agência Senado

 

INFRAESTRUTURA I: DER divulga resultado final da licitação de conservação das rodovias do Anel de Integração

infraestrutura I 19 11 2021O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) publicou, nessa quinta-feira (18/11), o resultado final da licitação da conservação das rodovias estaduais após o término dos pedágios do Anel de Integração. O aviso, disponível em Diário Oficial e no portal Compras Paraná, dá início a prazo de cinco dias úteis para recursos e outros cinco dias para contrarrazões, caso haja algum recurso interposto.

Vencedores - O Consórcio Conserva Paraná, composto pelas empresas Gaissler Moreira Engenharia Civil Eireli e Compasa do Brasil Distribuidora de Derivados de Petróleo Ltda, foi o vencedor dos lotes 1, 2 e 5, enquanto a empresa Asphalt Pavimentação Asfáltica Eireli venceu os lotes 3 e 4.

Propostas - Ambos apresentaram a proposta de preço mais vantajosa para a administração pública, nos respectivos lotes, e tiveram sua documentação de habilitação aprovada pela comissão de julgamento. Concluído o período de recursos, e caso não haja alterações nos resultados, terá início o trâmite interno para a assinatura dos contratos.

Valor total - O valor total dos cinco lotes ficou em R$ 93.491.447,26 para execução de serviços ao longo de 730 dias (dois anos). Como há perspectiva de lançamento do novo programa de concessões rodoviárias do governo federal no ano que vem, o valor executado pode ficar abaixo do total, devido à supressão dos serviços. Para estes casos, está prevista a possibilidade de rescisão contratual, sem penalidades para as partes envolvidas.

Serviços - Os serviços rotineiros de conservação do pavimento incluem remendos superficiais e profundos, reperfilagem e microrrevestimento. Já nos serviços de conservação da faixa de domínio, será realizado o controle da vegetação próxima ao pavimento, limpeza e recomposição de elementos de drenagem, e limpeza e recomposição da sinalização e dispositivos de segurança viária.

Abrangência - Serão atendidas as rodovias principais e de acesso que competem à administração pública estadual.

Lotes - Estão contemplados 964,52 quilômetros de rodovias, incluindo pistas simples e duplicadas:

Lote 1 – Região Metropolitana de Curitiba e Litoral: 153,75 quilômetros

Lote 2 – Campos Gerais: 306,48 quilômetros

Lote 3 – Norte: 230,29 quilômetros

Lote 4 – Noroeste: 200,99 quilômetros

Lote 5 – Oeste: 73,01 quilômetros

Confira a tabela com todos os trechos AQUI.

(Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Geraldo Bubniak / AEN 

Leia mais sobre o assunto:

DER/PR lança edital para contratar serviços de guincho para o Anel de Integração

 

INFRAESTRUTURA II: Curitiba tem o melhor aeroporto com movimentação anual entre 5 e 10 milhões de passageiros

infraestrutura II 19 11 2021Recém-concedido pelo Governo Federal à iniciativa privada, o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais (PR), na Região Metropolitana de Curitiba, obteve a maior média do indicador de satisfação geral de passageiros entre os aeroportos do país que movimentam entre 5 e 10 milhões de passageiros por ano. A nota conferida por usuários ao terminal paranaense foi de 4,66, em uma escala que vai de 1 (muito ruim) a 5 (muito bom).

O mais bem colocado - Administrado pela Infraero até a última semana, quando foi assinado o contrato de concessão com a CCR Aeroportos, o terminal já tinha sido o mais bem colocado em sua categoria no 1º trimestre de 2020, quando ocorreu o último levantamento antes da crise da covid-19, e agora repetiu o feito em levantamento realizado no 3º trimestre de 2021. Na mesma categoria, os aeroportos de Fortaleza (CE) e de Porto Alegre (RS) tiveram a segunda e a terceira melhores avaliações.

Pesquisa - Os dados constam na mais recente edição da Pesquisa Nacional de Satisfação do Passageiro e Desempenho Aeroportuário, promovida pela Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC), do Ministério da Infraestrutura (MInfra). Na região Sul, destaque também para o Aeroporto de Florianópolis (SC), com a maior nota atribuída aos usuários entre todos os 20 aeroportos analisados: 4,69, ficando em primeiro lugar na categoria de até 5 milhões de passageiros. Com movimento acima de 10 milhões de passageiros/ano, a melhor avaliação (4,50) foi do Aeroporto de Confins (MG).

Aplicação - Apesar de a pesquisa de satisfação ser trimestral, os questionários não puderam ser aplicados em julho deste ano, devido à pandemia. Assim, 12.978 passageiros foram entrevistados nos meses de agosto e setembro durante a realização da edição mais recente da pesquisa. Ao todo, 92% dos entrevistados considerados bons ou muito bons os 20 aeroportos que tiveram analisados suas estruturas, serviços e processos aeroportuários, como check-in, inspeção de segurança e restituição de bagagens, entre outros itens. (Assessoria de Comunicação do Ministério da Infraestrutura)

FOTO: Infraero

 

 

PNAD CONTÍNUA: Auxílio emergencial elevou para 23,7% proporção de domicílios que receberam outros programas sociais em 2020

pnad 19 11 2021A proporção de domicílios em que há pessoas recebendo outros programas sociais cresceu de 0,7%, em 2019, para 23,7% em 2020. Esse aumento é explicado pelo pagamento do Auxílio Emergencial, benefício criado no ano passado para diminuir os impactos socioeconômicos da pandemia de Covid-19 entre os trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados. Os dados são da PNAD Contínua 2020: Rendimento de todas as fontes, divulgada nesta sexta-feira (19/11) pelo IBGE.

Bolsa Família - Também entre 2019 e 2020, a proporção de lares que recebiam Bolsa Família caiu de 14,3% para 7,2%. De acordo com a analista da pesquisa, Alessandra Scalioni, essa redução se deve à parte dos beneficiários do programa que passou a receber o Auxílio Emergencial. “Se um beneficiário do Bolsa Família recebia um valor menor do que Auxílio Emergencial, ele passava a receber esse auxílio. Então houve uma migração de pessoas que recebiam Bolsa Família para a rubrica do Auxílio Emergencial”, explica.

BPC-Loas - O percentual de domicílios que recebiam o Benefício de Prestação Continuada (BPC-Loas), destinado às pessoas com deficiência e aos idosos que não têm meios para se sustentar, passou de 3,5% para 3,1% nesse mesmo período. A presença desse benefício era maior nos domicílios do Norte (5,0%) e do Nordeste (4,5%), assim como a do Bolsa Família: 12,9% e 14,2%, respectivamente. Cerca de 32,2% dos domicílios do Norte e 34,0% do Nordeste recebiam rendimento de outros programas sociais, principalmente Auxílio emergencial.

Norte e Nordeste - “Historicamente, Norte e Nordeste sempre receberam mais Bolsa Família e outros programas sociais do que as outras regiões. Além disso, as ocupações das duas regiões estão mais ligadas aos setores de serviços e comércio e, durante a pandemia, foram esses segmentos que dependem de clientes que mais sofreram. Então elas tiveram o mercado de trabalho muito afetado”, afirma a pesquisadora.

“Outros rendimentos” - O Auxílio Emergencial entrou na rubrica de “outros rendimentos”, que abarca também ganhos de aplicações financeiras, seguro-desemprego, seguro-defeso e outros programas sociais como o Bolsa Família. Com a presença do Auxílio Emergencial, a participação de outros rendimentos no rendimento domiciliar per capita atingiu 7,2%, a maior proporção dessa categoria desde 2012, início da série histórica da pesquisa. Em 2019, essa proporção havia sido de 3,4%.

Renda familiar - O rendimento de todos os trabalhos compunha 72,8% do rendimento domiciliar per capita em 2020. Os 27,2% restantes se dividiam, além de outros rendimentos (7,2%), em rendimentos de aposentadoria ou pensão (17,6%), aluguel e arrendamento (1,5%) e pensão alimentícia, doação ou mesada de não morador (0,8%).

Crescimento - A categoria outros rendimentos foi a única a crescer nessa comparação. “Houve uma combinação de fatores. O mercado de trabalho sofreu bastante com a pandemia. Por causa do distanciamento social, alguns setores que dependiam de movimentação de pessoas, como o setor de serviços, foram ainda mais afetados. O trabalho em si perdeu espaço. Isso explica a perda da participação do rendimento de todos os trabalhos, que cai de 74,4%, em 2019, para 72,8%, em 2020”, ressalta a analista da pesquisa.

Maior participação - “Por outro lado, há o pagamento do Auxílio Emergencial, o que fez com que os outros rendimentos ganhassem participação na composição do rendimento domiciliar per capita. Mas o rendimento do trabalho continua sendo a principal fonte de renda dos domicílios”, complementa. No Norte, a participação de outros rendimentos aumentou de 5,1% para 12,5%, enquanto no Nordeste foi de 5,5% para 13,7%.

Proporção - A proporção de pessoas que tinham outros rendimentos atingiu 14,3% em 2020, o que representa 30,2 milhões de pessoas. É a primeira vez, desde o início da série histórica da pesquisa, que esse percentual superou o dos que recebiam Aposentaria e Pensão (12,4%). No Norte (17,5%) e no Nordeste (19,7%), os percentuais dos que recebiam outros rendimentos ficaram acima da média do país.

Rendimento domiciliar per capita cai 4,3% em 2020 - Em 2020, o rendimento médio mensal real domiciliar per capita foi de R$1.349, o que representa uma queda de 4,3% frente ao estimado no ano anterior, quando foi de R$1.410. As únicas regiões que tiveram aumento nesse valor foram Norte (R$896) e Nordeste (R$891) e, apesar disso, se mantiveram com os menores rendimentos. O maior era do Sudeste (R$1.623), seguido do Sul (R$1.597).

Média - Nos domicílios em que havia moradores beneficiários do Bolsa Família, o rendimento médio mensal real domiciliar per capita foi de R$379 em 2020. Para os que recebiam o BPC-LOAS, esse rendimento foi de R$792 e, para aqueles que recebiam outros programas sociais, de R$772. Esse último, que inclui os domicílios que receberam Auxílio Emergencial, cresceu 12,2% na comparação com o ano anterior.

Ganho - “Só os outros rendimentos tiveram ganho de renda média nesse período. O rendimento médio domiciliar per capita caiu porque as fontes de renda, em si, caíram. Ainda que a renda do trabalho tenha subido, há menos pessoas ganhando esse rendimento, porque houve uma queda na ocupação de 8,1 milhões de pessoas entre 2019 e 2020”, diz Alessandra.

Estratificação - Quando observada a estratificação em classes de percentual das pessoas em ordem crescente de rendimento domiciliar per capita em 2020, metade da população com menores rendimentos recebeu R$453, em média, crescimento de 3,9% frente a 2019 (R$436).

Aumento - “Essa fatia da distribuição de renda teve o rendimento médio aumentado especialmente por causa do Auxílio Emergencial, porque os beneficiários dele estão nessa faixa. Já a outra metade da distribuição, que é a de maiores rendimentos, teve redução”, explica a analista.

Valor - As pessoas que faziam parte do 1% da população com rendimentos mais elevados tinham rendimento domiciliar per capita de R$15.816. Esse valor é 34,9 vezes o rendimento da metade da população com os menores rendimentos (R$453). Em 2019, essa diferença foi a maior da série histórica (40 vezes).

Índice de Gini tem a maior queda da série histórica; Norte e Nordeste se destacam - O índice de Gini, que mede concentração de renda e desigualdade econômica, passou de 0,544, em 2019, para 0,524, em 2020. Essa foi a maior queda da série histórica do indicador. Quanto mais próximo de zero, maior a igualdade de renda entre a população do país. Houve uma tendência de redução do índice entre 2012 (0,540) e 2015 (0,524), mas em 2016 voltou a crescer (0,537) e atingiu o maior valor da série em 2018 (0,545).

2020 - Em 2020, o Nordeste manteve o maior índice de Gini entre as regiões (0,526) e o Sul, o menor (0,457). Na comparação com 2019, a desigualdade medida pelo Gini se reduziu em todas as regiões, com destaque para Norte e Nordeste.

Piora - “Houve uma piora do mercado de trabalho. Muita gente perdeu ocupação, mas o Auxílio Emergencial segurou quem tinha rendas domiciliares menores. Isso tornou a distribuição de renda do país menos desigual”, destaca Alessandra.

Massa - Já a massa de rendimento mensal real domiciliar per capita foi de R$284,6 bilhões em 2020, queda em relação a 2019 (R$295,2 bilhões). Apesar de o Sudeste concentrar 50,7% dessa massa (R$144,4 bilhões), apenas o Norte e o Nordeste tiveram aumento nesse indicador (3,6% e 1,4%, respectivamente) no período. Sul (-5,7%) e Sudeste (-5,2%) tiveram as maiores quedas.

Concentração - Enquanto a parcela dos 10% com os maiores rendimentos concentravam 41,6% da massa, os 10% com menores rendimentos detinham 0,9%. Mas o primeiro grupo perdeu participação entre 2019 e 2020 (-1,2 p.p.), enquanto os de menor rendimento variaram positivamente. (Agência IGBE de Notícias)

FOTO: Helena Pontes / Agência IBGE Notícias

1pnad programas 800

pnad rendimento 800

 

 

CÂMBIO: Dólar sobe pelo quarto dia seguido e chega a R$ 5,57

cambio 19 11 2021Em mais um dia de turbulência no mercado financeiro, o dólar subiu pela quarta sessão consecutiva e voltou a aproximar-se de R$ 5,60. A bolsa de valores caiu mais uma vez e continua no menor nível em um ano.

Câmbio - O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (18/11) vendido a R$ 5,57, com alta de R$ 0,046 (+0,87%). A cotação chegou a operar próxima da estabilidade no início do dia, mas inverteu a tendência ainda durante a manhã e firmou-se acima de R$ 5,56 a partir das 14h45.

Recuo acumulado - Desde a primeira semana de outubro, a moeda norte-americana não subia quatro dias seguidos. Apesar das altas recentes, a divisa acumula recuo de 1,34% em novembro, por causa das quedas expressivas no início do mês. Em 2021, a valorização chega a 7,34%.

Ações - No mercado de ações, o dia também foi instável. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 102.426 pontos, com queda de 0,51%. O indicador está no menor nível desde 11 de novembro do ano passado. A bolsa foi influenciada pela queda nas ações de mineradoras, decorrente do recuo do preço internacional do minério de ferro, e nas ações de bancos, afetadas pelas incertezas em relação à economia doméstica.

PEC dos Precatórios - A possibilidade de o Senado mudar o teor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios está pressionando o mercado. Apesar de a PEC liberar R$ 91,6 bilhões em gastos públicos no próximo ano, os investidores receiam que uma eventual rejeição do texto estimule o governo a buscar soluções como a edição de um eventual decreto de calamidade pública que permita créditos extraordinários (fora do teto de gastos) em 2022.

Mercado internacional - No mercado internacional, o dólar subiu perante as principais moedas de países emergentes. No Brasil, a queda do preço internacional do minério de ferro deverá agravar a situação por significar redução do valor exportado, impactando o superávit da balança comercial e aumentando o déficit nas contas externas. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

SAÚDE I: Brasil registra 293 mortes por Covid-19 em 24 horas

As secretarias municipais e estaduais de Saúde registraram, em 24 horas, 12.301 casos de covid-19 e 293 mortes resultantes de complicações associadas à doença. Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada nessa quinta-feira (18/11).

Vidas perdidas - Com isso, o número de vidas perdidas para a pandemia chegou a 612.144. Até quarta-feira (17/11), o painel de informações sobre a covid-19 mantido pelo Ministério da Saúde marcava 611.851 mortes em decorrência da doença.

Investigação - Ainda há 2.867 mortes em investigação, situação ocorre pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação sobre a causa demanda exames e procedimentos posteriores.

Casos - Com os novos casos registrados, o número de pessoas que contraíram covid-19 até esta quinta-feira chegou a 21.989.962. Na quarta, o sistema de informações do Ministério da Saúde totalizava 21.977.861 casos acumulados.

Acompanhamento - Estão em acompanhamento 170.821 casos de pessoas que tiveram o quadro de covid-19 confirmado. Até esta quinta-feira, 21.206.997 pessoas já se recuperaram da covid-19.

Números - Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras e nos dias seguintes aos feriados por causa da redução de equipes para a alimentação dos dados. Às terças-feiras e dois dias depois dos feriados, em geral, há mais registros diários pela atualização do acúmulo de dados.

Estados - Segundo o balanço do Ministério da Saúde, o estado com mais mortes por covid-19, até o momento, é São Paulo (153.299), seguido por Rio de Janeiro (68.793), Minas Gerais (55.997), Paraná (40.741) e Rio Grande do Sul (35.898). Os estados com menos óbitos resultantes da doença são Acre (1.845), Amapá (1.995), Roraima (2.038), Tocantins (3.903) e Sergipe (6.038).

Sem registros - Não se registraram mortes por covid-19 na quarta e quinta-feira (17 e 18/11) nos estados do Acre, do Amapá e de Roraima.

Vacinação - Até o início da noite desta quinta-feira (18/11), o sistema do Ministério da Saúde marcava a aplicação de 297,9 milhões de doses no Brasil, sendo 157,3 milhões da primeira dose e 128,4 milhões da segunda e da dose única.

Reforço - Foram aplicadas 11,5 milhões de doses de reforço.

Distribuição - No total, foram distribuídas 360,6 milhões de doses a estados e municípios, tendo sido entregues 349,9 milhões. (Agência Brasil)

whatsapp image 2021-11-18 at 18.40.54

 

SAÚDE II: Sesa confirma 716 novos casos e 27 óbitos pela Covid-19

saude II 19 11 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quinta-feira (18/11) mais 716 casos confirmados e 27 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os casos são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 1.564.681 casos confirmados e 40.518 mortos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de novembro (443), outubro (120), setembro (40), agosto (25), julho (29), junho (26) e maio (32) de 2021 e dezembro (1) de 2020. Os óbitos são de novembro (21), outubro (1), setembro (1), agosto (1), junho (1) e maio (1) de 2021 e dezembro (1) de 2020.

