In√≠cio Sistema Ocepar Comunica√ß√£o Informe Paran√° Cooperativo √öltimas Not√≠cias NEG√ďCIOS COOP: Com foco nos neg√≥cios, programas ajudam cooperativas a conquistar mercados

 

 

cabecalho informe

NEG√ďCIOS COOP: Com foco nos neg√≥cios, programas ajudam cooperativas a conquistar mercados

negocios coop 10 06 2024Pesquisa recente realizada pelo Sistema OCB mostra que as cooperativas s√£o cada vez mais conhecidas pelos brasileiros e que 88% consideram o coop um modelo de neg√≥cio atual, inovador ou moderno. Para transformar essa admira√ß√£o e reconhecimento em resultados, a Casa do Cooperativismo Brasileiro aposta em estrat√©gias de neg√≥cios para aumentar o faturamento das cooperativas de forma organizada e sustent√°vel e fazer com elas cheguem a cada vez mais cooperados e consumidores. 

√Ārea exclusiva - Com esse foco, desde o ano passado, o Sistema OCB tem uma √°rea exclusiva de neg√≥cios, que trabalha de forma articulada com as organiza√ß√Ķes estaduais para apoiar as coops de todo o pa√≠s a prospectar e fechar bons neg√≥cios. 

Solu√ß√Ķes - ‚ÄúO Sistema OCB trabalha h√° mais de cinco d√©cadas para oferecer solu√ß√Ķes que visam a sustentabilidade dos neg√≥cios das cooperativas brasileiras e, nos √ļltimos anos, principalmente ap√≥s os efeitos do impacto econ√īmico p√≥s-pandemia, temos percebido a necessidade de atuar cada vez mais pr√≥ximos das nossas cooperativas nesse sentido‚ÄĚ, explica a  coordenadora de Solu√ß√Ķes de Neg√≥cios do Sistema OCB, Pamella de Lima. 

Nova estrutura - A nova estrutura re√ļne as iniciativas de desenvolvimento mercadol√≥gico de cooperativas que j√° existiam e √© respons√°vel pela elabora√ß√£o de novas solu√ß√Ķes de neg√≥cios. O objetivo do novo time √© claro:  ajudar as cooperativas brasileiras a acessar oportunidades de novos mercados e clientes para vender mais e melhor, de maneira sustent√°vel.

Programa - Uma das ferramentas para essa miss√£o √© o Programa Neg√≥ciosCoop Nacional, criado para apoiar  pequenos e m√©dios empreendimentos cooperativos, com solu√ß√Ķes direcionadas de acordo com o tamanho e perfil das coops. Em 2023, a iniciativa come√ßou a ser implementada de forma piloto com cooperativas agropecu√°rias de pequeno porte (especialmente da agricultura familiar e extrativistas) e de artesanato da Regi√£o Norte. 

Diagn√≥stico - O programa come√ßa com um diagn√≥stico presencial aplicado com o apoio de analistas do Sistema OCB e de uma consultoria t√©cnica contratada, em que os cooperados realizam uma an√°lise completa da situa√ß√£o do empreendimento em cinco aspectos:  organiza√ß√£o social, produ√ß√£o, gest√£o, agrega√ß√£o de valor e verticaliza√ß√£o de cadeia e mercado. A partir dos resultados dessa avalia√ß√£o, √© tra√ßado um plano de a√ß√£o que indica consultorias, instrutorias e eventos de acesso a mercados focados em promover novos neg√≥cios e conex√Ķes profissionais. 

Acompanhamento - ‚ÄúTodo o processo √© acompanhado por t√©cnicos das organiza√ß√Ķes estaduais do Sistema OCB, a fim de que a cooperativa tenha apoio do in√≠cio ao fim do programa. O objetivo final √© que a partir de um posicionamento organizado a cooperativa acesse novas oportunidades de neg√≥cio e consequentemente aumente o seu faturamento‚ÄĚ, explica Pamella Lima. 

Atendimentos - At√© abril deste ano, o Programa Neg√≥ciosCoop atendeu 41 cooperativas pelo Brasil, inclusive algumas em plena Amaz√īnia, acess√≠veis apenas por barco, em um total de 1.718 horas de consultorias realizadas. 

Resultados - ‚ÄúOs resultados t√™m sido significativos, temos observado ganhos como a compreens√£o e sentimento de dono do neg√≥cio pelos cooperados, conquista de novos clientes institucionais e privados, capta√ß√£o de recursos, entrada de novos cooperados, aumento de faturamento e entendimento claro do cooperativismo como um modelo de neg√≥cio‚ÄĚ, lista a coordenadora. 

Escala - Este ano, o Programa Neg√≥ciosCoop entrou na fase de escala e chegar√° a cooperativas de todos os estados do pa√≠s. As equipes das organiza√ß√Ķes estaduais que ir√£o atuar no programa j√° come√ßaram a receber treinamento imersivo e ter√£o suporte constante do time nacional do projeto. Al√©m disso, as cooperativas de reciclagem ser√£o as pr√≥ximas a receber uma vers√£o customizada do programa. 

Primeira nota fiscal - Uma das participantes da fase piloto do Programa Neg√≥ciosCoop foi a Cooperativa de Agricultura Familiar de Serra Pelada (Cooasp), de Curion√≥polis, no sudeste do Par√°. Ap√≥s o programa, a cooperativa emitiu sua primeira nota fiscal e se prepara para comercializar parte de sua produ√ß√£o para a merenda escolar do munic√≠pio. 

Produ√ß√£o - A Cooasp produz alface, coentro, cebolinha, couve e outras hortali√ßas h√° seis anos, mas vendia sua produ√ß√£o de maneira informal. A mudan√ßa de rota veio com a participa√ß√£o do Programa Neg√≥ciosCoop, segundo o diretor presidente da cooperativa, Ramon Marques. 

Emiss√£o - ‚ÄúTr√™s meses ap√≥s o programa, j√° fizemos a primeira emiss√£o de nota fiscal, assinamos contrato com uma grande empresa que fornece alimentos para refeit√≥rios, nos estabelecemos no mercado local e estamos expandindo para o mercado regional‚ÄĚ, conta. 

Autonomia - Al√©m do resultado imediato, Marques diz que a Cooasp ganhou autonomia e fortaleceu sua identidade cooperativista, se apresentando para os consumidores como uma op√ß√£o social e economicamente vi√°vel para gerar emprego e renda com a agricultura familiar em um munic√≠pio conhecido pela explora√ß√£o garimpeira. 

Merenda escolar - Parte da produ√ß√£o da Cooasp agora ir√° direto para a merenda escolar das escolas da regi√£o, depois que a Coop venceu a chamada p√ļblica do Programa Nacional de Alimenta√ß√£o Escolar (PNAE), uma iniciativa federal que destina recursos para alimenta√ß√£o escolar nos estados e munic√≠pios brasileiros. Segundo Marques, a cooperativa tamb√©m se prepara para fornecer suas hortali√ßas para o Programa de Aquisi√ß√£o de Alimentos (PAA), que compra produtos da agricultura familiar.

Triplo - Para atender √† demanda, a Cooasp teve que triplicar a produ√ß√£o nas lavouras e, at√© o fim do ano, planeja saltar de 20 mil para 200 mil hortali√ßas por m√™s. ‚ÄúEm junho tamb√©m vamos inaugurar uma agroind√ļstria de polpa de frutas e fabrica√ß√£o de doces e geleias artesanais. Nossa meta at√© 2030 √© ser a maior cooperativa de agricultura familiar da regi√£o Caraj√°s  e uma das cinco maiores do estado do Par√°‚ÄĚ, planeja o presidente da Cooasp. 

Novos mercados para o coop brasileiro - Al√©m do Programa Neg√≥ciosCoop Nacional, o Sistema OCB tem estrat√©gias de neg√≥cios para cooperativas de outros ramos e tamanhos, seja no mercado brasileiro ou internacional. 

