Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias IPARDES: Instituto divulga Índice de Preços de Alimentos e Bebidas de maio

 

 

cabecalho informe

IPARDES: Instituto divulga Índice de Preços de Alimentos e Bebidas de maio

ipardes 11 06 2024Com queda nos preços da banana-caturra e dos feijões preto e carioca, e aumento nos de batata-inglesa, leite integral e maçã, o Índice de Preços Regional Alimentos e Bebidas (IPR-Alimentos e Bebidas) do Paraná registrou, em maio, um avanço de 1,03%.

Maiores variações - As maiores variações negativas verificadas em todo o Paraná foram de -22,10% na banana-caturra, -12,19% em feijão preto e -11,48% em feijão carioca.

Decréscimo - Regionalmente, o decréscimo no preço da banana-caturra foi de -31,09% em Maringá, seguida por Ponta Grossa (-24,62%), Curitiba (-22,93%), Londrina (-18,80%), Foz do Iguaçu (-18,44%) e Cascavel (-15,72%).

Produtividades satisfatórias - Segundo o diretor de Estatística do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social), que faz este levantamento, Marcelo Antonio, a queda nesses itens resulta das condições de produtividade satisfatórias que favoreceram uma maior disponibilidade desses produtos nos supermercados.

Altas - Pelo lado das altas, no mês de maio foram registrados incrementos na batata-inglesa (29,49%), no leite integral (7,12%) e na maçã (4,88%). “Contribuíram para o comportamento desses preços a transição de safras da batata, menor captação de leite pelas unidades produtoras e o fim da colheita da maçã. Tudo isso colaborou para uma oferta reduzida desses produtos ao consumidor, ocasionando esses reajustes”, disse.

Maiores aumentos - Os municípios que registraram maiores aumentos da batata-inglesa foram Curitiba (37,99%), Maringá (36,91%), Ponta Grossa (28,24%), Cascavel (26,13%), Foz do Iguaçu (25,39%) e Londrina (23,02%).

Comportamento mensal - O comportamento mensal dos preços dos 35 produtos avaliados contribuiu para a aceleração a um índice 0,47 ponto porcentual superior ao registrado em abril (0,56%) e 0,87 ponto porcentual maior que o índice de maio de 2023 (0,16%).

Variação - A variação mensal mais expressiva ocorreu em Londrina, com alta de 1,34%, seguido por Cascavel, 1,33%, Foz do Iguaçu, 1,30%, Ponta Grossa, 1,16%, Curitiba, 0,85% e Maringá, 0,20%.

Em 12 meses - No acumulado do Paraná entre junho de 2023 e maio de 2024 foi verificada a variação de 3,69% que, regionalmente, foi maior em Cascavel (4,54%), acompanhado por Foz do Iguaçu (4,45%), Ponta Grossa e Londrina (3,61%), Maringá (3,46%) e Curitiba (2,43%).

Acumulado - Os produtos com maiores variações acumuladas nos últimos 12 meses foram a cebola, a batata-inglesa e a laranja-pera, com acréscimo de 85,23%, 77,65% e 54,03%, respectivamente. Em contrapartida, as quedas mais relevantes ocorreram em banana-caturra (-19,33%), margarina (-13,56%) e farinha de trigo (-12,80%).

Aumentos - “Aumentos em cebola, batata-inglesa e laranja-pera são reflexos de quebras de safras anteriores, aliadas às questões climáticas e também a uma baixa produtividade”, disse Marcelo Antonio.

Banana-caturra - Nesse período, a banana-caturra apresentou retração de -23,28% em Curitiba, de -21,61% em Ponta Grossa, de -21,45% em Maringá, de -20,71% em Foz do Iguaçu, de -20,57 em Londrina e de -7,38% em Cascavel. Em relação aos aumentos, a cebola sofreu acréscimo de 99,90% em Ponta Grossa, de 94,39% em Londrina, de 91,65% em Maringá, de 83,40% em Curitiba, de 73,73% em Cascavel e de 70,22% em Foz do Iguaçu.

Principais contribuições - Em relação à influência ponderada de cada um dos itens no resultado agregado do IPR - Alimentos e Bebidas, o resultado de 1,03% do mês de maio foi influenciado, especialmente, pelos aumentos de leite integral, batata-inglesa, café, arroz branco e queijo muçarela.

Limite - Por outro lado, limitaram o aumento maior do índice as quedas em banana-caturra, feijão preto, laranja-pera, feijão carioca e ovo de galinha.

Indicador - Lançado em 15 de dezembro de 2022, o IPR utiliza os registros fiscais da Receita Estadual do Paraná. O Ipardes faz uma média de 382 mil registros de notas fiscais eletrônicas ao mês emitidas em 366 estabelecimentos comerciais de diferentes portes localizados em Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel, Ponta Grossa e Foz do Iguaçu.

Produtos - Os 35 produtos avaliados foram definidos a partir da Pesquisa de Orçamentos Familiares do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o Paraná e representam cerca de 65% das compras de alimentos e bebidas dos paranaenses. O Instituto também trabalhou a série histórica de preços desde 2020, que permite analisar a flutuação no preço de alimentos e bebidas nos últimos dois anos no Estado.

Análise detalhada - Com a análise detalhada dos índices pelo Ipardes, as maiores cidades do Paraná têm condições de saber exatamente o comportamento dos preços dos alimentos, que possui um reflexo relevante na vida dos cidadãos. Os dados são importantes, por exemplo, para a elaboração de políticas públicas regionais e estaduais mais direcionadas em função da situação inflacionária de cada cidade. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Roberto Dziura Jr / AEN

 

icone prcoop icone instagram icone facebook icone X icone linkedin icone youtube icone flickr icone endereco