Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias Produtores de hortaliças adiam plantio no Paraná

 

 

cabecalho informe

Produtores de hortaliças adiam plantio no Paraná

As hortaliças produzidas nas regiões afetadas pela seca não devem subir de preço imediatamente, estima o Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agircultura e Abastecimento do Paraná. Isso porque, apesar de a seca aumentar o custo do produtor, na hora de vender para o varejo o agricultor dificilmente consegue repassar esta alta. Porém a estiagem está fazendo com que muitos agricultores adiem a plantação com medo da falta de água para irrigar artificialmente.
Isso pode resultar na escassez de alguns produtos nos próximos dois ou três meses, daí sim provocando alto do preço para consumidor final.

Custos - Como metade da produção de hortaliças está na Região Metropolitana de Curitiba, onde a falta de chuvas é menor, e em todas as plantações já é normalmente usada a irrigação artificial, a falta de chuva é menos sentida neste caso. No entanto, o custo do produtor aumenta com a seca. Segundo o técnico do Deral, Maurício Lunardon, além de aumentar o consumo de água, já que é preciso irrigar mais vezes, a produção fica mais sujeita a pragas, o que exige uma aplicação maior de agrotóxico. ''E muitas vezes o agricultor não consegue repassar este aumento de custo, já que ele tem que vender seu produto no preço do mercado'', explicou Lunardon. Por isso é possível que as hortaliças não sofram grande alta de preço imediatamente.

Estiagem - Contudo, daqui dois ou três meses a situação pode ser outra. Segundo Lunardon, por causa do medo que a estiagem continue muitos produtores de hortaliças desistiram de plantar agora. Este atraso no cultivo pode gerar escassez de alguns produtos. Isso sim deve fazer o preço subir. ''Alguns estão preferindo esperar porque pode faltar água nos açudes, poços e aí sim prejudicar as plantações'', explicou. Além das hortaliças, as plantações de batata estão sofrendo com a estiagem. O tubérculo já vem subindo de preço desde janeiro justamente por causa de problemas climáticos em São Paulo e Minas Gerais. ''O preço deve subir mais um pouco, mas não muito. Geralmente chega a um patamar e estabiliza. Caso contrário o consumidor pára de comprar'', afirmou Lunardon. Algumas plantações de batata são irrigadas, porém isso representa a minoria.(Folha de Londrina)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias