Confira entrevista com o diretor da Ocepar e ex-presidente da Castrolanda Frans Borg

Em entrevista, conduzida pelo Coordenador de Comunicação do Sistema Ocepar, o jornalista Samuel Zanello Milléo Filho, o diretor da Ocepar, o cooperativista Frans Borg, relembra a história da imigração holandesa no Paraná e fala sobre o legado desse povo para a organização cooperativista do Estado. Intercooperação e sucessão também foram temas abordados.

Frans Borg foi presidente da Castrolanda por 45 anos. Deixou a função em 2020. Em sua gestão, a Castrolanda se modernizou e inovou. Foi precursora na industrialização de leite na região, entre outras ações que alçaram Castro como a capital nacional do leite.

Frans Borg deixou como legado uma cooperativa estruturada, com um faturamento superior 4,5 bilhões de reais, aproximadamente 3700 colaboradores e 1100 cooperados, e unidades de negócios divididas em operações agrícola, carnes, leite, batata e administração e industrial – carnes, leite e batata.

Holandês, por nascimento, Frans Borg nasceu em 1951, em Bourtange, na província de Groningen. É casado com Angela Maria Verschoor. Tem três filhos – Rodrigo, Pablo e Cynthia – e sete netos.

Caçula de cinco irmãos, mudou-se para o Brasil quando tinha apenas dois anos. Seus pais tomaram essa decisão pensando no futuro dos filhos, já que a Holanda na época vivia uma grave crise, reflexo dos impactos da Segunda Guerra Mundial.

Confira a história de Frans Borg, que não é apenas a história de um homem, de um executivo de sucesso e um cooperativista por essência. É a história de um povo que encontrou em solo paranaense a oportunidade de construir uma nova vida. Também é a história da Castrolanda, cooperativa que se originou ainda na Holanda e trouxe para o Brasil um exemplo de organização, que é o cooperativismo.

www.paranacooperativo.coop.br / App Paraná Cooperativo

baixar icon
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn