Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias INTEGRADA: Palestra técnica vai abordar controle da cigarrinha nas lavouras de milho

 

 

cabecalho informe

INTEGRADA: Palestra técnica vai abordar controle da cigarrinha nas lavouras de milho

A cigarrinha do milho é um inseto com menos de 1 centímetro, mas que pode acarretar grandes prejuízos na cultura do milho, se não for identificado e combatido no momento adequado. Durante o Agrotec 2021, o engenheiro agrônomo e consultor Paulo Roberto Garollo, vai abordar os métodos de controle da cigarrinha, o melhor momento para o manejo e aplicação de defensivos, além da escolha de híbridos com melhor tolerância a doença.

Seiva - De cor branco-palha ou acinzentada, a cigarrinha Dalbulus Maidis se alimenta da seiva da planta do milho. Estes insetos são portadores de Mollicutes, microrganismos que infectam a planta, causando doenças conhecidas por Enfezamentos.

Enfraquecida - A planta infectada fica enfraquecida, apresentando uma descoloração nas folhas ou tons avermelhados, além de espigas pequenas com pouco ou nenhum grão. A produtividade pode ter até 70% de dano direto, além dos danos indiretos por conta de fungos e quebramento do colmo.

Temperatura - “Todo processo biológico da praga, os mecanismos de aquisição e inoculação dos agentes causais das doenças, como o enfezamento, são altamente influenciados por temperatura. Por conta disso, a tendência de ocorrência é maior em regiões e em épocas de temperaturas diurnas entre 26 e 30 graus”, explica Garollo.

Prejuízo - Uma área de milho infestada de cigarrinha representa prejuízo severo para a cultura, considerando que as plantas infectadas transmitem para as plantas sadias.

Virose - A cigarrinha também é responsável por transmitir uma virose causada pelo agente Maize Rayado Fino Virus (MRFV), comumente chamada de raiado fino, que pode reduzir em até 30% a produção de grãos em plantas suscetíveis. “O que é muito comum é a planta adoecer tanto por enfezamentos quanto pela virose do raiado fino, já que o vetor é o mesmo inseto. Neste caso, as perdas são devastadoras”, diz o consultor.

Controle - Além das boas práticas, como realização do manejo integrado de pragas, e o tratamento de sementes com produtos registrados, o consultor alerta sobre a importância do controle do milho tiguera, planta involuntária nas lavouras da soja. “Para a quebra do ciclo da doença, é de fundamental importância o controle do milho involuntário. A tiguera causa impacto econômico pela competição dos recursos de nutrientes com a soja, como também serve de ponte para a continuidade da cigarrinha”, alerta Garollo.

Sanidade - Por isso, o controle da cigarrinha do milho é de fundamental importância para a sanidade da lavoura, assegurando a máxima produtividade. (Imprensa Integrada)

Agrotec 2021 - Agroexcelência|Tecnologia a Serviço da Produtividade

Evento 100% digital

Dia: 4 de fevereiro de 2021

Horário: a partir das 8:30hrs

Programação completa, acesse:

http://agrotecintegrada.com.br/home/

 

integrada 02 02 2021

icone prcoop icone instagram icone facebook icone X icone linkedin icone youtube icone flickr icone endereco