Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias IPCA-15: Prévia da inflação de maio desacelera para 0,59% influenciada pela queda na energia elétrica

 

 

cabecalho informe

IPCA-15: Prévia da inflação de maio desacelera para 0,59% influenciada pela queda na energia elétrica

ipca destaque 24 05 2022A pr√©via da infla√ß√£o desacelerou para 0,59% em maio e ficou 1,14 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de abril (1,73%). Esse √≠ndice √© o maior do indicador para o m√™s desde 2016 (0,86%). No ano, o IPCA-15 acumula alta de 4,93%. O acumulado dos √ļltimos 12 meses √© de 12,20%, acima dos 12,03% registrados em abril. A taxa de maio de 2021 foi de 0,44%. Todos os grupos de produtos e servi√ßos pesquisados apresentaram aumento nos pre√ßos, exceto habita√ß√£o (-3,85%), influenciado pela queda de 14,09% na energia el√©trica.

Maior alta - A maior alta no resultado veio de Sa√ļde e cuidados pessoais (2,19%), que contribuiu com 0,27 p.p. no √≠ndice de maio. O item de maior influ√™ncia no grupo e no IPCA-15 de maio foi produtos farmac√™uticos, com aumento de 5,24% nos pre√ßos (e 0,17 p.p. de impacto no resultado), registrado ap√≥s o reajuste de at√© 10,89% autorizado pela C√Ęmara de Regula√ß√£o do Mercado de Medicamentos (CMED). Tamb√©m pressionaram o resultado do grupo os itens de higiene pessoal, que apresentaram alta de 3,03%, com impacto de 0,11 p.p. no √≠ndice do m√™s, o segundo maior.

Impacto positivo - J√° o maior impacto positivo (0,40 p.p.) no resultado do IPCA-15 no m√™s de maio foi do grupo dos Transportes, que registrou alta de 1,80%. O resultado apresenta desacelera√ß√£o em rela√ß√£o a abril (3,43%). A maior contribui√ß√£o (0,09 p.p.) para o grupo veio do item passagens a√©reas (18,40%), cujos pre√ßos subiram pelo segundo m√™s consecutivo (em abril, a alta foi de 9,43%). Os combust√≠veis (2,05%) tamb√©m seguem em alta, embora a varia√ß√£o tenha sido inferior √† registrada no m√™s anterior (7,54%). Chamam a aten√ß√£o aumentos da gasolina (1,24%) e do etanol (7,79%). Tamb√©m merece destaque o seguro de ve√≠culo (3,48%), que j√° acumula 18,24% de varia√ß√£o no ano.

T√°xi - Ainda em Transportes, houve alta no subitem t√°xi (5,94%), por conta dos reajustes de 41,51% nas tarifas em S√£o Paulo (20,15%) e de 14,10% em Fortaleza (12,95%). No Rio de Janeiro, as passagens de metr√ī foram reajustadas em 12,07%, deixando o subitem metr√ī no panorama nacional com alta de 2,17%, enquanto na regi√£o metropolitana fluminense, ficou em 6,56%. J√° no subitem √īnibus urbano (0,17%), houve reajuste de 11,11% no pre√ßo das passagens em Bel√©m (4,17%).

Alimenta√ß√£o e bebidas - Outro grupo que desacelerou foi Alimenta√ß√£o e bebidas: 1,52% em maio frente aos 2,25% de abril. A maior influ√™ncia foi dos alimentos para consumo no domic√≠lio (1,71%). Entre os itens com as maiores altas, o leite longa vida (7,99%) e a batata-inglesa (16,78%) tiveram impactos de 0,06 p.p. e 0,04 p.p., respectivamente. Ainda houve alta na cebola (14,87%) e no p√£o franc√™s (3,84%), enquanto registraram quedas as frutas (-2,47%), o tomate (-11%) e a cenoura (-16,19%), esta √ļltima ap√≥s alta expressiva em abril de 15,02%.

Fora do domic√≠lio - Ainda em alimenta√ß√£o, o item alimenta√ß√£o fora do domic√≠lio acelerou na passagem abril (0,28%) para maio (1,02%), principalmente por conta do subitem lanche, que teve alta de 1,89% contra 0,07% no m√™s anterior. J√° refei√ß√£o (0,52%) apresentou resultado mais pr√≥ximo ao registrado em abril (0,45%).

Educa√ß√£o e Vestu√°rio - As demais altas dos grupos ficaram entre o 0,06% de Educa√ß√£o e o 1,86% de Vestu√°rio.

√önica queda - A √ļnica queda de pre√ßos entre os grupos foi em Habita√ß√£o (-3,85%), puxada pela energia el√©trica (-14,09%). Cabe lembrar que, a partir de 16 de abril, passou a vigorar a bandeira verde, em que n√£o h√° cobran√ßa adicional na conta de luz, ap√≥s seis meses de bandeira ‚ÄúEscassez H√≠drica‚ÄĚ, com acr√©scimo de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos.

Regi√Ķes - Em termos regionais, houve quedas desde 17,62% em Curitiba at√© 2,18% em Fortaleza, onde houve reajuste de 24,23% nas tarifas. Tamb√©m foi aplicado um reajuste tarif√°rio de 20,97% em Salvador (-4,82%) e de 18,77% em Recife (-8,20%).

Habitação - Ainda no grupo de habitação, pelas altas, houve aumento de 0,81% no gás encanado, consequência do reajuste de 5,95% aplicado no Rio de Janeiro (2,58%). Também houve alta da taxa de água e esgoto (0,55%), decorrente do reajuste de 12,89% em São Paulo (1,72%).

Alta - Quanto √†s regi√Ķes, todas as √°reas pesquisadas no IPCA-15 de maio apresentaram alta, sendo a maior varia√ß√£o em Fortaleza (1,29%), explicada pelos itens de higiene pessoal (3,59%) e pelo reajuste de 24,23% nas tarifas de energia el√©trica (-2,18%), que ocasionou uma redu√ß√£o menor no subitem que a observada em outras √°reas.

Curitiba - Já o menor resultado regional foi em Curitiba (0,12%), onde, além do recuo de quase 18% da energia elétrica (-17,62%), houve queda nos preços de alimentos como a cenoura (-19,88%) e o tomate (-13,72%).

Mais sobre a pesquisa - O IPCA-15 difere do IPCA, a infla√ß√£o oficial do pa√≠s, somente no per√≠odo de coleta e na abrang√™ncia geogr√°fica. Para o c√°lculo do √≠ndice de maio, os pre√ßos foram coletados no per√≠odo de 14 de abril a 13 de maio de 2022 (refer√™ncia) e comparados com aqueles vigentes de 17 de mar√ßo a 13 de abril de 2022 (base).

Rendimento - O IPCA-15 refere-se a fam√≠lias com rendimentos de 1 a 40 sal√°rios-m√≠nimos, qualquer que seja a fonte, residentes nas regi√Ķes metropolitanas de Bel√©m, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, S√£o Paulo, Curitiba, Porto Alegre, al√©m do Distrito Federal e do munic√≠pio de Goi√Ęnia. Veja os resultados completos no Sidra. (Ag√™ncia IBGE de Not√≠cias)

FOTO: Helena Pontes / Agência IBGE de Notícias

 

ipca tabela 24 05 2022

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias

/* #### ANTIGA TAG DO GOOGLE ANALYTICS */