Iniciativas - ‚ÄúTemos iniciativas para apoiar a inser√ß√£o em mercados, ampliar e diversificar as vendas dos produtos por meio de participa√ß√£o em feiras, rodadas de neg√≥cios e miss√Ķes internacionais‚ÄĚ, lista Pamella Lima.

Apoio - Em 2023, o Sistema OCB apoiou a participação de 20 cooperativas de artesanato e agricultura familiar em duas importantes feiras do país: a 5ª Feira Nacional de Artesanato e Cultura (Fenacce), em Fortaleza; e a 30ª Agrinordeste, em Olinda.

Exposi√ß√£o - As coops expuseram seus produtos em um estande institucional do Sistema OCB, chamado de Loja Cooperativa, uma estrat√©gia para atrair a aten√ß√£o do p√ļblico para os produtos do cooperativismo. Na 5¬™ Fenacce, as vendas na Loja Cooperativa totalizaram R$61 mil e as coops assinaram 40 contatos nacionais e 24 internacionais, com previs√£o de vendas de R$130 mil. 

2024 - Em 2024, pelo menos 40 cooperativas brasileiras ir√£o participar de quatro feiras de neg√≥cios de grande relev√Ęncia no cen√°rio nacional. O Sistema OCB participar√° dos eventos com um estande chamado "Cooperativas do Brasil", em que as coops poder√£o conquistar novos clientes e ampliar sua rede de contatos.

Compras p√ļblicas - Outra solu√ß√£o de neg√≥cios tem aproximado as cooperativas do maior comprador do Brasil: o Poder P√ļblico. De forma online e gratuita, o servi√ßo Cooperativas nas Compras P√ļblicas monitora as oportunidades de compras governamentais, sejam municipais, estaduais ou federais, e alerta as cooperativas cadastradas de forma personalizada sobre editais e licita√ß√Ķes lan√ßados pelo governo. Em 2023, a plataforma registrou 235 cooperativas cadastradas e monitorou mais de 35 mil editais  de interesse das coops. 

Intercoopera√ß√£o - Em outra frente de neg√≥cios, o Sistema OCB aposta na intercoopera√ß√£o para gerar mais resultados. √Č o Coop Compra de Coop, uma iniciativa realizada durante a Semana de Competitividade de 2023 que ajudou 13 coops dos ramos Agropecu√°rio, Transporte, Trabalho e Produ√ß√£o de Bens e Servi√ßos a fecharem neg√≥cios com cooperativas de todo o pa√≠s durante o evento.

V√≠deos - As cooperativas vendedoras receberam o apoio do Sistema OCB para gravar pequenos v√≠deos sobre seus produtos, que foram transmitidos no fim de cada palestra. Uma √°rea do evento tamb√©m foi reservada para que as coops pudessem receber clientes, negociar vendas e prospectar contratos futuros. 

Mercado internacional - No mercado internacional, o foco da √°rea de neg√≥cios √© abrir fronteiras para que os produtos coop brasileiros ganhem mercado mundo afora. Esse trabalho √© feito em parceria com a Ag√™ncia Brasileira de Promo√ß√£o de Exporta√ß√Ķes e Investimentos (ApexBrasil), por meio do Programa de Qualifica√ß√£o para Exporta√ß√£o do Cooperativismo (Peiex Coop), que tem foco na sensibiliza√ß√£o e capacita√ß√£o individualizada de cooperativas para aumentar sua competitividade exportadora. 

Eventos - Al√©m da promo√ß√£o das exporta√ß√Ķes, outra porta de entrada para os produtos coop no exterior √© a participa√ß√£o em feiras, rodadas de neg√≥cios ou miss√Ķes internacionais. ‚ÄúAs miss√Ķes possibilitam o fortalecimento de la√ßos e parcerias estrat√©gicas que ajudam as cooperativas a ingressarem nesses mercados. Por sua vez, as feiras internacionais funcionam como vitrines para que as cooperativas apresentem seus produtos em escala global, criando oportunidades de contato e neg√≥cios‚ÄĚ, explica a coordenadora. (Sistema OCB

 

icone prcoop icone instagram icone facebook icone X icone linkedin icone youtube icone flickr icone endereco