Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias IPCA: Inflação acelera para 0,46% em maio, impulsionada por alta dos alimentos

 

 

cabecalho informe

IPCA: Inflação acelera para 0,46% em maio, impulsionada por alta dos alimentos

ibge destaque 11 06 2024A inflação do país foi de 0,46% em maio, acelerando em relação ao mês anterior (0,38%). Esse resultado foi pressionado pelos preços dos alimentos e bebidas, que subiram 0,62% na comparação com abril, influenciados, sobretudo, pela alta dos tubérculos, raízes e legumes (6,33%). Dentre eles, destaca-se a batata-inglesa, com aumento de 20,61%, o maior impacto individual sobre o índice geral.

Infla√ß√£o acumulada - No ano, a infla√ß√£o acumulada √© de 2,27% e, nos √ļltimos 12 meses, de 3,93%. Os dados s√£o do √ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta ter√ßa-feira (11/06) pelo IBGE.

Mudan√ßas de safras - O gerente da pesquisa, Andr√© Almeida, observa que a mudan√ßa das safras √© um dos fatores relacionados ao aumento do tub√©rculo. ‚ÄúEm maio, com a safra das √°guas na reta final e um in√≠cio mais devagar da safra das secas, a oferta da batata ficou reduzida. Al√©m disso, parte da produ√ß√£o foi afetada pelas fortes chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul, que √© uma das principais regi√Ķes produtoras‚ÄĚ, diz.

Outros alimentos - Al√©m da batata-inglesa, outros alimentos com grande presen√ßa na mesa dos brasileiros tamb√©m subiram em maio, com destaque para a cebola (7,94%), o leite longa vida (5,36%) e o caf√© mo√≠do (3,42%). ‚ÄúO leite est√° em per√≠odo de entressafra e houve queda nas importa√ß√Ķes. Essa combina√ß√£o resultou em uma menor oferta. Em rela√ß√£o ao caf√©, os pre√ßos das duas esp√©cies t√™m subido no mercado internacional, o que explica o resultado de maio‚ÄĚ, destaca o pesquisador.

Domic√≠lio - Mesmo com essas altas, o pre√ßo da alimenta√ß√£o no domic√≠lio (0,66%) desacelerou ante abril (0,81%). Esse comportamento √© explicado pelas varia√ß√Ķes negativas de alguns alimentos, como as frutas (-2,73%). ‚ÄúO principal alimento com queda em maio foram as bananas: a maior oferta da banana d‚Äô√°gua pressionou os pre√ßos da prata, e as duas baixaram. Isso ajudou a segurar o aumento da alimenta√ß√£o no domic√≠lio‚ÄĚ, analisa Andr√©.

Fora do domic√≠lio - Por outro lado, os pre√ßos da alimenta√ß√£o fora do domic√≠lio (0,50%) subiram mais do que no m√™s anterior (0,39%), influenciados pela acelera√ß√£o do lanche (de 0,44% para 0,78%). J√° a varia√ß√£o da refei√ß√£o (0,36%) ficou pr√≥xima √† registrada em abril (0,34%).

Habitação - Depois de alimentação e bebidas, o grupo que mais influenciou o resultado geral foi o de habitação (0,67%), com a alta da energia elétrica residencial (0,94%), o terceiro item de maior impacto individual sobre o resultado geral. O resultado é explicado pela aplicação dos reajustes tarifários em Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Recife (PE), Fortaleza (CE) e Aracaju (SE). A taxa de água e esgoto (1,62%) e o gás encanado (0,30%) também contribuíram para a alta do grupo.

Sa√ļde e cuidados pessoais - J√° a varia√ß√£o de sa√ļde e cuidados pessoais (0,69%) foi a maior entre os nove grupos investigados pela pesquisa. O resultado foi influenciado pelo aumento nos pre√ßos do plano de sa√ļde (0,77%) e dos itens de higiene pessoal (1,04%), com destaque para perfume (2,59%) e produto para pele (2,26%). ‚ÄúMaio √© marcado pelo Dia das M√£es, que colaborou para o aumento de pre√ßos dos perfumes, artigos de maquiagem e produtos para pele‚ÄĚ, avalia o gerente.

Transporte - No grupo dos transportes (0,44%), a passagem a√©rea registrou a primeira alta do ano (5,91%) e foi o quarto item individual de maior impacto na infla√ß√£o do pa√≠s. Em abril, a defla√ß√£o desse item foi de 12,09%. Al√©m dele, em maio, houve alta nos combust√≠veis (0,45%), impactada pelo etanol (0,53%), pelo √≥leo diesel (0,51%) e pela gasolina (0,45%). Tamb√©m subiram os pre√ßos do metr√ī (1,21%) e do t√°xi (0,55%).

Infla√ß√£o chega a 0,87% em Porto Alegre - Diante da trag√©dia ambiental que atingiu o Rio Grande do Sul desde o fim de abril, Porto Alegre foi a √°rea de abrang√™ncia investigada pela pesquisa com maior varia√ß√£o do IPCA em maio. ‚ÄúA situa√ß√£o de calamidade acabou afetando a alta dos pre√ßos de alguns produtos e servi√ßos. Em maio, as principais altas foram da batata-inglesa (23,94%), do g√°s de botij√£o (7,39%) e da gasolina (1,80%)‚ÄĚ, destaca Andr√©.

Locais pesquisados - Dos 16 locais pesquisados, apenas Goi√Ęnia (-0,06%) teve defla√ß√£o. Esse resultado foi relacionado ao recuo de pre√ßos da gasolina (-3,61%) e do etanol (-6,57%) no munic√≠pio.

INPC tem alta de 0,46% em maio - A alta do √ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor (INPC) foi de 0,46% em maio, tamb√©m acelerando em rela√ß√£o ao resultado anterior (0,37%). O resultado foi impactado pelos produtos aliment√≠cios, que subiram 0,64% em maio, ap√≥s a alta de 0,57% em abril. J√° os pre√ßos dos n√£o aliment√≠cios variaram 0,40%, acima do registrado no m√™s anterior (0,31%).

Resultado - ‚ÄúEm maio, o resultado do INPC foi igual ao do IPCA, e o comportamento dos grupos foi bem pr√≥ximo. O de alimentos teve mais impacto [no INPC] por conta do peso maior desse grupo dentro do or√ßamento das fam√≠lias de mais baixa renda‚ÄĚ, destaca Andr√©. O √≠ndice geral acumula aumento de 2,42% no ano e de 3,34% nos √ļltimos 12 meses.

Maior varia√ß√£o - Entre as √°reas de abrang√™ncia da pesquisa, a maior varia√ß√£o tamb√©m ocorreu em Porto Alegre (0,95%), vinculada, assim como no caso do IPCA, √†s altas da batata-inglesa (23,94%), do g√°s de botij√£o (7,39%) e da gasolina (1,80%).

Coleta do IPCA/INPC no Rio Grande do Sul - Em raz√£o da situa√ß√£o de calamidade p√ļblica na regi√£o metropolitana de Porto Alegre, √°rea de abrang√™ncia da pesquisa, a coleta de pre√ßos na modalidade remota foi intensificada, permanecendo, tamb√©m, a coleta em modo presencial quando poss√≠vel. O percentual coletado na modalidade remota, por telefone ou pela internet, que estava em torno de 20%, passou para aproximadamente 65% em decorr√™ncia da situa√ß√£o extraordin√°ria observada em maio.

C√°lculo - Para o c√°lculo do IPCA/INPC, os pre√ßos foram coletados no per√≠odo de 1¬ļ de maio a 29 de maio de 2024 (per√≠odo de refer√™ncia) e comparados com aqueles vigentes de 29 de mar√ßo a 30 de abril de 2024 (base). As informa√ß√Ķes apropriadas no IPCA/INPC de maio foram validadas com base nas metodologias de c√°lculo, cr√≠tica e imputa√ß√£o de pre√ßos vigentes no Sistema Nacional de √ćndices de Pre√ßos ao Consumidor (SNIPC).

Subitens - Nem todos os subitens puderam ser coletados por telefone ou pela internet, como foi o caso de alguns subitens do item ‚Äúhortali√ßas e verduras‚ÄĚ. Nos casos de aus√™ncia de pre√ßos foi realizada a imputa√ß√£o dos dados, procedimento previsto e descrito na publica√ß√£o ‚ÄúSistema nacional de √≠ndices de pre√ßos ao consumidor: M√©todos de c√°lculo - 8¬™ edi√ß√£o, dispon√≠vel em liv101767.pdf". No caso do subitem ‚Äúped√°gio‚ÄĚ, n√£o foram consideradas no c√°lculo as pra√ßas em que a cobran√ßa foi suspensa durante todo o per√≠odo de refer√™ncia da pesquisa. Aquelas em que houve cobran√ßa de tarifa durante alguns dias do m√™s de refer√™ncia foram apropriadas com pro rata, ou seja, distribu√≠dos proporcionalmente pelo per√≠odo de refer√™ncia, no c√°lculo da infla√ß√£o do subitem.

Pol√≠tica de Revis√£o de Dados - A Pol√≠tica de Revis√£o de Dados Divulgados das Opera√ß√Ķes Estat√≠sticas do IBGE estabelece que os √≠ndices de pre√ßos utilizados como indexadores de infla√ß√£o na corre√ß√£o monet√°ria de contratos p√ļblicos e privados n√£o s√£o revisados, para garantir a seguran√ßa jur√≠dica dos contratos. Neste contexto est√£o inclu√≠dos os dados do √ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor - INPC, do √ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor Amplo - IPCA, do √ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor Amplo-15 - IPCA-15 e do √ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor Amplo Especial - IPCA-E. Acesse aqui o documento "Pol√≠tica de Revis√£o de Dados Divulgados das Opera√ß√Ķes Estat√≠sticas do IBGE".

Mais sobre as pesquisas - O IPCA abrange as fam√≠lias com rendimentos de 1 a 40 sal√°rios m√≠nimos, enquanto o INPC, as fam√≠lias com rendimentos de 1 a 5 sal√°rios m√≠nimos, residentes nas regi√Ķes metropolitanas de Bel√©m, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Vit√≥ria, Rio de Janeiro, S√£o Paulo, Curitiba, Porto Alegre, al√©m do Distrito Federal e dos munic√≠pios de Goi√Ęnia, Campo Grande, Rio Branco, S√£o Lu√≠s e Aracaju. Acesse os dados no‚ÄĮSidra. O pr√≥ximo resultado do IPCA, referente a junho, ser√° divulgado em 10 de julho. (Ag√™ncia IBGE de Not√≠cias)

FOTO: Acervo IBGE

 

icone prcoop icone instagram icone facebook icone X icone linkedin icone youtube icone flickr icone endereco