Internados - 231 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 171 pacientes em leitos SUS (100 em UTIs e 71 em leitos clínicos/enfermarias) e 60 em leitos da rede particular (34 em UTIs e 26 em leitos clínicos/enfermarias).

Exames - Há outros 844 pacientes internados, 502 em leitos de UTI e 342 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais 27 pacientes. São 14 mulheres e 13 homens, com idades que variam de 37 a 100 anos. Os óbitos ocorreram entre 31 de dezembro de 2020 e 18 de novembro de 2021.

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Londrina (3), Laranjeiras do Sul (3), Ponta Grossa (2) e Cambará (2), Uraí (1), Umuarama (1), Teixeira Soares (1), São Pedro do Iguaçu (1), São Miguel do Iguaçu (1), Matinhos (1), Maringá (1), Ibiporã (1), Guaíra (1), Foz do Iguaçu (1), Florestópolis (1), Curitiba (1), Cascavel (1), Cambé (1), Bocaiúva do Sul (1), Assis Chateaubriand (1) e Andirá (1).

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 6.228 casos de residentes de fora do Estado – 223 pessoas morreram. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI.

Veja AQUI os ajustes e relatório de exclusões.

 

SAÚDE III: Campanha de Mega Vacinação contra Covid-19 começa neste sábado

saude mega vacinacao 19 11 2021Começa neste sábado (20/11), a campanha nacional de Mega Vacinação contra a covid-19. Para dar visibilidade à ação, o Ministério da Saúde vai promover eventos simultâneos nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Manaus, Curitiba, Salvador e Brasília. O ministro Marcelo Queiroga participará da iniciativa no Rio, que ocorrerá na Cidade das Artes.

Incentivo - A intenção é incentivar a população a voltar aos postos de vacinação para tomar a segunda dose ou a dose de reforço. A campanha tem como slogan "Proteção pela medade não é proteção" e vai até 26 de novembro. Neste período, os postos de vacinação em todo país estarão preparados para intensificar a imunização da população.

Público - A ação pretende incentivar que os 21 milhões de brasileiros que não tomaram a segunda dose da vacina procurem os postos e completem o ciclo vacinal. A iniciativa também pretende atingir as pessoas que estão aptas a tomar a dose de reforço. Cerca de 9,3 milhões de pessoas podem reforçar a imunidade contra a doença com uma terceira dose.

Convite - “Nós queremos convidar a todos os brasileiros que não foram tomar a segunda dose, assim como a dose de reforço, a procurar as Unidades Básicas de Saúde, salas de vacinação e as estratégias usadas em cada município. Essas doses estão disponíveis para a população, que ficará mais protegida e ajudará o Brasil a superar a crise sanitária e dar exemplo com uma das campanhas de vacinação mais bem-sucedidas do mundo, promovida integralmente pelo Sistema Único de Saúde”, disse o ministro da Saúde. (Agência Brasil)

FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

 

SAÚDE IV: Brasil recebe 1 milhão de doses da vacina Janssen

saude IV 19 11 2021O Ministério da Saúde anunciou a chegada de mais 1 milhão de doses da farmacêutica estadunidense Janssen contra a covid-19. O volume é parte do total de 38 milhões de vacinas encomendadas pelo órgão até o fim de 2021. Nos próximos dias, estados e Distrito Federal receberão as remessas.

Programação - A programação é que seja feita a entrega de 7,8 milhões em novembro e 28,4 milhões em dezembro. Em junho, o Brasil recebeu 1,5 milhão de vacinas. Após doação feita pelos Estados Unidos, o total recebido chega a mais 3 milhões de doses do laboratório.

Aplicação - O ministério informou que foram aplicadas, até o momento, 297,1 milhões de doses contra a covid-19. Mais de 157 milhões de pessoas receberam a primeira dose, o que representa, segundo o órgão, 90% do público-alvo da campanha. Outros 127,9 milhões já completaram o esquema vacinal com duas doses, o equivalente a 72,3% da população a ser atingida.

2022 - Para 2022, o governo federal prevê a utilização de 350 milhões de doses. (Agência Brasil)

FOTO: Breno Esaki /Agência de Saúde-DF

 


Versão para impressão


RODAPE