Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias CONJUNTURA AGROPECUÁRIA: Pressão dos custos reduz e produtores de leite terminam ano em melhores condições no Paraná

 

 

cabecalho informe

CONJUNTURA AGROPECUÁRIA: Pressão dos custos reduz e produtores de leite terminam ano em melhores condições no Paraná

conjuntura agropecuaria 09 12 2022Apesar da redução de 4% nos preços recebidos pelos produtores de leite no Paraná entre outubro e novembro, o ano de 2022 está encerrando com melhores condições em comparação ao início do ano. A análise está no Boletim de Conjuntura Agropecuária referente à semana de 2 a 8 de dezembro. O documento é elaborado pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

Valor - No mês de novembro, o produtor paranaense recebeu R$ 2,71 por litro de leite entregue aos laticínios, 4% a menos em comparação com o mês anterior. Segundo o Deral, essa correção vem desde o inverno, quando o produto atingiu R$ 3,35 e as indústrias se viram obrigadas a recorrer a maiores volumes de derivados importados, devido à dificuldade na captação de leite cru no campo.

Comparativo - Com a cotação do milho a R$ 75,90 em média no Paraná, o produtor precisou vender 28 litros de leite para comprar uma saca do cereal, proporção semelhante à média do ano de 2020. Na comparação com novembro de 2021, os laticínios pagaram 25% a mais pelo leite entregue, enquanto o preço da saca de milho apresentou pequena variação para baixo.

Nutrição - Ainda que o milho não seja o único insumo importante nessa cadeia, a nutrição do rebanho representa a maior parte dos custos de produção. Assim, mesmo com os preços em queda, o produtor está mais confortável que nos primeiros meses de 2022.

Grãos - Resta apenas 1% da área de trigo a ser colhida no Paraná, que deve resultar em uma safra de 3,47 milhões de toneladas. Ainda que tenha sido afetado negativamente pela seca e pelas geadas, o volume é considerado bom. O plantio da primeira safra de milho 2022/23 foi encerrado nesta semana e as condições de lavoura são favoráveis, tendo 82% em condição boa, 16% em condição mediana e apenas 2% em condição ruim. Já o plantio da safra de soja atingiu 99% da área total estimada de 5,7 milhões de hectares.

Fruticultura - Outro assunto analisado pelos técnicos do Deral é a fruticultura. Além do contexto mundial e nacional da produção de abacaxi, os números mostram que o Paraná responde somente por 0,7% da produção brasileira. No entanto, a atividade tem fundamental importância nos municípios onde se cultiva a fruta, pois gera emprego e renda, utilizando mão de obra intensiva nas diversas fases do cultivo. A área colhida no Paraná foi de 499 hectares em 2021, para uma produção de 9,6 mil toneladas.

Brasil - O Brasil, com 2,7 milhões de toneladas, foi o quarto produtor mundial em 2020 e responde por 8,8% do total. Filipinas liderou com 9,7%, e China (2º), Costa Rica (3º) e Tailândia (5º) responderam por 9,5%, 9,4% e 8,8% respectivamente. No País, Pará (20,7%), Paraíba (15,1%), Minas Gerais (13,1%) e Rio de Janeiro (9,7%) participam com 58,6% das colheitas nacionais. 

Avicultura e ovos - Segundo a Embrapa Suínos e Aves (CNPSA), o custo de produção do frango, no Paraná, em outubro de 2022, manteve-se estável em relação ao mês de anterior, estacionado no valor médio de R$ 5,49/kg. Os dados sobre produção de ovos mostram recordes no volume em 2021 no Brasil, a partir da Pesquisa Pecuária Municipal (PPM) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apicultura - O Paraná ocupa a terceira posição no ranking da exportação de mel in natura, atrás do Piauí e de Minas Gerais, considerando a exportação total dos dez meses de 2022. O Estado teve receita cambial de US$ 16,69 milhões e volume de 4.438 toneladas no período. 

Principal destino - O principal destino para o mel brasileiro nos dez meses de 2022 (75,5% de todo volume exportado: 32.346 toneladas) continuou sendo os Estados Unidos: volume de 24.421 toneladas, com receita cambial de US$ 91,062 milhões e preço médio de US$ 3.728,85 por tonelada. Austrália, Países Baixos, Dinamarca, Áustria e França também são destinos recorrentes do produto. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Jaelson Lucas / Arquivo AEN

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias